‘Industry’: nova série da HBO leva sexo, drogas e dilemas da geração Z ao mercado financeiro

Lena Dunham, de ‘Girls’, dirige episódio de estreia do projeto criado por dupla que já trabalhou em banco de investimentos
Pedro Willmersdorf

‘Industry’: elenco principal da nova série da HBO, que mostra o ingresso de cinco jovens no selvagem mundo do mercado financeiro Foto: Divulgação

Talvez a primeira impressão ao assistir “Industry” seja de que a nova série da HBO, que estreia nesta segunda-feira, 9, é um passeio de “Girls” pelo mercado financeiro. E faz bastante sentido, afinal de contas o episódio de estreia é dirigido por Lena Dunham, idealizadora da série fenômeno vencedora do Emmy e do Globo de Ouro. Mas, justiça seja feita, “Industry” vai além de uma suposta repaginada nas temáticas de comportamento exploradas por “Girls”.

Criada pelos estreantes Mickey Down e Konrad Kay, a série em oito episódios acompanha um grupo de jovens recém-formados que competem por um número limitado de vagas de emprego no Pierpoint & Co., um grande banco internacional de investimentos em Londres. Na trama, muitas pitadas de sexo, drogas e dilemas existenciais típicos da geração Z.

Uma das personagens que integra o quinteto protagonista é Harper Stern, interpretada pela promissora atriz americana Myha’la Herrold, da série “Modern love”. Harper parte de Nova York até Londres para atingir o almejado sucesso no banco, mas sua trajetória fica mais difícil quando se vê cercada de pessoas nascidas com privilégios.

Myha'la Herrold, intérprete de Harper, na série 'Industry': valorização da diversidade de debates na trama Foto: Amanda Searle
Myha’la Herrold, intérprete de Harper, na série ‘Industry’: valorização da diversidade de debates na trama Foto: Amanda Searle

Para Myha’la, o mérito da série reside justamente na capacidade de inserir novas camadas narrativas em um roteiro que poderia cair no lugar-comum das histórias sobre engravatados tentando ganhar dinheiro a todo custo. “Industry”, de fato, traz em seus episódios debates sobre gênero, raça e classe social.

— O que mais gosto na série é como ela transporta a diversidade que existe no mundo para dentro do mercado financeiro — analisa a atriz. — Muda-se aquela ideia de que é um universo dominado apenas por homens brancos, ricos e mais velhos. Neste setor, assim como em outros, existe uma nova onda chegando com maior variedade de gêneros e raças ganhando voz.

Além de Harper, o núcleo principal tem outro personagem negro: Gus, interpretado pelo ator britânico David Jonsson. Ele é um ex-aluno de Oxford que cresceu programado para ingressar em instituições como o Pierpoint e vê o banco como um passo a mais nas experiências que o levarão a Downing Street, sede do governo britânico.

Ele reforça a ideia de que a série utiliza o banco apenas como pano de fundo para discussões mais profundas.

— Não é sobre sistema financeiro, mas sobre jovens e suas difíceis escolhas.

De qualquer forma, a série carrega em seus diálogos termos inerentes ao mundo das aplicações, cifras e índices da bolsa, por mais que sejam um subtexto para os dramas dos personagens. Aliás, deve ter sido relativamente fácil para os criadores de “Industry” imprimir tais jargões no roteiro: Mickey Down e Konrad Kay, no passado, foram operadores do mercado financeiro.

Marisa Abela vive Yasmin, amiga de Harper, na série 'Industry', e busca provar seu valor diante da chefia machista Foto: Divulgação
Marisa Abela vive Yasmin, amiga de Harper, na série ‘Industry’, e busca provar seu valor diante da chefia machista Foto: Divulgação

O currículo dos “chefes”, no entanto, não assustou Marisa Abela, atriz britânica que interpreta Yasmin, jovem de origem abastada que ingressa no Pierpoint querendo, finalmente, provar seu valor. Lá, porém, encontra um superior que transborda machismo. A atriz abre o jogo sobre como conseguiu mergulhar no glossário de termos mercadológicos que até então desconhecia.

— Meu trabalho é convencer as pessoas de que sou alguém que eu não sou. O que fiz foi jogar algumas palavras do script no Google — diverte-se Marisa. — Duvido que alguém tenha coragem de me dar seu próprio dinheiro para que eu administre.

Além de Yasmin, Gus e Harper, a série também disseca a jornada de Robert (Harry Lawtey), que chega ao banco acreditando na prometida meritocracia e achando que vestir um terno vai distanciá-lo do seu passado de filho da classe trabalhadora, e Hari (Nabhaan Rizwan), que sonhou a vida toda atuar no sistema financeiro e está decidido a vencer na vida, custe o que custar.

2 comentários sobre “‘Industry’: nova série da HBO leva sexo, drogas e dilemas da geração Z ao mercado financeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.