Colégio Franco-Brasileiro adota ‘terceiro gênero’ em vocabulário: ‘querides alunes’

Por Ana Cláudia Guimarães

O Colégio Franco-Brasileiro muda vocabulário | Reprodução

O Colégio Franco-Brasileiro deu um passo a favor da diversidade. Agora, os gramáticos vão ter que dizer o que acham. O colégio emitiu hoje circular aos pais falando sobre o “compromisso com a promoção do respeito à diversidade e da valorização das diferenças no ambiente escolar”:

É que a escola acaba de adotar o que chamaram de “suporte institucional à adoção de estratégias gramaticais de neutralização de gênero em nossos espaços formais e informais de aprendizagem”.  A ideia é a neutralização de gênero gramatical adotando um conjunto de operações linguísticas voltadas tanto ao enfrentamento do machismo e do sexismo no “discurso quanto à inclusão de pessoas não identificadas com o sistema binário de gênero”. O colégio,então, decidiu permitir a docentes e a estudantes que manifestem livremente sua identidade de gênero.

Até aí, não há polêmica. Mas o Franco-Brasileiro foi além.  Dediciu substituir a expressão “queridos alunos” por “querides alunes”, por exemplo, para incluir múltiplas identidades. O Comitê da Diversidade e da Inclusão do colégio fará palestras sobre a questão. Leia abaixo o documento na íntegra.

Em tempo: O Franco-Brasileiro, como se sabe, em maio deste ano, teve um aluna, Fatou Ndiaye, 15 anos, que foi  vítima de racismo e ficou 40 dias sem ir à aula. A família da estudante diz que a escola não tomou as medidas cabíveis e decidiu mudá-la de colégio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.