A Samsung pode ganhar bilhões com a produção dos novos chips M1 da Apple

O evento da Apple ontem foi muito aguardado. Para alguns, era muito mais interessante do que os novos iPhones lançados há algumas semanas. Isso porque a empresa finalmente revelou seus primeiros computadores com Apple Silicon. Pela primeira vez, a Apple está usando seus chips personalizados em produtos como o MacBook e o Mac mini.

Há muito tempo ela fabrica chips personalizados para dispositivos móveis como o iPhone e o iPad. Agora ela está dando um grande salto ao substituir os chipsets da Intel pelos seus. O Apple M1 é seu primeiro chip de computador e certamente não será o último. A Apple não tem sua própria fundição, então precisa de alguém para produzir esses chips para ela. Analistas acreditam que isso pode render bilhões à Samsung.

Samsung é a única outra opção para a Apple
Como a Apple não tem sua própria fundição, ela não pode realmente produzir os chipsets que projeta. A TSMC tem sido a fabricante exclusiva de seus chips móveis personalizados por quase cinco anos. A Samsung fez uma porcentagem de chips para a Apple no passado, mas desde 2015, a TSMC é a fabricante exclusiva. Há rumores de que a Samsung poderia reconquistar alguns pedidos, mas isso ainda não se materializou.

Pode ter havido muitas razões por trás da decisão da Apple de tornar a TSMC o fabricante exclusivo. Houve relatos de que a tecnologia de embalagem da TSMC era superior à Samsung. Alguns acreditam que a Apple simplesmente não queria dar mais negócios para a Samsung, uma empresa com a qual ela também compete no mercado móvel. A Apple já paga bilhões à Samsung por telas OLED e até mesmo paga multas pesadas quando não compra tantos painéis quanto deveria.

É importante notar que o Apple M1 é um chip de 5 nm. Samsung e TSMC são as duas únicas operadoras de fundição que possuem um nó operacional de 5 nm. A TSMC já está fabricando todos os chips A14 Bionic de 5 nm da Apple para seus dispositivos móveis. Isso representa quase 25 por cento de toda a capacidade de produção de 5 nm da TSMC.

A Apple está longe de ser a única grande empresa a tentar garantir a capacidade de produção. Qualcomm, NVIDIA, AMD, Intel e MediaTek estão entre algumas das empresas que estão adquirindo chips de 5 nm feitos de TSMC. Portanto, a menos que a TSMC seja capaz de adicionar rapidamente novas linhas de 5 nm às suas instalações, o que é demorado e custoso, ela pode não ser capaz de fornecer o tipo de número que a Apple desejaria para o M1. O MacBook Air e o MacBook Pro vendem como bolos quentes, então a Apple vai precisar de um suprimento amplo.

Isso deixa apenas a Samsung como outra opção. A empresa tem tentado aumentar suas receitas de fundição, indo tão longe a ponto de reduzir o preço da TSMC apenas para ganhar pedidos. A Samsung já deve ganhar todo o pedido de produção da Qualcomm para o Snapdragon 875 de 5 nm. Portanto, a Apple não teria escolha a não ser trabalhar com a Samsung nisso.

Ganhar um monte de pedidos do Apple M1 será um negócio lucrativo para a Samsung. Provavelmente teremos que esperar por sua próxima divulgação de resultados para descobrir se essas previsões se concretizaram. Não é como se a Apple tivesse se livrado dos chips Intel sem primeiro descobrir o lado da cadeia de suprimentos das coisas.

A decisão da Samsung de investir agressivamente no nó de 5 nm vai pagar dividendos. Se a TSMC for realmente incapaz de atender à demanda da Apple pelo M1, a Apple terá que fazer negócios com a Samsung, goste ou não.

VIA SAMMOBILE

Fashion News: saiba as principais novidades da moda nesta semana!

Entre as novidades mais quentes estão a nova coleção-cápsula de sapatos entre a Fenty e Amina Muaddi
MARIANA ALMEIDA (@MARIANABALMEIDA)

Gucci lança campanha Gift Giving inspirada nas festas de escritório dos anos 90

Campanha Gift Giving 2020 da Gucci (Foto: Divulgação)

Trazendo uma vibe retrô das festas de fim de ano nos escritórios da época, a Gucci lança sua nova campanha Gift Giving, criada por seu diretor criativo, Alessandro Michele, clicada pelo fotógrafo Mark Peckmezian e filmada pelo diretor Akinola Davies Jr. Após o horário do fim do expediente, as mesas mudam de lugar e o ambiente corporativo é tomado pela música dos anos 80, com os funcionários vestidos com peças da marca dançando e cantando. A coleção Gift Giving apresenta duas famílias: uma ligada ao calor aconchegante de uma manta de inverno, com um tecido jacquard de lã com estampa houndstooth em verde e vermelho, e a outra para celebrar o espírito de festa com lantejoulas brilhantes em diversas cores.

A campanha introduz o lançamento do novo jogo Arcade no aplicativo da Gucci, inspirado no lendário jogo Conga Master desenvolvido pela Undercoders, em que os jogadores terão o objetivo de juntar colegas dentro de um escritório para participar de uma dança Conga. A Gift Giving marca ainda o lançamento da nova embalagem da grife, alinhada com a sustentabilidade. O processo de criação foi adaptado para reduzir o impacto no meio ambiente, e todos os papéis e papelões vêm de fontes florestais geridas de forma sustentável, além de serem recicláveis.

Osklen apresenta coleção-cápsula com obras icônicas de Lygia Clark

Osklen lança coleção cápsula inspirada em Lygia Clark (Foto: Divulgação)
Osklen lança coleção cápsula inspirada em Lygia Clark (Foto: Divulgação)

Em homenagem ao centenário do nascimento de Lygia Clark, um dos maiores nomes da arte contemporânea brasileira, a Osklen preparou uma coleção-cápsula com algumas obras da pintora, escultora e “não-artista”, como parte da Osklen Artserie. 

Algumas obras como “Superfície Modulada’- versão 1” e “Estudo para Planos em Superfície Modulada” aparecem estampando t-shirts e tote bags produzidas em e-fabrics, com matérias-primas sustentáveis e gerando um menor impacto ao meio ambiente.

Joalheira Carolina Neves lança nova coleção Wishes

Carolina Neves lança coleção Wishes (Foto: Divulgação)
Carolina Neves lança coleção Wishes (Foto: Divulgação)

Conhecida pelas joias de pedras coloridas, a designer Carolina Neves lanca a nova coleção Wishes, com pingentes da marca para serem usados com lenços estampados (que as clientes ganharão ao comprarem uma joia). A proposta é que a dupla seja versátil e possa ser usada como pulseira, acessório de cabeça, colar, tornozeleira ou como a criatividade mandar! Os pingentes são em ouro adornados com pedras e simbolizam diversos desejos como amor, proteção, viagem e sorte.

Amir Slama inaugura novo espaço que reúne loja, café, decoração e escritório criativo

Novo espaço de Amir Slama (Foto: Divulgação)
Novo espaço de Amir Slama (Foto: Divulgação)

O estilista de beachwear e resort wear Amir Slama abre um novo espaço em São Paulo que reúne diversos serviços. Localizada no Jardins, a loja apresenta todo o acervo de peças de Amir, que comemora 30 anos de carreira. O ambiente conta também o Café Slama, assinado de Bárbara Farina, que traz pratos rápidos e comidas saudáveis. A nova loja tem ainda um corner físico do e-commerce Five Senses Home, multimarcas de home decor. Por lá também ficará o escritório criativo da etiqueta. “Quis criar algo novo, com um full brand experience, onde meus clientes pudessem se sentir em casa, ser um ponto de encontro entre amigos e vivenciar 100% o DNA da marca”, diz Amir.

Loungerie reforça a autoestima feminina em nova campanha 

Campanha "Nada a Esconder" da Loungerie (Foto: Divulgação)
Alice Caymmi na campanha Nada a Esconder da Loungerie (Foto: Divulgação)

Com o intuito de reforçar autoestima, o amor próprio das mulheres e passar a mensagem de que todas podem se sentir confortáveis com as suas próprias peles, a Loungerie lança a campanha “Nada a Esconder”. Bruna Linzmeyer, Leticia Spiller e Alice Caymmi foram as convidadas para estrelar as shooting dirigido por Giovanni Vianco. Elas trouxeram as suas visões sobre autoconhecimento e confiança em estar bem com o seu interior e exterior. A novidade marca o lançamento de quatro coleções: Fire, que tem peças sofisticadas com rendas; Papillon, que é mais romântica; Hot Spot, que traz a sensualidade por meio de detalhes de cut e straps; e a Hortênsia, que explora um conceito divertido de mix&match. 

Gaê é a neomarca para ficar de olho

Gaê (Foto: Divulgação)
Gaê nasce com a proposta de criar peças atemporais e elegantes (Foto: Divulgação/Mariana Valente)

Com o desejo de levar o conhecimento de design para a moda, as arquitetas Beatriz Barbieri, Julia Zarouk e Marcella Greghi, junto com a médica Giovanna Greghi, fundaram a Gaê. Inspirada no universo de Gae Aulenti, uma das poucas mulheres arquitetas do pós-guerra, a neomarca tem a proposta de criar peças atemporais, versáteis, elegantes e com ótima modelagem em matérias-primas naturais, como o linho, e tons neutros (dos clássicos preto e off white aos terrosos e menta). 

ASICS e Vivienne Westood lançam collab em edução limitada

ASICS e Vivienne Westood lançam collab limitada (Foto: Divulgação)
ASICS e Vivienne Westood lançam collab em edição limitada (Foto: Divulgação)

Pela segunda vez, a ASICS e a britânica Vivienne Westwood se uniram para lançar a releitura do modelo clássico GEL-KAYANO 26, que desta vez foi inspirado nos tênis de saco originais mostrados na coleção Westwood & (Malcolm) McLaren outono/inverno 1982-83  – apresentando as Buffalo Girls. As solas possuem tecnologia de performance, a malha de camada dupla foi substituída por uma peça completa de nylon anti-rasgo e o sistema de renda também foi simplificado para uma estrutura de tecido elástico. À venda no e-commerce do Cartel 011, a collab tem edição limitada e está disponível nas versões preta e branca, com o logotipo Orb Saturn, clássico de Westwood, na parte externa do calcanhar. 

Novo drop da collab entre a Fenty e Amina Muaddi desembarca na Farfetch

FENTY e Amina Muaddi se unem novamente para coleção cápsula (Foto: Divulgação)
Sandália da nova collab da Fenty e Amina Muaddi desembarca na Farfetch (Foto: Divulgação)

Após o sucesso da primeira collab entre a Fenty de Rihanna e a marca de sapatos de Amina Muaddi, uma nova coleção-cápsula com quatro modelos (dois scarpins e duas sandálias) desembarca na Farfetch no dia 14 deste mês. A cápsula conta com o scarpin Corset Pump, uma versão moderna do stiletto clássico e sexy, nas cores Electric Blue e Coco White; o outro modelo, batizado de Don’t be Square, tem bico quadrado e tira no calcanhar, com estilo slingback, e está disponível na cor Ivory. A sandália Ribbon Ropes conta com fitas de cetim e aplicações de cristais que se cruzam ao redor do tornozelo, e aparece nas cores Candy Pink e Jet Black. Já a variação da sandália Caged In, best-seller da última parceria, mantém as tiras de couro com amarração na panturrilha, que fizeram sucesso na última collab, e chega nas cores Electric Blue, Coco White, Jet Black e Crystal Black.

Lado Basic lança collab com Ju Ferraz em prol de instituição (Foto: Divulgação)
Lado Basic lança collab com Ju Ferraz em prol de instituição (Foto: Divulgação)

Lado Basic lança collab com Ju Ferraz

A marca Lado Basic se uniu a Ju Ferraz, colunista do Vogue Gente, para lançar dois modelos especiais de camiseta, estampadas com as frases “tranquila igual a um furação” e “fé no axé”. 100% do valor das vendas será revertido para a Fundação Amor Horizontal, que oferece apoio e cuidados na infância e juventude para milhares de crianças em projetos sociais parceiros por todo o Brasil. 

Exes | Spring Summer 2020 | Full Show

Exes | Spring Summer 2020 | Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – Art Hearts Fashion/Los Angeles Fashion Week) #ArtHeartsFashion

Kelly Mac – Mayday/Rock Solid

Conheça os projetos vencedores do Residential Design Awards 2020

A premiação organizada pelo Instituto Americano de Arquitetos (AIA) selecionou dez projetos que representam a arquitetura da Califórnia!
GIOVANNA OLIVEIRA | FOTOS

Conheça os projetos vencedores do Residential Design Awards 2020 (Foto: Divulgação)
Edifício 222 Taylor, projetado pelo estúdio David Baker Architects (Foto: Divulgação)

Instituto Americano de Arquitetos da Califórnia (AIA CA), nos Estados Unidos, anunciou os vencedores do prêmio de design e arquitetura Residential Design Awards 2020. O júri de arquitetos da premiação selecionou dez projetos, em meio a quase 100 trabalhos inscritos, e os dividiu entre as categorias de honra, mérito e vanguarda. Para selecionar os projetos, os profissionais buscaram trabalhos com “design excepcional” que representam a arquitetura da Califórnia.

O júri de arquitetos da edição de 2020 do Residential Design Awards é formado por cinco arquitetos membros do instituto, sendo eles: Kai Uwe Bergmann, Deborah Berke, Renee Chow, Lance Hosey e Rebecca Rudolph. Além de considerar a estética do projeto, os profissionais analisaram quais grupos sociais eram atendidos por cada projeto, além de levar em conta as questões de sustentabilidade e resiliência.

Na categoria de “Honra e Vanguarda”, que possui um único vencedor, o estúdio de arquitetura David Baker Architects foi premiado pelo projeto do edifício 222 Taylor, em São Francisco. O prédio de oito andares conta com 113 casas para famílias de baixa renda e ex-desabrigados, que são mantidos por serviços locais.

Confira quais são os projetos vencedores das categorias “Honra” e “Mérito”:

Prêmios de honra

Dawnridge, por Field Architecture

Conheça os projetos vencedores do Residential Design Awards 2020 (Foto: Divulgação)

Walk-Street House, por Ras-a studio

Conheça os projetos vencedores do Residential Design Awards 2020 (Foto: Divulgação)

Prêmios de mérito

Edwin M. Lee Apartments, por Leddy Maytum Stacy Architects

Conheça os projetos vencedores do Residential Design Awards 2020 (Foto: Divulgação)

901 Fairfax, por Paulett Taggart Architects/David Baker Architects

Conheça os projetos vencedores do Residential Design Awards 2020 (Foto: Divulgação)
(Foto: KPFF)

The Continental, por Jonathan Segal

Conheça os projetos vencedores do Residential Design Awards 2020 (Foto: Divulgação)

Gardenhouse, por MAD / Gruen Associates

Conheça os projetos vencedores do Residential Design Awards 2020 (Foto: Divulgação)
(Foto: Nic Lehoux)

High Desert Retreat, por Aidlin Darling Design

Conheça os projetos vencedores do Residential Design Awards 2020 (Foto: Divulgação)
(Foto: Adam Rouse Photography)

Inohouse, por XTEN Architecture

Conheça os projetos vencedores do Residential Design Awards 2020 (Foto: Divulgação)

Skyfall, por Turnbull Griffin Haesloop

Conheça os projetos vencedores do Residential Design Awards 2020 (Foto: Divulgação)

Por conta da pandemia do novo coronavírus, a celebração do prêmio neste ano será virtual. O evento estará disponível para visualização no site do American Institute of Architects a partir do dia 4 de dezembro.

Pharrell Williams entra no mercado de beleza com marca de skincare

A Humanrace é focada no bem-estar, acima de tudo. Seu lançamento é no próximo dia 25

Pharrell Wiliams lança Humanrace, marca de skincare, no próximo dia 25 de novembro (Foto: Divulgação)

Depois de estourar na música, arrasar na moda e ser considerado um dos maiores multicriadores da atualidade, o que faltava para Pharrell Williams? Só uma empreitada na indústria da beleza mesmo. Aos 47 anos, o empresário acaba de anunciar a Humanrace, marca de skincare com previsão de lançamento no próximo dia 25 de novembro. “Às vezes você precisa limpar seu espírito. Às vezes você precisa limpar sua mente. Às vezes você só precisa se livrar de algumas peles mortas”, disse Pharrell em entrevista à Allure. 

Pharrell Wiliams lança Humanrace, marca de skincare, no próximo dia 25 de novembro (Foto: Divulgação)
Pharrell Wiliams lança Humanrace, marca de skincare, no próximo dia 25 de novembro (Foto: Divulgação)

A label chega com o propósito de incentivar qualquer pessoa a descobrir suas próprias potências, além de nos fazer compreender que a sensação de bem-estar só depende de nós. “A Humanrace foi criada para te ajudar no seu fortalecimento interno diário e a transformar boas intenções em ação.”

Pharrell Wiliams lança Humanrace, marca de skincare, no próximo dia 25 de novembro (Foto: Divulgação)
Pharrell Wiliams lança Humanrace, marca de skincare, no próximo dia 25 de novembro (Foto: Divulgação)

O empresário ainda ressalta que a marca é sem gênero e não faz diferenciação de raça. “Estamos criando para humanos; todos nascemos com a mesma pele”, diz.

Joe Biden nomeia militar veterana transgênero Shawn Skelly para equipe de transição

Comandante aposentada da Marinha, Shawn Skelly fará parte do grupo que avaliará Departamento de Defesa; participação LGBT+ no congreso americano também aumenta

Comandante aposentada da Marinha, Shawn Skelly fará parte da equipe de transição de Joe Biden Foto: Reprodução

WASHINGTON, NOVA YORK — A equipe de transição do presidente eleito Joe Biden conta com várias pessoas LGBT+ em cargos estratégicos para supervisionar e revisar órgãos públicos dos Estados Unidos. E três anos após o presidente Donald Trump prometer proibir pessoas transgênero de servir nas Forças Armadas, Biden nomeou a veterana trans Shawn Skelly para sua equipe de transição, fato sem precedentes no país.

Skelly, ex-comandante da Marinha, fará parte do grupo que avaliará o Departamento de Defesa. Ex-assistente especial da Subsecretaria de Defesa para Aquisição, Tecnologia e Logística, ela já havia trabalhado como diretora do Gabinete da Secretaria Executiva do Departamento de Transporte durante o governo de Barack Obama.

Defensores de direitos LGBT+ vêm pressionando Biden a reverter a proibição de Trump a pessoas transgêneros no serviço militar, já que o litígio contra a controversa política, anunciada em julho de 2017, continua nos tribunais federais. Biden poderia suspender a proibição em menos de 30 dias após a posse.

— Sabemos que Biden acredita que as pessoas LGBT+ são uma parte importante dessa América diversa — disse Elliot Imse, diretor sênior de comunicações do Victory Institute, à NBC News. — Portanto, esperamos que o próximo governo nomeie mais pessoas LGBT+ para cargos políticos do que nunca, e esperamos que também seja o grupo mais diversificado de nomeados da História americana.

Além de banir a maioria das pessoas trans das Forças Armadas, nos últimos quatro anos, o governo Trump tentou cortar as proteções, ajudando a impedir que os alunos transgênero usem o banheiro que corresponde ao seu gênero, por exemplo, e permitindo que profissionais de saúde discriminem pessoas trans.

Biden, por sua vez, tem uma agenda ambiciosa quando se trata de proteger os direitos LGBT+. Ele prometeu fazer da aprovação da Lei da Igualdade uma prioridade legislativa durante seus primeiros 100 dias no cargo. A lei visa barrar a discriminação com base no sexo, identidade de gênero e orientação sexual.

‘Nem nos meus sonhos’

Ritchie Torres, que cresceu no Bronx como um afro-latino gay de baixa renda, nunca imaginou que algum dia seria eleito para a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos. Mas, em poucas semanas, o democrata nova-iorquino de 32 anos se tornará o primeiro congressista afro-latino assumidamente gay.

— Nunca pensei, mesmo em meus sonhos mais loucos, que um pobre garoto do Bronx como eu se tornaria um congressista dos Estados Unidos — disse Torres à Reuters.

Torres, que é negro e porto-riquenho, cresceu com sua mãe solteira em um prédio público na cidade de Nova York.

Seu objetivo como deputado será garantir financiamento para moradias populares, disse ele, bem como lutar pela aprovação da Lei da Igualdade, que visa garantir que as pessoas LGBT+ sejam protegidas da discriminação em seu dia a dia.

— Uma pessoa de cor LGBTQ está prestes a se sentar em uma das mesas mais poderosas do mundo — disse Torres, acrescentando: — Uma pessoa sábia certa vez disse: “Se você não tem um lugar à mesa, provavelmente está no cardápio”.

Os eleitores também apoiaram Sarah McBride em sua corrida para ingressar no Senado Estadual de Delaware, tornando-a a oficial abertamente transgênero de mais alta posição nos EUA.

— Estamos testemunhando o colapso da política como um clube de homens mais velhos e a transformação ds EUA em uma democracia multirracial, multiétnica e inclusiva — disse Torres.

Embora Torres saiba que sua identidade é uma inspiração para muitos, ele está focado no trabalho que tem pela frente.

— Sei que no final serei julgado não por quem sou, mas por aquilo que realizo. Portanto, minha identidade importa no curto prazo, mas no longo prazo a única coisa que importa é o histórico que construo no Congresso.

JOE BIDEN ELEITO; VEJA A FESTA DA VITÓRIA DEMOCRATA NOS EUA

Taxista ergue o punho e grita enquanto pessoas comemoram o anúncio da vitória do candidato democrata, Joe Biden, em Manhattan, Nova York Foto: ANDREW KELLY / REUTERS
Taxista ergue o punho e grita enquanto pessoas comemoram o anúncio da vitória do candidato democrata, Joe Biden, em Manhattan, Nova York Foto: ANDREW KELLY / REUTERS
Apoiadores de Biden comemoram perto do local onde o presidente eleito planeja fazer seu discurso da vitória, em Wilmington, Delaware Foto: KEVIN LAMARQUE / REUTERS
Apoiadores de Biden comemoram perto do local onde o presidente eleito planeja fazer seu discurso da vitória, em Wilmington, Delaware Foto: KEVIN LAMARQUE / REUTERS
Comemoração de apoiadores de Biden perto do Naked Cowboy, na Times Square, Nova York. Ex-vice-presidente de Barack Obama e um veterano da política, o democrata Joe Biden foi eleito o 46º presidente dos Estados Unidos na tarde deste sábado Foto: CARLO ALLEGRI / REUTERS
Comemoração de apoiadores de Biden perto do Naked Cowboy, na Times Square, Nova York. Ex-vice-presidente de Barack Obama e um veterano da política, o democrata Joe Biden foi eleito o 46º presidente dos Estados Unidos na tarde deste sábado Foto: CARLO ALLEGRI / REUTERS
Pessoas festejam a vitória do democrata, na Times Square, em Nova York. Biden foi dado como vitorioso após assegurar sua vantagem no estado da Pensilvânia, somando 273 votos no Colégio Eleitoral Foto: CARLO ALLEGRI / REUTERS
Pessoas festejam a vitória do democrata, na Times Square, em Nova York. Biden foi dado como vitorioso após assegurar sua vantagem no estado da Pensilvânia, somando 273 votos no Colégio Eleitoral Foto: CARLO ALLEGRI / REUTERS
Apoiadores de Joe Biden celebram no Black Lives Matter Plaza, em Washington, após anúncio da vitória do democrata neste sábado Foto: HANNAH MCKAY / REUTERS
Apoiadores de Joe Biden celebram no Black Lives Matter Plaza, em Washington, após anúncio da vitória do democrata neste sábado Foto: HANNAH MCKAY / REUTERS
Comemoração de apoiadores de Biden no Black Lives Matter Plaza, em Washington, um point de encontro dos simpatizantes do candidato democrata, agora eleito presidente dos EUA Foto: HANNAH MCKAY / REUTERS
Comemoração de apoiadores de Biden no Black Lives Matter Plaza, em Washington, um point de encontro dos simpatizantes do candidato democrata, agora eleito presidente dos EUA Foto: HANNAH MCKAY / REUTERS
Em Atlanta, na Geórgia, mulheres comemoram vitória de Biden na disputa eleitoral, cuja apuração de votos se arrasta desde a última terça, dia oficial da eleição Foto: BRANDON BELL / REUTERS
Em Atlanta, na Geórgia, mulheres comemoram vitória de Biden na disputa eleitoral, cuja apuração de votos se arrasta desde a última terça, dia oficial da eleição Foto: BRANDON BELL / REUTERS
Mulheres negras comemoram em Atlanta, Geórgia Foto: BRANDON BELL / REUTERS
Mulheres negras comemoram em Atlanta, Geórgia Foto: BRANDON BELL / REUTERS
Comemoração de apoiadores de Biden na na Filadélfia, Pensilvânia, estado de origem do presidente eleito e onde ultrapassou Trump na contagem de votos que chegaram pelo correio Foto: RACHEL WISNIEWSKI / REUTERS
Comemoração de apoiadores de Biden na na Filadélfia, Pensilvânia, estado de origem do presidente eleito e onde ultrapassou Trump na contagem de votos que chegaram pelo correio Foto: RACHEL WISNIEWSKI / REUTERS
Em Wilmington, Delaware, partidária segura balões com os rostos de Biden e da vice, Kamala Harris, primeira mulher eleita para o posto nos EUA Foto: KEVIN LAMARQUE / REUTERS
Em Wilmington, Delaware, partidária segura balões com os rostos de Biden e da vice, Kamala Harris, primeira mulher eleita para o posto nos EUA Foto: KEVIN LAMARQUE / REUTERS
Casal se beija, de máscara, no Central Park, em Nova York, enquanto comemoram a vitória de Joe Biden Foto: CAITLIN OCHS / REUTERS
Casal se beija, de máscara, no Central Park, em Nova York, enquanto comemoram a vitória de Joe Biden Foto: CAITLIN OCHS / REUTERS

Um guia de como desestressar a sua pele em tempos de pandemia

Rotina insana, trabalho extra, redução salarial… Tudo isso pode estar deixando sua pele cheia de espinhas ou muito seca. Saiba como se cuidar
HANNAH COATES

Como desestressar a pele em tempos de pandemia (Foto: Reprodução Instagram @glossier )

Sua pele pirou. Uma hora ela está coberta de espinhas e, na outra, mais seca que o deserto do Saara. Os fatores estressantes da quarentena (rotina maluca, trabalho extra, redução salarial…) causam turbulências emocionais que impactam sua pele também. “Estresse psicológico e pele estão muito relacionados”, conta a dermatologista e expert em wellness da pele, Alia Ahmed. “O estresse causa doenças na pele e as doenças de pele causam estresse.”

Alia, que é especialista em impacto psicológico na pele, conta que vermelhidão, coceira (isso sem falar de rugas, pigmentação, acne e suor) são causas comuns da ansiedade que todos vivemos por conta da pandemia. “O estresse ativa químicas e hormônios no cérebro que causam inflamações no corpo e rosto. Tensão libera cortisol, que também afeta o sistema imunológico, fazendo com que a pele fique ainda pior ao tentar se defender”, diz.

Com a pele prejudicada, ficamos estressados. O estresse, por sua vez, impacta a nossa saúde mental que… impacta a pele de novo! É um ciclo que não tem fim. Ou tem?

Tem! Primeiro, é importante cuidar desse problema por todos os ângulos possíveis. Sua dieta precisa incluir proteínas, carboidratos e gorduras boas, além de açúcar natural, antioxidantes e água, que vai ajudar a reduzir a desidratação do corpo e pele. E não se esqueça de dormir pelo menos oito horas por noite para que a pele tenha tempo de se regenerar.

Além disso, tenha uma rotina de exercícios (qualquer um vale, ok?) e procure ter também atividades que acalmem a cabeça e diminuem os níveis de cortisol. “Mulheres que praticam ioga têm menos níveis de cortisol no corpo do que aquelas que não praticam”, diz a neurocientista Tara Swart. “Suplementação com magnésio também pode ajudar.”

Banhos podem ser chances de respirar profundamente. Tara sugere combinar exercícios de respiração com aromaterapia para induzir emoções positivas que acalmam o sistema nervoso e pele, já que o nervo olfativo está diretamente conectado ao cérebro. A rotina de skincare é importante para desestressar a pele. Usar produtos com ácido hialurônico, ceramidas e mel “alimentam” a cútis e a acalmam. Usar um hidratante próprio para o rosto também ajuda bastante. Mas nada de cremes pesados, óleos ou qualquer coisa com muita fragrância.

À noite, prefira cremes que contenham probióticos e manteiga de karité. O jeito de aplicá-los faz diferença: “Massageie delicadamente a pele para melhorar a circulação, ajudar na drenagem linfática e aumentar a produção de colágeno enquanto seu corpo apenas relaxa”, diz Alia. Não esqueça de proteger a pele de outros agravantes, então usar filtro solar e antioxidantes é essencial.

Para acne, tente não se incomodar ou se preocupar tanto com isso – só vai fazer com que as espinhas piorem… Dê vez aos cremes com ácido salicílico e hialurônico nas erupções. E finalmente, lembre-se que estamos todos estressados (e com a pele “ruim”) neste momento. Vai passar.

Ingrid Silva: “Nada é mais poderoso do que lutar pela próxima geração e, agora, ser responsável por ela”

Com exclusividade à Vogue Brasil, a bailarina fala sobre os desafios da maternidade, machismo na gravidez e os medos da profissão
LUANDA VIEIRA (@LUANDAVIEIRA)

Ingrid Silva (Foto: Henrique Gendre; Direção de moda: Pedro Sales; Beleza: Mariana Bull; Coordenação: Renata Garcia e Lais Franklin; Direção de arte: Julia Filgueiras; Produção Executiva: Monica Borges; Assistente de fotografia: Harry Kong; Agradecimento: One 2 One)

O ano era 2007 e eu nunca me esqueci do alivio que senti ao ver outra bailarina brasileira entrar na sala de aula do Dance Theatre of Harlem, em Nova York. Enquanto eu fazia um curso de verão, Ingrid Silva tinha chegado para construir uma nova vida na cidade, após conquistar uma vaga de trabalho pelo projeto “Dançando para não dançar”, iniciativa que combate a exclusão social e promove a disseminação de cultura às crianças das comunidades do Rio de Janeiro.

Durante uma sessão de cinema no Brooklyn, pouco tempo depois, quando resolvi voltar para o Brasil, lembro dela tentando me convencer a ficar. E olha só: 12 anos se passaram, ela virou essa potência mundial e, agora, está prestes a ser mãe.

Ingrid Silva (Foto: Vogue Brasil)
Ingrid Silva (Foto: Henrique Gendre; Direção de moda: Pedro Sales; Beleza: Mariana Bull; Coordenação: Renata Garcia e Lais Franklin; Direção de arte: Julia Filgueiras; Produção Executiva: Monica Borges; Assistente de fotografia: Harry Kong; Agradecimento: One 2 One)

“Você que já trabalhou com dança sabe que engravidar nunca é a nossa prioridade, mas sempre soube que seria mãe. Tive medo no começo, mas o meu maior incentivo é saber que essa criança vai nascer numa realidade completamente diferente do que foi a minha. Ela vai poder ser o que quiser”, disse Ingrid durante nosso bate-papo via Facetime. A questão da prioridade é simplesmente porque a vida útil de uma bailarina varia de acordo com a resposta do seu corpo, “apesar que hoje em dia, controlando a alimentação e fazendo exercícios paralelos, como ioga, conseguimos trabalhar até uns 50 anos”, explica. A verdade é que a vida acontece aqui e agora, exatamente como a carioca gosta de ressaltar. Ela está esperando uma menina, a Laura, que mesmo dentro da barriga já coleciona motivos de orgulho da mãe.  

Aos 31 anos, a bailarina foi listada pelo Mipad 2020 entre as 100 pessoas negras abaixo de 40 anos mais influentes do mundo; tem suas sapatilhas no acervo do Smithsonian Museu Nacional de História e Cultura Afroamericana, nos Estados Unidos; ganhou perfil na Forbes americana; fez campanhas para o Facebook; e comanda dois projetos sociais, o EmpowHer NY e o Blacks in Ballet.

Não existe nada mais poderoso do que contar essas conquistas à minha filha, inclusive que ela esteve comigo em todos os protestos de Black Lives Matter em prol de um futuro melhor para ela e toda essa geração que está vindo”, diz.

A seguir, confira todos os destaques da conversa sobre maternidade, carreira, representatividade e futuro.

Ingrid Silva (Foto: Vogue Brasil)
Ingrid Silva (Foto: Henrique Gendre; Direção de moda: Pedro Sales; Beleza: Mariana Bull; Coordenação: Renata Garcia e Lais Franklin; Direção de arte: Julia Filgueiras; Produção Executiva: Monica Borges; Assistente de fotografia: Harry Kong; Agradecimento: One 2 One)

A DESCOBERTA

Ingrid teve a gravidez confirmada em abril, mas escolheu falar abertamente só em setembro, da forma mais especial possível: no primeiro vídeo dirigido por Taís Araújo. A ideia foi da própria atriz. “Me identifico com o comportamento de Taís nas redes sociais. Por ela não expor nada de sua vida pessoal, principalmente os filhos, liguei para contar a novidade e pedir conselhos sobre privacidade. Para a minha surpresa terminei a ligação com uma proposta de vídeo-revelação. Fizemos e foi muito especial.”

Para a produção, a bailarina passou três dias escrevendo o texto que ouvimos na narração. “A Taís me disse que ter um filho significa renovar a energia e, por isso, foi complicado saber o que colocar para fora, porque o mundo que foi para mim talvez não seja o mesmo para essa criança. Quero que no futuro ela tenha essa lembrança como algo leve”, diz.

Enquanto preparava a revelação, Ingrid passou por muitas fases: a insegurança com o futuro da profissão; a vontade de preservar a novidade entre familiares e amigos mais próximos; e querer construir sua própria jornada sem se comparar com outras mães. “Priorizei viver ao invés de compartilhar. Não foi nem pelo resguardo de três meses, mas porque era muito íntimo. Nem eu entendia o que estava acontecendo comigo, como seria minha vida dali para frente, estávamos no começo de uma pandemia. Demorou para eu estar preparada”, diz.

HORA DO ANÚNCIO

“Quando postei o vídeo, eu estava em Upstate (região serrana de Nova York) para o nosso final de semana em família. Fiquei tão apreensiva em anunciar, que publiquei, larguei o celular e fui fazer hiking. Foi uma surpresa receber tanto amor e carinho de pessoas que nunca vi ou imaginei.” Até agora, a publicação conta com 242 mil likes, quase sua quantidade total de seguidores (são 273 mil).

“Ainda não estou totalmente segura, mas aprendendo todos os dias. Estou mais confiante para compartilhar a minha trajetória como gestante, mas criei estratégias para proteger as energias que chegam”, conta. Ingrid optou por dividir nas redes sociais em uma ordem que não narra a gestação em tempo real. “Tem muita coisa para atualizar, mas achei importante abrir um pouco da minha privacidade porque as pessoas não veem bailarinas grávidas, é muito raro. Na minha companhia de dança, por exemplo, até nisso eu sou a primeira.” 

CORPO X BALÉ

Tendo a carreira como sua primeira e principal preocupação, as transformações de seu corpo foram assustadoras no início. “Quando a barriguinha começou a aparecer, não foi um momento legal. Quando ela começou a dificultar a minha movimentação no balé, então, tive que me conscientizar dos limites do meu novo corpo”, conta. “Para as pessoas que não dançam, gosto de explicar que a sensação que tive é praticamente a de estar me reabilitando de uma lesão”, explica.    

O apoio do marido, que Ingrid também faz questão de manter em sua vida privada, foi fundamental na construção de autoestima da bailarina nessa nova configuração. “No início eu olhava no espelho e me achava gordinha. Era o meu marido quem me colocava no eixo dizendo que, na verdade, eu estava grávida. Está cada vez mais difícil, mas quero continuar me movimentando enquanto conseguir”, diz.

Ingrid Silva (Foto: Vogue Brasil)
Ingrid Silva (Foto: Henrique Gendre; Direção de moda: Pedro Sales; Beleza: Mariana Bull; Coordenação: Renata Garcia e Lais Franklin; Direção de arte: Julia Filgueiras; Produção Executiva: Monica Borges; Assistente de fotografia: Harry Kong; Agradecimento: One 2 One)

HERANÇA

“Estou muito mais preocupada com o nascimento e em como lidar com tudo isso, do que em como educar a Laura nesse mundo. Tenho certeza que ela vai ser uma pessoa consciente de quem ela é com os valores que minha mãe me ensinou e pretendo passar adiante. Ser empática, saber se expressar e ouvir, trabalhar e sonhar fazem parte deles”, conta.

Pensando na educação que Ingrid Silva teve em casa, agora ela consegue entender o sentido de alguns cuidados que, na época, poderiam soar como exagero. “A responsabilidade de criar uma pessoa só aparece quando você precisa criar uma pessoa. Mas tem sido bonito descobrir alguém em mim que nunca imaginei ser.”

MATERNIDADE E MACHISMO

O lifestyle reservado de Ingrid nas redes sociais também tem rendido comentários que ressaltam o machismo. Ela tem sido constantemente questionada se existe pai, se ele é presente e até mesmo se é branco ou negro. “E se for uma produção independente? E se eu estiver em um relacionamento com outra mulher? Que diferença faz a etnia do pai? E se não tiver pai?”, questiona.

Ingrid Silva (Foto: Vogue Brasil)
Ingrid Silva (Foto: Henrique Gendre; Direção de moda: Pedro Sales; Beleza: Mariana Bull; Coordenação: Renata Garcia e Lais Franklin; Direção de arte: Julia Filgueiras; Produção Executiva: Monica Borges; Assistente de fotografia: Harry Kong; Agradecimento: One 2 One)

VIDAS NEGRAS IMPORTAM

A carioca, que participou de todas as passeatas em prol do movimento Black Lives Matter, vê poucos avanços sobre o assunto e mostra o balé como exemplo. “Para mim foi um momento histórico, mas muitas empresas usaram para autopromoção. Fiz uma pesquisa entre as marcas que vendem sapatilhas cor da pele e, das oito que existem, todas dificultam o acesso, por não vender online, além de serem mais caras do que as tidas como tradicionais. Então, não adianta falar que tem”, conta.

Para contrabalancear o mercado, Ingrid está fazendo sua parte. Após dois anos pesquisando quem são os bailarinos negros no Brasil e no mundo, a carioca criou ao lado dos colegas de profissão Ruan Galdino e Fábio Mariano a plataforma Blacks in Ballet, para exaltar e promover negros que desejam seguir carreira na dança. “Começou como uma biblioteca digital para normalizar pessoas negras na dança, mas temos o plano de expandir para um festival no Brasil, com workshops e bolsas de estudos”, conta. “Espero continuar levando o poder da realização de sonhos. Por mais que o cansaço bata às vezes, precisamos continuar ocupando espaços. Espero que, cada vez mais, tenhamos oportunidades por sermos impecáveis, não para preenchermos cotas”, finaliza.

Foto: Henrique Gendre
Direção de moda: Pedro Sales
Beleza: Mariana Bull
Coordenação: Renata Garcia e Lais Franklin
Direção de arte: Julia Filgueiras  
Reportagem: Luanda Vieira
Produção Executiva: Monica Borges  
Assistente de fotografia: Harry Kong
Joias: Bulgari
Agradecimento: One 2 One

Tom Holland publica nova foto com uniforme de Homem-Aranha 3

Ator deu mais um gostinho dos bastidores do novo filme
GUILHERME MACHADO

Tom Holland deu mais um gostinho aos fãs de como será Homem-Aranha 3. O ator publicou uma foto em seu Instagram na qual aparece vestindo o uniforme do super-herói enquanto assiste televisão.

As gravações do filme começaram recentemente em Atlanta, no estado norte-americano da Geórgia.

O terceiro filme da série protagonizada por Tom Holland está marcada para o final de 2021, e trará de volta os atores dos filmes anteriores, como ZendayaMarisa Tomei etc. A produção será de Kevin Feige Amy Pascal.

Além disso, haverá ainda o retorno de Jamie Foxx, de O Espetacular Homem-Aranha 2, novamente no papel do vilão Electro.