Cerimônia do Oscar será presencial em 2021, garante Academia

Ubiratan Brasil

Dolby Theatre. Teatro tem 3.400 lugares. Foto Mike Blake/Reuters

Apesar dos números cada vez mais alarmantes de novos casos da covid-19 nos Estados Unidos (ainda o país com mais infectados no planeta), a revista Variety divulgou, nesta terça, 1, que a cerimônia de entrega do Oscar em 2021 será presencial.

“Não haverá Oscars ‘virtuais’”, afirma um representante da Academia e também da rede ABC, que transmite a cerimônia, à revista. “A transmissão presencial vai acontecer.” Trata-se de uma aposta arriscada, pois nenhum outro evento artístico desse porte aconteceu presencialmente nos EUA nos últimos meses – e mesmo a Broadway anunciou que não deverá reabrir antes de maio do ano que vem.

Por conta da pandemia, a Academia de Hollywood atrasou a data da cerimônia de entrega do Oscar para 25 de abril de 2021. A expectativa é que os cinemas reabrissem no final de 2020, especialmente os de Nova York e Los Angeles, grande fonte de renda.

Como isso não aconteceu – e a produção ainda de novos filmes foi retardada -, a Academia precisou flexibilizar as próprias regras, como estender o cronograma de elegibilidade de 31 de dezembro para 28 de fevereiro de 2021, além de permitir que filmes com estreia em plataformas de streaming se qualifiquem para inscrição.

O atraso da cerimônia provocou também alteração nas premiações que antecedem habitualmente o Oscar: Globo de Ouro (28 de fevereiro),  Critics Choice (7 de março), SAG (14 de março) e BAFTA (11 de abril).

A insistência em sustentar a cerimônia presencial vai promover uma série de novas preocupações. Como, por exemplo, a forma de ocupação do Dolby Theatre, em Los Angeles, onde ocorre a entrega do Oscar – tradicionalmente, a festa faz com que os 3.400 lugares sejam disputados e sempre ocupados.

“A Academia fez um tour pelo Dolby recentemente para ver todas as possíveis opções”, disse à Variety um divulgador de prêmios, familiarizado com a situação.

Outro importante detalhe diz respeito à idade de grandes estrelas, que têm chance de disputar a estatueta, mas que se encontram em um grupo de risco. É o caso de Anthony Hopkins, 82 anos; Ellen Burstyn, 88; Sophia Loren, 86; Meryl Streep, 71; David Strathairn, 72; e Yuh-Jung Youn, 73.

Houve mais de 13 milhões de casos confirmados de coronavírus nos Estados Unidos, com mais de 269 mil mortes. De acordo com o Centro de Recursos do Coronavírus Johns Hopkins, o Condado de Los Angeles é o líder nos EUA em casos (mais de 400 mil) e mortes (mais de 7.600).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.