Comprar roupas novas, enviar e-mails, assistir Netflix… 6 atividades surpreendentes que aumentam sua pegada de carbono

Ficar em casa não significa que nossas emissões individuais de CO2 caíram a zero, mas quais são as práticas do nosso dia a dia que contribuem para as mudanças climáticas? Descubra abaixo
EMILY CHAN – VOGUE INTERNACIONAL

Enviar e-mails, assistir Netflix: 6 atividades surpreendentes que aumentam sua pegada de carbono – e como reduzir seu impacto (Foto: Getty Images)

Todos nós sabemos que voar de avião é ruim para nossa pegada de carbono – mas o que dizer de todas as séries da Netflix que assistimos enquanto estamos confinados? Cada vez mais, pesquisas mostram que nossos hábitos digitais também estão contribuindo para a crise climática, devido aos enormes centros de dados e servidores que alimentam a internet. Na verdade, o setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) é responsável por 2% das emissões globais de gases de efeito estufa, de acordo com a UNFCCC – o que o torna tão prejudicial quanto a indústria da aviação.

O streaming é um fator importante, com um estudo descobrindo que cinco bilhões de reproduções do clipe de Despacito de 2017 usaram tanta eletricidade quanto cinco países africanos juntos em um único ano. “Muitas pessoas não estão cientes dos impactos ambientais do streaming”, disse Beth Webb, apresentadora do documentário Dirty Streaming: The Internet’s Big Secret. “Trata-se realmente de compreender como a Internet funciona em termos de energia [e] como é consumi-la ambientalmente em vários estágios.”

Mas usar a Internet, não é de forma alguma a única atividade diária que surpreendentemente contribui para nossa pegada de carbono. Aqui listamos outras seis  – e maneiras para reduzir este impacto.

1. Enviar e-mails
Pegada de carbono: 0.004kg por e-mail

Enviar e-mail é uma parte importante de todas as nossas vidas, mas você já considerou o impacto de todas as trocas desnecessárias que fazemos no dia a dia? De acordo com o professor Mike Berners-Lee, um e-mail comum gasta 4g de CO2 para ser produzido, enquanto um com um anexo grande tem uma pegada de até 50g, devido à eletricidade necessária para enviar, receber e armazenar seus e-mails. Pode não parecer muito, mas considerando todos os e-mails que enviamos globalmente, isso vai acumulando.

O que podemos fazer? Um estudo recente da empresa de energia OVO sugeriu que, se cada adulto no Reino Unido enviasse um e-mail de agradecimento a menos, economizaria cerca de 16.500 toneladas de carbono por ano.

2. Assistir Netflix
Pegada de carbono: 0.42kg assistindo por uma hora

Acompanhar séries no Netflix é a atividade definitiva de quarentena, mas ela também contribui para sua pegada de carbono. Um estudo sugere que 420g de CO2 são emitidos por cada hora gasta assistindo filmes em plataformas de streaming online. A Netflix revelou em fevereiro que seu consumo global de energia aumentou 84% em 2019.

O que podemos fazer? Assistir em definição padrão, em vez de alta definição – que consome até cinco vezes mais energia – é uma maneira fácil de diminuir nosso impacto individual. A própria Netflix já disse em março que está reduzindo sua qualidade de vídeo na Europa para reduzir a pressão sobre os provedores de internet durante a pandemia do coronavírus. Não deixar suas séries favoritas rodando em segundo plano é outra maneira de reduzir sua pegada.

3. Comer queijo
Pegado de carbono: até 6.75kg por um pedaço de 500g de queijo

A maioria de nós está ciente do impacto ambiental de comer carne, mas a produção de laticínios também leva a emissões significativas de carbono. O queijo é um excelente exemplo disso, produzindo entre 8,8 kg a 13,5 kg de CO2 por quilo – isso é mais do que o frango, que tem uma pegada de 6,9 kg por quilo.

O que podemos fazer? Além de reduzir drasticamente o consumo de queijo, outra maneira de reduzir o impacto de seu hábito de comer laticínios é optar por um queijo com menos gordura e menos denso, como mussarela ou ricota.

4. Comprar roupas
Pegada de carbono: 33.4kg por um par de jeans, ou 15kg por uma camiseta de algodão

Com a indústria da moda contribuindo com cerca de 10% das emissões globais de gases de efeito estufa, é claro que precisamos pensar em nossas roupas ao reduzir nosso impacto ambiental. A produção de tecidos e os cuidados do consumidor (lavagem) são os principais contribuintes para a pegada de carbono geral das roupas: um par de jeans Levi’s pode levar à emissão de até 33,4 kg de CO2 ao longo de sua vida útil, por exemplo, enquanto uma camiseta de algodão pode fazer emissões de 15kg.

O que podemos fazer? Todos nós devemos considerar lavar menos nossas roupas, bem como comprar menos roupas. Enquanto isso, estender suas vidas úteis por apenas nove meses pode reduzir a pegada de carbono delas em cerca de 20 a 30%, de acordo com a WRAP – isso significa que optar por roupas vintage e de segunda mão também é uma escolha mais consciente.

5. Usar água quente
Pegada de carbono: 875kg por domicílio em um ano

Economizar água não é apenas conservar H2O; o consumo de água também leva a altas emissões de CO2, devido à energia necessária para fornecer, tratar e usar a água. Um estudo da River Network estimou que 5% do total das emissões de carbono dos EUA vêm do uso da água, enquanto um relatório feito pelo Energy Saving Trust sugeriu que o uso de água quente produz 875kg de CO2 por domicílio anualmente.

O que podemos fazer? Para economizar água e energia, podemos reduzir a duração de nossos banhos (o maior uso de água em nossas residências), lavar nossas roupas a 30°C (que pode economizar até 40% de eletricidade ao longo de um ano em comparação a temperaturas mais elevadas, de acordo com o Energy Saving Trust), e encher nossas máquinas de lavar roupas e louça até a capacidade máxima.

6. Lixo doméstico
Pegada de carbono: 313kg por domicílio em um ano

Você sabia que toda vez que joga fora seu lixo, está aumentando sua pegada de carbono? Isso se deve à energia necessária para produzir esses itens, bem como às emissões de gases de efeito estufa que são produzidas quando os resíduos vão para aterros sanitários e incineradores.

O que podemos fazer? O desperdício de alimentos é o maior contribuinte para as emissões de lixo doméstico, o que significa que é crucial evitar a compra a granel durante a atual pandemia e adubar quaisquer sobras de alimento. A reciclagem também pode gerar uma enorme economia de CO2, especialmente para materiais como alumínio e plástico. De acordo com a EPA, os EUA eliminaram 181 milhões de toneladas de CO2 vindos do lixo doméstico em 2014 simplesmente por adubagem e reciclagem – isso é o equivalente a tirar 38 milhões de carros das estradas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.