Modelo britânica Stella Tennant cometeu suicídio, segundo família

Tennant faleceu em 22 de dezembro, cinco dias após seu 50º aniversário

A modelo britânica Stella Tennant – REUTERS

LONDRES – A modelo britânica Stella Tennant, estrela das passarelas desde os anos 1990 que faleceu em dezembro aos 50 anos, cometeu suicídio, informou sua família.

“Stella estava mal há algum tempo. Então, para nossa mais profunda tristeza e desespero, ela não se sentiu capaz de continuar, apesar do amor de seus parentes mais próximos”, disse a família em um comunicado divulgado na noite de quinta-feira (7).

“Era uma alma linda, amada por sua família próxima e bons amigos, uma mulher sensível e talentosa cuja criatividade, inteligência e humor tocaram tantas pessoas”, acrescentou.

Tennant faleceu em 22 de dezembro, cinco dias após seu 50º aniversário. A polícia alegou na época que sua morte não era considerada suspeita.

Nascida em uma família aristocrática e descoberta no início dos anos 1990, Stella Tennant foi uma modelo regular em desfiles de Gianni Versace, John Galliano e Alexander McQueen e campanhas publicitárias da Chanel.

Foi capa de grandes revistas de moda como a Vogue. Ela se casou com o fotógrafo francês David Lasnet em 1999. AFP

Marido de Serena Williams rebate crítica de bilionário sobre a tenista: ‘Racista e sexista’

Romeno Ion Tiriac fez comentário ofensivo sobre peso e idade da atleta

Serena Williams e o marido, Alexis Ohanian – Angela Weiss -6.mai.2019/AFP

Alexis Ohanian, marido de Serena Williams, 39, rebateu comentário ofensivo feitos pelo empresário romeno Ion Tiriac, 81, sobre o peso e a idade da tenista. Atual dono do torneio Aberto de Madrid e ex-tenista, ele disse em entrevista a um programa de TV romeno que Serena deveria se aposentar, “se ela tivesse um pouco de decência”.

“Com essa idade e peso que tem agora, ela não se move tão facilmente como fazia há 15 anos”, afirmou ele. Questionado sobre o assunto no Twitter, Ohanian respondeu:”É seguro dizer que ninguém dá a mínima para o que Ion Țiriac pensa.” Depois, ele completou que sua filha de 3 anos tem mais vitórias no Grand Slam do que o ex-atleta.

“2021 e sem hesitação quando um palhaço racista/sexista com uma plataforma vier falar da minha família”, afirmou Ohanian.

Mell G B2B aitch / January 8 / 9pm-10pm

Mell G B2B aitch / January 8 / 9pm-10pm

Depois da Argentina, Congresso chileno irá debater legalização do aborto

Projeto de lei que despenaliza a interrupção voluntária da gravidez até a 14ª semana começa a ser debatido dia 13 na Comissão de Mulheres e Equidade de Gênero da Câmara dos Deputados do Chile
O Globo, com agências internacionais

‘O aborto é uma dívida da democracia’, diz cartaz de manifestante pela legalização do aborto Foto: AFP

Menos de um mês após a legalização do aborto ser aprovada pelo Senado da Argentina, o Congresso do vizinho Chile começa a discutir o tema. A Comissão de Mulheres e Equidade de Gênero da Câmara dos Deputados chilena inicia, no dia 13 de janeiro, os debates sobre o projeto de lei que despenaliza a interrupção voluntária da gravidez até a 14ª semana.

Participam da audiência representantes das organizações Mesa Acción por el Aborto en Chile e Corporación Humanas, que defendem a legalização, assim como as deputadas autoras do projeto de lei. O convite foi estendido à ministra da Mulher e Equidade de Gênero do Chile, Mónica Zalaquett Said, que já demonstrou várias vezes ser contrária ao aborto legal, inclusive nos casos previstos pela legislação do país.

Até 2017, o Chile proibia o aborto em qualquer circunstância. A criminalização foi estabelecida pela ditadura de Augusto Pinochet pouco antes de deixar o poder, em 1990. Há três anos foi aprovada uma lei que passou a permitir a interrupção da gravidez decorrente de estupro, em caso de inviabilidade do feto ou risco de morte para a mulher — legislação similar à brasileira.  

Porém, em 2018, o governo do conservador Sebastián Piñera modificou o protocolo de aplicação da lei do aborto em três situações aprovada sob a administração de Michelle Bachelet, para facilitar que instituições privadas apelem à “objeção de consciência” e não pratiquem a interrupção da gravidez.

No final de 2019, dois anos após a promulgação da lei, o Ministério da Saúde do país relatou 188 casos de aborto legal, dos quais 150 em decorrência de um estupro, segundo a ONG Corporación Miles.

Esse é um número significativamente menor do que o projetado pelas autoridades em 2012, quando, no meio da discussão parlamentar, foi estimado que mais de mil mulheres decidissem anualmente interromper a gravidez devido a estupros. Essa diferença deve-se em parte às dificuldades inerentes à implementação de uma lei dessa natureza, mas, principalmente, a problemas substantivos que surgiram com a implementação da norma, como por exemplo, o fato de 51% dos médicos obstétricos do sistema público terem declarado objeção de consciência.

“A criminalização do aborto constitui uma violação gravíssima dos direitos humanos da mulher, que ignora sua condição de sujeito de direitos, de cidadã plena e soberana de seu corpo. A criminalização do aborto é criminalizar sua capacidade moral e sua autonomia para tomar decisões a respeito de sua vida. A criminalização não impede as mulheres de abortar nem as dissuade de não praticar o aborto. O único efeito das leis punitivas é o sigilo e a insegurança das mulheres que decidem abortar, além do estigma que lhes é imposto”, diz o projeto de lei que começa a ser discutido no Congresso chileno na semana que vem e propõe mudar o Código Penal do país para despenalizar o aborto em todas as cirscustâncias, até a 14ª semana de gestação.

O debate acontece na esteira de uma série de conquistas do movimento feminista chileno nos últimos meses. Depois de uma votação massiva por uma nova Constituição em plebiscito em outubro, o país será o primeiro a ter uma Carta Magna redigida em condição de igualdade de representação de homens e mulheres.

Mais recentemente, nesta segunda-feira (4), a Justiça chilena indeferiu uma ação movida pela polícia contra as quatro integrantes do grupo feminista LasTesis, reconhecidas pela performance “Um estuprador no seu caminho”, na qual foram acusadas de “incitação à violência”.

No Instagram, o grupo, formado pelas artistas Paula Cometa, Lea Cáceres, Sibila Sotomayor e Dafne Valdés, agradeceu as manifestações de apoio. Elas afirmaram esperar que “nenhum grupo artístico ou artista no Chile tenha que enfrentar um processo judicial pelo conteúdo de suas obras”.

A nova campanha da Prada e o que esperar da primeira coleção masculina de Raf Simons e Miuccia

A criatividade é um dom ou uma habilidade? A Prada convida seus fãs a responderem essa pergunta e uma serie de outras questões reflexivas em sua nova campanha, que você descobre acima e que se baseia na sensação de intimidade já iniciada desde a transmissão do desfile de verão 21, estreia de Raf Simons na co-criação, quando os dois designers responderam perguntas dos fãs ao fim do desfile digital.

Todos somos convidados a deixar nossas respostas no site da Prada, onde também já é possível ter contato com algumas das peças da nova e aguardada coleção revelada em setembro.

O diretor criativo Ferdinando Verderi escolheu fazer uma abordagem experimental para capturar as imagens da campanha, fotografando modelos através de câmeras de 360 graus lançando mão de ter somente o olhar de um fotógrafo reforçando a abordagem da marca por trás da coleção ao explorar a vida cotidiana atual permeada pela tecnologia.

A campanha também revela um teaser do que podemos esperar da primeira coleção masculina da Prada e da criação conjunta de Simons: alfaitaria, formas quadradas, quatro botões e um perfume retrô.

O desfile masculino em janeiro
Se o desfile feminino da estreia da dupla deixou certo gosto de quero mais em alguns fãs por ter entregado mais um mash-up de estilos e códigos dos dois designers, é esperado que com a coleção masculina, a segunda da dupla seja diferente e possamos entender mais o que Raf Simons acrescentará de novo ao vocabulário da marca italiana. E geralmente é a partir da segunda coleção que as coisas começam a ficar mais claras e deve mostrar um passo à frente do que apenas a combinação dos dois mundos (que diga-se de passagem foi executada com primor). Com Raf foi assim tanto em sua passagem pela Dior quanto pela Calvin Klein, onde a cada coleção ele aplicava mais e mais sua identidade sobre o DNA das marcas. Portanto podemos aguardar um pouco mais do universo edge do designer belga, mesmo que a dupla já tenha avisado que não devemos esperar por nada assim tão ‘novo’, mas único.

A Prada anunciou que o primeiro desfile masculino de inverno 21 de Raf Simons para a marca será exibido no dia 17 de janeiro. Já estamos contando os minutos por isso. [FFW – AUGUSTO MARIOTTI]

Giambattista Valli | Haute Couture Fall Winter 2020/2021 | Digital

Giambattista Valli | Haute Couture Fall Winter 2020/2021 by Giambattista Valli | Digital in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video – Haute Couture Fashion Week – Paris/FR)

Mans | Spring Summer 2021 | Full Show

Mans | Spring Summer 2021 | Digital (Widescreen – Exclusive Video/1080p – 080 Barcelona Digital Fashion Edition)

Paddy Conn – Island For Sale/Tropical Disco

Malcolm & Marie | Zendaya e John David Washington são casal brigado em trailer

Filme do criador de Euphoria estreia em fevereiro na Netflix
ARTHUR ELOI

Malcolm & Marie, filme da Netflix rodado durante a quarentena, teve seu primeiro trailer divulgado que mostra Zendaya (Euphoria) e John David Washington (Infiltrado na KlanTenet) como um casal em conflito. Veja acima.

O longa conta a história de um cineasta e sua namorada. Eles retornam para casa após a festa de lançamento do mais novo filme do artista, que espera um sucesso de bilheteria e crítica. Entretanto, revelações começam a surgir durante a noite, que levam o casal a questionar seu amor. A direção e roteiro são de Sam Levinson, o criador de Euphoria, série da HBO. Veja o pôster oficial abaixo:

A estreia de Malcolm & Marie está marcada para 5 de fevereiro.

Julia G Escriba | Spring Summer 2021 | Full Show

Júlia G Escribà | Spring Summer 2021 | Digital (Widescreen – Exclusive Video/1080p – 080 Barcelona Digital Fashion Edition)

Barrie Gledden – Future Zone/Descent