Spyder | Fall Winter 2021/2022 | Full Show

Spyder | Fall Winter 2021/2022 | Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – MFW/Milan Fashion Week Men’s)

Do PP ao 5G: conheça 4 ótimas marcas de moda que oferecem amplas grades de tamanho

Defensoras do movimento Body Positive, Raphaella Tratske, Rita Carreira, Ju Ferraz e Letticia Munniz indicam marcas de moda que criam roupas com grades maiores

Raphaella Tratske usa look Sislla (Foto: Arquivo pessoal)

Raphaella Tratske, modelo
Sislla (@sislla)

Raphaella indica a Sislla, marca que mistura o estilo vintage e romântico e tem uma grade ampla de tamanho (do P ao G5). “É uma grife que abraça quase todos os manequins. Sou apaixonada pelas saias mídi, as camisetas fofas e os jeans com lavagens incríveis. A marca está localizada em Santa Catarina, mas vende também online. Além disso, tem peças que são tendências no momento, como camisa de mangas bufantes e saias plissadas. Sempre que eu entro no Instagram ou no site, fica difícil escolher o que levar!”

Rita Carreira veste calça (Foto: Reprodução/Instagram)
Rita Carreira veste calça Åya (Foto: Reprodução/Instagram)

Rita Carreira, modelo e colunista do Vogue Gente
Åya (@use.aya)
Rita sugere a Åya por acreditar que a marca está fazendo a diferença ao trazer informação de moda para o segmento plus size, com tamanhos que vão do 46 ao 60. A etiqueta tem tops, shorts, calças, quimonos e bodies de estilo mais clean em cores neutras. E também algumas peças em laise, como a calça usada por Rita na foto. “É uma grife minimalista e jovem, que está agregando no mercado neste nicho, que hoje está um pouco saturado porque estão sempre usando as mesmas modelagens e tecidos”, afirma. Destaque também para o beachwear, com conjuntinhos de top e hot pants dupla face em cores diferentes. 

Flor de Cacto (Foto: Reprodução/Instagram)
Flor de Cacto (Foto: Reprodução/Instagram)

Ju Ferraz, sócia diretora de novos negócios da Holding Clube e colunista do Vogue Gente
Flor de Cacto (@oficialflordecacto)

A Flor de Cacto, criada pela pernambucana Érika Tenório, é a escolha de Ju Ferraz. “É uma marca inclusiva, para todos os corpo”, afirma. A etiqueta tem tamanhos que vão do PP ao XG e uma ampla seleção de peças – vestidos, blazers, shorts, macacão, entre outras – em sua maioria de estilo superfeminino, com detalhes como babados e mangas bufantes. “É uma roupa usual, do tipo que a gente ama porque fica pronta para todo dia.” A Flor de Cacto, que tem ainda uma linha de pijamas, pode ser encontrada no e-commmerce próprio e também na multimarcas online 2Collab, que tem uma seção dedica a grifes Body Positive. 

Processed with VSCO with av8 preset (Foto: Reprodução)
Letticia Munniz (Foto: Gustavo Lima)

Letticia Munniz, modelo
Liebe (@liebelingerie)

Para Letticia Munniz, a Liebe, marca de lingerie para qual fez seu primeiro trabalho de modelo, tem se tornado cada vez mais democrática não só em tamanhos, mas também nas imagens. “Eu preciso me ver nas fotos. Eles fazem questão de incluir mulheres muito reais e diversas, que a gente consegue se identificar. É uma marca que quer vestir e representar mais corpos”, afirma ela sobre a etiqueta, que tem um segmento plus size. “Eles também demonstram a vontade de ser para todas nas cores, tendo uma cartela de nudes muito ampla”, completa. 

MÜNN | Spring Summer 2021 | Digital

MÜNN | Spring Summer 2021 | Digital Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – LFW/London Fashion Week)

Dior Men Spring/Summer 2021 Campaign

Kim Jones unveiled the Dior Men Spring/Summer 2021 campaign, featuring Babacar N’doye, Jeremiah Berko Fordjour, and Samer Rahma lensed by Rafael Pavarotti and art-directed by Ronnie Cooke Newhouse.

AirPods Max estão à venda no Brasil

Na semana retrasada, a Apple iniciou as vendas dos AirPods Max no Brasil, mas poucas horas depois — tal como havia feito há alguns meses, com o iPad de 10,2″ — mais uma vez tirou o produto do ar em sua loja online.

Agora, sim, parece que é para valer!

Os novos fones de ouvidos da Apple — os primeiros circum-auriculares (over-ear) da empresa — foram apresentados no começo de dezembro. Pouco tempo depois, eles foram homologados pela Agência Nacional de Telecomunicações.

Os AirPods Max chegaram por aqui custando R$6.899 parcelados em até 12x ou R$6.209,10 à vista — comparativamente, eles custam US$549 nos Estados Unidos e 629€ em Portugal.

O prazo de envio de todas as cinco cores (cinza-espacial, prateada, verde, azul-céu e rosa), no Brasil, está no momento em apenas um dia útil.

Dentro da caixa temos os fones, sua Smart Case e um cabo de Lightning para USB-C — nesse artigo você encontra todos os detalhes extras desse novo produto, como dimensões, peso, sensores, microfones, etc.

Herdeiro da Samsung Jay Y. Lee é condenado a 30 meses de prisão por suborno

Jay Y. Lee será afastado do cargo na Samsung e não poderá supervisionar a empresa herdada do pai Lee Kun-hee, que morreu no ano passado
Por Agências – Reuters

Durante sua declaração final ao tribunal em dezembro, Lee disse que desejava “fazer uma nova Samsung”

Um tribunal sul-coreano sentenciou nesta segunda-feira, 18, o vice-presidente do conselho de administração da SamsungJay Y. Lee, a dois anos e meio de prisão, o que pode atrasar a reestruturação acionária do grupo após a morte do pai dele em outubro.

Lee, o empresário mais poderoso da Coreia do Sul, cumpriu um ano de prisão por subornar uma autoridade ligada ao ex-presidente Park Geun-hye quando um tribunal de apelações suspendeu o processo em 2018. Um ano depois, a Suprema Corte ordenou que o executivo de 52 anos fosse julgado novamente.

O Tribunal Superior de Seul considerou Lee culpado de suborno, apropriação indevida e dissimulação de receitas no valor de cerca de 8,6 bilhões de won (US$ 7,8 milhões) e disse que o comitê independente de compliance criado pela Samsung no início do ano passado ainda não entrou em vigor.

“(Lee) mostrou disposição para a gestão com um compliance reforçado, já que prometeu criar uma empresa transparente”, disse o presidente do tribunal Jeong Jun-yeong. “Apesar de algumas deficiências. Espero que, com o tempo, isso seja avaliado como um marco na história das empresas coreanas como um começo para o compliance e a ética”, disse ele.

Lee, vestido com um casaco escuro e de pé para ouvir a sentença, sentou-se depois que ela foi lida. Ele não se manifestou. Durante sua declaração final ao tribunal em dezembro, Lee disse que desejava “fazer uma nova Samsung”.

“Este caso envolve o abuso de poder do ex-presidente, violando a liberdade corporativa e os direitos de propriedade. A decisão do tribunal é lamentável”, disse o advogado de Lee, Lee In-jae, a repórteres.

Queda de ações 

Lee será afastado, por enquanto, das principais tomadas de decisão da Samsung. Ele também não poderá supervisionar diretamente o processo de herança de seu pai, crucial para manter seu controle sobre a empresa.

Analistas concordaram que as operações cotidianas da empresa não serão afetadas, mas as decisões em grande escala cujos resultados muitas vezes só são visíveis depois de anos, como fusões e aquisições e grandes mudanças de equipe, podem sentir o impacto.

“A ausência (de Lee) não vai atrapalhar a gestão atual da Samsung. Ao contrário da época de seu pai, a Samsung tem sido administrada sistematicamente, a tomada de decisões é distribuída entre os presidentes de cada empresa do grupo”, disse Chung Sun-sup, presidente-executivo da empresa de pesquisas Chaebul.com.

“Mas, além do golpe em sua imagem global, estratégias de longo prazo, como investimentos atualmente não planejados para o futuro e a reestruturação, podem ser paralisadas”, acrescentou.

Prada mostra seu anti-uniforme durante a semana da moda totalmente digital

O desfile foi transmitido em uma grande tela no coração do bairro comercial de Milão
Colleen Barry, AP

Prada
O desfile da Prada é transmitido ao vivo em tela gigante, na Semana de Moda de Milão Foto: Luca Bruno/ AP

Sem engarrafamentos, sem pressa para chegar ao local, sem as primeiras filas – nem mesmo socialmente distantes. A Semana da Moda de Milão está sendo apresentada inteiramente nas telas de computador e plataformas de mídia social pela primeira vez, por causa do ressurgimento persistente do coronavírus, o que tem frustrado qualquer esperança da realização de apresentações presenciais.

O luxo está em um período de evolução forçada nesta nova ordem mundial, com bloqueios rotativos, onde praticamente ninguém tem para onde ir. Portanto, foi um público em sua maioria cativo que se aglomerou nas redes sociais às centenas de milhares (e contando com os programas virtuais  ao vivo) para assistir aos designers de Milão revelarem novas coleções de roupas masculinas para o próximo inverno, que, se houver vacinas, podem retornar em – compra de pessoalmente.

Na prévia da coleção concebida digitalmente, a Prada  apresentou o novo anti-uniforme que retrata nossa nova intimidade em nossos círculos cada vez mais apertados: long-johns de luxo.

A primeira coleção de roupas masculinas da colaboração Miuccia Prada-Raf Simons, anunciada há quase um ano, foi revelada em uma passarela cruzando espaços revestidos de peles artificiais em roxo, celeste e escarlate. Homens magros em ternos justos de malha em padrões inspirados na arquitetura, entalhados em outtakes unidos no desfile.

Os trajes enfatizam tanto o corpo humano quanto a liberdade, elementos fundamentais para a coleção, afirmaram os estilistas. Eles foram usados sob casacos grandes e suéteres com decote em V, ou como uma camada confortável sob um terno de trabalho, se a ocasião pedir.

“Não é sempre que encontramos na moda algo que é tão flexível, com tantas facetas”, disse Prada em uma conversa por vídeo com estudantes internacionais de moda. “Com uma peça, você pode expressar tantas coisas, deixando em aberto muitas possibilidades.”

Prada
Uma tela gigante exibe desfile da Prada na Semana de Moda de Milão Foto: Luca Bruno/ AP

Os designers disseram que a colaboração foi baseada no princípio: se o outro não gostou de uma ideia, ela é descartada. Ou o outro é conquistado, o que acontecia com a Prada aceitando listras que ela odiava há muito tempo. “O que eu acho bom é a possibilidade de mudar de ideia”, disse Prada.

O desfile foi transmitido em uma grande tela no coração do bairro comercial de Milão. Mas com a cidade e a região ao redor mergulhadas em mais um bloqueio parcial no domingo, as prévias atraíram pouca atenção. A energia que faltava nas ruas de Milão foi recuperada nas redes sociais.

FendiEtro e a marca de outdoor Kway pretendiam fazer shows físicos com convidados, mas tiveram que voltar para as passarelas fechadas. Dolce & Gabbana cancelou, dizendo que as restrições em vigor não haveria condições necessárias para se apresentarem.

Prada
Uma tela gigante exibe conversas durante desfile da Prada na Semana de Moda de Milão Foto: Luca Bruno/ AP

A coleção da Fendi, desenhada por Silvia Venturini Fendi, apresentou peças acolchoadas feitas para facilitar a disposição em camadas, no espírito conforto e isolamento. O paisley de Etro deu um toque casual, em tops de seda ou calças largas combinadas com bolsas crossbody e bonés de beisebol. As capas de chuva, trincheiras e jaquetas de Kway ganharam seu crédito com listras de cores brilhantes e silhuetas variadas.

Agora, mais do que nunca, como as pessoas têm mais tempo em casa para pensar em como querem se apresentar ao mundo, a moda tem menos a ver com tendências e mais com individualidade.

“Todos deveriam seguir a si mesmos”, disse Prada. “Isso para mim é crucial e fundamental. As roupas são a expressão da sua ideia, da sua personalidade. As roupas estão a serviço da sua vida, da pessoa. ”

Tim Cook comenta censura e igualdade em nova entrevista

O CEO da Apple, Tim Cookconversou ontem com o apresentador Chris Wallace, da Fox News, para discutir a remoção do Parler da App Store, moderação de conteúdo, projetos sociais, entre outros.

Vale notar que alguns assuntos tratados na entrevista mais recente também foram abordados pelo programa CBS This Morningcuja entrevista com Cook foi divulgada na semana passada.

Parler

Como já ventilado anteriormente, Cook disse que o app Parler poderia retornar à App Store assim que começasse a seguir as regras da Apple. Durante sua entrevista de ontem, ele reiterou o mesmo ponto.

O executivo também foi questionado se a Apple (bem como a indústria de tecnologia como um todo) está restringindo a liberdade de expressão; Cook negou dizendo que a App Store é uma plataforma “privada com regras próprias”:

Obviamente não controlamos o que está na internet, mas nunca vimos que nossa plataforma deveria ser uma simples replicação da Internet. Temos regras e regulamentos e apenas pedimos que as pessoas os cumpram.

Posteriormente, o executivo disse que as grandes empresas de tecnologia “não são monolíticas” e que havia muitas empresas fazendo muitas coisas diferentes — enfatizando que a Apple está “sempre tentando fazer a coisa certa”.

Projetos sociais

Cook também abordou os novos projetos da Iniciativa sobre Equidade e Justiça Racial (Racial Equity and Justice Initiative, ou REJI). Especificamente, ele falou sobre o que inspirou a Apple a iniciar o programa e continuá-lo em 2021.

No ano passado, com o assassinato de George Floyd, isso trouxe uma urgência para essa questão [da igualdade racial]. Estamos entusiasmados em poder fazer a nossa parte aqui e esperamos que mais pessoas sigam essa causa.

Cook disse que “não poderia estar mais animado” com o potencial do projeto para fornecer oportunidades para a comunidade parda e negra e lembrou de momentos na sua trajetória em que a desigualdade racial se mostrava mais presente:

Lembro-me de períodos de tempo em que, quer você estivesse no colégio, na faculdade ou depois, você olhava em volta e só havia brancos, quer fosse uma faculdade, uma universidade, uma pós-graduação ou algo assim. Não parece certo.

“Apple Car”

Enquanto comentavam os avanços tecnológicos da Apple, o entrevistador fez uma pergunta sobre o famigerado “Apple Car” — e Cook, é claro, tentou desviar da pergunta:

Não posso comentar rumores e assim por diante.

O jornalista, então, retrucou dizendo que, na verdade, Cook “poderia comentar o assunto”, mas que “escolhe não fazê-lo” — afinal, ele é o chefe. O executivo treplicou:

Você está certo. Eu escolho não fazer. Touché.

Embora Cook não tenha afirmado nada, ele também não negou — mas só nos resta aguardar por mais rumores para saber como anda o desenvolvimento do aguardado veículo da Maçã.

VIA 9TO5MAC

Conheça Amanda Gorman, a poeta da posse de Joe Biden

Jovem de 22 anos é formada em Harvard e foi escolhida pela primeira-dama, Jill Biden

A poeta Amanda Gorman, que participará da cerimônia de posse de Joe Biden Foto: TONY LUONG / NYT

Lady Gaga e Jennifer Lopez se apresentaram na posse do presidente eleito dos Estados UnidosJoe Biden, neste dia 20, em Washington. Mas uma jovem ainda desconhecida do grande público roubou a cena. Aos 22 anos, a poeta Amanda Gorman leu o poema de sua autoria na cerimônia, “The hill we climb” (“A montanha que escalamos”, em tradução livre).

Atualização: Confira a participação da poetisa Amanda Gorman na posse de Joe Biden e Kamala Harris.

Alguns dos versos mais emocionantes do poema de Amanda são:

“Pois sempre há luz, se apenas formos corajosos o suficiente para vê-la, se apenas formos corajosos o suficiente para sê-la”;

“Ser americano é mais do que um orgulho que herdamos. É o passado para o qual entramos e como o consertamos”

“A Democracia pode ser temporariamente postergada, mas não pode ser permanentemente derrotada”

A poeta americana Amanda Gorman, de 22 anos, lê um poema durante cerimônia de posse de Joe Biden como novo presidente dos Estados Unidos, no Capitólio, em Washington Foto: POOL / REUTERS
Amanda, ainda desconhecida do grande público, leu um poema de sua autoria na cerimônia, intitulado “The hill we climb” (“A montanha que escalamos”, em tradução livre Foto: POOL / REUTERS

Quem é Amanda

Ela encorpa o time de outros cinco autores que se apresentaram em posses presidenciais (todas de eleitos democratas), como os consagrados Robert Frost (da posse de John F. Kennedy em 1961) e Maya Angelou (da posse de Bill Clinton em 1993).

Nascida em Los Angeles, Califórnia, e formada pela Universidade de Harvard, Gorman foi escolhida pela futura primeira-dama, Jill Biden, e definiu a oportunidade como uma “honra” em seu Instagram (ela tem cerca de 50 mil seguidores).

Sua trajetória é marcada pelo ativismo, focando em questões como diáspora africana, feminismo, raça e marginalização. O seu poema “In the Eye Of” (No olho do), de 2018, evoca o poder destrutivo dos furacões e foi incluído em uma antologia de arte dedicada à sustentabilidade. Gorman já declarou que quer se candidatar a presidência dos EUA em 2036.

A autora já alcançou alguns feitos em sua curta carreira. Em 2017, foi mais jovem poeta a abrir a temporada literária da Library of Congress (a biblioteca nacional americana), teve um poema seu adquirido pela Morgan Library and Museum de Nova York, e assinou um contrato com a Viking Press (selo da Penguin Random House) para publicar um livro infantil. Ah, e também já leu um poema seu na MTV.

A poeta contou em entrevistas que recebeu o convite para a posse em dezembro. Ela escreveu especialmente para a cerimônia o poema “The hill we climb” (A montanha que escalamos, em tradução livre), inspirado na traumática invasão ao capitólio por extremistas apoiadores de Donald Trump, no último dia 6.

“Aquele dia me deu uma segunda onda de energia para terminar o poema”, disse Gorman em entrevista à rede de TV americana ABC. “O poema não é cego. Não vira as costas para as evidências de discórdia e divisão”.

Na mesma entrevista, a poeta disse que não recebeu orientações específicas em relação ao conteúdo do poema, mas foi aconselhada a enfatizar o espírito do união do país e não “denegrir” outros políticos (como o presidente Donald Trump).

Além de Amanda, estiveram na cerimônia de posse Lady Gaga, cantando o hino americano, e Jennifer Lopez, que gritou em espanhol, no meio da música “This land is your land”: Uma nação com liberdade e justiça para todos!”.

Para o evento virtual de posse estão confirmados Tom Hanks, Justin Timberlake, New Radicals e Foo Fighters.