Entre o mundo real, o digital e a ficção, alta-costura renova repertório na temporada de verão 2021

O que desfilaram as grifes Dior, Schiaparelli, Chanel
Gilberto Junior

El Abre Moda Alta-Costura Verão 2021 Foto: Divulgação / Divulgação

Antes de cada desfile de sua maison, Christian Dior tinha o hábito de consultar as cartas de tarô para saber o que o futuro lhe reservava. Primeira mulher a comandar a grife francesa, a estilista italiana Maria Grazia Chiuri resgatou à sua maneira a tradição ao colocar o misticismo como ponto central da coleção de verão 2021 de alta-costura. Diante de todas as restrições impostas para conter a segunda onda de Covid-19, a designer apresentou as preciosas peças por meio de um filme dirigido por seu compatriota Matteo Garrone. Juntos, criaram um mundo mágico e misterioso, com códigos da marca revisitados e atualizados — pense na clássica jaqueta bar — e um jogo interessante entre o masculino e o feminino.

Alta-Costura Verão 2021: Na Schiaparelli, acessórios fantásticos fazem par com looks esculturais Foto: Divulgação
Alta-Costura Verão 2021: Na Schiaparelli, acessórios fantásticos fazem par com looks esculturais Foto: Divulgação

Seguindo essa linha surrealista, o americano Daniel Roseberry colocou o sonho em pauta na couture de Schiaparelli. Acessórios fantásticos faziam par com looks esculturais, que, em muitos momentos, lembravam a silhueta de heróis musculosos das histórias em quadrinhos. Com vestidos de suspirar, o italiano Giambattista Valli provou novamente ser um mestre das proporções ao domar metros e metros de tules, desenhando uma coleção com forte perfume espanhol. Enquanto isso na Chanel, Virginie Viard apostou no rigor da alfaiataria, sem abrir mão de babados, flores e um trabalho primoroso de volumes.

Nessa difícil equação, que tenta encontrar o equilíbrio entre o real e a ficção, quem triunfou foi o italianíssimo Pierpaolo Piccioli. Saíram de cena os looks espetaculosos da temporada passada para entrarem as peças que dialogam com desenvoltura com a contemporaneidade. Roupas confortáveis para um dia a dia não tão básico apareceram ao lado de outras que clamavam por uma certa dose de escapismo. “A couture é uma grande mise-en-scène”, define a consultora de moda Costanza Pascolato. “A coleção de verão da Valentino é sensacional, vai além da fantasia e do baile. Gosto bastante também da Schiaparelli, porque traz essa visão surreal, coloca o lúdico na conversa.”

Sonhar nunca foi tão necessário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.