Sequência de ‘Top Gun’ é adiada em novo revés para os cinemas

Filme seria uma das maiores estreias da temporada de verão nos Estados Unidos
LISA RICHWINE

Top Gun: Maverick – Divulgação

LOS ANGELESREUTERS – A Paramount Pictures adiou novamente o lançamento do filme “Top Gun 2”, estrelado por Tom Cruise, de julho para novembro, informou o estúdio nesta sexta-feira (9). A decisão priva os cinemas do que se esperava ser uma das maiores estreias da temporada de verão nos Estados Unidos.

A sequência de “Top Gun – Ases Indomáveis”, sucesso de 1986, estreará em 19 de novembro. Esse é o mesmo dia em que a Paramount planejava lançar o sétimo “Missão: Impossível”, franquia também encabeçada por Cruise –este, por sua vez, foi adiado para maio de 2022.

Operadoras de cinemas como AMC Entertainment, Cineworld Group Plc e Cinemark Holdings Inc esperavam uma recuperação no verão. No último ano, a indústria sofreu com fechamentos forçados pela pandemia de Covid-19.

Por enquanto, outras estreias estão mantidas. O nono exemplar da franquia “Velozes e Furiosos”, da Universal Pictures, continua programada para chegar às salas de exibição em 25 de junho.

“Viúva Negra”, filme da Marvel produzido pela Walt Disney, deve ser lançado nos cinemas no dia 9 de junho. Porém, também poderá ser visto por uma taxa extra no serviço de streaming Disney+.

Aweng | The Greatest S/S 2021

Photographer:Leonardo Veloce Stylist:Rose Forde

Nagi Sakai for Vogue Ukraine with Ruth Bell

Photographer: Nagi Sakai. Fashion Stylist: Natasha Royt. Hair Stylist: Pasquale Ferrante. Makeup Artist: ingeborg. Model: Ruth Bell.

Novo banco de dados com números de telefone do Facebook pode estar à venda na internet

Segundo site, uma ferramenta online está permitindo que clientes paguem para descobrir os números de telefone de usuários do Facebook que curtiram determinada página na rede social

No sábado passado, foi revelado que o Facebook teve dados recolhidos de 533 milhões de usuários da plataforma

Um outro banco de dados de números de telefone do Facebook está disponível na internet. De acordo com a publicação de tecnologia Motherboard, uma ferramenta online está permitindo que clientes paguem para descobrir os números de telefone de usuários do Facebook que curtiram determinada página na rede social — e o banco de dados parece ser diferente das informações de 533 milhões de conta do Facebook cuja exposição foi revelada no último sábado, 3. 

Segundo o Motherboard, a ferramenta é um robô no aplicativo de mensagens Telegram. Além de fornecerem números de telefone de usuários do Facebook que não estão incluídos no conjunto de dados dos mais de 500 milhões de usuários, as informações também parecem ser diferentes de outro “bot” do Telegram revelado em janeiro, que exibia números de telefone da rede social. 

A publicação afirma que o robô pede inicialmente que o cliente mande o código de identificação exclusivo da página do Facebook da qual deseja descobrir os números de telefone. De acordo com o Motherboard, o serviço relacionado a uma página com dezenas de milhares de curtidas pode custar algumas centenas de dólares: o robô oferece as informações de apenas uma parcela dos seguidores da conta. Em páginas com menos de 100 curtidas, o serviço é gratuito. 

Ainda não há informações sobre a origem dos dados, mas o Motherboard sinaliza que as informações podem ser fruto de uma nova violação de dados envolvendo o Facebook. A empresa ainda não comentou o assunto. 

Sem proteção

No sábado passado, foi revelado que o Facebook, maior rede social do mundo, com 2,7 bilhões de clientes, teve dados recolhidos de 533 milhões de usuários da plataforma, incluindo de 8,1 milhões de brasileiros, conforme publicação em fórum de hackers. As informações incluíam nome completo, idade, cidade, ocupação, e-mail e número de telefone. 

O Facebook confirmou o caso, atribuindo-o a um garimpo de “agentes maliciosos” por meio de uma vulnerabilidade da ferramenta de empresa usada para sincronizar contatos. Segundo a rede social, a falha foi corrigida em setembro de 2019, quando foi percebida.

Nesta quarta-feira, o Facebook afirmou que não vai notificar os usuários que tiveram suas informações vazadas. Um porta-voz da rede social disse que a companhia não tem certeza de ter total visibilidade sobre quais usuários poderiam ser notificados. Ele afirmou ainda que os dados foram  ofertados publicamente e que, depois de vazados, os usuários não têm como tomar medidas contra o problema. 

Phoebe Waller-Bridge de ‘Fleabag’ estrelará o próximo filme ‘Indiana Jones’ com Harrison Ford

Criadora de ‘Fleabag’ foi anunciada na produção, que chega aos cinemas em 2022

Phoebe Waller-Bridge em cena de ‘Fleabag’ – Divulgação

LOS ANGELES AFP – A atriz e criadora da série “Fleabag” Phoebe Waller-Bridge, 35, estrelará ao lado de Harrison Ford, 78, o novo filme “Indiana Jones”. A produção chegará aos cinemas em meados de 2022, segundo anunciou a produtora Lucasfilm nesta sexta-feira (9).

O quinto episódio da série, dirigido por James Mangold (“Ford vs. Ferrari”), foi anunciado como a última vez que o Ford, de 78 anos, interpretará o famoso arqueólogo. A “nova aventura” contará com um “time dos sonhos de grandes cineastas de todos os tempos”, incluindo os produtores Steven Spielberg —que originalmente iria dirigir o filme— e Kathleen Kennedy.

“Quando você adiciona Phoebe, uma atriz deslumbrante, uma voz criativa brilhante e a química que ela sem dúvida trará ao nosso set, não posso deixar de me sentir tão sortuda quanto o próprio Indiana Jones”, acrescentou Mangold.

A escalação culmina com a notável ascensão da atriz e escritora britânica, que ganhou vários Emmys por “Fleabag”. A bem-sucedida adaptação para a televisão de seu show solo trata sobre uma jovem solteira desiludida em Londres.

Waller-Bridge também é co-autora do thriller de espionagem “Killing Eve” e do filme de James Bond “007 – Sem Tempo para Morrer”, adiado pela pandemia. Ela já trabalhou com a Lucasfilm, interpretando o droid de aço L3-37 em “Solo: Uma Historia de Star Wars” (2018).

O quinto filme de Indiana Jones está em produção há anos, e a Disney, empresa-mãe da Lucasfilm, confirmou o retorno de Ford em dezembro. Demorou quase 20 anos para o ator estrelar o quarto filme, “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal”, que fez sucesso de bilheteria, mas recebeu críticas ruins.

Ford vestiu o chapéu e o chicote característicos do aventureiro pela primeira vez em “Os Caçadores da Arca Perdida”, de 1981, alguns anos depois de alcançar a fama mundial como Han Solo no filme “Guerra nas Estrelas” original. Três anos depois, “Indiana Jones e o Templo da Perdição” chegou, e em 1989 “Indiana Jones e a Grande Cruzada” foi lançado, com Sean Connery no papel do pai de Indy.

O lendário compositor John Williams, que criou a famosa música-tema de Indy, irá compor a música do quinto filme, previsto para julho de 2022.

Signe Romer in Elle India August 2016 By Frida Marklund

Paint Job/Organic Beauty
Also in Elle Sweden March

www.elle.in Photography: Frida Marklund Model: Signe Romer Beauty Styling: Emma Unckel Hair: Joe-Yves Make-Up: Linda Öhrström

Powerpuff | Série de Meninas Superpoderosas anuncia atriz de Sara Belo

Narrador da animação, Tom Kenny reprisará seu papel
JULIA SABBAGA

Robyn Lively viverá Srta. Sara Belo no live-action de “As Meninas Superpoderosas”

Powerpuff, o live-action de As Meninas Superpoderosas produzido pela CW, anunciou que a atriz Robyn Lively viverá a Srta. Sara Belo na produção. A atriz, conhecida por papeis em Karatê Kid 3, O Poder Mágico e Ouija: O Jogo dos Espíritos, interpretará a assistente do Prefeito, que terá uma complicada história de amor com o professor Drake Utônio (Donald Faison) (via Deadline).

Powerpuff confirmou também que Tom Kenny, narrador da animação original, reprisará o seu papel. 

Esta semana, a série live-action de As Meninas Superpoderosas teve suas primeiras imagens reveladas, mostrando o visual de Florzinha (Chloe Bennet), Lindinha (Dove Cameron) e Docinho (Yana Perrault).

Na nova versão, as heroínas já são jovens de uns 20 e pouco anos, que se sentem desiludidas por terem passado suas infâncias combatendo o crime. Mas, talvez, elas precisem se reunir agora que o mundo precisa delas novamente.

As garotas também terão mudanças em suas personalidades: antes líder do grupo, Florzinha se tornou mais ansiosa e reclusa após ter sido uma heroína ainda criança. Na série, ela vai trilhar o caminho para voltar a ser uma líder – dessa vez nos seus próprios termos. Já Lindinha, que conquistou a todos na infância com sua fofura, continua dessa forma, mas essa personalidade esconde uma sagacidade e dureza inesperadas. Na série, ela estará mais interessada em recuperar sua fama do que salvar o mundo – mas ela pode surpreender a todos. E Docinho, que sempre foi a mais rebelde do grupo, é mais sensível do que o exterior sugere e chegou à vida adulta tentando se livrar da identidade de Menina Superpoderosa, para viver uma vida anônima.

O projeto é de Diablo Cody, roteirista de Juno Garota Infernal, com Heather Regnier, produtora de iZombie e do revival de Veronica MarsGreg Berlanti (do Arrowverse), Sarah Schechter David Madden também servem à produção executiva. Se o piloto, após filmado e exibido para os executivos da CW, for aprovado, a emissora encomendará uma temporada completa.

Não há previsão de estreia para a série live-action de As Meninas Superpoderosas

Facebook tem algoritmo com preconceito de gênero na exibição de anúncios, diz estudo

De acordo com uma pesquisa da Universidade Southern California, os anúncios de emprego no Facebook não chegam para homens e mulheres na mesma proporção
Por Agência – Reuters

A descoberta reforça o argumento de que os algoritmos do Facebook podem estar violando as leis antidiscriminação dos Estados Unidos

Os usuários do Facebook podem não estar sendo notificados sobre os empregos para os quais são qualificados porque os algoritmos da rede social direcionam desproporcionalmente seus anúncios a diferentes gêneros. E isso vai “além do que pode ser legalmente justificado”, afirmam pesquisadores universitários em um estudo publicado nesta sexta-feira, 9.

De acordo com a pesquisa, em um dos três exemplos que geraram resultados semelhantes, o Facebook direcionou um anúncio de entregador da Instacart, uma empresa de delivery americana. para um público majoritariamente feminino, e um anúncio de entregador da Domino’s para um público majoritariamente masculino. A Instacart tem em sua maioria entregadores mulheres; a Domino’s, homens, aponta o estudo de pesquisadores da Universidade Southern California.

Em contrapartida, a pesquisa constatou que o LinkedIn mostrou o anúncio da Domino’s e da Instacart para aproximadamente a mesma proporção de mulheres. A descoberta reforça o argumento de que os algoritmos do Facebook podem estar violando as leis antidiscriminação dos Estados Unidos, afirma o estudo.

“A exibição de anúncios do Facebook pode resultar em desvios de gênero em publicidade de oportunidades de emprego, além do que pode ser legalmente justificado por possíveis diferenças nas qualificações”, disse o estudo.

O porta-voz do Facebook, Joe Osborne, disse que a empresa reconhece “muitos sinais para tentar entregar às pessoas anúncios nos quais elas estarão mais interessadas, mas entendemos as preocupações levantadas no estudo”. Em meio a ações judiciais e investigações regulatórias sobre discriminação por meio da segmentação de publicidade, o Facebook reforçou controles para evitar que clientes excluam alguns grupos de verem anúncios de empregos, imóveis entre outros.

Apple revela por que não levou o iMessage ao Android

O ex-chefão do iOS, Scott Forstalljá havia dito que a Apple queria abrir o iMessage (ou, pelo menos, alguns dos seus melhores recursos) para outras plataformas.

iMessage no iPhone (Imagem: Divulgação/Apple)

Como sabemos, isso nunca aconteceu, e a Apple basicamente confirmou o que muitos suspeitavam: a companhia mantém o iMessage de forma exclusiva nos seus sistemas para que as pessoas não saiam deles, é claro.

O [motivo] mais difícil para deixar o ecossistema da Apple é o iMessage… ele representa um sério aprisionamento.

A “constatação” foi divulgada pela Epic Games nos documentos enviados à corte frente ao julgamento que ocorrerá no próximo mês. Ontem, inclusive, comentamos os argumentos da Apple e também da Epic, nos quais os executivos da Maçã já falavam sobre a indisponibilidade do mensageiro no Android.

De acordo com o arquivamento da Epic, que cita o chefão de softwares e serviços para internet, Eddy Cue, a Apple decidiu não desenvolver o iMessage para Android já em 2013 — após o lançamento do serviço de mensagens junto ao iOS 5, em 2011.

Cue admitiu que a Apple “poderia ter feito uma versão para Android que funcionasse com o iOS”, para que usuários de ambas as plataformas pudessem trocar mensagens entre si perfeitamente. Evidentemente, tal versão nunca foi desenvolvida.

[A Apple] poderia ter feito uma versão [do iMessage] para Android que funcionasse com o iOS. Também teria compatibilidade cruzada com o plataforma iOS, de modo que usuários de ambas as plataformas pudessem trocar mensagens entre si perfeitamente.

O iMessage é extremamente popular entre usuários do iPhone (principalmente) nos Estados Unidos. Por esse motivo, inclusive, muitas pessoas não migram para um dispositivo Android, já que não poderão continuar fazendo parte de seus grupos existentes no mensageiro da Apple.

VIA THE VERGE