Alison Bechdel traz suas ‘Perigosas Sapatas’ para o Brasil em nova coletânea

Quadrinista retratou vidas e relacionamentos de mulheres lésbicas em tiras que saem agora pela Todavia
Walter Porto

Capa da edição brasileira de “Perigosas Sapatas”, da quadrinista Alison Bechdel, que sai pela Todavia – Divulgação

“Perigosas Sapatas”, uma coletânea que reúne o melhor das tirinhas que consagraram a quadrinista Alison Bechdel, vai sair em julho pela Todavia.

Originalmente intitulada “Dykes to Watch Out For”, a série de quadrinhos foi um marco na representação da comunidade lésbica na década de 1980 e continuou sendo publicada por mais de 20 anos, apresentando em seus traços uma coleção diversa de mulheres e seus relacionamentos homoafetivos.

A edição brasileira tem tradução da escritora Carol Bensimon e uma introdução especial em quadrinhos feita pela autora, também responsável pela premiada “Fun Home”.

Além disso, a editora vai publicar também “The Secret to Superhuman Strength”, o mais recente livro de memórias da quadrinista, que acaba de sair nos Estados Unidos. Mas esse fica para o ano que vem.

Capa da Fun Home

PARA GOSTAR DE LER O coletivo Mulheres Negras na Biblioteca inaugura na próxima quinta-feira uma plataforma online de trocas de livros de escritoras negras, com um acervo inicial de cerca de 200 obras que serão enviadas através dos Correios. Mais informações sobre o projeto estarão disponíveis a partir de
quinta no endereço mulheresnegrasnabiblioteca.com.br

MAPA DE VERSOS A plataforma Brava, criada por um grupo de três escritoras e uma artista visual do Recife, entrou no ar na semana passada com o objetivo de traçar um panorama das mulheres poetas das regiões Norte e Nordeste do país. O objetivo é dar visibilidade a uma produção frequentemente ignorada em favor de escritores homens do Sudeste. A chamada para envio de material está aberta pelo site mapabrava.com.br

homens de cartola conversam
Ilustração de Fernanda Azou para a edição da Antofágica de ‘Assassinatos da Rua Morgue’, de Edgar Allan Poe, que sai em julho com posfácios do Alberto Mussa e Ilana Casoy – Divulgação

​​TRISTE, LOUCA… A Instante traz em junho, pela primeira vez no país, o romance “Nascimento e Morte da Dona de Casa”, da italiana Paola Masino. A obra teve sua primeira versão censurada pelo fascismo, por trazer uma visão de feminilidade que ia de encontro à ideologia do governo.

…OU MÁ A autora chegou a reescrever o livro, mas um bombardeio dizimou toda a nova tiragem e, em 1945, Masino enfim publicou um livro mais próximo do original. Com humor e doses de surrealismo, a personagem da dona de casa de Masino desafia com insolência o papel maternal e doméstico reservado às mulheres da Itália fascista —e não só.

LEVIATÃ E a Arqueiro publica em julho uma edição de luxo em três volumes do épico “A Revolta de Atlas”, da russa Ayn Rand, uma escritora influente na ideologia liberal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.