Morre Chi Modu, autor de fotos icônicas de Tupac Shakur, Snoop Dogg e Notorious B.I.G

Lendário fotógrafo americano, responsável por retratos icônicos do hip-hop, morreu neste sábado, aos 54 anos

Chi Modu Foto: Custódio Coimbra

Responsável por fotos e capas icônicas de álbuns do hip-hop, o fotógrafo Chi Modu morreu neste sábado (22), aos 54 anos. A causa morte do artista ainda não foi divulgada.

Nascido na Nigéria, mas naturalizado americano, Chi Modu ficou conhecido nos anos 1990, década que se tornou o principal fotógrafos de rappers. Basta entrar nas redes sociais do artista para reconhecer muitas imagens feitas por ele – que incluem Tupac amarrando sua bandana envolto em fumaça ou Snoop com dois revólveres 38. Capas de álbuns importantes como do Mobb Deep (“The infamous”), Method Man (“Tical”),  Black Moon (“Enta da Stage”) e Snoop Dogg (“Neva left”), entre outras, são alguns de seus trabalhos.

— Fotografei todos esses rappers no início da fama e no auge da juventude, quando ainda eram caras tentando ganhar o mundo. Quando você conhece uma pessoa nesse ponto da vida, você vê quem ela é de verdade — contou Modu, em entrevista ao GLOBO, em 2017, quando relembrou o período em que comandou o departamento fotográfico da lendária revista “The Source”, a mais longeva dedicada à cultura hip-hop.

Nascido na Nigéria pouco antes da guerra civil, o artista mudou-se aos 3 anos com a família para os Estados Unidos, onde o pai fazia doutorado, para fugir do conflito. Cresceu entre a classe média branca de New Jersey, e trabalhou numa loja de equipamentos fotográficos enquanto estudava na prestigiosa Universidade Rutgers. De lá, passou a integrar a equipe da revista, onde registrou 34 capas. Para isso, diz não ter tido muitas referências (“artistas como eu não são muito celebrados”).

Segundo Modu, apesar de não ter crescido na periferia, como a maioria dos seus retratados, ele nunca deixou que a diferença de criação ou de classe social interferisse no seu trabalho.

— Crescemos de maneira diferente, mas somos semelhantes. Claro que não era muito fácil aparecer na casa de um cara desses numa vizinhança desconhecida e dizer “quero tirar fotos suas”. Mas fui ficando bom nessas coisas. Por causa disso, posso ir a lugares onde a maioria das pessoas não pode, e os artistas sempre respeitaram isso.

“Essa foto do Tupac foi tirada no meio desse ensaio, já estava na segunda câmera, uma 35mm, para fotografar em grande formato. A essa altura, ele já estava relaxando o suficiente perto de mim, e estava apenas sendo ele mesmo. Ele nem reparou quando o disparador fez barulho, ele não se importou, e continuou mexendo na bandana. Ele levava jeito, mas ninguém age naturalmente na frente da câmera. Isso é invenção. Todo mundo tem um ângulo bom e um ângulo ruim. Mas tem gente que não liga, então é mais fácil”. Foto: Chi Modu
“Snoop Dogg levava aqueles dois .38 para tudo que é lugar e queria ser fotografado com as armas. Outros fotógrafos teriam entrado em pânico e negado, mas eu sabia que aquilo era parte de quem ele era. Não era para aparecer. Então falei: ‘ok, então você vai descarregá-los e eu vou checar primeiro se está tudo certo’. Minha mãe hoje ri quando eu conto essa história justamente porque eu estou aqui para contá-la, mas a verdade é que eu nunca tive medo” Foto: Chi Modu
“Além da foto com os revólveres, gosto muito dessa do Snoop Dogg. Isso foi em Los Angeles. 187 é o código da polícia para assassinato, então procuramos por essa placa para fazer a foto. Não foi uma foto fácil de fazer, porque a Califórnia é muito ensolarada, e o sol provoca sombra. Tive que posicioná-lo de um jeito que a sombra ficasse na aba do boné, assim os olhos dele apareceriam. As pessoas veem as fotos, mas não os bastidores, o trabalho que dá”. Foto: Chi Modu
“A ideia era mostrar o Notorious B.I.G. como o rei de Nova York, e aquelas torres representaram a cidade por muitas décadas até caírem. E depois disso o próprio Biggie caiu (o rapper foi assassinado com quatro tiros em 1997). Houve um tempo em que o Empire State era o sinônimo de Nova York, mas para essa foto quis fazer uma versão mais moderna, com as torres. Considero uma sorte ter conseguido uma foto com os três”. Foto: Chi Modu / Chi Modu/diverseimages
“Aqui o Eazy-E está com seu Chevette 1963. Todo mundo acha que o carro é de 1964 por causa da letra de ‘Boyz-n-the-Hood’, do N.W.A., mas é de 1963 . Um ano antes de ele morrer, Eazy apareceu na sessão de fotos para uma capa da ‘The source’ com esse carro. Fizemos as fotos na frente da primeira casa que ele comprou quando começou a ganhar dinheiro, em Norwalk, Califórnia. Essa foto reverberou tanto que Biggie segura essa edição da ‘Source’ no clipe de ‘Juicy’”. Foto: Chi Modu
“Aqui temos o Nas com 18, 19 anos, na cama dele em Queensbridge, um conjunto habitacional de Nova York, antes do lançamento de “Illmatic”, seu primeiro disco. Sabíamos que ele iria estourar, então fui lá fazer fotos. É uma aventura aparecer num lugar desses, você não vai sem um local junto. Você precisa respeitar as regras. Foi interessante mostrá-lo no quarto em que ele cresceu, entre as coisas dele, e um buraco de bala na parede. Um dos álbuns mais importantes do hip-hop foi escrito naquele quarto. Isso ajuda o público a colocar as coisas em perspectiva”. Foto: Chi Modu
“Essa foi uma foto promocional para a Bad Boy Records, gravadora de Puff Daddy (no meio). Craig Mack (esq.) tinha acabado de lançar ‘Flava in ya ear’ e Biggie (dir.) estava a caminho do sucesso. A gente ia fotografar num McDonalds, mas acabou sendo num Burger King porque eles nos deixaram usar o espaço de graça. Gosto dessa foto porque o Biggie está sorrindo, ele não era muito retratado dessa maneira”. Foto: Chi Modu/diverseimages
“Essa foi da sessão de fotos do ‘Tical’, o primeiro álbum solo dele. Eu já conhecia o Wu-Tang Clan antes do “Protect ya neck” (primeiro single do grupo). E o Method Man já me dizia que quando fosse lançar um disco dele me chamaria para fotografar. Ele estava fumando maconha, porque isso era praticamente uma marca dele. Só que era 1994, e naquela época não era como hoje. Hoje as estrelas são muito cuidadosas com a imagem, pensam demais antes de fazer qualquer coisa, naquela época podíamos ser mais livres”. Foto: Chi Modu/diverseimages/Getty Ima

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.