Thom Browne Resort 2022

Thom Browne revela sua menswear Resort 2022 collection.

Julia Kontogruni | Bridal Collection 2022 | La Reina

Julia Kontogruni | Bridal Collection 2022 | La Reina

Ulises Merida | Fall Winter 2019/2020 | Full Show

Ulises Merida | Fall Winter 2019/2020 | Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video – Madrid Fashion Week)

11:11 anuncia chegada de Renata Antunes como nova sócia e diretora de criação

Creative shop liderada por Wilson Mateos e Marcelo Siqueira ganha o reforço de Renata Antunes na equipe

Renata Antunes

Após oficializar seu lançamento em março, depois de atuar por cerca de um ano em fase beta, a 11:11 passa a contar com um importante reforço em sua equipe. Para atender à crescente demanda por projetos, a creative shop anuncia a chegada de Renata Antunes ao time. Além de assumir o posto de diretora de criação, a profissional passa a ter participação societária na empresa.

“A chegada da Renata não só reforça nosso time de forma estratégica e nos dá mais corpo no desenvolvimento dos projetos, como também confirma nosso posicionamento de uma verdadeira creative shop, totalmente focada em atrair mentes criativas, que é o nosso diferencial para os clientes”, destaca Marcelo Siqueira, cofundador e CCO da 11:11, ao lado de Wilson Mateos.

Renata traz em seu currículo passagens por muitas das principais agências do Brasil, tendo atuado como diretora de arte em Taterka, Rapp, Fischer, Cheil, Suno United Creators e Y&R, entre outras. Sua última experiência foi como cliente, respondendo como diretora criativa na equipe de SumUp – empresa que, inclusive, aparece no portfólio da 11:11.

“Tive o prazer de trabalhar com a Renata em outros momentos, tanto na mesma agência quanto com ela do lado do cliente. Além de ser uma diretora de arte e de criação excepcional, ter experiência de negócios, especialmente no varejo, traz uma visão complementar importante para a nossa equipe – além de diminuir a quantidade de camisetas de certa marca de motocicletas nas reuniões”, brinca Mateos.

Cruella De Vil volta ao cinema, com protagonismo e uma deliciosa maldade

A colunista Ana Claudia Paixão comenta sobre o que esperar do filme desta vilã icônica

Filme estreia após um ano de atraso por conta da pandemia (Foto: Divulgação)/Disney

O nome dela em inglês diz tudo: Cruella de Vil. Cruella, obviamente, ressaltando sua frieza e crueldade, e o sobrenome afrancesado, “de Vil”, é devil, diabólica, em inglês. Cruella Diabólica, prazer.

O novo filme da Disney, comEmma StoneeEmma Thompsonestreia – finalmente – no dia 28 de maio, depois de um ano de atraso por causa da pandemia.

Não preciso de muito para embarcar em uma nostalgia e, por conta da novidade, me joguei no passado. Afinal, Cruella é uma das vilãs mais populares do universo Disney e cheia de curiosidades!

A personagem foi criada em 1956, pelo escritor Dodie Smith, no livro The Hundred One Dalmatians. Pra gerações mais velhas, inicialmente foi “Malvina Cruella”, um nome delicioso e maldoso como o original, depois, passou para “Cruella Cruel”, igualmente duplicando sua maldade de alma e, finalmente com Glenn Close, em 1996, assumiu o nome original em todos os idiomas traduzidos. Gosto de todas as versões.

Foi a voz rouca da atriz Betty Lou Gerson que transformou Cruella em um ícone, inclusive com sua risada assinatura, mantidas por Glenn Close e, claro, Emma Stone. Mas haverá mudanças importantes.

A “origem” de Cruella não foi explorada no livro ou no desenho. No papel, era uma mulher rica e inescrupulosa, casada com um comerciante de peles. No desenho, era amiga de escola da mocinha, Anita Dearly e desprezava o marido dela, Roger, um músico. Não é à toa que Roger escreve uma canção (sensacional, aliás) em homenagem a ela. Suas feições cadavéricas ressaltavam uma alma obscura com alterações de humor, radicais e rápidas, sinalizando um potencial de bipolaridade.

Já na versão assinada por John Hughes, em 1996, Cruella passou a ser uma designer de moda obcecada por peles de animais, dona da marca Casa dos de Vil. Anita passou a ser sua funcionária e melhor desenhista, com Roger virando um designer de videogames. A nova versão com Emma Stone é uma espécie de “prequel” do filme de Glenn Close (que está produzindo o longa) e volta à infância e juventude da estilista. Em outras palavras, uma versão original que tem a liberdade de completar a história da personagem com fatos desconhecidos até hoje.

Sobre o filme com Emma Stone, se você, como eu, viu os paralelos de Diabo Veste Prada nos trailers, não está delirando – a roteirista é a mesma. Ou seja, pode apostar que veremos lindíssimos modelos e maquiagens. De quebra, como a história se passa no final dos anos 1970, em Londres, teremos também o movimento punk no seu auge, assim como as sementes dos exageros da moda nos anos 1980. A trilha sonora, puxada por uma nova canção de Florence Welch, me dá sinal verde para deixar os julgamentos de lado, aproveitando cada gota da maldade de Cruella Devil. Em qualquer geração!

Apesar do impacto da COVID-19, Apple quer abrir mais lojas


Há mais de um ano o varejo mundial lida com as consequências (negativas) provocadas pela pandemia do novo Coronavírus (COVID-19) — no Brasil, o comércio perdeu 75,2 mil pontos de venda, de acordo com um estudo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgado pela CNN.

Apesar dos impactos da pandemia no varejo (não só no Brasil), a Apple anunciou que planeja continuar a expandir o número de lojas físicas que opera, de acordo com uma nova reportagem da Bloomberg.

Segundo a vice-presidente sênior de varejo e pessoas da Apple, Deirdre O’Brien, a companhia “segue com seus planos de expansão”.

Em nosso site, as pessoas podem aprender muito sobre nossos produtos. Em uma loja, eles podem tocá-los e sentir como são. Por conta disso, pretendemos abrir mais lojas.

A executiva não entrou em mais detalhes nem mesmo confirmou se os planos são de expansão mundial ou apenas dentro dos Estados Unidos. Onde quer que a Apple abra novas lojas, no entanto, isso indica um sinal de confiança no retorno do varejo — recentemente inclusive, a companhia abriu uma incrível flagship em Roma.

Globalmente, grandes empresas de varejo, como a rede de moda Topshop do Reino Unido, entraram em colapso — enquanto outras, incluindo a Microsoft, fecharam lojas permanentemente. Por outro lado, há apenas dez dias Google anunciou que abrirá sua primeira loja física em Nova York. [MacMagazine]

Décor do dia: área social tem estilo industrial e piso de madeira

O projeto foi assinado pela arquiteta Mona Singal, que contou com a colaboração do proprietário, o arquiteto Rafael Zalc
CAMILA SANTOS | FOTOS ROMULO FIALDINI

Décor do dia: área social integrada com estilo industrial e piso de madeira (Foto: Romulo Fialdin)
 (Foto: Romulo Fialdini)

Com o intuito de aproveitar da melhor forma os espaços deste apartamento de 50 m², a arquiteta Mona Singal desenhou ambientes integrados com diversas funções. Atuando em parceria com o proprietário do imóvel, o arquiteto Rafael Zalc, a profissional buscou a continuidade entre os espaços de maneira fluida.

Décor do dia: área social integrada com estilo industrial e piso de madeira (Foto: Romulo Fialdin)
Décor do dia: área social integrada com estilo industrial e piso de madeira (Foto: Romulo Fialdin)
A bancada da cozinha e a marcenaria fixa do apartamento foram desenhadas pelos arquitetos
Décor do dia: área social integrada com estilo industrial e piso de madeira (Foto: Romulo Fialdin)

Segundo Mona, durante quatro meses de planejamento, a definição a respeito da aplicação dos materiais permitiu a unidade de linguagem e a harmonia entre todas as partes do imóvel, com ênfase para a área social. A começar pelo concreto, que aparece nas paredes, oferecendo uma textura diferente do piso revestido com madeira de demolição e dos detalhes de metal preto.

Décor do dia: área social integrada com estilo industrial e piso de madeira (Foto: Romulo Fialdin)
Paredes e esquadrias foram eliminadas para que as tubulações hidráulicas ficassem aparentes
Décor do dia: área social integrada com estilo industrial e piso de madeira (Foto: Romulo Fialdin)
A varanda, com 30% do tamanho total do imóvel, foi incorporada à área interna


Para a arquiteta, o conceito de upcycling, que ressignifica alguns elementos, é muito marcante na morada e agrega valor à decoração. “É o caso do vergalhão de obra que foi utilizado na estante e ainda das tubulações de gás no lustre de jantar.  Com isso, o estilo industrial fica presente de forma aconchegante”, finaliza. Você gostou?

Zuzana Kubickova | Fall Winter 2019/2020 | Full Show

Zuzana Kubickova | Fall Winter 2019/2020 | Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video – Madrid Fashion Week)