Terapia online estoura no divã da pandemia e incrementa startups

Com saúde mental em alta há mais de um ano, empresas e plataformas como Zenklub, Vittude e Eurekka têm demanda crescente; avaliações psicológicas também viraram soluções na crise
Bianca Zanatta, Estadão

Zenklub
Os sócios-fundadores da Zenklub, Rui Brandão (à esq.) e José Simões.  Foto: Sillas Henrique/Zenklub

Com a pandemia do coronavírus avançando em seu segundo ano e o período de isolamento social esticando seus tentáculos a perder de vista, os brasileiros tiveram necessidade de encarar o divã de uma vez por todas. Segundo uma pesquisa da plataforma de saúde mental e desenvolvimento pessoal Zenklub realizada no primeiro trimestre de 2021, a quantidade de horas aproveitadas em sessões de terapia online no Brasil aumentou 1.856% em relação a 2019. Isso significa que, no último ano, os brasileiros passaram mais de 80 mil horas em sessões online com psicólogos.

Apesar de as mulheres ainda serem o público majoritário (69%), o novo cenário trouxe um universo novo de pessoas que nunca tinham entrado em um consultório, de acordo com o médico Rui Brandão, CEO da startup. 

“Todos sentiram um abalo emocional e a terapia deixou de ser tabu”, ele afirma. No caso dos homens, Brandão acredita que o anonimato do processo online ajudou. “Os clientes precisaram lidar com o relacionamento familiar, mas também passaram a ver o autoconhecimento como matemática, uma forma de construção da consciência psicológica para antecipar questões e prevenir algo pior”, explica.

Os resultados refletem a mudança de comportamento. Desde o início da pandemia, o faturamento da startup saltou 650% e o número de profissionais psicólogos que trabalham com a plataforma foi de 461, em maio de 2020, para mais de 5 mil. O Zenklub tem hoje 150 mil usuários finais e atende 300 empresas. O mundo corporativo, aliás, foi um dos grandes responsáveis pela guinada. 

“Em 2019, sabendo que a depressão vai ser a doença mais incapacitante, as empresas já estavam se abrindo um pouco mais para a importância dos cuidados com saúde mental, mas ainda era tabu”, observa Brandão. “Agora nos tornamos a pílula dourada para as organizações porque abraçar a saúde mental foi uma forma de acolher e dar segurança aos colaboradores. É um espaço muito maior do que só tratar a doença. É uma ferramenta de gestão que ajuda nas questões de desenvolvimento socioemocional dos liderados.”

Com forte atuação em psicoterapia e medicina, a startup de saúde e bem-estar Eurekka também expandiu o negócio na pandemia, criando um modelo de franquia e tornando-se um hub de startups para ajudar profissionais da área a ganhar mercado. A empresa oferece atendimento e ajuda emocional por meio da inteligência artificial e serviços como o Eurekka MED, com especialidades como clínica geral, nutrição e personal trainer.

Com sede em Porto Alegre, a startup possui hoje 40 franqueados distribuídos no País e faz mais de 2 mil atendimentos mensais. A alta na demanda gerou um faturamento de R$ 4,5 milhões em 2020 e a meta para 2021 é de R$ 20 milhões.

Outra que decolou na pandemia é a Vittude, fundada por Tatiana Pimenta, que completou 5 anos de vida em maio. A healthtech, que oferece soluções de saúde mental para usuários individuais e para o mundo corporativo, viu a receita crescer 540% só em 2020 e pretende quadruplicar o resultado em 2021. 

Um dos pulos do gato para chegar ao novo patamar foi o desenvolvimento da Vittude Match, ferramenta de inteligência artificial que auxilia na escolha do psicólogo mais indicado para cada demanda. 

Tatiana Pimenta, Vittude
Tatiana Pimenta, fundadora da Vittude. Foto: Divulgação

Em maio de 2020, a startup tinha aproximadamente 12 clientes corporativos. Hoje são mais de 130, entre gigantes como Grupo Boticário, SAP, Sky, Saint-Gobain, Alelo e Olist, totalizando 450 mil vidas cobertas. Soma-se a isso o acesso mensal dos mais de 3 milhões de usuários únicos, atendidos por 850 psicólogos que trabalham ativamente com a Vittude (na lista de espera, há mais de 14 mil cadastrados).

Avaliação de riscos

Inserida no nicho de mensuração e previsão de riscos psicossociais por meio de tecnologia, a Bee Touch cresceu 70% entre março de 2020 e março de 2021 com soluções como a plataforma Avax Psi, que faz avaliações psicológicas digitais a partir da ciência de dados.

Hoje, a healthtech cobre mais de 300 mil vidas, alcançadas por meio de parcerias com instituições de Mato Grosso do Sul e São Paulo, como a OAB/MS e a Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo (CAASP), da OAB paulista. 

No segundo caso, já foram realizadas mais de 2 mil consultas online desde o início da pandemia. A plataforma CAASPisco, desenvolvida pela Bee Touch, bateu 21 mil acessos. Ainda neste semestre, há a expectativa de um aumento de pelo menos 50% na cobertura de vidas, com a entrada de novas empresas no portfólio, e a previsão é de que o faturamento triplique até o final do ano.

Cinquentona repaginada 

Empresa cinquentenária com foco em pesquisa, desenvolvimento e geração de conhecimento para a área psicológica, a Vetor Editora migrou para o digital um mês antes do começo da pandemia, percebendo que as necessidades dos clientes estavam cada vez mais ligadas à agilidade nas avaliações psicológicas. 

De acordo com o CEO Ricardo Mattos, a nova plataforma, batizada de Vol (Vetor Online), trouxe funcionalidades para facilitar o uso no dia a dia. “Antes o psicólogo enviava o link para o avaliado, mas não conseguia acompanhar o teste de fato. Agora ele se conecta com o avaliado pela plataforma e não só vê a pessoa pela câmera como vê como ela está realizando o teste”, explica.

A empresa também apostou com força na área educacional, com o desenvolvimento do Idem (Itinerário do Ensino Médio) – avaliação aprofundada que vai apontar as questões socioemocionais do aluno e identificar suas aptidões para escolher o caminho a seguir no ensino médio -, aulas online ao vivo e cursos de EAD de psicologia forense e Entrevista Diagnóstica para Transtornos da Personalidade (E-TRAP), entre outros.

Outro braço que impulsionou o crescimento é o organizacional. “Hoje 80% dos usuários da Vol vêm do mercado de RH, de empresas que estão usando nossos instrumentos para fazer contratações”, comemora o executivo. 

Ele fala que os testes da Vetor possuem validação científica e por isso possibilitam fazer contratações mais assertivas, reduzindo o turnover nas empresas. “Fomos de 300 aplicações diárias no começo da pandemia para 3 mil agora”, fala Mattos. “A plataforma já passou de 1 milhão de aplicações na base.” 

Para Mattos, a grande sacada, além da digitalização, foi voltar ao nicho da terceirização de serviços que o fundador da empresa, Glauco Bardella, fazia muito no passado – e que hoje passou a ser uma forte demanda do mercado.

Tami Williams and Lineisy Montero – Vogue US June 2016 By Jamie Hawkesworth

Get Up Stand Up – Jamaica serves as the backdrop with beauties; Tami Williams and Lineisy Montero pose for the June issue of Vogue US, with local girls and wearing day dresses as photographer Jamie Hawkesworth capture the pair in the likes of Balenciaga, Louis Vuitton, Saint Laurent & Michael Kors, styled together by by Grace CoddingtonHair by Jimmy Paul, Make-Up by Dick Page.

www.vogue.com

Wild Rose – Vogue UK July 2021 –  Xue Huizi & Dohyun Kim By Nadine Ijewere

Wild Rose   —   Vogue UK July 2021   —   www.vogue.co.uk

Photography: Nadine Ijewere Model: Xue Huizi & Dohyun Kim Styling: Julia Sarr-Jamois Hair: Shiori Takahashi Make-Up: Niamh Quinn Manicure: Ama Quashie Set Design: Ibbby Njoya

Banana Moon | Spring Summer 2021 | Full Show

Banana Moon | Spring Summer 2021 | Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – DC Swim Week)

Martin Felix Kaczmarski – Prism Light/Chilli Trippin

Evita Santuario | Spring Summer 2021 | Full Show

Evita Santuario | Spring Summer 2021 | Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – DC Swim Week)

Martin Felix Kaczmarski – Temporal Flame/Spinning Round

Em dia de vacinação, Ed Motta raspa a barba pela primeira vez em 30 anos: ‘Para melhor vedação da máscara’

Cantor foi imunizado neste sábado

Ed Motta sem barba Foto: Instagram

O sábado foi de vacinação para o músico Ed Motta, que aproveitou o ensejo para fazer algo inédito em 30 anos: raspar a barba. Em postagem no Instagram, ele explicou o motivo que o levou a tirar os pelos do rosto e também a cortar o cabelo: prudência.

“Doeu? Doeu não rapaz, é mais o medo. Tive a benção da 1a dose da vacina hoje, fui vestido para um vôo à Saturno. Raspei barba e cabelo para melhor vedação da máscara que, exagerado como sempre fui, usei 3 N95 da 3M, e uma azul imitando a N95 para fechar o sanduíche de 4 máscaras. E também um face shield a la Perdidos No Espaço e um óculos de moto. Não raspo minha barba há 30 anos, tá esquisito, mas foi por prudência. Longa vida ao SUS (soa um acorde Sus-4 na minha cabeça) Longa vida à saúde pública Brasileira!”, escreveu  ele.

“Now and Then”: série bilíngue do Apple TV+ ganha novidades no elenco

Jorge Lopez, Alicia Jaziz and Dario Yazbek Bernal

Já falamos aqui sobre “Now and Then”, vindoura série de mistério em inglês e espanhol do Apple TV+ que terá Rosie Perez (“Aves de Rapina”), Marina de Tavira (“Roma”), Maribel Verdú (“E Sua Mãe Também”) e grande elenco. Pois hoje, mais atores foram adicionados à lista de estrelas da produção.

De acordo com o Deadline, a série adicionou à sua ficha os talentos de Jorge Lopez (“Elite”), Alicia Jaziz (“Abandonado no Altar”), Dario Yazbek Bernal (“A Casa das Flores”), Alicia Sanz (“El Cid”), Jack Duarte (“Rebelde”) e Miranda de la Serna (“Amor Urgente”).

O elenco gigantesco é explicado pela história da série, que se passa em dois períodos: no primeiro, um grupo de amigos de faculdade têm suas vidas mudadas para sempre quando um deles morre após um fim de semana de festa. No segundo, o grupo é reunido 20 anos depois devido a uma ameaça que pode colocar as trajetórias de todos em risco.

Lopez fará Alejandro, um jovem dedicado e atlético com futuro brilhante que representa a “cola” do grupo. Jaziz será a versão jovem de Ana (Tavira), enquanto Yazbek Bernal fará a versão jovem de Pedro (José Maria Yazpik). Sanz será a jovem Sofia (Verdú), enquanto Duarte interpretará o jovem Marcos (Manolo Cardona). De la Serna, por sua vez, será a jovem Daniela (Soledad Villamil).

“Now and Then”, como já destacamos, será dos criadores Ramón CamposTeresa Fernández Valdez e Gema R. Neira, grupo por trás de séries de sucesso como “As Telefonistas”. Gideon Raff (“Homeland”) será produtor executivo e dirigirá os dois primeiros episódios.

Ainda não há informações sobre filmagens ou data de estreia, mas ficaremos de olho, como de costume. Parece interessante! [MacMagazine]

Quebrando o teto de vidro das oficinas mecânicas

As mulheres são minorias na indústria automotiva, mas uma pioneira, que morreu em 2019, continua inspirando outras a perseguirem os seus sonhos e a se incentivarem
Mercedes Lilienthal, The New York Times – Life/Style, O Estado de S.Paulo

Jessi Combs (dir.) dando instrução especializada durante uma oficina de solda no programa Real Deal Revolution. Foto: Sam Bendall via The New York Times

Uma das missões de Jessi Combs em vida era ajudar as mulheres a perseguirem os seus sonhos na indústria automotiva. Talentosa soldadora, construtora, corredora off-road e personalidade da TV, Jessi também sonhava com a velocidade. A velocidade de verdade.

Há quase dois anos ela estabeleceu o recorde de velocidade para mulheres em terra, 841.337 km/h, em um leito de lago seco no Oregon. Mas o seu carro a jato bateu durante a façanha, matando-a. Ela tinha 39 anos.

Jessi  foi uma “deusa pioneira”, segundo Sana Anderson, que lutou contra os estereótipos e os céticos a vida toda para perseguir o seu sonho, trabalhar como técnica de diesel em caminhões pesados e trailers.

Jessi era uma heroína para Sana e para inúmeras outras mulheres.

“Ela se encaixava de maneira tão natural nos negócios – como deveria ser”, acrescentou Sana, 27, que mora em Beach Park, Illinois, ao norte de Chicago. “Ela experimentou muitas coisas diferentes, tinha várias habilidades. Não é isso que queremos na nossa juventude?”

Heather Holler só tinha olhos para o futebol semiprofissional, sonho interrompido por uma cirurgia. Quando competiu em um evento de autocross pela primeira vez, em 2009, todo um novo mundo se abriu para ela. Ela superou o próprio namorado da época, e “vendi meu SUV duas semanas depois e comprei o meu carro”.

Heather Holler, nativa de Nevada, atualmente residindo na Alemanha, acrescentou: “Mas como não sabia nada a respeito de carros, comprei um com o motor estourado”. Para aprender a consertá-lo, frequentou o Instituto Técnico Universal em Sacramento, Califórnia. Ela via Jessi Combs no programa de TV Xtreme 4X4 todas as manhãs, antes de trabalhar.

“Aprendi, em primeiro lugar, quem era Jessi quando comecei a trabalhar com automóveis”, contou.

Depois de formar-se, em 2012,  Heather tornou-se uma mecânica em tempo integral para a Subar Motorsports USA. Entre os eventos, ajudou a construir um carro de rally para Bucky Lasek, um dos maiores competidores. Ela também era mecânica de destaque da DirtFish Rally School e em 2021 tornou-se mecânica da equipe de testes da Hyundai Motorsport GmbH World Rally Championship na Alemanha.

Eliza Leon, concierge especialista no Leilão de Carros de Manheim, em El Paso, Texas, vem de uma longa linha de trsbalhadores da área. Seu pai era mecânico de diesel para equipamentos pesados e de máquinas de terraplenagem. Seu avô materno e tios também eram mecânicos de diesel entusiastas de veículos com tração nas 4 rodas. Eliza cresceu no Texas “ajudando o avô e os tios com seus caminhões off-road de grande porte e semi-reboques”, contou.

Jessi “era tudo o que eu queria ser ao crescer”, disse Eliza. “Era inteligente, experiente, instruída no campo automotivo, uma construtora talentosa, trabalhadora incansável e atraente”.

Em 2002, Eliza tinha 17 anos quando concluiu os cursos de tecnologia de automóveis no secundário. Sua melhor amiga falou para ela a respeito de Jessi, que estreara no Xtreme 4X4 em 2001.

Pouco mais de dez anos depois, em 2014, Eliza conheceu sua mentora na televisão, no Programa da Specialty Equipment Market Association, em Las Vegas, mais conhecida como SEMA.

“Ela era tudo o que eu esperava que seria: graciosa, amável, carinhosa e autenticamente interessada no que eu tinha a dizer”, contou.

Elas entraram em contato cinco anos mais tarde via Instagram e pelo telefone. “Sua ética de trabalho, seu entusiamo, o seu amor pelos negócios não tinham iguais”, disse Eliza. “Ela mudou a indústria para melhor, e, mais do que isso, inspirou muitas outras a continuar o seu trabalho. Este é um testemunho vivo do que ela defendia”.

Durante os seus 14 anos de carreira, Eliza foi técnica, redatora de serviços de compras, avaliadora de danos automotivos, construtora de automóveis off-road, produtora e personalidade de TV, em Xtreme Off-Road.

“Quanto mais você trabalha em veículos, mais você aprende”, afirmava. “A tecnologia evolui continuamente, é uma sala de aulas sem fim”.

E assim o legado dos Combs continua vivo, em mulheres como Eliza, Heather e Sana e em organizações como a Real Deal Revolution e a Fundação Jessi Combs.

NYT - Life/Style (não usar em outras publicações).
Heather Holler ajudou a construir um carro de rali para um piloto.  Foto: Subaru Motorsports USA via The New York Times

Além da árvore genealógica automotiva da família Combs, há uma variedade de programas, grupos comerciais e páginas de redes sociais que apoiam mulheres que seguem suas carreiras no setor automotivo, desde a solda, até o trabalho com a chave inglesa, a fabricação e a pintura.

Sana, americana de primeira geração, filha de mãe polonesa e pai paquistanês, se dedica a inspirar outras mulheres. Ela logo oferece assessoria sobre os “altos e baixos” com que uma mulher se defronta na indústria. “Todos os momentos de dificuldades valem e valerão o esforço”, ela disse.

Embora tenha frequentado a escola, ela diz que a experiência direta é o melhor professor. “O meu maior aprendizado foi no tempo em que fiquei na oficina”.

Todas as mulheres falaram que é necessário ter uma casca grossa e conseguir adaptar-se a situações difíceis, que infelizmente não são raras, como aliás em qualquer outro local de trabalho.

Segundo uma pesquisa da Deloitte e a Automotive News, as mulheres constituem apenas 25% da mão de obra da indústria automotiva. Esse campo também é essencialmente branco, segundo estatísticas federais. Na área de reparos e manutenção automotiva, a participação das mulheres em 1 milhão aproximadamente de trabalhadores, nem mesmo chega a 10%.

Eliza descobriu que se ela se armasse de um curso e de mais credenciais, ela poderia se impor. As brincadeiras parariam quando ela perguntasse aos infratores se falariam coisas discriminadoras aos seus colegas homens ou se tolerariam abusos com suas filhas, mães e esposas. Preservando-se cuidadosamente em situações difíceis, confiando no seu trabalho e “procurando a oficina que desestimulará os praticantes de bullying,” ela disse, dará às mulheres confiança em suas carreiras.

Para Sana, “o maior desafio vem de você mesma”, afirmou. “Houve tantas oportunidades que deixei passar quando era mais jovem porque não tive o suporte devido”. Cada erro que ela cometia era exagerado pelo fato dela ser mulher. “Não quero desestimular ninguém – principalmente as moças”.

A ajuda informal que as mulheres oferecem entre si é inspiradora, mas há também bolsas de estudos nesse campo. A Jessi Combs Foundation concedeu recentemente um total de US$ 30 mil a sete mulheres, entre elas Sana e Heather.

Todos os anos, a SEMA Businesswoman’s Network concede uma bolsa da Jessi Combs Rising Star a uma jovem com menos de 30 anos. O grupo também hospeda seminários on-line que se destinam a todos os níveis de mulheres na indústria, e disponibiliza recursos por meio da sua rede social e do seu site.

Eventos e oficinas para mulheres na indústria são realizados durante o ano todo. A Real Deal Revolution ensina a mulheres e moças ofícios próprios da indústria automotiva, como solda e desenho automotivo. Fundada por Jessi Combs e Theresa Contreras (presidente, designer e pintora de desenhos personalizados da LGE-CTS Motorsports), esta organização sem fins lucrativos  proporciona treinamento para ajudar as mulheres a ganharem confiança.

As mulheres deste setor costumam ser generosas com os conselhos. Sarah Lateiner do programa All Girls Garage da Motor Trend atua nas redes sociais. No Instagram, sua página Bogi’s Garage hospeda semanalmente ‘happy hours’ com entrevistas de mulheres de toda a indústria.

As mulheres inspiradas por Jessi Combs não gostariam de nenhuma outra carreira, mas elas têm consciência dos obstáculos que as mulheres enfrentam. “O conhecimento é a sua base, as credenciais são sua armadura e a sua força”, disse Eliza. “ É o que as conduz através da luta, e vale muito a pena”.

Heather deu este aviso: “Às vezes, você ficará apavorada. Às vezes, ficará sem graça. Desconfortável. Vá aprender. Não tenha medo de dizer a alguém que você não sabe algo. Aceite o fato de que você é humana. Aprenda com os seus próprios erros. Ah, e se tiver de pedir emprestada uma ferramenta mais de duas vezes, trate de comprar uma”. / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA