ARTHUR AVELLANO Spring/Summer 2022

Para Spring/Summer 2022, AVELLANO apresenta sua nova coleção sobre o tema ficção científica. Explorando o gênero pós-apocalíptico e as influências cyberpunk de Matrix a Terminator, bem como A Clockwork Orange e Blade Runner, com uma gama de cores que lembra a ultra-violência desses mundos.

Para esta nova coleção, a marca consolida sua expertise em látex com suas técnicas de tingimento e trabalhos artesanais diferenciados, como um novo processo de tie-dye feito à mão na oficina de Avellano.

Esta coleção é também a ocasião para a AVELLANO desvendar seus primeiros acessórios, tênis, botas e bolsas feitas com um novo material: couro de cacto, vegano e eco-responsável, um tema essencial para a marca.

SOUL BASICO | SPFW N51

A proposta da @soulbasico -marca de Zeh Henrique Domingues, com estilo assinado pelo estilista Wilson Ranieri-, é fazer peças com design atemporal e afetivo, coerentes com o vestir dos novos tempos.

Isso significa quebrar narrativas e paradigmas da moda que não servem mais, como a tendência, a urgência do novo, a sobreposição do ter ao ser. É essa a mensagem da coleção Re-Verso, que a dupla apresenta no #SPFWN51.

Para traduzir esses anseios, e acessar lugares que existem da pele para dentro, convidaram o professor de meditação @prof.thi.arruda, treinador de atletas e empresários de alta performance.

Relaxe, respire, e aperte o play!

Renata Buzzo | SPFW N51

A coleção de Renata Buzzo (@renatabuzzo___.___) se inspira em um poema autoral, chamado “Júpiter e Saturno”, escrito no dia da conjunção astronômica desses dois planetas, em dezembro de 2020. O fenômeno raro só acontecerá novamente em 2080 pois as órbitas dos astros acontecem em tempos distintos. Assim, como eles, os dois personagens do poema vivem se desencontrando. Para descrever essas diferenças, a marca usa como analogia os quatro elementos da natureza: ar, água, terra e fogo. E cores que transitam entre marrom, alaranjado, ocre, rosa, e azul pálido. Confira a coleção no fashion film!

KidSuper Spring/Summer 2022

KidSuper presented its Spring/Summer 2022 collection, titled “What do you want to do before you die?“, during Paris Fashion Week.

Tzuyu, do TWICE, faz cover de “ME!”, de Taylor Swift

Bang Chan, do Stray Kids, participa do novo cover da cantora de k-pop
CAIO COLETTI

Tzuyu, integrante do grupo de k-pop TWICE, solta a voz em um novo cover de “ME!”, single lançado originalmente por Taylor Swift -veja acima. A cantora até recebe a ajuda de Bang Chan, membro do Stray Kids, que canta as partes que são de Brendon Urie na original.

Bang Chan não aparece no vídeo, em que vemos Tzuyu em um cenário evocativo de um parque de diversões, com carrosséis e balões de festa. O cover faz parte do Melody Project, que busca mostrar os talentos individuais das cantoras do TWICE.

O grupo, que está na ativa desde 2015, anda ocupado ultimamente. Em 11 de junho, elas lançaram o 10º mini-álbum da carreira, Taste of Love, que se provou um sucesso no verão sul-coreano – e, em julho, elas vão fazer o seu retorno ao mercado japonês com o disco Perfect World.

Já em setembro deve sair o primeiro single completamente em inglês do TWICE, visando conquistar o mercado norte-americano.

O que Britney Spears enfrentou não teria acontecido a um homem

Artistas masculinos costumam ser presumidos como competentes e capazes, não importando seu passado; já as mulheres têm que provar várias vezes sua competência e sanidade
Helaine Olen , Washington Post

Britney Spears
Britney Spears em foto de 2019; cantora depôs a tribunal sobre sua tutela Foto: Jordan Strauss/Invision/AP

Sejamos claros: o que aconteceu a Britney Spears jamais teria acontecido com uma versão masculina de Britney Spears.

Em 24 minutos de um devastador testemunho perante a corte nesta semana, Spears descreveu em detalhes gráficos uma rígida existência, resultado de uma tutela à qual foi submetida desde 2008, após seu infame colapso. A tutela, conduzida por seu pai – e à qual Spears tem procurado colocar um fim por anos, de acordo com reportagem do New York Times – tem controlado quase todos os aspectos de sua vida desde então – uma vida em que ela, ao menos em alguns momentos, não pode carregar seu próprio cartão de crédito, telefone ou passaporte sem permissão, mesmo se ela for forçada a se apresentar em casas de show lucrativas em Las Vegas, às vezes contra a sua vontade.

Na corte, Britney descreveu uma vida sem privacidade. Ela foi informada de que não poderia tirar férias em Maui a não ser que concordasse em ver um terapeuta pessoalmente duas vezes por semana. Ela não poderia dirigir o carro do namorado sem permissão. Em um momento particularmente arrepiante, ela informou ao juiz que gostaria de casar e ter outro filho – ela já tem dois – mas a tutela não concordou em deixá-la remover seu DIU [dispositivo contraceptivo]. 

Isso não é mero paternalismo. É violação de direitos humanos. E totalmente assustador.

Agora pense nos incontáveis artistas homens que embarcaram em aparições públicas enlouquecidas, vício em drogas ou comportamento emocionalmente perturbado. Em poucos segundos, posso citar Michael JacksonKanye West e Robert Downey Jr., que uma vez foi levado pela polícia após entrar na casa de um vizinho pelado e dormir na cama de uma criança. Quando ligaram para o 911 [número da polícia nos Estados Unidos], você podia ouví-lo roncando ao fundo.

Há então o pai de Britney, Jamie – um homem tão raivosamente inapropriado que o ex-marido de Spears pediu e recebeu uma ordem de restrição para mantê-lo longe de seus dois filhos. 

A teoria da gestão mostrou que homens costumam ser presumidos como competentes e capazes, não importando seu passado. Nós, mulheres, por outro lado, temos que provar várias e várias vezes: nossa competência, nossa perspicácia financeira, nossa sanidade. E tutelas e comprometimentos involuntários foram usados ao longo da história para controlar homens e tomar o controle de suas finanças.

Spears – razoavelmente – gostaria de encerrar aquilo que ela considera um controle inadequado de sua vida e dinheiro. Até agora, sem sorte. “São 13 anos”, ela contou à corte. “Não faz sentido algum para o Estado da Califórnia literalmente me vigiar… Dar sustento a tantas pessoas, e pagar tantas pessoas… E ser contado de que não sou boa o bastante”.

Nós não temos como saber se tudo que Britney Spears contou à corte é preciso. Mas há várias evidências que sugerem que ela não está exagerando. Spears paga as contas e despesas legais de seu pai. Seu pai ganha uma taxa administrativa em acordos que comissiona por ela. Seus advogados recentemente cobraram-na em US$ 890 mil por quatro meses de trabalho. 

O advogado de Britney, a quem ela não escolheu, ganhou mais que US$ 3 milhões desde que começou a representá-la em 2008. Ela diz que ele nunca informou-a de que ela tinha o direito de contestar a situação legal. Nós só temos a sua palavra quanto a isso, mas é válido citar que o Times notificou o advogado de Spears por reportar Britney aos advogados de seu pai por – espere por isso – falar um palavrão em frente aos seus filhos. (Se isso realmente fosse um padrão parental, eu teria perdido o direito de ficar com meus filhos sem supervisão meses após seus nascimentos). 

Britney, enquanto isso, recebe uma mesada de US$ 2 mil por semana, mesmo que seu patrimônio tenha atingido US$ 60 milhões, e ela tenha lançado múltiplos álbuns entre os mais vendidos e se apresentado centenas, se não milhares de vezes. 

Nós não sabemos os verdadeiros detalhes da saúde mental de Britney Spears. Mas parece altamente improvável que o controle exercido pela tutela seja necessário ou certo.

Geralmente, o meio das celebridades ou Hollywood providencia o atendimento de todos os desejos de uma estrela, não importa o quão estranhos. No caso de Spears, ocorre o oposto. Essa suposta mulher louca no sótão está bancando um elenco de milhares enquanto eles lucram mantendo sua benfeitora prisioneira. É material para um filme de terror.

É fácil para muitos repudiar os obssessivos fãs por trás do movimento #FreeBritney. Em uma era de aceitação semi-massiva de teorias da conspiração, essa se parecia com qualquer outra – o conto gótico de uma cantora presa por uma tutela legal feita ostensivamente para protegê-la. Agora, ao que parece, a história é pior do que qualquer um imaginava.

Spears tem 39 anos de idade. Ela passou a maior parte de sua vida adulta cativa a esse acordo. “Eu mereço ter uma vida”, ela disse à corte. Sem dúvida ela merece – mesmo que isso implique com que ela se relacione com homens inapropriados ou desperdice a sua fortuna. É a vida dela, e isso deveria ser sua escolha.

Estou com os fãs. Já passou do tempo de termos #FreeBritney (Britney livre).

Martha Argerich en concert privé – private concert [SSTEN, SSTFR, SSTDE] – ARTE Concert

[FR] Et si la musique de chambre retrouvait ses salons ? D’abord réservé à la sphère privée, elle a fini par perdre un peu de son essence, à force d’être jouée dans des salles de plus en plus grandes. Ce programme se propose de renouer avec l’esprit de ses origines en s’invitant chez les plus talentueux musiciens contemporains pour des concerts exclusifs. Ici, la pianiste Martha Argerich reçoit dans sa maison à Genève, entourée de ses proches. Pour l’occasion, sa fille, la journaliste Annie Dutoit − dont le père n’est autre que le chef d’orchestre Charles Dutoit − joue les maîtresses de cérémonie. Sur un mode intime, elle interviewe sa mère, connue pour ses réticences à se livrer et dont le contribue précisément à la légende. Pour ce concert inédit, Martha Argerich a choisi de se produire avec son ami et partenaire de musique de chambre, le violoncelliste Mischa Maisky, au fil d’un répertoire axé sur le romantisme. Au programme : les Variations sur “La flûte enchantée ” de Beethoven, la Fantasiestücke opus 73 de Schumann et Introduction et Polonaise brillante opus 3 de Chopin. Entre complicité tangible entre les deux virtuoses et confidences sur leur art, une douce leçon de musique.

[DE] Kammermusik im eigenen Zuhause – das ist das Konzept der Reihe « Privatkonzerte ». Bedeutende Interpreten der Gegenwart machen Hausmusik, zusammen mit befreundeten Musikern ihrer Wahl. Durch das Programm führt „Zeremonienmeisterin“ Annie Dutoit, die Tochter der Pianistin Martha Argerich und des Dirigenten Charles Dutoit. In der heutigen Folge der Reihe befragt Annie nun ihre eigene Mutter, die renommierte Pianistin Martha Argerich. Ein Glücksfall, denn normalerweise gestattet Martha Argerich kaum Einblicke in ihr Privatleben.
Martha Argerich musiziert zusammen mit ihrem guten Freund, dem Cellisten Mischa Maisky, der auch sonst öfters ihr Kammermusikpartner ist. Für das Hauskonzert bei Martha Argerich haben die beiden den Schwerpunkt auf Stücke der Romantik gelegt.
Das Hauskonzert wurde im novembre 2020 à Genf aufgezeichnet. Zwischen den musikalischen Passagen erzählt Martha Argerich ihrer Tochter von ihrem ersten Klavierlehrer, ihrer Anfangszeit in Genf, von ihrer langen Freundschaft mit Mischa Maisky und von ihrer besonderen Sicht auf das Leben.

E se a música de câmara encontrasse suas salas de estar? Reservado inicialmente para a esfera privada, acabou perdendo um pouco de sua essência, ao ser tocado em espaços cada vez mais amplos. Este programa tem como objetivo se reconectar com o espírito de suas origens, convidando-se aos mais talentosos músicos contemporâneos para concertos exclusivos. Aqui, a pianista Martha Argerich recebe em sua casa em Genebra, rodeada de parentes. Para a ocasião, sua filha, a jornalista Annie Dutoit – cujo pai não é outro senão o maestro Charles Dutoit – interpreta as amantes da cerimônia. Em uma base íntima, ela entrevista sua mãe, conhecida por sua relutância em se dar ao luxo e com quem ele contribui justamente para a lenda. Para este concerto inédito, Martha Argerich optou por se apresentar com a amiga e parceira de música de câmara, a violoncelista Mischa Maisky, através de um repertório voltado para o romantismo. No programa: Variações sobre “A Flauta Mágica” de Beethoven, Fantasiestücke opus 73 de Schumann e Introduction et Polonaise brillante opus 3 de Chopin. Entre a cumplicidade tangível dos dois virtuoses e as confidências sobre a sua arte, uma doce lição de música.

Música de câmara na sua casa – esse é o conceito da série «Concertos Privados». Importantes intérpretes contemporâneos tocam, juntamente com músicos amigos de sua escolha. A “Mestre de Cerimônias” Annie Dutoit, filha da pianista Martha Argerich e do maestro Charles Dutoit, conduzirá o programa. No episódio de hoje da série, Annie agora entrevista sua própria mãe, a renomada pianista Martha Argerich. Um golpe de sorte, porque normalmente Martha Argerich dificilmente permite qualquer insight sobre sua vida privada.
Martha Argerich faz música junto com seu bom amigo, o violoncelista Mischa Maisky, que também é frequentemente seu parceiro de música de câmara. Para o show da casa com Martha Argerich, as duas deram ênfase a peças da era romântica.
O show da casa foi gravado em novembro de 2020 em Genebra. Entre as passagens musicais, Martha Argerich conta à filha sobre seu primeiro professor de piano, seus primeiros dias em Genebra, sua longa amizade com Mischa Maisky e sua visão especial da vida.

Auf dem Programm :

  • Ludwig van Beethoven, Sieben Variationen über „Die Zauberflöte“
  • Robert Schumann, Fantasiestücke op. 73
  • Frédéric Chopin, Introduction et Polonaise brillante op. 3
  • Frédéric Chopin, Sonate op. 65 – Largo
  • Johannes Brahms, Lerchengesang op. 70 n° 2 – Andante expressif

ARTE Concert vous propose le meilleur de la scène européenne sur tous vos écrans : arteconcert.com

Morre Artur Xexéo, jornalista e escritor carioca, aos 69 anos

Causa da morte foi um linfoma, segundo o jornal O Globo
CAIO COLETTI

O querido escritor e jornalista Artur Xexéo | Fernando Lemos

O escritor, jornalista e tradutor Artur Xexéo, conhecido por sua coluna no jornal O Globo e por livros como Hebe: A Biografia O Torcedor Acidental, morreu aos 69 anos de idade.

A notícia foi confirmada pelo próprio O Globo. De acordo com o jornal, Xexéo lutava contra um linfoma, nome dado a uma forma de câncer localizada no sistema linfático.

Como escritor, o carioca Xexéo lançou biografias da dramaturga Janete Clair (A Usineira de Sonhos, de 1996) e da apresentadora Hebe Camargo (em 2017); o colaborativo Liberdade de Expressão (2003), ao lado de Carlos Heitor Cony e Heródoto Barbeiro; e a coleção de crônicas O Torcedor Acidental (2010).

Além da coluna em O Globo, o jornalista também aparecia atualmente como comentarista na rádio CBN e no programa Estúdio i, da GloboNews. Durante mais de 45 anos de carreira jornalística, Xexéo ainda passou por Jornal do BrasilVeja São Paulo Isto É.

Xexéo deixa o marido Paulo Severo, seu companheiro de mais de 30 anos.

Amber Valletta in Vogue Italia February 2013 By Peter Lindbergh

Em imagens em preto e branco, Peter Lindbergh fotografa a supermodelo e atriz americana Amber Valletta na praia em uma sessão de bastidores, usando trajes pretos styled by Jacob K by the like of McQueen, Max Mara, Givenchy and others in the february issue for Italian VogueHair by David Babaii, Make-Up by Pati Dubroff.
www.vogue.it | www.peterlindbergh.com