Maria Cândida posa nua aos 50 anos: “Meu mulherão pra fora!”

Repórter do ‘Bem Estar’ postou cliques de ensaio e falou sobre empoderamento e autoaceitação na maturidade

Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)

A repórter Maria Cândida, de 50 anos de idade, estrelou um ensaio arrasador em que aparece nua, com o tema Nua com Propósito aos 50 anos. Em seu Instagram, nesta segunda-feira (28), ela postou uma série de cliques, feitos pelas lentes de Paola Guzman.

“#FalaNaCaraDaMaria apresenta as fotos do ensaio Nua com Propósito aos 50 anos, no dia da Liberdade e da Quebra de Padrões e Preconceitos. Maduras, minhas lobas, intensas, fenomenais, maravilhosas! Sintam meu abraço, minha energia, minha gratidão a cada uma de vocês! Li todas as mensagens, todas as manifestações de amor em forma de palavras que deixaram por aqui”, começou ela em seu desabafo.

Maria contou, ainda, que a repercussão das fotos como veio ao mundo foi ótima. “Impressionante como esse ensaio, essa virada para os 50 anos, esse momento com vocês! Um grande presente inesperado. Até a minha mãe amou e se manifestou. E vi nela e em vcs a importância da união de Mulheres de Bem, sem meter o pau uma na outra. Elogiar outra Mulher faz bem a todas, porque por mais autoestima que a gente tenha, o mundo nos achatou muito.”

“A gente não se conhece olho no olho, mas lendo as msgs parecia que nos conhecíamos de muito tempo. E me dei conta do óbvio: vcs são Mulheres que sofreram ou sofrem a fragilidade do preconceito. E é isso o que nos une. É aí que a gente se engata. Engata nessa vida, nessa mesma jornada neste planeta. Muitas estão nos 30, 35 anos ainda, seguindo para ver o que acontece nos 40+… Outras já passaram dessa fase, mas também estão aqui! Celebrando a tomada de independência de todas nós, né @avosdarazao? Se eu inspiro e inspirei vocês! Vocês me inspiram todos os dias escrevendo sobre seus desejos, dores, alegrias”, completou ela, que recebeu o carinho de muitas fãs.

Ela ainda falou sobre o período conturbado do Brasil e citou outras mulheres, para as quais dedicou o ensaio. “Em um momento tão difícil do mundo e do Brasil, esse tipo de enlace real, honesto, digno, quase um grito de “SIM” é o maior presente que eu poderia receber nesse início de década. Que venham mais! Não chegaria aqui sem amores importantíssimos pra mim como a minha filha Lara, a minha mãe Miriam, a minha tia Lígia, meu tio Roberto. As amigas, amigos, e principalmente a minha equipe que luta comigo todos os dias para libertar Mulheres de Preconceitos e Padrões de Idade. Amo vocês @fernandoaumada @lilifiltre e a mais caçula da turma @darlin_cristhiany. Obrigada @lucassixz pelo vídeo lindo e se sensível que você fez. Obrigada à fotógrafa @paolaguzmanphoto que botou o meu mulherão pra fora! E aos lindos e fofos da beleza @pablo.mua @kaique.marqueshair. Às gatas e ao @willozill, dono do apê”, finalizou.

(Por Léo Gregório)

Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)
Maria Cândida estrela ensaio nu (Foto: Paola Guzman)

SPFW 51: as belezas mais impactantes dessa temporada

Dos cabelos leves e cheios de textura da Aluf aos delineados coloridos e maximalistas da Juliana Jabour, confira os destaques de beleza dessa edição

Beleza SPFW (Foto: Reprodução/ Instagram)

E chega ao fim mais uma temporada do SPFW, que mais uma vez foi realizada de forma digital, com a participação de 43 marcas, 10 delas estreantes. Entre as criações desenvolvidas pelos estilistas, confira aqui um balanço com os highlights, top tendências e uma seleção das belezas mais impactantes das apresentações dessa edição.

Ronaldo Fraga (Foto: Reprodução / Instagram)
Suyane Moreira Ronaldo Fraga (Foto: Reprodução / Instagram)

Ronaldo Fraga
“Estou convidando as pessoas a darem um mergulho e irem comigo para o Cariri Cearense. Costumo dizer que se o Nordeste é a grande amálgama da cultura brasileira, o Cariri é o epicentro”, diz Ronaldo Fraga sobre sua coleção que abriu a 51ª semana de moda paulistana. Parceiro de longa data do estilista, o beauty artist Marcos Costa se inspirou nos tons do Cariri para dar toques de cor pontuais na beleza natural que criou para o projeto.

“É uma beleza realmente solar, eu fiz a pele da [modelo] Suyane Moreira usando uma base mate com uma cobertura quase transparente, aplicada com o dedo, não quis fazer contorno, nada disso, só uma pele uniforme com toques de um iluminador marmorizado da linha Una, da Natura”, explica Marcos. “Fui sentindo o que estava acontecendo nas locações e me inspirando pelo trabalho dos artistas locais do Cariri, olhava para as peças deles e desenhava com os dedos no rosto da Suyane.” As cores e tintas usadas foram criadas nos laboratórios da Natura especialmente para a gravação do projeto do estilista.

Laura Fernandez usa a coleção da Rocio Canvas apresentada no SPFW N51 (Foto: Mariana Maltoni/Divulgação)
Laura Fernandez usa a coleção da Rocio Canvas apresentada no SPFW N51 (Foto: Mariana Maltoni/Divulgação)

Rocio Canvas
A modelo e influenciadora digital Laura Fernandez aceitou o convite da Rocio Canvas, marca que estreou na 51º edição do SPFW, de encarar uma mudança de visual para estrelar a apresentação da marca neste último sábado (26). No lugar dos fios loiros, a modelo voltou às raízes e escureceu o cabelo de volta ao seu tom natural – e o look foi arrematado com sobrancelhas descoloridas. Quem assina o novo visual é Helder Rodrigues, beauty artist que soma muitos backstages de semana de moda em seu portfólio de trabalho.

Juliana Jabour (Foto: Reprodução / Instagram)
Coleção Verão 2022 Juliana Jabour (Foto: Reprodução / Instagram)

Juliana Jabour
“A coleção é como uma grande festa para aproveitar tudo o que o futuro tem de bom para nós. Quando ele chegar, quero estar com a roupa mais absurda, mais incrível e mais exuberante, até para ir na padaria comer um pão na chapa”, explicou a estilista para Vogue sobre sua coleção Verão 2022. E o que melhor para acompanhar essa festa que a artista criou do que uma maquiagem colorida e cheia de intensidade? O beauty artist Jean Ricardo Simão criou delineados maximalistas, que se estendem até as têmporas, nas cores azul e rosa chiclete com finalização glossy para um brilho extra.

ALUF (Foto: Divulgação)
Modelo Ana Elisa para Aluf (Foto: Divulgação)

Aluf
Explorando a beleza do cotidiano, Ana Luisa Fernandes desenvolveu uma coleção que mimetiza as texturas de sua própria casa. O tecido do sofá migrou para peças como uma calça e uma saia, o tassel da rede decora vestido e top, a madeira do piso aparece em alças de bolinhas, bolsas e brincos geométricos. Na beleza, a beauty artist Mika Safro embarcou na ideia e criou uma produção que realça os traços naturais das modelos. Em contraponto a maquiagem simples, Mika moldou dois cabelos que são inspiração pura. O da modelo Samara Donda estava com o corte da vez, o chamado wolf, que combina as duas últimas tendências capilares, o shaggy e o mullet. Já os longos fios da modelo Ana Elisa ganharam volume com um cacheado bem fininho. https://8bdaed6cb915ae7b999bd063a340be17.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Ponto Firme (Foto: Divulgação)
Ponto Firme (Foto: Divulgação)

Ponto Firme
A beauty artist Janaina Marques brilhou nessa edição do SPFW, um dos pontos altos do seu trabalho foi a beleza da apresentação da Ponto Firme, na qual entregou um pouco de tudo: sombras cintilantes, batom azul, esculturas de trança e até uma boca com efeito glossy. O resultado é uma miscelânea de referências para botar em prática na primeira festa pós-pandemia.

Y/Project | Spring Summer 2022 Full Show | Menswear

Y/Project | Spring Summer 2022 by Glenn Martens | Phyigital Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – PFW/Paris Fashion Week Men’s) #FILA #FFLikedalot

Novo escritório da Disguise em Los Angeles, Califórnia

O estúdio de tecnologia de vídeo Disguise contratou recentemente a empresa de arquitetura CHA: COL para projetar seu novo escritório em Los Angeles, Califórnia.

disguise-los-angeles-office-6
Reception

“Uma grande parte do espaço é centrada em torno de um simulador de palco 3D em tempo real com um sequenciador baseado em linha do tempo, um mecanismo de reprodução de vídeo e um mapeador de conteúdo, todos integrados em uma plataforma de software.

Disguise abordou o CHA: COL para encorajar o design espacial de seu espaço em Los Angeles para funcionar como um paraíso para artistas visuais 3D, enquanto se sente como uma extensão de uma sala de família. O armazém existente tinha uma grade de coluna de madeira com vão bastante baixo. O conceito buscou incorporar um estágio de mapeamento em tempo real customizado com portas de garagem operáveis, espaços abertos flexíveis, uma sala de conferências e um balcão de balcão de aço de 20 pés de comprimento para permitir grandes eventos sociais como treinamento, colaboração e entretenimento. Assemblages customizados permitiram uso flexível. As sessões incluíram, por exemplo, um diretor de teatro e uma equipe de tecnologia mapeando e programando uma apresentação no palco da Broadway com um plano de fundo tridimensional interativo. Alternativamente, para sessões intensivas de codificação e treinamento de hardware usando mapeamento de projeção e música.

Como acontece com a maioria dos projetos de espaço de trabalho de vídeo criativo, a linha do tempo era extremamente restrita, então elementos personalizados como a bancada de longo alcance ou a tela do palco eram pré-construídos e montados no local.

O espaço final é uma manifestação de brief criativo por Disguise para encorajar a conceituação, colaboração e visualização de performance em tempo real ativa por artistas, tecnólogos e produtores dentro de um espaço casual, em oposição a um grande estúdio industrial ”, diz CHA: COL

  • Location: Los Angeles, California
  • Date completed: 2019
  • Size: 5,000 square feet
  • Design: CHA:COL
  • Photos: Nicolas Marques
disguise-los-angeles-office-9
Breakout space
disguise-los-angeles-office-10
Breakout space
disguise-los-angeles-office-1
Meeting space
disguise-los-angeles-office-5
Meeting room
disguise-los-angeles-office-7
Studio
disguise-los-angeles-office-8
Collaborative space
disguise-los-angeles-office-11
Meeting room
disguise-los-angeles-office-12
Breakout space
disquise-la-office-1
Meeting room
disguise-los-angeles-office-4
Exterior

La Grande Enchanteuse   —   Marie Claire France July 2021 – Marion Cotillard By Bruno + Nico Van Mossevelde 

La Grande Enchanteuse   —   Marie Claire France July 2021   —   www.marieclaire.fr

Photography: Bruno + Nico Van Mossevelde Model: Marion Cotillard Styling: Anne-Sophie Thomas Hair: Perrine Rougemont Make-Up: Christophe Danchaud

Serena Williams estrela novo comercial dos Beats Studio Buds

O recado da Apple é claro: os recursos são ótimos, mas é a música que realmente importa

Os Beats Studio Buds já estão entre nós há algumas semanas, mas só nos últimos dias a Apple lançou a campanha de divulgação dos fones — e o foco aqui, como era de se esperar, é a música.

No filmete mais recente da campanha, a maior tenista do mundo, Serena Williams, cita alguns dos recursos dos novos fones da Beats como as oito horas de bateria, o Modo Ambiente e vários outros. Mas para Williams, o que realmente importa é a música — e o fato de que os Beats Studio Buds possibilitam a ela escutar a faixa “Black Magic”, de Kelly Rowland, de uma forma completamente nova.

Williams ressalta, ainda, a mensagem de autoafirmação e valorização às diferenças trazida pela letra da canção. O comercial é assinado com o slogan: “Recursos são uma coisa. O som é tudo”.

Na mesma linha, a Apple já tinha liberado, nos últimos dias, dois outros comerciais — um estrelando o comediante Druski, e outro com o rapper Roddy Rich (que já tinha, aliás, colocado os fones para estrelar um dos seus videoclipes antes mesmo do lançamento). [MacMagazine]

Executivos do Google temem que o império da empresa esteja começando a ruir

Apesar dos lucros recordes, executivos estão preocupados que a empresa esteja sofrendo tanto com seu tamanho quanto com a liderança de seu CEO, Sundar Pichai.
Por Daisuke Wakabayashi – The New York Times

Algumas críticas a Pichai podem ser atribuídas ao desafio de manter a cultura do Google entre uma força de trabalho muito maior do que antes, disseram os executivos do Google=

As sementes da queda de uma empresa, costuma-se dizer no mundo dos negócios, são plantadas quando tudo está indo muito bem.

É difícil dizer que as coisas não estejam indo bem para o Google. A receita e os lucros atingem novos recordes a cada três meses. A empresa controladora do Google, a Alphabet, vale US $ 1,6 trilhão. O Google vem se enraizando cada vez mais profundamente na vida dos americanos comuns.

Mas uma classe inquieta de executivos do Google teme que a empresa esteja mostrando rachaduras. Eles dizem que a força de trabalho do Google está cada vez mais vocal. Problemas internos estão se espalhando para o público. Liderança decisiva e grandes ideias deram lugar à aversão ao risco e ao incrementalismo. E alguns desses executivos estão saindo e deixando todos saberem exatamente o porquê.

“As pessoas continuam me perguntando por que eu fui embora. Acho que a melhor pergunta é: por que fiquei tanto tempo?”, Noam Bardin, que ingressou no Google em 2013, quando a empresa adquiriu o serviço de mapeamento Waze, escreveu num blog duas semanas depois de deixar a empresa, em fevereiro.

“Os desafios da inovação”, escreveu ele, “só vão piorar à medida que a tolerância ao risco diminuir”.

Muitos dos problemas do Google, disseram executivos que estão na empresa ou que saíram recentemente, derivam do estilo de liderança de Sundar Pichai, o afável e discreto executivo-chefe.

Quinze executivos e ex-executivos do Google, falando sob condição de anonimato por medo de enfurecer o Google e Pichai, disseram ao New York Times que o Google estava sofrendo com muitas das armadilhas de uma grande empresa em desenvolvimento: burocracia paralisante, tendência à inação e fixação na percepção do público.

Os executivos, alguns dos quais interagiam regularmente com Pichai, disseram que o Google não agiu rapidamente nos negócios-chave e nas movimentações de pessoal porque ele ruminou as decisões e atrasou a ação. Os executivos também disseram que o Google continuou a ser abalado por lutas culturais no local de trabalho e que as tentativas de Pichai de baixar a temperatura tiveram o efeito oposto – permitindo que os problemas piorassem ao evitar posições difíceis e às vezes impopulares.

Um porta-voz do Google disse que as pesquisas internas sobre a liderança de Pichai foram positivas. A empresa se recusou a disponibilizar Pichai, 49 anos, para comentários, mas organizou entrevistas com nove executivos e ex-executivos para oferecer uma perspectiva diferente sobre sua liderança.

“Eu ficaria mais feliz se ele tomasse decisões mais rápido? Sim”, disse Caesar Sengupta, um ex-vice-presidente que trabalhou de perto com Pichai durante seus 15 anos no Google. Ele saiu em março. “Mas estou feliz por ele acertar quase todas as decisões? Sim”.

O Google vem enfrentando um momento perigoso. Está lutando contra desafios regulatórios em casa e no exterior. Políticos de esquerda e direita estão unidos em sua desconfiança em relação à empresa, tornando Pichai um elemento obrigatório nas audiências do Congresso. Mesmo seus críticos dizem que, até agora, ele conseguiu passar por essas audiências sem irritar os parlamentares nem fornecer mais munição para os inimigos da empresa.

Os executivos do Google que reclamam da liderança de Pichai reconhecem esse fato e dizem que ele é um líder atencioso e cuidadoso. Dizem também que o Google hoje está mais disciplinado e organizado – uma empresa maior e gerida com mais profissionalismo do que a que Pichai herdou seis anos atrás.

Os executivos do Google que reclamam da liderança de Pichai reconhecem que ele é um líder atencioso e cuidadoso
Os executivos do Google que reclamam da liderança de Pichai reconhecem que ele é um líder atencioso e cuidadoso

Durante seu tempo à frente do Google, ele dobrou a força de trabalho para cerca de 140 mil pessoas e o valor da Alphabet triplicou. Não é incomum que uma empresa que cresceu tanto pareça lenta ou relutante em arriscar o que a deixou tão rica. Pichai tomou algumas medidas para enfrentar tudo isso. Em 2019, por exemplo, ele reorganizou o Google e criou novos órgãos de tomada de decisão, para que menos decisões precisassem de sua aprovação.

Mesmo assim, o Google, fundado em 1998, é assombrado pela percepção de que seus melhores dias ficaram para trás. No Vale do Silício, onde recrutar e reter talentos é referência sobre as perspectivas de uma empresa, executivos de outras empresas de tecnologia disseram que nunca foi tão fácil persuadir um executivo do Google a abrir mão de um salário estável de sete dígitos por uma oportunidade em outro lugar.

Em 2018, mais de uma dúzia de vice-presidentes do Google tentaram avisar Pichai por e-mail que a empresa estava passando por significativas dificuldades de crescimento. Eles disseram que havia problemas para coordenar as decisões técnicas e que o feedback dos vice-presidentes muitas vezes era desconsiderado.

Os executivos – muitos dos quais passaram mais de uma década na empresa – escreveram que o Google demorava muito nas grandes decisões, dificultando a realização de qualquer coisa, de acordo com cinco pessoas com conhecimento do e-mail. Embora não criticassem diretamente Pichai, disseram eles, a mensagem era clara: o Google precisava de uma liderança mais decisiva no topo.

Desde então, vários dos executivos que assinaram o e-mail pediram demissão para aceitar empregos em outro lugar. Pelo menos 36 vice-presidentes do Google deixaram a empresa desde o ano passado, de acordo com perfis do LinkedIn.

É uma fuga de cérebros de vice-presidentes significativa, a qual totaliza cerca de 400 gerentes que servem como espinha dorsal de liderança em toda a empresa. O Google disse que está confortável com as taxas de desgaste de seus vice-presidentes, que vêm se mantendo estáveis nos últimos cinco anos.

Uma crítica comum entre os atuais e ex-executivos é que as lentas deliberações de Pichai muitas vezes parecem uma maneira de optar pela segurança e chegar a um “não”.

Há alguns anos, os executivos do Google propuseram a ideia de adquirir o Shopify como uma forma de desafiar a Amazon no comércio online. Pichai rejeitou a ideia porque achava que o Shopify era muito caro, disseram duas pessoas familiarizadas com as discussões.

Pichai foi decisivo ao dizer aos funcionários para começarem a trabalhar em casa no início da pandemia
Pichai foi decisivo ao dizer aos funcionários para começarem a trabalhar em casa no início da pandemia

Mas essas pessoas disseram que nunca pensaram que Pichai tivesse estômago para fechar o negócio e que o preço era uma justificativa conveniente e, em última análise, equivocada. O preço das ações da Shopify aumentou quase dez vezes nos últimos anos. Jason Post, porta-voz do Google, disse: “Nunca houve uma discussão séria sobre essa aquisição”.

A relutância de Pichai em tomar medidas decisivas sobre a volatilidade da força de trabalho no Google tem sido perceptível.

Em dezembro, Timnit Gebru, uma das líderes da equipe Ethical A.I. do Google e uma de suas funcionárias negras mais conhecidas, disse que foi demitida após criticar a abordagem do Google para a contratação de minorias e escrever um artigo de pesquisa destacando os preconceitos embutidos em sua tecnologia de inteligência artificial. De início, Pichai ficou fora da briga.

Depois que 2 mil funcionários assinaram uma petição protestando contra a demissão, Pichai enviou um e-mail prometendo restaurar a confiança perdida, ao mesmo tempo em que continuava a promover a visão do Google de que Gebru não fora demitida. Mas o gesto ficou aquém de um pedido de desculpas, disse ela, e foi visto como uma mera obrigação imposta pelo departamento de relações públicas.

David Baker, ex-diretor de engenharia do grupo de confiança e segurança do Google que pediu demissão em protesto contra a saída de Gebru, disse que o Google deveria admitir que cometeu um erro em vez de tentar salvar as aparências.

“A falta de coragem do Google com seu problema de diversidade é, em última análise, o que acabou com minha paixão pelo trabalho”, disse Baker, que trabalhou na empresa por 16 anos. “Quanto mais seguro o Google se torna em termos financeiros, mais avesso ao risco ele fica”.

Algumas críticas a Pichai podem ser atribuídas ao desafio de manter a cultura do Google entre uma força de trabalho muito maior do que antes, disseram os executivos do Google a quem a empresa pediu para falar ao Times.

“Não acho que ninguém mais poderia gerenciar esses problemas tão bem quanto Sundar”, disse Luiz Barroso, um dos executivos técnicos mais seniores da empresa.

As discussões para adquirir o rastreador de atividades Fitbit, que foram fechadas em janeiro, levaram cerca de um ano, período ao longo do qual Pichai lutou com aspectos do negócio, incluindo como integrar a empresa, seus planos de produto e como pretendia proteger os dados do usuário, disse Sameer Samat, vice-presidente do Google. Samat, que estava pressionando pelo acordo, disse que Pichai identificou problemas potenciais que ele não havia considerado totalmente.

“Eu pude ver como essas múltiplas discussões podem fazer alguém sentir que somos lentos para tomar decisões”, disse Samat. “A realidade é que são decisões muito grandes”. / TRADUÇÃO DE RENATO PRELORENTZOU 

‘Percebi que é maravilhoso não ser mais a novidade’, diz Fernanda Vasconcellos

Atriz relembra começo da carreira e ameaças de colegas da escola
Gilberto Júnior

Fernanda Vasconcellos Foto: André Nicolau

No ar com a reprise da novela “A vida da gente”, Fernanda Vasconcellos relembrou o início da carreira aos 13 anos. Simpática, a atriz paulistana, hoje com 36, deu os primeiros passos como modelo. A ideia era ganhar uma grana para pagar o colégio.

“Não fui descoberta. Fiz meus pais me levarem até uma agência”, recorda. “Na real, papai perdeu o emprego na mesma época em que comecei a ser ameaçada de forma gratuita por um grupo de meninas na escola. Para escapar das investidas, me escondia, pulava o intervalo… O medo me fez perder a concentração nas aulas.”

Fernanda Vasconcellos Foto: André Nicolau
Fernanda Vasconcellos Foto: André Nicolau

Sem opção, Fernanda entregou seu currículo no SBT para ser assistente de um programa de auditório. “Foi o caminho que encontrei para pagar a mensalidade de uma colégio particular para mim. Mas confesso que esse comecinho foi complicado. Eu não gostava do ofício, ficava tímida diante da câmera. Com o tempo, fui me interessando e me apaixonei. Ah, ainda ganhávamos uma cesta básica, que ajudava muito em casa. Enfim, me sentia importante por poder contribuir tão novinha.”

Atualmente, Fernanda é um dos nomes mais fortes de sua geração, com participações nas novelas “Páginas da vida”, “Desejo proibido”, “Sangue bom” e “Haja coração”. É celebrada na indústria por sua obra, não por assuntos pessoais. “Certa vez, numa entrevista, um jornalista virou e perguntou: ‘Qual é seu sonho?’ Respondi que era ser reconhecida por meu trabalho. Então, ele me parabenizou, pois eu havia atingido o objetivo”, comenta. “Percebi que é maravilhoso não ser mais a novidade. O público deixa de ter interesse no privado e foca no que é relevante: as novelas, as peças, os filmes. Obviamente que gosto de ser elogiada pela minha performance, mas não tenho aquela vontade de estar sempre no foco, nas manchetes. Atuar é o que me motiva, não a atenção”, explica a atriz.

Isso não quer dizer que a paulistana não fala sobre sua vida pessoal. É casada há oito anos com o ator Cássio Reis, com quem pensa em ter filho depois da pandemia. “Ela é minha joia. O segredo desse casamento é a escuta. Sabemos falar, é claro, mas ouvimos melhor ainda. Respeitamos o tempo um do outro”, entrega Cássio, que dividiu o palco com a mulher na peça “Enfim, nós”. “Nossa convivência em cena foi ótima, justamente por sermos honestos e livres para viver esse amor.”

Após sentença judicial favorável, Facebook alcança valor de mercado de US$ 1 trilhão

Empresa se junta a Apple, Microsoft, Amazon e Alphabet, que também já superaram esse patamar

Mark Zuckerberg – CEO Facebook

NOVA YORK | AFP – O Facebook alcançou valor de mercado de US$ 1 trilhão nesta segunda-feira (28), com a alta das ações impulsionada por uma sentença judicial favorável.

Um juiz dos Estados Unidos indeferiu nesta segunda um processo antitruste da Comissão Federal de Comércio norte-americana (FTC, na sigla em inglês) contra a empresa.

As ações da empresa, junto com as de outras big techs, impulsionaram os índices Nasdaq e S&P 500.

A ação do Facebook subiu 4,18%, o que levou o colosso das redes sociais a se somar ao grupo das empresas com valor de mercado superior a US$ 1 trilhão, do qual também fazem parte as tecnológicas Apple (+1,25% neste pregão), Microsoft (+1,40%), Amazon (+1,25%) e Alphabet (+0,02%).

As ações de tecnologia também foram beneficiadas pela queda de taxas dos títulos americanos para 10 anos, o que “impulsionou os setores que se sustentam no crescimento”, observaram analistas da Charles Schwab.

O Nasdaq subiu 0,98%, a 14.500,51 pontos, e o S&P 500, 0,23%, a 4.290,61 unidades. Já o índice Dow Jones caiu 0,44%, a 34.283,27 pontos.