VF Live: Analog Soul

Música
Song Of The Siren (Mediterranean Mix)
Artista
Aphrodisiac
Álbum
Song Of The Siren
Licenciado para o YouTube por
WMG (em nome de Nu Groove Records); ASCAP, ARESA, BMG Rights Management (US), LLC, CMRRA e 2 associações de direitos musicais

Música
Fade II Black (Original Mix)
Artista
Kings Of Tomorrow
Licenciado para o YouTube por
Label Worx (em nome de Yoshitoshi Recordings); The Royalty Network (Publishing), UMPI, UMPG Publishing, ASCAP e 2 associações de direitos musicais

Música
Klubtrance
Artista
Blaze
Álbum
Klubtrance
Licenciado para o YouTube por
WMG (em nome de Defected – Slip ‘N’ Slide); BMI – Broadcast Music Inc., UMPG Publishing e 1 associações de direitos musicais

Música
Late Night Jam (Idjut Boys’ Full Girth Remix)
Artista
Sixteen Souls
Licenciado para o YouTube por
Label Worx (em nome de Glasgow Underground); ASCAP, BMI – Broadcast Music Inc., Broma 16

FIFA 22 abusa do PlayStation5 e Xbox X com nova tecnologia de captura; leia impressões

Tecnologia Hypermotion será o carro-chefe dos consoles de nova geração, como Xbox X/S e PlayStation 5
Por Guilherme Guerra – O Estado de S. Paulo

FIFA 22 chega às lojas em outubro para PlayStation 5, Xbox X/S, PlayStation 4, Xbox One e PC

Game de futebol mais conhecido do mundo e com quase três décadas no mercado, o FIFA 22 (preço de até R$ 500 na edição especial, lançamento em 1.º de outubro) foi criado para abusar especialmente da potência do Xbox X/S e do PlayStation 5, lançados no final do ano passado. Em demonstração vista pelo Estadão a convite do estúdio EA Games, ficou claro o quanto as novas máquinas melhoram o jogo, que fica cada vez mais parecido com uma partida de futebol real vista na televisão.

Até este game, as edições anteriores do FIFA que rodavam nos novos consoles tinham sido adaptadas — é o caso do FIFA 21, por exemplo. Desta vez, a criação foi pensada para o armazenamento de memória em SSD do Xbox X/S e PlayStation 5, além da capacidade de processamento mais poderosa dessas máquinas. O resultado é um salto tremendo em relação a algo lançado há um ano.

A grande responsável pela novidade, diz a EA Games, é a tecnologia Hypermotion, que dá mais fluidez às animações e ao controle dos jogadores. Desta vez, a captura do movimento dos 22 jogadores “de verdade” aconteceu simultaneamente em um campo de futebol, enquanto antes isso acontecia em um estúdio e com menos pessoas envolvidas. Era um cenário mais artificial, portanto.

Com as gravações em mãos, os desenvolvedores transformam essas informações imagéticas (o estúdio diz que são 8,7 milhões de quadros capturados) em algoritmos: qual jogador corre mais, quem tem melhor posse de bola, quem é melhor no cabeceio, etc. Em seguida, entra o aprendizado de máquina do FIFA, que reproduz esses movimentos em milhares de cenários diferentes.

O que a Hypermotion traz, portanto, é mais detalhes nos movimentos dos atletas, que ficam mais responsivos e naturais ao comando do jogador, e uma inteligência artificial mais afiada para realizar diferentes passes. O objetivo, no fim das contas, é simular com a maior precisão possível as partidas de futebol da “vida real”.

Na jogabilidade conferida pelo Estadão no modo beta, os atletas parecem mais rápidos — sinal de que a animação do jogo está mais fluida e traz menos engasgos. Ainda assim, em certos momentos, é possível notar certas “artificialidades” em movimentos mais ousados, como o chute de bicicleta. A EA Games afirma que o HyperMotion será aprimorado até o lançamento do jogo.

Outra novidade legal é que, conforme os atletas ficam mais cansados ao final da partida, os gatilhos adaptáveis do PlayStation 5 entram em ação e ficam mais “duros” ao realizar chutes, indicando que talvez seja a hora de fazer substituições em campo. É um detalhe bobo, mas é uma forma mais intuitiva do que checar a barra de resistência na tela da televisão, como se fazia até então.

Em termos de imagem, a demonstração apresenta detalhes mais realistas, como cabelos e tatuagens (item que aparece com frequência no corpo dos atletas, por exemplo). A resolução em 4K é bacana principalmente ao dar replay nas goleadas — no modo de partida aérea, o FIFA 22 parece tão igual quanto uma partida real, o que parece impossível de ser melhorado.

A EA Games afirma que trabalha no que chama de “atmosfera da partida”, em que os torcedores podem atuar sobre o jogo, aumentando a pressão para decisões, com direito a áudio tridimensional no PlayStation 5. Nos testes da reportagem, no entanto, não deu para notar esse tipo de recurso.

Além de PlayStation 5 e Xbox Series X/S, esta edição também estará disponível em PlayStation 4, Xbox One e PC, mas sem todos os recursos anunciados para os consoles mais novos, como a tecnologia Hypermotion.

Bolsa ou travesseiro? Conheça o modelo inusitado que caiu nas graças das fashionistas

A tendência do conforto chegou até aos acessórios: a puffy bag, que lembra um travesseiro, é o modelo do momento

Ellie Joslin usa bolsa da marca dinamarquesa Stand Studio (Foto: Reprodução/Instagram/ Produção de moda: Neel Ciconello Morikawa)

Que o conforto se tornou a tendência que veio para ficar não é nenhuma novidade – vide o sucesso de peças como moletom e pijama. Tamanha tem sido a importância do comfy na moda que chegou até aos acessórios, caso da bolsa da vez, batizada puffy bag, que parece um travesseiro. Quer aderir? Fizemos uma seleção de bolsas acolchoadas abaixo. Outra opção é o porta-celular e ainda o modelo de alça bem curtinha, sucesso nos anos 90/2000. 

Matri (R$ 2.430) (Foto: Acielle/Style du Monde (Hermès), Juliete Bayen (Reinaldo Lourenço), Rafael Evangelista, Scott Trindle (Ports 1961), Reprodução/Instagrame Divulgação. Produção de moda: Neel Ciconello Morikawa)
Matri (R$ 2.430) (Foto: Divulgação)

.

Saint Laurent (Foto: Acielle/Style du Monde (Hermès), Juliete Bayen (Reinaldo Lourenço), Rafael Evangelista, Scott Trindle (Ports 1961), Reprodução/Instagrame Divulgação. Produção de moda: Neel Ciconello Morikawa)
Saint Laurent (Foto: Divulgação)

.

Salvatore Ferragamo (R$ 9.290) (Foto: Acielle/Style du Monde (Hermès), Juliete Bayen (Reinaldo Lourenço), Rafael Evangelista, Scott Trindle (Ports 1961), Reprodução/Instagrame Divulgação. Produção de moda: Neel Ciconello Morikawa)
Salvatore Ferragamo (R$ 9.290) (Foto: Divulgação)

.

Picles (R$ 685) (Foto: Acielle/Style du Monde (Hermès), Juliete Bayen (Reinaldo Lourenço), Rafael Evangelista, Scott Trindle (Ports 1961), Reprodução/Instagrame Divulgação. Produção de moda: Neel Ciconello Morikawa)
Picles (R$ 685) (Foto: Divulgação)

.

Schutz (R$ 490) (Foto: Acielle/Style du Monde (Hermès), Juliete Bayen (Reinaldo Lourenço), Rafael Evangelista, Scott Trindle (Ports 1961), Reprodução/Instagrame Divulgação. Produção de moda: Neel Ciconello Morikawa)
Schutz (R$ 490) (Foto: Divulgação)

.

Chanel (a partir de R$ 44.910) (Foto: Acielle/Style du Monde (Hermès), Juliete Bayen (Reinaldo Lourenço), Rafael Evangelista, Scott Trindle (Ports 1961), Reprodução/Instagrame Divulgação. Produção de moda: Neel Ciconello Morikawa)
Chanel (Foto: Divulgação)

Body Beautiful – Harper’s Bazaar UK August 2021 – Molly Constable & Seynabou Cissé By Pamela Hanson 

Body Beautiful   —   Harper’s Bazaar UK August 2021   —   www.harpersbazaar.co.uk

Photography: Pamela Hanson Model: Molly Constable & Seynabou Cissé Styling: Shibon Kennedy Hair: Nikki Nelms Make-Up: Raisa Flowers Manicure: Mo Qin

Grupo de luxo LVMH compra Off-White, marca de streetwear de Virgil Abloh

Grupo de luxo comprou participação majoritária na Off-White, criada por Virgil Abloh em 2013, visando novo modelo de negócios com olhar para o futuro
MARIE CLAIRE

Virgil Abloh (Foto: Reprodução: Instagram)

Nesta terça-feira (20), a LVMH anunciou compra de participação de 60% na Off-White, marca de streetwear de luxo fundada por Virgil Abloh em 2013, que ainda está sob seus cuidados criativos mesmo enquanto diretor artístico de moda masculina da Louis Vuitton. “Consegui um lugar à mesa”, comemorou ele em entrevista ao NY Times.

Para o presidente-executivo da Louis Vuitton, Michael Burke, a novidade vem para “sacudir o status quo”. “É mais parecido com o que Bernard Arnault fez quando comprou a Dior e decidiu criar uma federação de marcas de luxo”, disse à publicação.

O novo acordo com segue diversas outras aquisições por parte do gigante de luxo. Ano passado, a LVMH comprou a Tiffany e, na última semana, anunciou participação minoritária na nova marca homônima de Phoebe Philo. Além disso, no mês anterior, o grupo reabriu a loja de departamentos La Samaritaine com aparição do presidente francês Emmanuel Macron – e ainda este ano serão inaugurados em Paris o ultraluxuoso hotel Cheval Blanc e o spa Dior.

Os 40% restantes da marca ficam com Abloh. “Este acordo prevê o aproveitamento da expertise do grupo LVMH para o lançamento conjunto de novas marcas, mas também para o desenvolvimento de parcerias com marcas existentes em diversos setores, além do da moda”, disse o grupo em comunicado oficial. Segundo o NY Times, essas parcerias envolvem categorias como Vinho e Bebidas e Hospitalidade – a LVMH detém mais de 30 marcas de bebidas e mais de 50 hotéis

Virgil Abloh (Foto: Reprodução: Instagram)
Virgil Abloh (Foto: Reprodução: Instagram)

Virgil Abloh, 40 anos, é formado em engenharia e, na verdade, não teve treinamento formal em moda, tendo aprendido a costurar com a mãe. O relacionamento com a LVMH começou por volta de 2007, quando era diretor de criação para Kanye West. Alguns anos depois, em 2015, ele foi finalista do prêmio LVMH para jovens designers e, em 2018, assumiu o cargo na Louis Vuitton.

Ano passado, Abloh criou um fundo para promover diversidade na moda e ajudar estudantes negros, impulsionado pelo assassinato de George Floyd nos Estados Unidos. Com sua nova função, ele declarou à publicação que pretende abrir portas para candidatos com foco em diversidade em todos os níveis da indústria. “Relevância é minha métrica”, completou.

Autobiografia de Harry minou chances de reaproximação com a família real, dizem fontes

Livro sobre a realidade por trás da realeza britânica causa apreensão entre seus integrantes

O príncipe William da Grã-Bretanha, duque de Cambridge, e o príncipe Harry da Grã-Bretanha, duque de Sussex, chegam para a inauguração de uma estátua de sua mãe, a Princesa Diana no The Sunken Garden, no Palácio de Kensington, Londres Foto: YUI MOK / AFP

Se houvesse alguma chance de que o relacionamento do príncipe Harry com seu pai e seu irmão pudesse ser salvo, sua decisão de escrever uma autobiografia reveladora sobre sua vida na família real acabou de deixá-la mais remota do que nunca. É o que dizem membros da realeza, segundo informações do jornal Daily Mail.

“Este é o momento sem volta – o último prego no caixão do relacionamento da Família Real com Harry”, uma fonte real sênior disse ao colunista do jornal, Dan Wootton. “A turbulência emocional enquanto eles esperam mais de um ano pela publicação vai ser torturante.”

Harry anunciou que seu primeiro livro de memórias será lançado em 2022 e, segundo o colunista, há uma “sensação crescente de choque e fúria” entre os membros da família real sobre o projeto. Ao anunciar o acordo com a editora Penguin Random House, o duque de Sussex disse que vai mostrar “os altos e baixos” , numa obra que promete ser “precisa e totalmente verdadeira”.

Dan também afirma que o que mais irritou a família é o fato de que Harry e Meghan sabem que, independentemente do que digam no livro, será difícil tanto para Charles quanto para William, como herdeiros do trono, contra-atacá-los.

Pessoas próximas ao príncipe de Gales confirmaram que ele não sabia que a publicação estava em curso. “Isso é muito doloroso, vai ser difícil para ele aguentar. A suposição é que ele levará outro chute de Harry”, disseram ao colunista.

As fontes também disseram que a maior decepção de Charles está relacionada ao fato de que ele costumava se dar bem com Harry, na verdade muito melhor do que William.

Modelo brasileiro Sam Porto estrela primeira campanha de underwear: “Sonho!”

Homem transgênero foi eleito para publicidade internacional da Calvin Klein
MARIE CLAIRE

Sam Porto (Foto: Pedro Pinho)

O brasileiro Sam Porto (@samporto) foi eleito pela Calvin Klein para estrelar uma de suas poderosas publicidades de roupas íntimas. Retratado para ação internacional da grife “Proud in my Calvins”, o modelo posou para as lentes de Pedro Pinho e deu relato sobre o tema “o momento mais importante da minha jornada”, proposto na coleção.

“Para mim, foi a tão aguardada cirurgia de mastectomia. A primeira vez que minhas mãos tocaram meu peito, eu pude sentir meu coração batendo mais perto. Foi uma emoção indescritível”, revelou. Nascido em Brasília, o jovem de 26 anos desponta como um dos mais representativos nomes da moda na atualidade, trazendo consigo a pauta da diversidade e do respeito à população trans.

Sam chegou a trabalhar como tatuador e estudar Design Gráfico, mas seus traços marcantes o fizeram migrar para a moda, onde é representado pela WAY Model, de Anderson Baumgartner, mesma agência que cuida de tops como Sasha Meneghel, Carol TrentiniAlessandra Ambrosio e Marlon Teixeira.

“Ser um homem trans, na Calvin Klein, é mais um sonho que realizo! É indescritível o tamanho do orgulho que estou sentindo. Quem me conhece sabe o quanto eu queria fazer parte disso” afirmou. O jovem sonha continuar trazendo representatividade ao mercado e poder explorar diversos espaços: “Quero conciliar a moda com outra carreira que sonho, que é como ator.”

Sam Porto (Foto: Pedro Pinho)
Sam Porto (Foto: Pedro Pinho)

Entre feitos importantes, Sam foi o primeiro homem trans a desfilar no São Paulo Fashion Week – edição N48, realizada em 2019, quando conquistou o posto de recordista de desfiles no evento. Lançado em 2019, posou para Mario Testino, desfilou para a ÀLG – de Alexandre Herchcovitch e figurou em editoriais de moda de publicações como Marie Claire.

A performance marcante repercutiu em veículos de todo o mundo, como o The Washington Post, que deu espaço de destaque ao neotop.