Chanel of No.5 – Vogue Poland June 2021 – Ola Rudnicka By Kuba Ryniewicz

Chanel of No.5   —   Vogue Poland June 2021   —   www.vogue.pl

Photography: Kuba Ryniewicz Model: Ola Rudnicka Styling: Francesca Parise Hair: Michal Bielecki Make-Up: Aurore Gibrien Set Design: Samuel Fasse

Burle Marx: um roteiro para apreciar obras do paisagista para além do sítio que virou Patrimônio Mundial da Unesco

Jardins, escultura, azulejaria: um passeio por obras do artista espalhadas pelo Rio de Janeiro
Ricardo Ferreira

Painel de Burle Marx no Instituto Moreira Sales na Gávea Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo

Aplicando sua “organização planejada dos elementos naturais” em sintonia com o modernismo, Roberto Burle Marx (1909-1994) deixou sua identidade em diversos espaços públicos do Rio. Conhecido principalmente por seu trabalho como paisagista, ele era também artista plástico.

Além do Sítio Burle Marx, em Guaratiba, que se tornou patrimônio mundial da Unesco, o roteiro para apreciar seu legado na cidade vai do verde do Aterro do Flamengo ao painel de azulejos da Fiocruz, passando por uma escultura de grande formato no Recreio. Confira:

Parque do Flamengo

Vista aérea de um trecho do Aterro do Flamengo. Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo
Vista aérea de um trecho do Aterro do Flamengo. Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo

Com 1, 2 milhão de metros quadrados, o Aterro é considerado o maior projeto de Roberto Burle Marx — e não só por seu tamanho. Inaugurado em 1965 com a função de alargar o fluxo no trânsito entre o Centro e a Zona Sul, o Parque do Flamengo foi uma tela em branco para ele, contratado à época para, dentro do projeto de Affonso Reidy, configurar o paisagismo do espaço.

— O Aterro é uma delícia. Ele teve uma inteligência de escolher espécies adequadas à região ou já nativas. Isso garante uma manutenção maior. Se o poder público não cuidar, a própria natureza se encarrega disso — diz João Vargas Penna, diretor do documentário “Filme paisagem: Um olhar sobre Roberto Burle Marx”, de 2018.

A marca de Burle Marx no imenso parque contrasta, por exemplo, com a sisudez dos arbustos de estilo europeu da Praça Paris, em frente ao Monumento dos Pracinhas. O paisagismo do Aterro é o contrário daquilo, preza pelas espécies tropicais.

Floração das palmeiras Corypha umbraculifera, ou palma talipot, no Aterro do Flamengo. A palmeira trazida do Sri Lanka por Roberto Burle Marx floresce apenas uma vez na vida, cerca de cinquenta anos depois de plantada. Foto: Guito Moreto / Agência O Globo
Floração das palmeiras Corypha umbraculifera, ou palma talipot, no Aterro do Flamengo. A palmeira trazida do Sri Lanka por Roberto Burle Marx floresce apenas uma vez na vida, cerca de cinquenta anos depois de plantada. Foto: Guito Moreto / Agência O Globo

— Ele criava esses espaços pensando no coletivo e no futuro. Nos ensinou que na profissão de paisagista precisamos ter uma certa generosidade em entender que nem sempre iremos presenciar a plenitude dos jardins projetados. Ao plantar uma árvore, talvez não cheguemos a ver sua frutificação ou floração, mas não tem problema, pois alguém irá usufruir e apreciar a longo prazo — comenta Isabela Ono, filha de Haruyoshi Ono, grande parceiro profissional do arquiteto, e sócia do Escritório Burle Marx.

O projeto do entorno do Museu de Arte Moderna, outra criação de Reidy entregue aos cuidados de Burle Marx, mostra a preocupação do artista não só com a vegetação, mas com a escolha de outros elementos na composição, como os granitos e os seixos rolados. O MAM, aliás tem uma tela de Burle Marx em seu acervo.

Calçadão de Copacabana

Um grande mosaico: Burle Marx pôs as mãos no calçadão no início dos anos 1970 Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo
Um grande mosaico: Burle Marx pôs as mãos no calçadão no início dos anos 1970 Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo

Um dos símbolos da cidade, o calçadão de Copacabana tem o traço de Burle Marx. Muita gente não sabe, mas o desenho ondulado das pedras portuguesas junto à areia é inspirado no piso da Praça do Rossio, em Lisboa, e foi adotado aqui na gestão do prefeito Paulo de Frontin, em 1919.

Nos anos 1970, com o projeto de duplicação da Avenida Atlântica, coube a Burle Marx dar um novo traçado às ondas, além de criar os desenhos do canteiro central e do calçadão junto aos prédios, que o paisagista transformou num lindo mosaico abstrato moderno.

— O desenho de piso artístico da Atlântica é uma obra de arte viva. As pessoas podem interagir com o espaço, pensado para ser apreciado tanto do nível do pedestre, quanto do alto dos prédios — diz Isabela Ono.

Praça Heitor Bastos Tigre

Escultura de Burle Marx no Recreio tem 11 metros de altura. Foto: Marcelo Régua / Agência O Globo
Escultura de Burle Marx no Recreio tem 11 metros de altura. Foto: Marcelo Régua / Agência O Globo

Um busto do diplomata que nomeia a praça no Recreio seria a escultura colocada ali, na altura do número 16.500 da Avenida das Américas. Por sugestão do filho, também Heitor, optou-se pela instalação de uma grande obra de arte. Chamaram Burle Marx.

Burle Marx e Haruyoshi Ono trabalham no projeto da escultura Foto: Divulgação
Burle Marx e Haruyoshi Ono trabalham no projeto da escultura Foto: Divulgação

Com 11 metros de altura (o equivalente a um prédio de três andares), a peça, única escultura do artista em logradouro público, foi feita a quatro mãos com Haruyoshi Ono e teve seu projeto executado pelo italiano Gianni Patuzzi, em 1989. É feita de argamassa armada policromada, tem um colorido vivo e curvas modernas.

Sítio Burle Marx

Localizado em Barra de Guaratiba, o sítio que se tornou Patrimônio Mundial da Unesco é um grande santuário para quem quer apreciar a obra de Roberto Burle Marx. Entre pinturas, esculturas e cerâmicas, o espaço reúne mais de três mil obras no acervo museológico, fora as 3.500 espécies de plantas, como filodendros, bromélias, cycas, helicônias, maranthas e palmeiras.

O então Sítio Antônio da Bica foi comprado pelo paisagista junto com seu irmão, Guilherme Siegfried, em 1949. Dentro dos seus 405 mil m², há até uma pequena capela do século XVII.

A capela do Sítio Roberto Burle Marx, em Guaratiba, data do século XVII Foto: Michel Filho / Agência O Globo
A capela do Sítio Roberto Burle Marx, em Guaratiba, data do século XVII Foto: Michel Filho / Agência O Globo

— O Sítio Roberto Burle Marx é um local mágico. Lá, Roberto colecionou uma variedade enorme de espécies vegetais, sendo seu espaço de experimentação e observação botânica, onde acompanhava o desenvolvimento da vegetação e a relação entre os grupamentos vegetais, e depois aplicava este aprendizado nos projetos de paisagismo. O sítio foi sua residência por dez anos e hoje é um ótimo local para conhecer suas obras de arte e coleções particulares — detalha Isabela.

O espaço foi considerado Patrimônio Cultural Brasileiro em 1985 e, em 2000, foi tombado integralmente pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Lá estão parte das espécies descobertas pelo paisagista, como a Heliconia burle-marxii, símbolo do sítio, ou a Merianthera burlemarxii, do Espírito Santo.

A visitação ao sítio acontece de terça a sábado (excetos feriados), nos horários de 9h30, 9h45, 13h, 13h30 e 14h. É preciso fazer agendamento ser agendada por telefone (2410-1412) ou e-mail (visitas.srbm@iphan.gov.br). A entrada custa R$ 10.

Casa Roberto Marinho

Jardim de Burle Marx na Casa Roberto Marinho é extensão da Mata Atlântica. Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo
Jardim de Burle Marx na Casa Roberto Marinho é extensão da Mata Atlântica. Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo

O jardim com a assinatura de Burle Marx é uma das principais atrações do casarão construído em 1939 no Cosme Velho e que hoje abriga um centro cultural.

— É uma transição da Floresta da Tijuca, é na pontinha da floresta. Ele usa espécies tropicais, mas fazendo uma transição para o espaço residencial. É uma floresta organizada, uma transição natural — diz Lauro Cavalcanti, que é diretor da Casa Roberto Marinho e foi curador da mostra “Roberto Burle Marx 100 anos — A permanência do instável”, que comemorou o centenário de nascimento do artista em 2008, no Paço Imperial.

Rua Cosme Velho 1.105, Cosme Velho — 3298-9449. Ter a dom, do meio-dia às 18h. Sáb, dom e feriados, das 9h às 18h. Agendamento pelo site casarobertomarinho.org.br. Grátis (qua) e R$ 10.PUBLICIDADE

Fundação Oswaldo Cruz

Painel de azulejos de Burle Marx na Fiocruz. Foto: Simone Marinho / Agência O Globo
Painel de azulejos de Burle Marx na Fiocruz. Foto: Simone Marinho / Agência O Globo

Uma pequena pérola do modernismo brasileiro integra o campus da Fundação Oswaldo Cruz, em Manguinhos. Projetado na década de 1940 pelo arquiteto Jorge Ferreira, o Pavilhão Arthur Neiva tem um painel de azulejos de Burle Marx.

—Ele teve formação nas artes plásticas, foi assistente do Portinari, do Guignard. Isso se reflete na azulejaria, é visível a influência do Portinari — explica Lauro Cavalcanti.

O artista se inspirou no formato do protozoário Trypanosoma cruzi, transmissor da Doença de Chagas, para desenhar o painel de formas geométricas e tons de azul.

Instituto Moreira Salles

O jardim projetado por Burle Marx para a casa do banqueiro e embaixador Walther Moreira Salles, na Gávea Foto: Custodio Coimbra / Agência O Globo
O jardim projetado por Burle Marx para a casa do banqueiro e embaixador Walther Moreira Salles, na Gávea Foto: Custodio Coimbra / Agência O Globo

Ao longo de sua carreira, Burle Marx trabalhou em inúmeros projetos residenciais. Um exemplo é a casa do banqueiro e embaixador Walther Moreira Salles, na Gávea, desenhada pelo arquiteto Olavo Redig de Campos, construída em 1951 e que hoje abriga o IMS. O paisagismo de Burle Marx está lá, bem como um painel de azulejos feito pelo mestre que retrata mulheres lavadeiras. Também em tons de azul e branco.

O painel de azulejos que contorna o lago do IMS também é de autoria do paisagista Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo
O painel de azulejos que contorna o lago do IMS também é de autoria do paisagista Foto: Custódio Coimbra / Agência O Globo

— Ele inovou na maneira se criar jardins, utilizando na composição plantas nativas que eram consideradas menores na época. Na residência do embaixador, por exemplo, ele usa a espécie Calycophyllum spruceanum, o pau-mulato, uma árvore do Norte do país — destaca Isabela Ono.PUBLICIDADE

Rua Marquês de São Vicente 476, Gávea – 3284-7400. Ter a sex, do meio-dia às 16h30. Sáb, dom e feriados, das 10h às 16h. Grátis.

Outros trabalhos do mestre:

Sede Náutica do Vasco da Gama (Rua General Tássio Fragoso 65, Lagoa). Um belo painel de azulejos feito por Burle Marx decora uma das fachadas do edifício.

Edifício Sede da Petrobras (Av. República do Chile 65). O edifício de arquitetura arrojada ganhou jardins suspensos projetados pelo paisagista nos vãos da fachada.

Faculdade de Arquitetura e Urbanismo — FAU/UFRJ (Av. Pedro Calmon 550, Fundão). O jardim do entorno da FAU é de Roberto Burle Marx, que também assina um painel externo da faculdade.

Conjunto Habitacional do Pedregulho (Rua Capitão Félix 50). Simbólico pelas linhas sinuosas, o projeto de Affonso Eduardo Reidy em São Cristóvão também tem os jardins assinados por Burle Marx.

Largo da Carioca (Centro). O projeto paisagístico no entorno do edifício do BNDES, do Convento de Santo Antônio e o enorme mosaico de pedras portuguesas que calçam o local são do paisagista.

Palácio Gustavo Capanema (Rua da Imprensa 16). Marco da arquitetura moderna, o prédio tem um jardim suspenso desenhado por Burle Marx. Atualmente está em obras.

73 Questions With Lorde | Vogue

Lorde always knew she wanted to be a solo artist, but that doesn’t mean there weren’t surprises in store for her about fame. In this special 73rd episode of 73 Questions, Lorde walks around New York Botanical Garden and talks about her childhood, her new album, and that secret beach.

Lorde sempre soube que queria ser uma artista solo, mas isso não significa que não havia surpresas reservadas para ela sobre a fama. Neste 73º episódio especial de 73 perguntas, Lorde caminha pelo Jardim Botânico de Nova York e fala sobre sua infância, seu novo álbum e aquela praia secreta.

Zimmermann – Ad Campaign F/W 2021 – Anna Ewers By Benny Horne

Zimmermann — Ad Campaign F/W 2021 — http://www.zimmermann.com

Photography: Benny Horne
Model: Anna Ewers
Styling: Romy Frydman
Hair: Vi Sapyyapy
Make-Up: Vanessa Bellini
Location: Venice, Italy

Schiaparelli Haute Couture Spring-Summer 2020

Schiaparelli Haute Couture Spring-Summer 2020 by Daniel Roseberry Video by Titre Provisoire

Video by Titre Provisoire

Madonna posa em série de fotos divertidas em churrasco de família

A cantora compartilhou em seu Instagram as imagens do encontro, que contou com a presença de seu namorado Ahlamalik Williams, o filho David as filhas Estere e Stella

Madonna Foto: Reprodução/Instagram
Madonna Foto: Reprodução/Instagram

Madonna compartilhou uma série de fotos divertidas em seu Instagram aproveitando um churrsaco de família. Nas imagens, a cantora aparece ao lado de seu namorado Ahlamalik Williams, o filho David as filhas Estere e Stella.

Para a ocasião, a autora de “Like a Virgin” usou um chapéu de caubói, shortinho jeans e meia calça, enquanto posava em uma bóia de flamingo. Em outras fotos, a cantora pôde ser vista se comendo cachorro-quentes cercada por seus entes queridos.

Nos comentários, um seguidor citou o filme “Meninas Malvadas” chamando Madonna de “mãe legal’. Ele escreveu: “Eu não sou uma mãe normal, sou uma mãe legal”. Já outro internauta disse: “Como pode ela ter 62 anos?”.

Marie Lung / July 27 / 7pm-8pm

Marie Lung / July 27 / 7pm-8pm

Ghostbusters: Mais Além | Nova geração entra em ação no novo trailer

Filme chega ao Brasil em 11 de novembro
NICO GARÓFALO

Sequência dos dois Caça-Fantasmas originais, Ghostbusters: Mais Além ganhou um novo trailer nesta terça-feira (27). A prévia mostra os irmãos Trevor (Finn Wolfhard) e Phoebe (McKenna Grace) assumindo a responsabilidade de capturar assombrações quando sua cidade é invadida – assista dublado acima e legendado abaixo. O filme também teve sua data de estreia no Brasil oficializada para 11 de novembro.

Diferente do filme de 2016, Ghostbusters: Mais Além será uma continuação direta dos filmes originais e tem ainda o retorno de Sigourney Weaver como Dana Barrett. A trama focará em uma nova família: Carrie Coon será mãe solteira dos personagens de Finn Wolfhard e McKenna Grace. Já Paul Rudd interpreta um professor em uma cidade pequena. Entre os novos nomes do elenco estão ainda Celeste O’Connor (Perfeita para Você) e o estreante Logan Kim.

Jason Reitman, filho de Ivan Reitman, dirige o novo filme, que estreia em 11 de novembro no Brasil.

Sies Marjan | Spring Summer 2019 | Full Show

Sies Marjan | Spring Summer 2019 by Sander Lak | Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – New York Fashion Week)