Após saída de Alê Youssef, prefeito de SP escolhe Aline Torres para a Secretaria de Cultura

Nova secretária é engajada em movimentos negro e feminista na cidade

Aline Torres (Foto: Reprodução / Instagram)

Poucas horas após receber o pedido de demissão de Alê Youssef, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) escolheu a relações públicas Aline Torres como nova secretária da cultura da capital paulista, informou o jornal “O Estado de S. Paulo”. Ela, atualmente, atua como adjunta da Secretaria de Inovação e Tecnologia e já foi candidata a deputada federal pelo PSDB em 2018. No ano passado, concorreu à câmara dos vereadores pelo a vereadora pelo MDB.

Pós graduada em Gestão de Projetos Culturais pela USP, Aline  é conhecida por sua militância na área cultural e participação em movimentos negro e feminista. Seu avô foi escravizado no recôncavo baiano por um prato de comida e sua mãe se mudou para São Paulo no bairro de Pirituba, onde se estabeleceu. A nova secretária somente conseguiu se formar no curso de relações públicas após fazer um cursinho gratuito oferecido por um projeto social. Atualmente, ela é  embaixadora do Brasil no Conselho Pan-Africano (Pan-American Council).

A vaga para a secretaria chegou a ser cogitada para ser oferecida à ex-prefeita Marta Suplicy, mas Nunes optou por mantê-la na secretaria de Relações Internacionais da Prefeitura em razão de eventos importantes que serão realizados ainda neste ano na cidade.

SAÍDA DE ALÊ YOUSSEF
Em um vídeo publicado no Instagram na quinta-feira (25.08), Ale informou aos seus seguidores que havia pedido demissão do cargo após “explícitas diferenças e óbvias incompatibilidades”  com o prefeito Ricardo Nunes em relação ao orçamento da pasta para o ano que vem. “Após um período de luto e de estruturação de programas essenciais, entendemos que era hora de sair”, argumentou.

O ex-secretário já havia deixado a pasta em 2020 quando foi cotado para concorrer na chapa de Bruno Covas à reeleição. Ele havia sido indicado ao cargo por Bruno.
A saída de Ale levou a uma reação em cadeia nas áreas da cultura. A jornalista Joselia Aguiar pediu demissão da direção da Biblioteca Mário de Andrade, Maria Emilia Nascimento deixou a diretoria do Departamento de Patrimônio Histórico e Hugo Possolo, diretor-geral da Fundação Theatro Municipal, confirmou ao Estadão que também entregaria o cargo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.