Marcela Daff | Madrid Bridal Fashion Week 2021

Marcela Daff | Madrid Bridal Fashion Week 2021 | Digital Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video – Madrid Bridal Fashion Week/Spain)

Isabel Zapardiez | Madrid Bridal Fashion Week 2021

Isabel Zapardiez | Madrid Bridal Fashion Week 2021 | Digital Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video – Madrid Bridal Fashion Week/Spain)

Noah Sorota – Piezo Patterns/Spindled Past

Pelle Lannefors for L’Officiel Ukraine with Julia Westby

Photographer & Director: Pelle Lannefors at  SCHIERKE ARTISTS. Videographer: Kalle Altin. Fashion Stylist: Sara Jeminen. Hair Stylist: Angelica Beckman. Makeup Artist: Kajsa Svanberg. Casting Therese Von Hofsten
Stylist assistant Decirée Josefsson. Model: Julia Westby.

O charme da série policial ‘Professor T’

Cena de ‘Professor T’ (Foto: Eagle Eye Drama)

O mundo das séries policiais está cheio de boas histórias sobre investigações baseadas na psicologia dos suspeitos. Uma das mais famosas é “Criminal minds” (aqui exibida no AXN). Nessas tramas, crimes terríveis são desvendados por especialistas em comportamentos perversos. Eles são policiais, mas parecem mágicos, tal a capacidade de adivinhar os passos de um bandido. A recém-lançada “Professor T” funciona assim. Só que é britânica, uma diferença fundamental. Porque, além da mecânica da psicologia forense guiando tudo, ela conta com o charme próprio dos enredos ingleses.

O personagem central, o Professor Jasper Tempest (Ben Miller), não trabalha em uma delegacia. Ele leciona na Universidade de Cambridge. É idolatrado no meio acadêmico. Rigoroso, genial e dono de um ar superior, ele ensina futuros investigadores a notar os detalhes que levarão à solução de um crime. Um dia, uma ex-aluna, hoje policial, o convoca para ajudar a achar um estuprador. Ele reluta, mas acaba aceitando. Assim, a cada episódio, um crime é resolvido com a ajuda dessa mente brilhante. Os pequenos dramas pessoais de Jasper também fazem parte da trama, mas com menor importância.

A série é ótima. Ainda não tem previsão de lançamento no Brasil, mas está no iTunes.

Miriam Schamun | Madrid Bridal Fashion Week 2021

Miriam Schamun | Madrid Bridal Fashion Week 2021 | Digital Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video – Madrid Bridal Fashion Week/Spain)

Ports 1961 | Fall Winter 2021/2022 | Full Show

Ports 1961 | Fall Winter 2021/2022 | Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – MFW/Milan Fashion Week Women’s)

George Georgia – Dirty Waves
Marc Jackson Burrows – Sacred Valley

Morre Jean-Paul Belmondo, astro da nouvelle vague e ator-fetiche de Godard

Ator participou de 80 filmes, incluindo alguns papéis inesquecíveis do cinema francês, como em ‘Acossado’

‘Acossado’ (1960): o filme de Jean-Luc Godard não só representou o início da carreira de Belmondo, como o alçou ao estrelato. Nele, o ator interpreta um criminoso que mata um policial após roubar seu carro e planeja escapar para a Itália com a sua namorada, uma jornalista americana interpretada por Jean Seberg Divulgação

AFP – O ator francês Jean-Paul Belmondo, um dos intérpretes mais consagrados do cinema francês, morreu nesta segunda-feria (6), em sua residência de Paris, aos 88 anos, anunciou seu advogado à AFP.

“Estava muito cansado havia bastante tempo. Ele morreu tranquilamente”, disse o advogado Michel Godest.

Belmondo participou de 80 filmes, incluindo alguns papéis inesquecíveis, como em “Acossado”, de 1960, ou “O Homem do Rio”, de 1964, trabalhando com diretores como Godard, François Truffaut, Philippe de Broca, Louis Malle.

O ator, que nasceu em abril de 1933 no rico subúrbio parisiense de Neuilly-sur-Seine, cresceu numa família de artistas. Seu pai era um escultor conhecido, Paul Belmondo.

Ele começou sua carreira no teatro, antes de embarcar em uma carreira no cinema que duraria meio século, com um total de 130 milhões de ingressos de cinema vendidos. Conhecido na França como “Bebel”, Belmondo também era frequentemente chamado de “Le Magnifique”, em homenagem a uma sátira de agente secreto dos anos 1970 em que estrelou.

No final dos anos 1950, Belmondo chamou a atenção de um jovem crítico da revista Cahiers du Cinéma, Jean-Luc Godard, que preparava um curta-metragem, “Charlotte e Seu Namorado”, conta o Le Monde.

Daí nasceria a parceria que gerou filmes como “Acossado” e “O Demônio das Onze Horas”.

O magnífico Jean-Paul Belmondo em Paris (1973). Foto: AFP

Belmondo estrelou o primeiro longa de Godard, “Acossado”. Para o crítico da Folha Inácio Araújo, em texto escrito em 2018, o filme tirou as amarras do cinema, com uma equipe composta por jovens —entre eles Belmondo—, novos no ramo, que acompanhavam o diretor em seu desejo de tirar o cinema da rigidez do estúdio, do roteiro, das regras fixas, parajogá-lo em contato direto com o mundo real.

Em “Acossado”, Belomondo é o gângster Michel Poiccard, que rouba um carro, mata um policial, foge e namora uma jornalista americana foi recebido de boca aberta pelo mundo do cinema.

Em “O Demônio das Onze Horas”, é Ferdinand, par romântico de Marianne (Anna Karina). Os dois fogem para viver um romance. Em vez de uma trama encadeada e linear, o diretor busca descrever a vida, as relações humanas, a música e a poesia.

Ativistas usam Atalhos do iPhone para obstruir site antiaborto no Texas

A movimentação é uma resposta à nova lei texana, considerada a mais restritiva do país

CREDIT: DREW ANGERER/GETTY

Quem acompanhou o noticiário internacional nas últimas semanas provavelmente soube dos acontecimentos no estado do Texas (Estados Unidos) relacionados ao direito ao aborto — ou melhor, à falta dele. Agora, um grupo de ativistas digitais está recorrendo a um instrumento muito popular do iPhone, o aplicativo Atalhos, para se posicionar contra as decisões recentes. As informações são do USA TODAY.

Caso você não tenha acompanhado o caso, aí vai um breve resumo: a chamada “Lei do Batimento Cardíaco” entrou em vigor no estado no início deste mês e representa, na prática, uma proibição quase total da interrupção de gravidezes no Texas.

Em suma, a lei proíbe qualquer aborto de fetos com mais de seis semanas de gestação, um período no qual a maioria das mulheres sequer tem conhecimento da gravidez. A lei reverte a famosa decisão Roe vs. Wade, da Suprema Corte dos EUA, que permitia a interrupção de uma gravidez até que o feto fosse considerado viável — isto é, apto a sobreviver fora do útero, o que ocorre entre 22 e 24 semanas de gestação.

A nova lei texana admite abortos pós-seis semanas apenas em casos de emergência médica, mas não em casos de estupro ou incesto. E, em um outro ponto polêmico, a regulamentação tem caráter civil: qualquer cidadão que tenha conhecimento de um aborto considerado ilegal pode denunciar e processar os médicos (ou quaisquer outras pessoas) responsáveis pelo procedimento.

Por conta disso, alguns grupos contrários ao aborto estabeleceram páginas de denúncia na internet — isto é, sites nos quais cidadãos podem relatar violações à nova lei para que os próprios grupos entrem com processos contra os responsáveis. E foi justamente em um desses sites que os ativistas entraram em ação — com uma ajudinha do Atalhos do iOS.

TikToker Sean Black, conhecido como black_madness21, criou um atalho capaz de automatizar o envio de informações falsas para um dos sites de denúncia criados pelos grupos contra o aborto. O script, conhecido como “AbBOT”, envia uma denúncia falsa para a página a cada 10-15 segundos, com nomes, cidades, condados e códigos postais gerados aleatoriamente.@black_madness21

Até a noite da última quinta-feira, segundo Black, mais de 4.170 pessoas tinham acessado o código e cerca de 4.870 clicaram no link para o atalho. O ativista afirmou que conseguiu enviar cerca de 300 denúncias falsas antes do bloqueio do seu IP — e agora, seu trabalho está concentrado em burlar o sistema de CAPTCHA que foi implementado na página.

Apesar de não impossibilitar, Black considera que seu atalho pode dificultar o trabalho dos grupos contra o aborto. O ativista considera a nova legislação uma prática reminiscente do macarthismo, a prática política implementada no auge da Guerra Fria para incentivar cidadãos a denunciar pessoas próximas por suposta “atividade comunista”. Black comentou o seguinte:

Para mim, as táticas macarthistas de colocar vizinhos uns contra os outros por conta de uma lei que, acredito eu, é uma violação da decisão Roe vs. Wade, é inaceitável. Existem pessoas no TikTok usando sua visibilidade para educar e fazer sua parte. Eu acredito que estou fazendo a minha.

Os responsáveis pelo site de denúncias, por sua vez, não se pronunciaram, mas provavelmente terão outros obstáculos pela frente: o serviço de hospedagem GoDaddy anunciou no fim da semana passada que a página viola seus termos de serviço e terá de ser removida dos seus servidores. [MacMagazine]

VIA PEOPLE