Apple não tem interesse em mostradores de terceiros no Watch, sugere entrevista

Alan Dye e Stan Ng sentaram-se com a CNET para discutir algumas novidades sobre o Apple Watch Series 7

Apple Watch Series 7 foi lançado há algumas semanas e já está encontrando os pulsos dos seus primeiros compradores ao redor do mundo. Agora, como já é costume, executivos da Maçã vieram a público falar sobre as novidades do relógio e tratar de outros assuntos pertinentes ao dispositivo vestível da empresa.

Desta vez, a entrevista foi dada à CNET e os executivos responsáveis foram Alan Dye (vice-presidente de design de interface) e Stan Ng (vice-presidente de marketing de produto). De acordo com a dupla, a maior novidade do Apple Watch Series 7 — a tela maior — foi motivada por uma maior facilidade de leitura e interação com os elementos da interface, possibilitando aumentar o tamanho do texto exibido no painel e deixando o uso do relógio mais acessível.

Apesar disso, a Maçã continua acreditando que o Apple Watch não é um dispositivo de uso contínuo, como um iPhone, iPad ou Mac — seu verdadeiro propósito é ser uma tela para exibição de informações rápidas e comandos simples. As telas maiores, então, simplesmente transformam essas informações e ações em elementos mais fáceis e amigáveis. Segundo Ng:

Não estamos falando dos 30 minutos que você gasta olhando as redes sociais no seu telefone, ou a hora que você passa no seu Mac trabalhando no seu documento. O poder do Apple Watch está naquelas centenas de olhadinhas que você dá em um determinado dia e que podem fornecer a informação que você precisa naquele instante.

Obviamente, a ampliação das telas também permitiu à Apple adicionar alguns métodos de interação inéditos no relógio, como o teclado QuickPath. Segundo Dye, o teclado funciona apenas deslizando o dedo na tela porque não há espaço suficiente para designar teclas específicas — em vez disso, a inteligência artificial do dispositivo se encarrega de “entender” o que você está digitando somente com o deslizar do dedo.

A entrevista também serviu para questionar os executivos sobre o elefante na sala: por que, mesmo após sete anos e sete edições, a Maçã ainda não permite que desenvolvedores façam seus próprios mostradores para o Apple Watch nem tem planos de uma loja para distribuir essas criações. Segundo Dye, a questão é a consistência — e o fato de que o design dos mostradores é uma parte fundamental do Apple Watch.

Por mais crítico que seja o hardware no papel de distinguir o Apple Watch como o Apple Watch, nós pensamos que os mostradores também têm um papel importante nisso. Por isso nós somos tão cuidadosos em relação a isso ao longo dos anos — mesmo com uma grande variedade de mostradores [da Apple], todos eles têm elementos de design consistentes. Se você olhar bem, os ponteiros sempre são desenhados da mesma forma, mesmo aparecendo em cores diferentes. Nós achamos que chegamos a um equilíbrio bem interessante. Os mostradores em si oferecem várias possibilidades para usuários, e um template que eles podem usar para criar múltiplas complicações e transformar qualquer mostrador num mostrador único. E isso se transforma na interface, de certa forma, para seus aplicativos. [MacMagazine]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.