Bach – Suite in A major BWV 832 – Fortin | Netherlands Bach Society

This Suite in A major, performed by Olivier Fortin for All of Bach, is one of Bach’s works in the ‘Möller manuscript’, as it is known. This manuscript was compiled between 1703 and 1707 by Bach’s elder brother Johann Christoph, with whom Johann Sebastian had moved in, following the death of their parents. So Bach could not have been older than about 20.

The manuscript also contains French keyboard music: a chaconne by Lully and suites by Lebèque and Marchand. Nearly everything about Bach’s own suite seems to be French-inspired: the musical style, the exciting harmonies in the Sarabande, and the idea of an Air pour les trompettes. Both this French title and the description itself are reminiscent of keyboard arrangements of Lully’s music, which was also popular in Germany. Moreover, another manuscript compiled by Johann Christoph Bach in the same period includes a keyboard arrangement of an Air de trompette by Marin Marais, with which the young Johann Sebastian must also have been familiar.

Recorded for the project All of Bach on 17 April 2018 at Suin, France.

Esta Suíte em Lá maior, executada por Olivier Fortin para Todos de Bach, é uma das obras de Bach no “manuscrito Möller”, como é conhecido. Este manuscrito foi compilado entre 1703 e 1707 pelo irmão mais velho de Bach, Johann Christoph, com quem Johann Sebastian havia se mudado, após a morte de seus pais. Portanto, Bach não poderia ter mais de 20 anos.

O manuscrito também contém música francesa para teclado: uma chaconne de Lully e suítes de Lebèque e Marchand. Quase tudo na suíte de Bach parece ser de inspiração francesa: o estilo musical, as harmonias emocionantes no Sarabande e a ideia de um Air pour les trompettes. Tanto este título francês quanto a própria descrição lembram os arranjos de teclado da música de Lully, que também era popular na Alemanha. Além disso, outro manuscrito compilado por Johann Christoph Bach no mesmo período inclui um arranjo de teclado de um Air de trompette de Marin Marais, com o qual o jovem Johann Sebastian também deve estar familiarizado.

Gravado para o projeto All of Bach em 17 de abril de 2018 em Suin, França.

Priyanka Chopra e Nick Jonas fazem celebração hindu: “Graça e abundância”

Casal celebra o Diwali, também conhecido como Festival das Luzes na Índia

Nick Jonas e Priyanka Chopra (Foto: Reprodução/Instagram)
Nick Jonas e Priyanka Chopra (Foto: Reprodução/Instagram)

Priyanka Chopra, de 39 anos, compartilhou nesta quinta-feira (4) em seu Instagram o momento em que celebrou com Nick Jonas, de 29, uma tradicional cerimônia hindu. Trata-se do Diwali, também conhecido na Índia como Festival das Luzes.

“Com as bênçãos da Deusa Mahalakshmi, convidamos sua graça e abundância para nossa casa. Feliz Diwali”, escreveu a artista. Nas fotos, o casal aparece sentado no chão e coberto de flores enquanto acende velas.

Priyanka, que está na Califórnia, também comemorou a data entre amigas. Uma delas é a atriz Mindy Kaling, de The Office e The Morning Show. Mindy é filha de indianos, que imigraram para os Estados Unidos no ano em que ela nasceu.

Nick Jonas e Priyanka Chopra (Foto: Reprodução/Instagram)
Nick Jonas e Priyanka Chopra (Foto: Reprodução/Instagram)
Nick Jonas e Priyanka Chopra (Foto: Reprodução/Instagram)
Nick Jonas e Priyanka Chopra (Foto: Reprodução/Instagram)
Nick Jonas e Priyanka Chopra (Foto: Reprodução/Instagram)
Nick Jonas e Priyanka Chopra (Foto: Reprodução/Instagram)
Nick Jonas e Priyanka Chopra (Foto: Reprodução/Instagram)
Nick Jonas e Priyanka Chopra (Foto: Reprodução/Instagram)
Priyanka Chopra comemora festival indiano com Mindy Kaling (Foto: Reprodução/Instagram)
Priyanka Chopra comemora festival indiano com Mindy Kaling (Foto: Reprodução/Instagram)
Priyanka Chopra comemora festival indiano com Mindy Kaling (Foto: Reprodução/Instagram)
Priyanka Chopra comemora festival indiano com Mindy Kaling e amigas (Foto: Reprodução/Instagram)

Nº21 | Fall Winter 2020/2021 Full Show | Menswear

Nº21/Numero Ventuno | Fall Winter 2020/2021 by Alessandro Dell’Acqua | Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – MFW/Milan Fashion Week Men’s) #Numeroventuno #FW20

Lee Dagger – House Music/We Can’t Lose Tonight
Alex Arcoleo – I Go

The Atmosphere at the Cruise 2021/22 Show in Dubai — CHANEL Shows

Presented in Dubai with a luminous setting punctuated by shadows and projections of olive tree branches, the CHANEL Cruise 2021/22 collection came to life once again in the Dubai Creek Harbour district. House ambassadors, friends of the House and guests experienced the show live followed by a party with a surprise concert by the American singer John Legend. 

Apresentada em Dubai com um ambiente luminoso pontuado por sombras e projeções de galhos de oliveiras, a coleção CHANEL Cruise 2021/22 ganhou vida mais uma vez no distrito de Dubai Creek Harbour. Embaixadores da casa, amigos da casa e convidados conheceram o show ao vivo seguido de uma festa com show surpresa do cantor americano John Legend.

Credits:
‘Mein Maschine Ist Schön’ by COS
(Daniel Schell Schellekens)
(c) Daniel Schell/ Finders Keepers Records Ltd.
(p) Daniel Schell/ Finders Keepers Records Ltd.

Clientes não precisarão mais usar máscaras em Apple Stores nos EUA

A medida deverá ser adotada a partir da próxima sexta-feira

A Apple removerá, a partir desta sexta-feira (5/11), a obrigatoriedade do uso de máscaras em suas lojas nos Estados Unidos tanto para clientes vacinados quanto para não vacinados. A decisão foi compartilhada com os funcionários de suas 270 Apple Stores pelo país por meio de um memorando, ao qual Bloomberg obteve acesso.

A empresa chegou a flexibilizar o uso de máscaras em junho (na ocasião, apenas para vacinados), mas acabou recuando da decisão apenas um mês depois, em decorrência do aumento do número de infecções por COVID-19 nos Estados Unidos.

Após uma análise cuidadosa, nossa equipe de Meio Ambiente, Saúde e Segurança (EHS), junto à liderança, determinou que é seguro atualizar nossas orientações sobre máscaras para clientes em sua loja. As tendências positivas nas vacinações, testes e contagem de casos em sua região tornaram essa mudança possível.

Mais de 100 Apple Stores estão inclusas nessa primeira etapa de flexibilização, a qual será expandida conforme mais estados abandonarem as restrições. Por enquanto, apenas lojas localizadas nos seguintes estados adotarão as novas medidas: Califórnia, Flórida, Arizona, Nova York, Louisiana, Nova Jersey e Connecticut. As novas regras, contudo, não contemplam os funcionários, que deverão seguir utilizando a proteção.

A recomendação do uso máscaras continua válida para regiões que ainda obrigam o seu uso em locais fechados, no entanto. Além disso, a Maçã também declarou que não exigirá comprovantes de vacinação. [MacMagazine]

Elle Ukraine November 2021 Cover

Elle Ukraine November 2021 Cover
Source: facebook.com
Published: November 2021

All people in this magazine cover:

Ali Honcharuk – Model

Bella Hadid – Heaven by Marc Jacobs x Hugo Comte Fall 2021

Heaven by Marc Jacobs x Hugo Comte Fall 2021
Source: instagram.com
Published: October 2021

In this picture: Bella Hadid
Credits for this picture: Marc Jacobs (Designer), Hugo Comte (Photographer), Haley Wollens (Fashion Editor/Stylist), Evanie Frausto (Hair Stylist), Fara Homidi (Makeup Artist), Anita Bitton (Casting Director)

All people in this campaign:

Marc Jacobs – DesignerHugo Comte – PhotographerHaley Wollens – Fashion Editor/StylistEvanie Frausto – Hair StylistFara Homidi – Makeup ArtistAnita Bitton – Casting DirectorBella Hadid – Model

In this picture: Bella Hadid
Credits for this picture: Marc Jacobs (Designer), Hugo Comte (Photographer), Haley Wollens (Fashion Editor/Stylist), Evanie Frausto (Hair Stylist), Fara Homidi (Makeup Artist), Anita Bitton (Casting Director)
In this picture: Bella Hadid
Credits for this picture: Marc Jacobs (Designer), Hugo Comte (Photographer), Haley Wollens (Fashion Editor/Stylist), Evanie Frausto (Hair Stylist), Fara Homidi (Makeup Artist), Anita Bitton (Casting Director)
In this picture: Bella Hadid
Credits for this picture: Marc Jacobs (Designer), Hugo Comte (Photographer), Haley Wollens (Fashion Editor/Stylist), Evanie Frausto (Hair Stylist), Fara Homidi (Makeup Artist), Anita Bitton (Casting Director)
In this picture: Bella Hadid
Credits for this picture: Marc Jacobs (Designer), Hugo Comte (Photographer), Haley Wollens (Fashion Editor/Stylist), Evanie Frausto (Hair Stylist), Fara Homidi (Makeup Artist), Anita Bitton (Casting Director)

Magalu abre programa de formação em tecnologia para maiores de 40 anos

Metade das 100 bolsas oferecidas serão destinadas a pessoas negras e pelo menos 10% para colaboradores do Magalu
Por Carla Melo, especial para o Estadão – O Estado de S. Paulo

O programa do Magalu será 100% online com duração de 200 horas no total

Pensando em levar o mundo da tecnologia aos “quarentões”, o Magazine Luiza anunciou nesta quinta-feira, 4, um novo programa que vai ensinar programação para maiores de 40 anos. Chamado de Desenvolve 40+, a iniciativa tem parceria com a escola de programação Let ‘s Code.

As pessoas interessadas poderão aprender do zero a linguagem e a lógica da programação, com foco na linguagem Python, ao longo de seis meses. Os aprovados também terão conhecimento sobre programação orientada a objetos, estrutura de dados e banco de dados. 

As inscrições começam nesta quinta-feira e seguem até o dia 23 de novembro. Para concorrer a uma vaga basta ter concluído o ensino médio, ter disponibilidade para assistir às aulas três vezes por semana, estar morando no Brasil, e, claro, ter 40 anos ou mais. 

A exemplo de programas anteriores voltados à inclusão, das 100 bolsas oferecidas, o programa também destina 50% das bolsas a pessoas negras e pelo menos 10% para colaboradores do Magalu.

“O Magalu segue com o compromisso de promover mais diversidade e inclusão nas nossas áreas técnicas e levar mais igualdade de oportunidades, por isso, 50% dessas vagas serão exclusivas para a seleção de pessoas autodeclaradas negras”, escreveu a presidente do Magalu, Luiza Helena Trajano, em publicação no LinkedIn.

Para a seleção, os candidatos passarão por três etapas na modalidade 100% online: um teste lógico proprietário da Let’s Code, um vídeo apresentação pessoal de até 3 minutos e o “Meu Primeiro Código”, um curso remoto ao vivo de lógica da programação para avaliá-los na prática.

O programa será 100% online com duração de 200 horas no total, sendo que 108 horas serão de aulas síncronas remotas (aulas ao vivo) e 92 horas de conteúdo assíncrono (materiais disponibilizados).

‘Colin em Preto e Branco’ é retrato imperdível de líder de protestos antirracismo

Série de Ava DuVernay e Colin Kaepernick na Netflix mistura documentário a drama
Luciana Coelho

Colin em Preto e Branco’ (‘Colin in Black and White’), série biográfica que gira em torno da vida do ativista Colin Kaepernick.

Era mais um jogo da pré-temporada de futebol americano de 2016 quando Colin Kaepernick, o quarterback do San Francisco 49ers, decidiu protestar contra a violência policial de cunho racista nos Estados Unidos mantendo-se sentado durante a execução do hino nacional. No jogo seguinte, resolveu se ajoelhar. Nos meses seguintes, os protestos —dele e de outros— se multiplicaram.

No ano seguinte, após críticas do então presidente Donald Trump, já não havia time que o contratasse.

O que aconteceu depois desse momento e a história que o precede viraram objeto da cineasta Ava DuVernay (do magnífico “Olhos que Condenam“) em uma nova minissérie da Netflix que ela co-assina com o esportista-ativista.

“Colin em Preto e Branco”, que estreou sexta passada (29), é um misto de documentário com dramatização da infância e adolescência de Kaepernick, filho adotivo de pais brancos numa cidadezinha californiana predominantemente branca, alinhavado por uma espécie de aula conduzida pelo ativista sobre racismo estrutural ou escancarado.

Temperados por um humor sutil e contundente, os seis episódios firmam DuVernay como um dos nomes mais relevantes de sua geração, capaz de conduzir com destreza seus enredos e de transpô-los ao campo do drama sem desprovê-los da denúncia social que a move.

São também a plataforma perfeita para Kaepernick, uma figura eloquente e elegante que desde então acumulou prêmios por sua campanha de combate ao racismo.

A crítica americana pinçou o momento, no primeiro episódio, em que o esportista traça um paralelo entre as peneiras da liga de futebol americano (NFL) e os mercados de escravos. É uma comparação incômoda por sua crueza, mas não incorreta para o jogador, que ampara seu discurso em números (embora 70% dos jogadores sejam negros, só 30% dos quarterbacks, que lideram os times, o são).

O grande trunfo da minissérie, porém, é contrapor o Kaepernick ativista de 34 anos com o adolescente que, sendo mestiço e estando cercado de brancos, demorou a descobrir o racismo latente de seus vizinhos, de seus professores ou, ainda que num nível menos consciente, de seus amigos e seus pais.

A cena em que Theresa, a mãe (vivida pela ótima Mary-Louise Parker) entra em uma loja de moda black é hilária; aquela em que ela tenta empurrar para o filho uma crush “menos escura” é tristíssima. Nick Offerman também faz um belo trabalho como o pai que parece ser o único consciente da configuração de sua família e do que ela significa naquele ambiente tacanho.

Mas é Jaden Michael, como o Colin jovem, que dá ao personagem divisivo uma doçura insuspeita e fascinante. Como outras produções sobre figuras de esquerda, esta foi atacada com baixas avaliações no site de referência IMDB. Não se engane por elas. Ava DuVernay criou, novamente, uma série imperdível.