O ‘vestido esportivo’ está dominando as ruas e as redes sociais nos Estados Unidos

Cansadas de calças de moletom e shorts de ciclismo – sem mencionar todos os anúncios direcionados – as mulheres estão gravitando em torno de vestidos esportivos e elásticos para o dia a dia
Anna P. Kambhampaty, The New York Times – Life/Style, O Estado de S.Paulo

Vestido Esportivo
O ‘vestido esportivo’ ganhou as ruas dos Estados Unidos durante o verão do hemisfério norte. Foto: Outdoor Voices

“Estar fora de casa já é um exercício hoje em dia”, disse Arianna Gaujean, 18, enquanto vasculhava as prateleiras de liquidação da Awoke Vintage em Greenpoint, no Brooklyn. Era uma noite de julho escaldante e Gaujean, uma estudante do St. Francis College, estava usando um vestido preto curto cruzado nas costas – a vestimenta ideal, ela disse, para fazer praticamente qualquer coisa no calor.

No jargão de 35 anos atrás, esse era um “vestido esportivo“, uma roupa tudo-em-um que, dependendo de seus hábitos na internet, pode estar assombrando suas redes sociais, com anúncios promovendo seu conforto (náilon elástico e spandex!), versatilidade (shorts embutidos!) e uma silhueta que favorece qualquer pessoa (quem não se sente bem em um vestido A-line?).

Uma das versões mais populares foi lançada pela Outdoor Voices, uma marca de esportes, em 2018, e atualizada este ano com bolsos, elásticos para as pernas e alças ajustáveis. Várias outras empresas, incluindo a Reformation, a Nike, a Girlfriend Collective e a Halara (uma marca aparentemente construída em torno do vestuário), vendem suas próprias peças, a maioria das quais é comercializada agressivamente no Instagram e TikTok.

Em comparação com o ano passado, as vendas dos vestidos esportivos praticamente dobraram, de acordo com dados do NPD Group, uma empresa de pesquisa de mercado. Por sua vez, o vestido esportivo, para quem está preparado para notá-lo, tornou-se algo como o Amazon Coat: um objeto cultural silenciosamente onipresente.

Na verdade, em um período de duas semanas em meados de julho, não houve um dia em que esta repórter não notasse um deles. Os vestidos estavam por toda parte: na pista de dança de uma festa em uma cobertura em Chinatown, na lavanderia em Greenpoint, andando pelas ruas de Manhattan e do Brooklyn.

“Antes da pandemia, talvez eu não tivesse comprado o vestido. Mas agora que somos esportivos o tempo todo, parece mais aceitável usar sempre isso”, disse Amanda Hayes, 27, que trabalha com marketing, enquanto usava um vestido lilás da Outdoor Voices em um piquenique no Washington Square Park.

Um sentimento crescente de tédio induzido pelas calças de moletom pode ser parcialmente responsável pelas vendas. “As pessoas estão cansadas de usar apenas blusas de moletom e leggings”, disse Jaehee Jung, psicólogo da moda e professor da Universidade de Delaware, acrescentando que o tédio tende a impulsionar muitas tendências de consumo.

Facilidade e versatilidade também são pontos importantes para as vendas. “Eu amo a simplicidade de um vestido, o fato de ter que pensar apenas em uma peça de roupa”, disse Michaela Brew, 25, que mora no bairro de Gramercy Park em Manhattan e trabalha em um banco de investimento imobiliário. “Eu amo a facilidade de simplesmente jogá-lo sobre o corpo”

As pessoas também querem poder se vestir para qualquer evento, tudo em uma roupa só. “Várias vezes eu coloquei meu vestido esportivo e fui estudar, então me vi atraída para um jogo de Spikeball”, disse Zoee D’Costa, 24, estudante de medicina na Rutgers Robert Wood Johnson Medical School. “É bom poder combinar coisas que me fazem parecer bem e me sentir bem sendo funcional.”

Várias pessoas estavam relutantes em usar o vestido para se exercitarem. “Eu realmente não uso para me exercitar”, disse Brianne Sabino, 27, que trabalha na mídia e estava fazendo um piquenique com Hayes. “Eu não iria correr com este vestido.”

“Eu gostaria que houvesse algo semelhante a um sutiã, que fosse apenas uma sustentação, talvez com taças removíveis, porque ele não fornece nenhum suporte e, portanto, fica difícil se exercitar sem um top esportivo”, disse Brew, que tem vestidos da Outdoor Voices. “Eu também gostaria que houvesse uma aba ou algum fecho nos shorts, para que você não precisasse remover o vestido inteiro na hora de ir ao banheiro.”

“Seria uma roupa de ginástica, mas as pessoas realmente não usam para isso”, disse Christina Nastos, 24, que mora em Chelsea e é gerente de contas da Peerless Clothing.

Bem, talvez nem todo mundo. Sarah Moser, 35, que mora em Sunnyside, no Queens, e trabalha com recursos humanos, estava usando um vestido esportivo da Outdoor Voices no transporte público ao ir para uma corrida recentemente. “Eles são minha roupa de corrida favorita durante os meses mais quentes”, ela disse. Ela comprou o primeiro antes de uma meia maratona. Agora, Moser tem uma dúzia de cores e estilos.

Ela não é a única que tem tantos vestidos iguais. No Reddit, uma usuária postou uma foto de sua “coleção de vestidos esportivos”, que incluía cerca de 20 cores e estilos diferentes. Brew e Gaujean possuem três cada uma.

E embora a maioria das pessoas que usam esses vestidos tendam a ser da Geração Z e millennials, o marketing desses vestidos enfatiza que eles são para todos. Em uma postagem patrocinada pelo TikTok para o vestido da Halara, por exemplo, uma mulher idosa diz que o vestido a faz se sentir “30 anos mais jovem”.

“O impacto das redes sociais é inegável para as empresas de moda e tendências de estilo”, disse o Dr. Jung. “É como se todos estivessem de olho em algo ao mesmo tempo, em qualquer lugar e a qualquer momento.”

“Acho que parte do apelo está em ver os influenciadores usarem os vestidos, fazendo-os parecerem ótimos”, disse Gaujean, que soube pela primeira vez da roupa nas redes sociais. “Eu estaria mentindo se não dissesse que vê-los em outras pessoas no TikTok ou no Instagram não tenha sido o empurrão para que eu comprasse um.”

Isso não quer dizer que todos estão totalmente felizes com o caimento desses vestidos. Molly Kipnis, 27, uma gerente de marketing de redes sociais que mora em Chicago, queria muito um vestido esportivo, mas não conseguiu encontrar com facilidade um que caísse bem nela. “Fui ao Outdoor Voices pela terceira vez para experimentar este vestido esportivo que todos estavam usando e, pela terceira vez, simplesmente não ficou bem em mim”, ela disse.

Em um ato de prestação de serviço, Kipnis encomendou todas as versões do vestido que encontrou e depois as avaliou no Instagram. Ela descobriu que o vestido do Girlfriend Collective era o melhor para ela. “O material era muito bom, em comparação com os outros que experimentei, e achei o tamanho muito inclusivo. Sua origem também era ética, em comparação com algumas outras marcas. ”

Colocando todas as dúvidas de lado, o vestido tem sido um sucesso nessa estação. “O vestido do verão”, disse Brew. “Eu estava andando perto do meu apartamento outro dia e, não estou brincando, 50 por cento das mulheres que vi estavam usando um vestido esportivo.”/ TRADUÇÃO LÍVIA BUELONI GONÇALVES

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.