TGA: Novo jogo da Mulher-Maravilha é revelado

Confira o trailer e veja como a heroína será representada no jogo
POR JAIRO JUNIOR

Mulher Maravilha terá um novo jogo próprio. A novidade foi revelada nesta quinta-feira (9), durante o The Game Awards 2021.

Ainda de acordo com o que foi mostrado na transmissão, o título será produzido em uma parceria entre a Warner Bros. GamesDC Comics e Monolith Productions, estúdio responsável por games como Terra-média: Sombras de Mordor e Sombras da Guerra e a série F.E.A.R.

O trailer mostra um pouco do visual da heroína, incluindo a estética de sua armadura e seu tradicional Laço da Verdade, além de dar algumas pistas sobre a trama da narrativa, em que Diana deverá retornar a Themyscira para unir as Amazonas e “forjar novos laços” com o resto da humanidade, e ter a chance de tornar-se uma líder para seu povo.

Posteriormente, a Warner divulgou mais informações sobre o game, que contará com o elogiado Sistema Nemesis utilizado nos jogos baseados no universo de J.R.R. Tolkien:

“Em desenvolvimento pela Monolith Production, criadores dos aclamados Terra-média: Sombras de Mordor e a sequência Terra-média: Sombras da Guerra, este jogo de ação singleplayer de mundo aberto introduzirá uma história original situada no Universo DC, e permitirá jogadores a se tornar Diana de Themyscira na luta para unir sua família Amazona e os humanos do mundo moderno. Graças ao poder do Sistema Nemesis, jogadores formarão conexões profundas com inimigos e aliados ao progredir de lutadora heroíca para líder comprovada.”

Vale lembrar que a Warner Bros. conseguiu patentear o Sistema Nemesis no início deste ano.

O jogo da Mulher-Maravilha ainda não tem previsão de lançamento ou plataformas divulgadas oficialmente.

TGA: Novo jogo do diretor de Silent Hill é anunciado

Anúncio de Slitterhead rolou durante o The Game Awards 2021
POR DIEGO LIMA

Slitterhead é o novo jogo do diretor do primeiro Silent Hill. O jogo parece misturar elementos de ação e terror, mas parece trazer um tom bem diferente do que vimos na série da Konami. Akira Yamaoka, compositor da trilha sonora de Silent Hill, trabalhará no novo game, conforme anunciado durante o The Game Awards 2021

Kristen McMenamy – British Vogue January 2022 Cover By Steven Meisel 

British Vogue January 2022 Cover
Source: vogue.co.uk
Published: January 2022

All people in this magazine cover:

Steven Meisel – Photographer Carlyne Cerf De Dudzeele – Fashion Editor/Stylist Guido Palau – Hair Stylist Pat McGrath – Makeup Artist Jin Soon Choi – Manicurist Kristen McMenamy – Model

All brands in this magazine cover:

Gucci

Labyrinth Run by Fucking Young!

Farouk Moudni captured by the lens of Fouad Tadros and styled by Duaa Goma with FW21-22 pieces from Les Benjamins, for the “MENA” issue of Fucking Young! magazine.

Farouk Moudni capturado pelas lentes de Fouad Tadros e estilizado por Duaa Goma com peças FW21-22 de Les Benjamins, para a edição “MENA” da Fucking Young! magazine.

Creative Direction: AC @anna_castan

Get your copy of Fucking Young! FW21-22 “MENA” issue HERE!

And Just Like That | Revival de Sex and the City causa estranheza em estreia

Primeiros dois episódios já estão disponíveis na HBO Max
BEATRIZ AMENDOLA

Pôster oficial de And Just Like That (HBO Max/Divulgação)

É inevitável assistir aos dois primeiros episódios de And Just Like That, o retorno de Sex and the City, e não sentir um certo estranhamento, seja na forma ou no conteúdo. O revival comandado por Michael Patrick King, nome por trás de boa parte da série original, adotou episódios mais longos, com mais de 40 min, e optou por dar às agora três amigas uma história mais dramática — que, pelo menos neste início, ainda está tentando encontrar seu lugar. 

Há um alento em reencontrar Carrie (Sarah Jessica Parker), Miranda (Cynthia Nixon) e Charlotte (Kristin Davis), agora com mais de 50 anos, mas ainda inseparáveis e se reunindo para o brunch — com a exceção notável, claro, de Samantha (Kim Catrall), cuja ausência é explicada logo no começo. Mas, como esperado, muito mudou: Miranda agora tem surpresas desagradáveis com o filho adolescente; Charlotte é uma mãe ativa no conselho da escola das suas filhas; e Carrie participa de um podcast, mas não se sente muito confortável em falar de temas mais picantes. 

O espaço dado a essas questões mais banais do cotidiano, no entanto, sai de cena com uma forte reviravolta logo no primeiro episódio, que muda abruptamente o tom da produção. A reviravolta em si acaba soando gratuita, especialmente dado o pouco contexto prévio que é reservado a um personagem-chave dela. O acontecimento, nessa reta inicial, acaba servindo mais como escada para tratar de um tema específico. 

É necessário reconhecer que, no segundo episódio, as consequências do plot twist são bem trabalhadas, abrindo caminho para momentos de emoção genuína que unem as protagonistas e suas famílias. Porém, o texto de King se atrapalha ao tentar conciliar o drama com as pitadas cômica que deram, por tanto tempo, o tom de Sex and the City. E nesse aspecto, em especial, o humor ácido de Samantha faz (muita) falta.

And Just Like That também anda na corda bamba ao se referir a questões atuais relacionadas a representatividade — um tema sensível, já que a série original foi criticada por seu elenco predominantemente branco. Miranda, por exemplo, tem diálogos constrangedores e nada naturais com Nya (Karen Pittman), uma mulher negra que é sua professora em um mestrado sobre direitos humanos.  

A escalação de Pittman e de Sara Ramirez (a Callie de Grey’s Anatomy), porém, mostra-se um acerto. Ramirez, em particular, rouba a cena como Che Diaz, personagem não-binária que apresenta o podcast do qual Carrie participa, e entrega alguns dos melhores momentos cômicos dessa reta inicial. Resta ver se será dado o espaço a elas  para que se desenvolvam como personagens complexas. 

Neste início, o que And Just Like That provoca pode ser descrito como uma mistura de sentimentos. É uma experiência muito diferente daquela proporcionada Sex and the City, embora alguns elementos ainda estejam aqui para dialogar com a série original. Não que seja um problema mudar, mas a transformação precisa ser genuína. Do contrário, o revival se arrisca a ficar perpetuamente em um “nem lá, nem cá” capaz de alienar até os fãs de longa-data. 

And Just Like That é exibida semanalmente pela HBO Max.

Matrix Resurrections é destaque na nova edição da revista Entertainment Weekly US

Pré-venda começa dia 9 de dezembro

Matrix Resurrections é destaque na nova edição da revista norte-americana Entertainment Weekly, que traz trechos de uma entrevista com os astros Matt ReevesCarrie-Anne MossJessica Henwick Yahya Abdul-Mateen II. Novas fotos da produção e uma sessão de fotos incrível também acompanham a nova edição.

Quando questionado por que ele concordou em retornar à série após um período de quase duas décadas, Matt Reeves deu uma explicação simples: “Tínhamos cineastas a quem você queria dizer sim”. Além disso, ele acrescenta, “tínhamos material com o qual queríamos se comprometer, para dar tudo o que pudesse”.

Enquanto isso Carrie-Anne Moss descreveu a sua conexão com Reeves, a ligação única que fez The Matrix de 1999 o que é hoje. “Nós passamos por essa experiência juntos como parceiros. A única maneira que posso descrever é como uma amizade de alma”, disse a atriz. 

 Jessica Henwick, atriz que interpreta a misteriosa Bugs em Matrix Resurrections, disse que produção terá “um novo tom” e “um novo visual” que torna Resurrections mais “vibrante e alegre”. Reeves também ficou “impressionado com a quantidade de humor nele” – mas isso não significa que Neo fará piadas como Tony Stark.  “É lançar o desafio da Matrix novamente; é super inteligente, divertido, cheio de suspense e engraçado”, disse ele.

Yahya Abdul-Mateen II, que interpreta Morpheus, uma versão diferente do mentor de Neo originada por Laurence Fishburne, completou: “De todas as produções de ficção científica que fiz, Matrix é a mais fundamentada na realidade, ironicamente. Existem todos os conceitos elevados em torno de Matrix em nossa história, mas realmente há muito coração e humanidade que está conduzindo esta narrativa.”

Matrix Resurrections

Da visionária cineasta Lana Wachowski, chega Matrix Resurrections, o aguardado quarto filme na série revolucionária que redefiniu um gênero. O novo filme reúne os astros originais Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss nos papéis icônicos de Neo e Trinity.

Matrix: Resurrections contará com o retorno de Keanu ReevesCarrie-Anne Moss e Jada Pinkett Smith, reprisando seus papéis icônicos como Neo, Trinity e Niobe. O filme também vai estrelar os estreantes na franquia Christina RicciPriyanka Chopra JonasJessica HenwickNeil Patrick HarrisToby Onwumere e Yahya Abdul-Mateen II, como o jovem Morpheus.

Lana Wachowski dirige o longa a partir de um roteiro que coescreveu com David Mitchell e Aleksander Hemon, baseado nos personagens criados pelas Irmãs Wachowski. O filme foi produzido por Grant Hill, James McTeigue e Lana Wachowski. Os produtores executivos são Garrett Grant, Terry Needham, Michael Salven, Jesse Ehrman e Bruce Berman.

Os três filmes anteriores – Matrix (1999), Matrix Reloaded (2003) e Matrix Revolutions (2003) – arrecadaram mais de $ 1,6 bilhão de bilheteria global e estiveram entre os 10 maiores sucessos domésticos em seus respectivos anos de lançamento. Matrix Revolutions também foi o primeiro filme a ser lançado simultaneamente em todos os principais países no mesmo horário em todo o mundo.

Originalmente programado para ser lançado em 21 de maio de 2021, Matrix: Resurrections foi adiado para 22 de dezembro de 2021, devido à paralisação temporária da produção causada pela pandemia.

Fotos da revista EW:

Imagens inéditas do interior do Apple Park são divulgadas

Vista do corredor do quarto andar, de frente para o anel externo do Apple Park. Projetado pela Foster + Partners, o campus circular apresenta uma série de saguões cheios de luz que se abrem em um grande parque plantado com 9.000 árvores

O quartel-general da Maçã, mais conhecido como Apple Park, é um monumento e tanto, cuja parte externa e os arredores são bastante conhecidos. Porém ainda há muitas coisas do interior da sede da companhia que nunca chegaram ao olhar do público.

Nesse sentido, imagens inéditas do interior do campus foram compartilhadas pela equipe de design da empresa para a revista Wallpaper*, a qual também contou sobre o trabalho no edifício icônico.

Apple Park na Wallpaper*

Conversaram com a Wallpaper* a vice-presidente de design industrial, Evans Hankey, e o vice-presidente de design de interface humana, Alan Dye. Segundo ele, a equipe de design migrou para o Apple Park há três anos, mas muitos só foram apreciar o ambiente “depois de um tempo”.

É tão silencioso e calmante. Nós nunca realmente entendemos o que isso significaria para nós até que estivéssemos aqui por um tempo. Ele foi projetado para reuniões inesperadas, bem como para colaboração.

Apple Park na Wallpaper*

Eles também falaram sobre o processo de design dos produtos da Apple, com Dye afirmando que a empresa “se preocupa em fazer ótimos produtos”, mas “trabalha igualmente duro” para formar uma grande cultura em equipe.

Muito disso veio desde o início. Steve definiu a Apple por seu design. Sempre nos lembramos dele dizendo que o design não é apenas um verniz. Não é apenas a aparência das coisas, é sobre como as coisas funcionam.

Apple Park na Wallpaper*

Ainda de acordo com Dye, a criação de novos produtos levaram a novas especializações — e o Apple Park foi “projetado para acomodar esse crescimento e polinização cruzada”.

A capacidade de esboçar, modelar e prototipar internamente cria um fluxo de trabalho fluido que é parte integrante da evolução do produto. A prototipagem é extremamente importante, cobrindo tudo, desde escala e interação até materiais, cores, texturas e superfícies.

Apple Park na Wallpaper*

A entrevista completa, que trata ainda da relação evolutiva entre a Apple e a tipografia e outros aspectos de design, pode ser conferida na íntegra — em inglês, obviamente — nessa página.

O interior e a “rotina” do Apple Park eram como você havia imaginado?

VIA IMORE

WhatsApp lança pagamentos em criptomoedas nos EUA

Com carteira digital recém-criada, Meta não utiliza moeda anunciada em 2019

WhatsApp acelerou a entrada no setor de transferências financeiras em 2021

WhatsApp anunciou na quarta-feira, 8, que um número limitado de usuários dos Estados Unidos poderão transferir e receber pagamentos por criptomoedas, similar ao que foi implementado no Brasil em maio passado — a diferença é que, por aqui, as operações são em real, e não em moedas virtuais.

A operação será feita pela carteira digital da Meta (empresa-mãe do FacebookInstagram e WhatsApp), a Novi, que irá utilizar a criptomoeda Pax Dollar nas transferências, de caráter instantâneo. Assim como no País, não haverá tarifas cobradas das transferências nem limites.

A Novi foi lançada no meio de outubro e, além dos Estados Unidos, está disponível na Guatemala — mas as transferências por criptomoedas não estão habilitadas nesse país.

Ainda, a carteira digital não traz a criptomoeda anunciada por Zuckerberg em 2019, a libra (e depois rebatizada de diem) — os planos da empresa quanto à moeda não estão claros a esta altura, visto a preferência da Meta pela Pax Dollar.

Cobra Kai | 4ª temporada ganha trailer

Produção volta à Netflix em 31 de dezembro

A quarta temporada de Cobra Kai, que chega no final de dezembro à Netflix, ganhou seu primeiro trailer completo nesta quinta-feira (9). Veja acima. 

A prévia traz o retorno de Terry Silver (Thomas Ian Griffith), a quem Kreese (Martin Kove) recorre. O trailer ainda mostra Johnny Lawrence (William Zabka) e Daniel LaRusso (Ralph Macchio) unindo forças. 

Ambientada 30 anos após os filmes de Karatê KidCobra Kai reaquece a rivalidade entre  Lawrence e  LaRusso. Narrada pela perspectiva do antigo antagonista, a trama mostra os dois reabrindo seus dojos e ensinando caratê para uma nova geração – mas não sem despertar uma boa dose de fantasmas do passado.

A produção surgiu em 2018 no YouTube, mas foi comprada pela plataforma de streaming em 2020. Todas as três temporadas já estão disponíveis no streaming, e o quarto ano será lançado em dezembro de 2021.

A quarta temporada da série estreia em 31 de dezembro na Netflix.