SONG FOR THE MUTE Fall/Winter 2022

SONG FOR THE MUTE unveiled its Fall/Winter 2022 collection titled “22.2 LES OLYMPIADES“.

Uma coleção que explora o diretor criativo, a educação de Lyna Ty nos projetos habitacionais urbanistas de Paris durante os anos 90. Concentrando-se nas narrativas justapostas, ruas caóticas e escadarias de concreto, Lyna se via constantemente cercada; a coleção anuncia como uma carta de amor a esta era da moda, cultura e estética.

A coleção concentra-se altamente no contraste; cores opostas, luxo inútil e um estranho equilíbrio de opostos. O lookbook ‘LES OLYMPIADES’, filmado por Darren McDonald, com fotografia de natureza morta de Daniel Gurton, realmente captura

Google Chrome quer reinventar o histórico de navegação

O recurso Jornadas agrupará seu histórico por tópicos

O Google acaba de tomar para si a difícil tarefa de reinventar a confusão que é o histórico de navegação. Hoje, a empresa anunciou um novo recurso que está chegando ao Chrome, chamado Jornadas (Journeys).

O recurso visa organizar a bagunça do histórico, agrupando sites e pesquisas feitas anteriormente por tópicos. Você poderá pesquisar pelo tema desejado, e as jornadas ainda levarão em consideração as suas interações com os sites encontrados, a fim de trazer sempre os resultados mais relevantes na frente.

Jornadas do Chrome

O Google ainda deixou claro que, a fim de manter a privacidade dos usuários, o recurso funcionará no próprio dispositivo, e nenhuma das jornadas será salva na sua conta da empresa. Além disso, usuários poderão apagar o tópico (completo ou apenas alguns sites), assim como facilmente desabilitar o recurso, caso desejado.

Além disso, o Google também adicionou novas ações rápidas ao navegador, as quais podem ser acionadas a partir da barra de endereços. Algumas das novas ações incluem “Gerenciar configurações”, “Personalizar o Chrome”, “Visualizar seu histórico do Chrome”, “Gerenciar configurações de acessibilidade”, “Compartilhar esta guia” e até “Jogar o jogo Chrome Dino”.

Por enquanto, o recurso Jornadas está disponível somente na versão desktop do Chrome (em todos os sistemas operacionais, em diversos idiomas — incluindo o português).

Apple expande benefícios para funcionários de lojas nos EUA

O recurso Jornadas agrupará seu histórico por tópicos

Apple está expandindo os benefícios dados a funcionários das suas mais de 270 Apple Stores espalhadas pelos Estados Unidos em resposta à escassez de mão de obra que vem impactando o país durante a pandemia da COVID-19. As informações são da Bloomberg.

As novas regras valerão tanto para funcionários de meio período quanto de período integral, e buscam não só manter a mão de obra existente mas, também, gerar novas contratações.

A partir de agora, todos os funcionários das Apple Stores terão direito a 12 dias de licença médica, em contraste com os 6 da regra anterior. Funcionários de período integral receberão por todos os dias de afastamento, os quais poderão ser utilizados para cuidados com saúde mental, doenças e tratamento de parentes.

Os funcionários também terão direito a férias mais longas e mais cedo, disponíveis agora após três anos de trabalho, em vez dos atuais cinco. Pela primeira vez, empregados de meio período também contarão com o benefício, que oferecerá até seis dias de férias remuneradas por ano.

Outra novidade para funcionários de meio período é a licença parental remunerada, que concederá até seis semanas de afastamento das atividades e permitirá uma volta gradual ao trabalho nas primeiras quatro semanas, após o término do benefício. A Apple também oferecerá, embora com descontos, cuidados de emergência para familiares idosos e crianças.

As mudanças entrarão em vigor no dia 4 de abril, apenas nos EUA. A empresa não deixou claro se pretende expandir as novas políticas para outros países e regiões.

Análise: ‘Ataque dos Cães’ é o melhor filme pelo conjunto da obra

Seus maiores triunfos são originalidade, força e mise-in-scène inspirada
Luiz Zanin Oricchio, O Estado de S.Paulo

indicados oscar 2022
Imagem com os cartazes dos indicados na categoria Melhor Filme, no Oscar 2022. Foto: Focus Features/Apple TV+, Netflix, Janus Films & Sideshow, Warner Bros. Pictures, Warner Bros. Pictures, Searchlight Pictures, Netflix, 20th Century Films via AP

Com 12 indicações, inclusive a de Melhor FilmeAtaque dos Cães confirma seu favoritismo para o Oscar de 2022. Tem ainda as indicações de melhor direção (Jane Campion), ator (Benedict Cumberbatch), ator coadjuvante (Kodi Smit-McPhee), atriz coadjuvante (Kirsten Dunst), roteiro adaptado (Campion) e etc. Cercou por todos os lados para uma grande consagração dia 27 de março, na cerimônia de entrega das estatuetas. 

Obviamente, seus maiores trunfos são a originalidade, a força, a mise-en-scène inspirada, a qualidade de seus intérpretes. Quer dizer, o conjunto da obra. 

Tem concorrentes de peso? Com certeza. A começar – para falar apenas em qualidade – do maravilhoso Drive My Car, de Ryusuke Hamagushi, que também concorre como diretor. É um queridinho da crítica, com toda justiça. Seu cinema intimista, neste caso baseado em conto de Haruki Murakami, complexo e emotivo (porém contido) é digno de toda atenção. Mas dificilmente derrota Ataque dos Cães. Seria uma zebra. 

Há outros títulos fortes. O Beco do Pesadelo, de Guillermo del Toro, é soturno e assustador em sua dura prospecção da natureza humana. Steven Spielberg é um grande nome da Academia e sua recriação do clássico musical Amor Sublime Amor é digna de todo respeito. O distópico Não Olhe para Cima abafou na Netflix e é muito bom. Mas deve ficar por aí. Belfast é um trabalho memorialístico de Kenneth Branagh que não receia cair no artificialismo e no registro teatral. Muito bom, mas não para todos os gostos. King Richard: Criando Campeãs mostra a trajetória das tenistas Venus e Serena Williams pelo ponto de vista do pai que as criou e assessorou. Bacana, mas acho que não tem força para ir mais longe. Duna, para dizer com franqueza, sobressai mais pelos aspectos técnicos particulares que pelo conjunto. 

Para o troféu de melhor direção, a favorita é mesmo Jane Campion por seu Ataque dos Cães. Tem nomes fortes pela frente – Spielberg, Hamaguchi, Paul Thomas Anderson (por Licorice Pizza) e Branagh. Mas se apostarmos no favoritismo de Ataque dos Cães para melhor filme, o normal é que a cineasta faça a dobradinha como melhor diretora. 

Na categoria de Melhor Atriz a disputa é muito equilibrada. Penélope Cruz (Mães Paralelas) e Olivia Colman (A Filha Perdida) seriam boas escolhas. Mas, correndo por fora, há Kristen Stewart (Spencer) pela entrega na interpretação de uma atormentada Princesa Diana

Como Melhor Ator, parece não haver outro nome que Benedict Cumberbatch por sua desconstrução da masculinidade tóxica em Ataque dos Cães. Embora Denzel Washington faça um grande trabalho em A Tragédia de Macbeth

Na categoria Melhor Filme Internacional, o favorito disparado é o japonês Drive My Car. O italiano A Mão de Deus e o norueguês A Pior Pessoa do Mundo são também muito bons. Vale um destaque para A Felicidade das Pequenas Coisas, do Butão, que chegou mais longe do que se poderia esperar. Sua força é a comovente simplicidade em contraste com este nosso mundo cada vez mais complexo, incompreensível e ameaçador. Quem sabe não aconteça aqui a grande surpresa da noite de premiação?

Lady Gaga é esnobada pelo Oscar 2022 e está fora da disputa por melhor atriz

Cantora tinha colhido elogios por seu papel em ‘Casa Gucci’, com direito a sotaque italiano

Lady Gaga em cena do filme "Casa Gucci", dirigido por Ridley Scott
Lady Gaga em cena do filme ‘Casa Gucci’, dirigido por Ridley Scott – Divulgação

Não será desta vez que Lady Gaga ganhará o Oscar de melhor atriz. Apesar de sua entrega ao interpretar Patrizia Reggiani em “Casa Gucci”, longa de Ridley Scott que conta a história real de como a italiana planejou assassinar o marido, herdeiro da grife de luxo, a cantora ficou de fora da lista de indicações do prêmio este ano, anunciadas na manhã desta terça (8).

Gaga foi indicada ao Oscar de melhor atriz pela primeira vez em 2019, por seu papel em “Nasce uma Estrela”. No remake —a quarta encarnação da trama em Hollywood—, interpretava uma aspirante a cantora que se envolve com um roqueiro famoso, mas com tendências autodestrutivas, vivido por Bradley Cooper, também diretor do filme.

A cantora perdeu para Olivia Colman em “A Favorita”, mas não saiu da cerimônia sem um troféu nas mãos. A música que ela compôs para a trilha sonora do longa, “Shallow”, abocanhou o prêmio de melhor canção original —e grudou na cabeça de muita gente, com direito a uma versão em português cantada por Paula Fernandes e Luan Santana.

Este ano, as suspeitas de uma possível indicação ao Oscar tinham ganhado tração na semana passada, quando ela apareceu entre as concorrentes a melhor atriz no Bafta, maior prêmio da indústria cinematográfica britânica.

Então, tomou o lugar de algumas das favoritas desta temporada, caso de Kristen Stewart, por sua versão da princesa Diana em “Spencer”, e Olivia Colman, que protagoniza “A Filha Perdida”. Mas, no Oscar, os sinais se inverteram —Stewart e Colman seguem na disputa, Gaga não.

Em entrevistas, Gaga afirmou que se dedicou intensamente ao seu papel em “Casa Gucci’, com direito a adoção de um sotaque italiano e o uso de uma técnica de interpretação conhecida em Hollywood como “o método”, em que o ator segue agindo como seu personagem mesmo com a câmera desligada. Queria se comprometer com a arte “em um nível celular”, como falou no programa “The Late Show with Stephen Colbert”. “Sinto isso quando canto, quando componho, e sinto isso quando atuo.”

Apesar da recepção morna de “Casa Gucci” pela imprensa americana, a atuação de Gaga foi bastante elogiada. Um crítico da revista Rolling Stone escreveu que, se o filme for lembrado por algo, será por ser “a prova número um da grande atriz que ela [Gaga] é”. “Esqueçam Gucci. Vida longa à casa que Gaga construiu”, ele finaliza.

Cara Delevingne Is a Dior-Girl Jewel in Harper’s Bazaar UK March 2022

Se você não sabe muito sobre o passado e a história de crescimento de Cara Delevigne, sua entrevista com a escritora da Harpers Bazaar UK Brooke Theis pintará a aquarela vívida que é a vida de Cara. O modelo, ator, ativista, investidor em brinquedos sexuais e embaixador da Dior, Delevingne é fotografado por Pamela Hanson.

Leith Clark estiliza Cara em peças da campanha Dior Joaillerie Rose des Vents e prêt-à-porter de luxo para ‘Diamond Life: Cara Delevingne na música, manifestando e compartilhando mensagens poderosas’.

Cara Delevingne sabe muito bem como criar buzz, e seus comentários sobre bebês “manifestados” estão rolando pelo ciberespaço.

Primeira parada, a modelo para sempre homenageia a diretora criativa feminina da Dior, Maria Grazia Chiuri, que desenhou as calças brancas de Cara e o conjunto de peitoral que ela usou no Met Gala do ano passado.

“Foi uma coisa realmente incrível para a Dior me permitir fazer”, diz Cara sobre a mensagem vermelha ‘Peg the Patriarchy’ estampada com ousadia no corpete. “Obviamente é um pouco irônico, mas o que significava era, ‘Estamos trabalhando juntas como mulheres.’

“Acho que Maria Grazia faz um ótimo trabalho ao mostrar as mulheres de uma maneira muito forte e bonita, e cada desfile da Dior que vi sempre tem uma mensagem poderosa”, Delevingne homenageou sua colega, antes de nos lembrar o fato óbvio de que não estava no meu radar. Tudo Dior é um CD monogramado só para ela, e é tão fabuloso.

Cara completa 30 anos em agosto e ser mãe está em seu futuro. “Eu quero ter bebês”, ela nos informa. “Mas ainda não. Eu compro roupas infantis para meu futuro filho que não existe. Sapatos de bebê realmente me pegam – eles partem meu coração. Eu fui fazer compras outro dia e comprei esses Air Jordans minúsculos, que são roxos e têm um leão sobre eles. Estou manifestando…”

Três tendências de grooming para apostar em 2022

Beleza sem gênero, simplificação da rotina de cuidados e a mistura de fragâncias dão o tom em 2022
POR GLAUCO JUNQUEIRA

Diga adeus à rotina complicada de skincare, que ia muito além da pele limpa e hidratada (Foto: Divulgação/Pleasing)

Sai ano, entra ano, a verdade é que as tendências que virão com tudo durante 2022 são um reflexo do que se começou a ver no ano passado. Nesses últimos tempos, o brasileiro passou a conhecer e entender mais sobre beleza, aventurar-se a cuidar melhor da pele durante o período de isolamento social e buscar mais informações. O que se percebe, agora, são consumidores mais bem informados e um mercado superaquecido e em plena expansão.

Diga adeus à rotina complicada de skincare, que ia muito além da pele limpa e hidratada; ou daqueles produtos ‘rotulados’ voltados só para mulheres, ou específicos para homens… nota-se uma evolução interessante – em todos os sentidos – tanto de conceitos, como de produtos, marcas, mentalidade e até mesmo uma reinvenção de funcionalidades.

Confira abaixo o que vai estar em alta e o que você deve colocar no radar este ano, no que tange ao grooming:

‘The Perfect Polish Set’, coleção de esmaltes unissex da Pleasing, do cantor Harry Styles (Foto: Divulgação/Pleasing)

BELEZA SEM GÊNERO

Adeus, padrões de gênero! Agora, é possível comprar cremes de rosto e outros produtos de beleza de uma forma muito mais democrática e descomplicada.

A prova disso é a nova marca de beleza e cuidados para pele do cantor Harry Styles: chama-se Pleasing, é vegan, gluten e cruelty free. Quanto aos cosméticos de cuidados para a pele, a aposta da marca recai em dois produtos: o The Pleasing Pen (R$ 168,00), que é uma espécie de “caneta” com dois lados, que corrige as olheiras e hidrata os lábios; já o The Pearlescent Illuminating Serum (R$ 196,00), um sérum para a pele cheio de “pérolas” encapsuladas com vitamina B5, antioxidantes e aminoácidos promete uma luminescência sutil e suave para todos os tipos de pele.

‘The Pearlescent Illuminating Serum’ e ‘The Pleasing Pen’ (Foto: Divulgação/Pleasing)

A grande novidade está na coleção de esmaltes unissex, a The Perfect Polish Set (R$ 363,00). São quatro cores, que juntas, podem fazer inúmeras combinações nas unhas. Pelo que tudo indica, a tendência das unhas pintadas parece que veio mesmo para ficar entre o público masculino e não é apenas uma modinha entre celebridades e influencers.

Pérolas de beleza

Ainda na linha dos dermocosméticos multifuncionais, destacam-se dois produtos que merecem um lugar privilegiado na prateleira do seu banheiro. Tratam-se de dois séruns nutritivos que atuam na proteção do DNA da pele e têm ação antienvelhecimento.

Pearly Booster Resveratrol tem as primeiras pérolas de resveratrol bionanotecnológicas do mercado brasileiro, com booster de ativos antioxidantes, antienvelhecimento e benefícios rapidamente perceptíveis na pele.

Já o Pearly Booster Caviar possui um blend de ativos encapsulados em nanopartículas para maior penetração profunda na pele. Atua como poderoso rejuvenescedor, age promovendo nutrição, ação regenerativa e antirrugas. Possui, ainda, ácido hialurônico associado ao extrato de caviar em perfeito equilíbrio para ação preenchedora.

O Pearly Booster Resveratrol (R$ 127,40) e o Pearly Booster Caviar (R$ 142,00), ambos disponíveis em bebellecosmeticos.com (Foto: Divulgação)

SKINIMALISM

Um movimento que busca simplificar os cuidados com a pele tem conquistado cada vez mais espaço no mundo da beleza e ganhado cada vez mais adeptos – principalmente homens. O skinimalism (junção de ‘skin’ = pele em inglês e ‘minimalismo’) ganhou força em 2021 e diz respeito a uma rotina de skincare mais enxuta, prática, rápida e eficiente.

A rotina simples de cuidados com a pele, impulsionada pela pandemia, prega um “ritual” em poucos passos – em detrimento das várias fases e cosméticos utilizados – com aposta em poucos e bons produtos, preferência por fórmulas naturais e preocupação com o meio ambiente, da procedência dos ativos à produção e o descarte de embalagens.

O imperativo agora é reduzir excessos, ganhar tempo e conquistar uma pele saudável, economizando tempo e dinheiro.

Então, seja prático! Lave o rosto com um sabonete específico para o seu tipo de pele, aplique vitamina C e filtro solar, pela manhã. À noite, pode trocar o filtro solar por um hidratante ou sérum.

Os escolhidos

Uniform&Matte Sérum Booster Vitamina C Antimarcas (R$99,90 – 30 ml) chega formulado com o combo de três ingredientes: a vitamina C, o ácido salicílico e a niacinamida, que garantem um efeito peeling em casa, sem descamar, para marcas menos visíveis, conferindo também uniformidade, hidratação e pele matificada.
Um dos melhores sérums com ácido hialurônico já lançados no Brasil, o Be Hialuronic (R$ 186,00 – 30 ml) tem textura leve e flúida, aroma agradável e confere uma hidratação profunda e de longa duração na pele. Ideal para aplicar à noite, na pele limpa e seca.

JUNTO E MISTURADO

É provável que ainda não tenha ouvido falar em layering de perfumes, mas acredite, embora estranha, é a última tendência no que toca a fragrâncias. Antes de torcer o nariz, saiba que não é preciso recorrer a grandes perfumistas nem a perfumes de nicho e caros. Basta fazer layering (‘sobreposição’, numa tradução livre) de perfumes, ou seja, misturar aromas para encontrar um perfume único, que nos defina e nos caracterize.

Como isso funciona na prática? Experimente na sua própria pele… comece por misturar dois perfumes criados em torno de uma mesma nota simples de base, como sândalo ou aromas mais cítricos. O segredo é não exagerar e não misturar, por exemplo, dois aromas muito intensos. Você ainda pode brincar com fragrâncias complementares, que mais gosta e que vão torná-lo único. Depois de experimentar esta nova técnica e começar a sentir na pele os resultados, vai querer começar a criar cada vez mais perfumes exclusivos e à sua medida, para todas as ocasiões.

As apostas

Ideal para quem ama fragrâncias quentes e inesquecíveis, Alchemists Oud Eau de Parfum traz sofisticação em um olfativo amadeirado (R$ 349,90). Disponível no site do O Boticário. (Foto: Divulgação)

Black Collection (R$343,00 – 125 ml) é um perfume para um homem moderno, carismático e autoconfiante. Poderosa e sofisticada, a fragrância traz uma essência urbana, com uma família olfativa amadeirada especiada. O design superior dos frascos está de acordo com o espírito da Alfa Romeo: puro, essencial, único e com um toque de estilo italiano. (Foto: Divulgação)

No Oscar, Jane Campion é a primeira mulher indicada duas vezes a melhor direção

Seu filme, ‘Ataque dos Cães’, lidera a lista deste ano e é um dos favoritos para a estatueta de melhor filme

A cineasta Jane Campion – Philippe Desmazes/AFP

A cineasta Jane Campion se tornou, na manhã desta terça, a primeira mulher a receber duas indicações ao Oscar de melhor direção na história. Ela compete agora com “Ataque dos Cães”, mas já foi lembrada em 1994 com “O Piano”, que rendeu a ela o prêmio de roteiro original.

Campion e seu filme são favoritos na atual temporada de premiações, tanto para a estatueta de melhor direção, quanto para a de filme. No total, “Ataque dos Cães” recebeu 12 indicações, liderando a lista divulgada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.

Se ela levar o Oscar de direção, será apenas a terceira mulher a receber o prêmio, depois de Kathryn Bigelow, em 2010, com “Guerra ao Terror”, e Chloé Zhao, no ano passado, com “Nomadland”.

A​s outras diretoras indicadas na categoria, mas que não saíram dela vitoriosas, são Lina Wertmüller, por “Pasqualino Sete Belezas”, de 1975, Sofia Coppola, por “Encontros e Desencontros”, de 2003, Greta Gerwig, por “Lady Bird”, de 2017, e Emerald Fennell, por “Bela Vingança”, de 2020.

“Ataque dos Cães” acompanha dois irmãos que são proprietários de um grande rancho no estado de Montana, nos Estados Unidos. Quando um deles se casa, a relação já estremecida fica ainda mais problemática. Isso porque Phil é um homem bruto, que não se dá bem com a cunhada e com o filho dela, um garoto que ele considera sensível demais para aquele ambiente de masculinidade exacerbada.

Confia a lista completa de indicados ao Oscar:

Melhor filme

  • “Belfast”
  • “No Ritmo do Coração”
  • “Não Olhe para Cima”
  • “Drive My Car”
  • “Duna”
  • “King Richard – Criando Campeãs”
  • “Licorice Pizza”
  • “O Beco do Pesadelo”
  • “Ataque dos Cães”
  • “Amor, Sublime Amor”

Melhor direção

  • Paul Thomas Anderson, “Licorice Pizza”
  • Kenneth Branagh, “Belfast”
  • Jane Campion, “Ataque dos Cães”
  • Ryusuke Hamaguchi, “Drive My Car”
  • Steven Spielberg, “Amor, Sublime Amor”

Melhor atriz

  • Olivia Colman, “A Filha Perdida”
  • Nicole Kidman, “Apresentando os Ricardos”
  • Kristen Stewart, “Spencer”
  • Penélope Cruz, “Mães Paralelas”
  • Jessica Chastain, “Os Olhos de Tammy Faye”

Melhor ator

  • Javier Bardem, “Apresentando os Ricardos”
  • Benedict Cumberbatch, “Ataque dos Cães”
  • Andrew Garfield, “Tick, Tick… Boom!”
  • Will Smith, “King Richard: Criando Campeãs”
  • Denzel Washington, “A Tragédia de Macbeth”

Melhor atriz coadjuvante

  • Ariana DeBose, “Amor, Sublime Amor”
  • Kirsten Dunst, “Ataque dos Cães”
  • Aunjanue Ellis, “King Richard – Criando Campeãs”
  • Judi Dench, “Belfast”
  • Jessie Buckley, “A Filha Perdida”

Melhor ator coadjuvante

  • Ciaran Hinds, “Belfast”
  • Troy Kotsur, “No Ritmo do Coração”
  • Jesse Plemons, “Ataque dos Cães”
  • J.K. Simmons, “Apresentando os Ricardos”
  • Kodi Smit-McPhee, “Ataque dos Cães”

Melhor figurino

  • “Cruella”
  • “Duna”
  • “O Beco do Pesadelo”
  • “Amor, Sublime Amor”
  • “Cyrano”

Melhor trilha sonora

  • “Não Olhe para Cima”
  • “Duna”
  • “Encanto”
  • “Ataque dos Cães”
  • “Mães Paralelas”

Melhor som

  • “Duna”
  • “007: Sem Tempo para Morrer”
  • “Ataque dos Cães”
  • “Amor, Sublime Amor”
  • “Belfast”

Melhor roteiro adaptado

  • “No Ritmo do Coração”
  • “Drive My Car”
  • “Duna”
  • “A Filha Perdida”
  • “Ataque dos Cães”

Melhor roteiro original

  • “Belfast”
  • “Não Olhe para Cima”
  • “King Richard – Criando Campeãs”
  • “Licorice Pizza”
  • “A Pior Pessoa do Mundo”

Melhor curta-metragem em animação

  • “Affairs of the Art”
  • “Bestia”
  • “Boxballet”
  • “A Sabiá Sabiazinha”
  • “The Windshield Wiper”

Melhor curta-metragem

  • “Ala Kachuu – Take and Run”
  • “The Dress”
  • “The Long Goodbye”
  • “On My Mind”
  • “Please Hold”

Melhor canção original

  • ​”Dos Oruguitas”, de “Encanto”
  • “Somehow You Do”, de “Four Good Days”
  • “Be Alive”, de “King Richard – Criando Campeãs”
  • “No Time to Die”, de “007: Sem Tempo para Morrer”
  • “Down to Joy”, de “Belfast”

Melhor animação

  • “Encanto”
  • “Flee”
  • “Luca”
  • “A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas”
  • “Raya e o Último Dragão”

Melhor cabelo e maquiagem

  • “Um Príncipe em Nova York 2”
  • “Cruella”
  • “Duna”
  • “Os Olhos de Tammy Faye”
  • “Casa Gucci”

Melhor montagem

  • “Não Olhe para Cima”
  • “Duna”
  • “King Richard: Criando Campeãs”
  • “Tick, Tick… Boom!”
  • “Ataque dos Cães”

Melhor documentário

  • “Ascension”
  • “Attica”
  • “Flee”
  • “Summer of Soul (…ou Quando A Revolução Não Pôde Ser Televisionada)”
  • “Writing with Fire”

Melhor documentário em curta-metragem

  • “The Queen of Basketball”
  • “Três Canções Para Benazir”
  • “When We Were Bullies”
  • “Audible”
  • “Lead Me Home”

Melhores efeitos especiais

  • “Duna”
  • “Free Guy”
  • “007: Sem Tempo para Morrer”
  • “Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis”
  • “Homem-Aranha: Sem Volta para Casa”​

Melhor fotografia

  • “Duna”
  • “O Beco do Pesadelo”
  • “Ataque dos Cães”
  • “A Tragédia de Macbeth”
  • “Amor, Sublime Amor”

Melhor direção de arte

  • “Duna”
  • “O Beco do Pesadelo”
  • “Ataque dos Cães”
  • “A Tragédia de Macbeth”
  • “Amor, Sublime Amor”

Melhor filme internacional

  • “Drive My Car” (Japão)
  • “Flee” (Dinamarca)
  • “A Mão de Deus” (Itália)
  • “A Felicidade das Pequenas Coisas” (Butão)
  • “A Pior Pessoa do Mundo” (Noruega)

Oscar 2022 revela seus indicados com ‘Ataque dos Cães’ na liderança; veja lista

Mais importante premiação de Hollywood chega à 94ª edição com planos para evento presencial

Réplica gigante da estatueta do Oscar decora o tapete vermelho da edição de 2020 do prêmio
Réplica gigante da estatueta do Oscar decora o tapete vermelho da edição de 2020 do prêmio – Mark Ralston/AFP

SÃO PAULO – A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood anunciou na manhã desta terça-feira os indicados à 94ª edição do Oscar, que está marcada para o dia 27 de março e deve acontecer de forma presencial, no tradicional Dolby Theatre, em Los Angeles.

O campeão de indicações foi “Ataque dos Cães”, com 12. O filme tem como trunfo o bom trânsito tanto em categorias técnicas, quanto nas principais, o que também aconteceu com “Duna”, que teve dez indicações.

Ambos aparecem na seção de melhor filme, em que competem com “Belfast”, “No Ritmo do Coração”, “Não Olhe para Cima”, “King Richard – Criando Campeãs”, “Licorice Pizza”, “O Beco do Pesadelo”, “Amor, Sublime Amor” e o japonês “Drive My Car”, que surpreendeu e tirou “A Tragédia de Macbeth” e “Tick, Tick… Boom!” da disputa principal.

Entre os diretores que tentam embolsar uma estatueta está Jane Campion, que pode se tornar apenas a terceira mulher a vencer como melhor direção se confirmar seu favoritismo por “Ataque dos Cães” –as outras foram Kathryn Bigelow, em 2010, e Chloé Zhao, no ano passado.

Para alcançar o feito, ela terá de superar medalhões como Steven Spielberg e Paul Thomas Anderson, além de Kenneth Branagh e do japonês Ryusuke Hamaguchi.

O Brasil, como já é sabido desde a divulgação de uma pré-lista de competidores, ficou de fora da disputa pelo Oscar de filme internacional, pelo 23º ano consecutivo. O país tentava uma vaga com “Deserto Particular”, de Aly Muritiba. Foram escolhidos os representantes do Japão, da Dinamarca, da Itália, do Butão e da Noruega.

Confira abaixo os indicados à 94ª edição do Oscar, conforme eles foram anunciados pela dupla de atores Leslie Jordan e Tracee Ellis Ross em transmissão ao vivo.

*

Melhor filme

  • “Belfast”
  • “No Ritmo do Coração”
  • “Não Olhe para Cima”
  • “Drive My Car”
  • “Duna”
  • “King Richard – Criando Campeãs”
  • “Licorice Pizza”
  • “O Beco do Pesadelo”
  • “Ataque dos Cães”
  • “Amor, Sublime Amor”

Melhor direção

  • Paul Thomas Anderson, “Licorice Pizza”
  • Kenneth Branagh, “Belfast”
  • Jane Campion, “Ataque dos Cães”
  • Ryusuke Hamaguchi, “Drive My Car”
  • Steven Spielberg, “Amor, Sublime Amor”

Melhor atriz

  • Olivia Colman, “A Filha Perdida”
  • Nicole Kidman, “Apresentando os Ricardos”
  • Kristen Stewart, “Spencer”
  • Penélope Cruz, “Mães Paralelas”
  • Jessica Chastain, “Os Olhos de Tammy Faye”

Melhor ator

  • Javier Bardem, “Apresentando os Ricardos”
  • Benedict Cumberbatch, “Ataque dos Cães”
  • Andrew Garfield, “Tick, Tick… Boom!”
  • Will Smith, “King Richard: Criando Campeãs”
  • Denzel Washington, “A Tragédia de Macbeth”

Melhor atriz coadjuvante

  • Ariana DeBose, “Amor, Sublime Amor”
  • Kirsten Dunst, “Ataque dos Cães”
  • Aunjanue Ellis, “King Richard – Criando Campeãs”
  • Judi Dench, “Belfast”
  • Jessie Buckley, “A Filha Perdida”

Melhor ator coadjuvante

  • Ciaran Hinds, “Belfast”
  • Troy Kotsur, “No Ritmo do Coração”
  • Jesse Plemons, “Ataque dos Cães”
  • J.K. Simmons, “Apresentando os Ricardos”
  • Kodi Smit-McPhee, “Ataque dos Cães”

Melhor figurino

  • “Cruella”
  • “Duna”
  • “O Beco do Pesadelo”
  • “Amor, Sublime Amor”
  • “Cyrano”

Melhor trilha sonora

  • “Não Olhe para Cima”
  • “Duna”
  • “Encanto”
  • “Ataque dos Cães”
  • “Mães Paralelas”

Melhor som

  • “Duna”
  • “007: Sem Tempo para Morrer”
  • “Ataque dos Cães”
  • “Amor, Sublime Amor”
  • “Belfast”

Melhor roteiro adaptado

  • “No Ritmo do Coração”
  • “Drive My Car”
  • “Duna”
  • “A Filha Perdida”
  • “Ataque dos Cães”

Melhor roteiro original

  • “Belfast”
  • “Não Olhe para Cima”
  • “King Richard – Criando Campeãs”
  • “Licorice Pizza”
  • “A Pior Pessoa do Mundo”

Melhor curta-metragem em animação

  • “Affairs of the Art”
  • “Bestia”
  • “Boxballet”
  • “A Sabiá Sabiazinha”
  • “The Windshield Wiper”

Melhor curta-metragem

  • “Ala Kachuu – Take and Run”
  • “The Dress”
  • “The Long Goodbye”
  • “On My Mind”
  • “Please Hold”

Melhor canção original

  • ​”Dos Oruguitas, de “Encanto”
  • “Somehow You Do”, de “Four Good Days”
  • “Be Alive”, de “King Richard – Criando Campeãs”
  • “No Time to Die”, de “007: Sem Tempo para Morrer”
  • “Down to Joy”, de “Belfast”

Melhor animação

  • “Encanto”
  • “Flee”
  • “Luca”
  • “A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas”
  • “Raya e o Último Dragão”

Melhor cabelo e maquiagem

  • “Um Príncipe em Nova York 2”
  • “Cruella”
  • “Duna”
  • “Os Olhos de Tammy Faye”
  • “Casa Gucci”

Melhor montagem

  • “Não Olhe para Cima”
  • “Duna”
  • “King Richard: Criando Campeãs”
  • “Tick, Tick… Boom!”
  • “Ataque dos Cães”

Melhor documentário

  • “Ascension”
  • “Attica”
  • “Flee”
  • “Summer of Soul (…ou Quando A Revolução Não Pôde Ser Televisionada)”
  • “Writing with Fire”

Melhor documentário em curta-metragem

  • “The Queen of Basketball”
  • “Três Canções Para Benazir”
  • “When We Were Bullies”
  • “Audible”
  • “Lead Me Home”

Melhores efeitos especiais

  • “Duna”
  • “Free Guy”
  • “007: Sem Tempo para Morrer”
  • “Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis”
  • “Homem-Aranha: Sem Volta para Casa”​

Melhor fotografia

  • “Duna”
  • “O Beco do Pesadelo”
  • “Ataque dos Cães”
  • “A Tragédia de Macbeth”
  • “Amor, Sublime Amor”

Melhor direção de arte

  • “Duna”
  • “O Beco do Pesadelo”
  • “Ataque dos Cães”
  • “A Tragédia de Macbeth”
  • “Amor, Sublime Amor”

Melhor filme internacional

  • “Drive My Car” (Japão)
  • “Flee” (Dinamarca)
  • “A Mão de Deus” (Itália)
  • “A Felicidade das Pequenas Coisas” (Butão)
  • “A Pior Pessoa do Mundo” (Noruega)