Alexandra Moura | Fall Winter 2022/2023 | Full Show

Alexandra Moura | Fall Winter 2022/2023 | Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – Portugal Fashion) #Alexandramoura #FW22 #Portugalfashion

Martin Felix Kaczmarski – Sky Rock Dive/Island Rise/Daybreak Spirit

Anna Collecta – Defected Broadcasting House Show

  1. Izinque – Angelo Ferreri
  2. That’s The Good Gruuve – Adri Block
  3. Funky Pride – Ivan Jack
  4. Get Yo Self – Hatiras
  5. Pushin’ On – Locky
  6. Money’s Tight- Block & Crown & Paul Parsons
  7. Superlovin – Mark Funk, Danny Cruz
  8. Over – Discosteps
  9. Keep On Jumpin’ (Tee’s Freeze Mix) – Todd Terry, Jocelyn Brown, Martha Wash
  10. Some Kind of Magic – Smoke Balls
  11. Possibly Impossible (Crackazat Remix) – Cor.Ece, Razor-N-Tape
  12. To Be In Love (Tiefschwarz Remix) – La India
  13. Play To Win (Dave Lee Destination Boogie Mix) – Destiny III, Dave Lee
  14. Love Shy (Extended Mix) – Wez Whynt, Hannah Khemoh
  15. Happiness – Peter Brown, Mijangos, Hatiras
  16. Love’s Gonna Bring You Home (Eric Kupper Remix) – The Rockmelons, Doug Williams,
    Eric Kupper
  17. The Storm – Stefano Mango
  18. Ready Or Not – Bonetti
  19. Over Like A Fat Rat (Jazz-N-Groove Classic Mix) – Community
  20. Clouds (Max Hardy) – Chaka Khan
  21. Nothing Is the Same – Dominic Balchin
  22. All Good Things – The Patchouli Brothers
  23. Flying High – Mark Whites
  24. Stomp (New York, Detroit) – Crazibiza, House of Prayers
  25. Nouveau Depart – Nine Lives
  26. Straight From the Heart (Joey Negro Straight To The Groove Mix) – Loose Chance, Joey
    Negro
  27. Skip To My Lou – Finis Henderson
  28. We’re On Our Way Home Pt.1 – Brainstorm

Satiríase – Fiwoo and Kobe photographed by Matthias Leton for Fucking Young! Online

Fiwoo and Kobe photographed by Matthias Leton and styled by Marcella Verweyen, in exclusive for Fucking Young! Online.

Creative Production: Anytime Studios @weareanytime
Photographer: Matthias Leton @matthiasleton
Art Director: Aurelie Anne @aurelie__anne
1st Photo Assistant: Birk Alisch @birkalisch
2nd Photo Assistant: Dominik Leingartner @domink.leingartner
Production Assistant: Jelena Dauter @jelena.dauter
Styling: Marcella Verweyen @marcellaverweyen @bigoudi_agency
Hair: Bronwyn De Kock @soul_womann
Make-Up: Janette Peters @janetteptrsmua
Casting: White Casting @whitecasting
Talent 1: Fiwoo @fiwoo_k @vivamodelsberlin
Talent 2: Kobe @kobe.kaiser @kultmodels Location: Studio Chérie @studio_cherie
Prop Design: Una Ryu @no_filter_no_no
Video & Edit: Dominik Leingartner @dominik.leingartner
Music Composition: Dominik Novak @dominiknovak
Special thanks to @delightrent @burakisseven @pool.berlin @night_boutique_vintage_archive

BRANDS: William Fan, Martin Asbjorn, Hendrik Vibskov, Bottega Veneta, Franziska Michael, Commes des Garçons, SUSUMU AI, Issey Miyake, Diesel, Versace, Magliano, Kentucky‘s Western, Atelier Anna Auras.

AVELLANEDA: “Au réveil il était midi”

A nova coleção Avellaneda intitulada “ Au réveil il était midi ” foi apresentada durante o 080 Barcelona Fashion .

O verão não é para ser sonhado, mas para ser vivido. A nova coleção de Avellaneda nos leva às latitudes tropicais, mas foca nos tons intermediários que dão sentido à elegância do verão há décadas: tecidos naturais, estampas listradas, tons brilhantes ou ardentes – rosa, laranja, coral – que levam a leveza ao máximo consequências. Não há espaço para rigidez aqui. É por isso que vários modelos de jaquetas variam sem esforço de guarda-roupas masculinos a femininos. Tudo combina com tudo, tudo se harmoniza com tudo, e tudo flui como um verão perfeito. As estampas fogem dos clichês e adotam uma versão mediterrânea do ikat que traz saias e smokings etéreos com personagens que fogem do tédio. As roupas lembram a elegância prática da mulher saariana e a alfaiataria hedonista daqueles verões de meados do século imortalizados por Slim Aarons. As blusas acariciam o corpo e se entrelaçam. As calças dançam e os vestidos agarram-se à pele ou desdobram-se em grandes volumes. Ao anoitecer, a música começa, os corpos relaxam e o ar fica carregado de eletricidade e uma umidade leve e radiante que parece suspeitosamente de felicidade.”

Conversamos com o designer logo antes de ele apresentar sua coleção e eis o que ele nos contou:

Au réveil il était midi. Conte-nos um pouco sobre a nova coleção que você apresenta no 080 Barcelona Fashion.

Com esta coleção, além de procurar o que explico no texto da coleção, procurava um oásis mental de positivismo, de boa energia e otimismo porque acho necessário nos tempos que vivemos. Eu estava procurando uma coleção elegante, sofisticada, mas ao mesmo tempo descontraída, um ponto hedonista bem descontraído que (como sempre nas minhas coleções) vai funcionar tanto no feminino quanto no masculino e com ênfase na alfaiataria, mas que quando você vi que você poderia escapar por um momento para algum pensamento otimista e positivo que eu sugeri a você.

“Verão não é sonhar, mas vivê-lo”. Como você vive o verão e como espera que o homem e a mulher que veste AVELLANEDA o vivam?

Acredito que o verão é aquele momento do ano em que nos permitimos tudo, nos permitimos ser mais preguiçosos, ou ser mais sociais, nos permitimos ser nós mesmos sem nos julgar porque o verão é aquele momento relaxante do ano em que eu acredite que sua essência sai 100%, e é isso que espero com esta coleção, que o homem e a mulher AVELLANEDA possam ser quem são, sem máscaras, sem protocolos, sem espartilhos mas sempre acreditei no hedonismo e na busca do prazer (em qualquer uma das suas formas) é algo importante e algo que no verão, devido ao estado mental em que nos encontramos, é mais fácil de alcançar, e as roupas fazem parte disso tudo. No verão viajamos, ou fugimos da rotina e muitas vezes nessa escapada nos permitimos vestir roupas que talvez durante o ano não ousemos tanto,

A estampa sempre teve uma forte presença em suas criações. Onde você se inspirou para procurar novas estampas para esta nova coleção?

Como você diz, eu sempre incorporo um padrão em cada coleção, e sempre muito colorido. Desta vez adicionei um IKAT porque é uma estampa que me lembra a minha infância no Mediterrâneo, as casas de veraneio, e aquele prazer de estar no verão curtindo o “dolce far niente” e muitas vezes quando fazia isso, ficava feliz e muitas vezes com esse tipo de estampa por perto, por isso, como eu queria ter essa sensação, essa estampa tinha que estar lá. Além disso, sempre me pareceu um padrão muito elegante.

Normalmente vemos o verão como a estação do ano em que podemos estar mais relaxados. Você pode ficar relaxado mesmo em um terno?

Sem dúvida, imagine um pôr do sol, em uma casa maravilhosa com vista para o mar, ou em um veleiro, descalço ou com algumas alpargatas, o vestido arregaçado nas mangas e em uma cor de verão ou marfim, desfrutando sozinho ou com amigos. A ideia é que o traje seja como uma segunda pele e retire essa rigidez. No final das contas, é uma atitude e se você tiver a atitude certa, o traje não é uma armadura, é uma segunda pele que se adapta ao seu corpo e você não percebe que está usando.

Vamos imaginar que estamos no meio de agosto em uma noite quente na companhia de bons amigos e com uma bebida gelada na mão. Que música está tocando?

Se for música ao vivo, eu gostaria de um violão, e de repente quem toca faz soar “mediterrâneo” de Serrat, ou de repente algo com notas de flamenco, e se você também ouvir o mar e as risadas, já é maravilhoso.

Como foi a experiência de apresentar sua nova coleção no MACBA, de mãos dadas com o 080 Barcelona Fashion?

É sempre maravilhoso, a equipe é muito top e eles facilitam, também sempre aparece em espaços incríveis que não costumamos ter acesso, como o MACBA e é um luxo.

Algum projeto interessante em breve?

Lancei uma coleção com a Multiopticas, a segunda porque a primeira funcionou muito bem, alguns projetos de televisão e alguma colaboração com uma empresa mas que ainda não posso revelar. A verdade é que me sinto super sortuda e todos os dias é poder viver o sonho que tinha quando criança, mas melhorou.

Confira a coleção abaixo:

Oscar suspende Will Smith por dez anos por tapa em Chris Rock

Punição ao ator, que já havia renunciado à Academia, foi divulgada nesta sexta-feira (8)

Will Smith dá tapa em Chris Rock durante o Oscar – Robyn Beck/AFP

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood decidiu, nesta sexta-feira (8), qual será a punição do Will Smith por estapear o comediante Chris Rock: o ator está proibido de comparecer à cerimonia de entrega do Oscar pelos próximos dez anos.

“O conselho decidiu, por um período de dez anos a partir do dia 8 de abril de 2022, que o senhor Smith não poderá comparecer a qualquer evento da Academia, pessoal ou virtualmente, incluindo mas não limitado ao Oscar”, afirma o comunicado assinado pelo presidente da instituição, David Rubin, e pela CEO Dawn Hudson.

Marcada inicialmente para 18 de abril, a reunião sobre o destino do ator foi adiantada após ele renunciar a seu posto na Academia. O conselho da Academia tem 54 membros, entre eles o cineasta Steven Spielberg e as atrizes Laura Dern e Whoopi Goldberg. Smith violou o código de conduta imposto aos membros da Academia após o escândalo #MeToo. O cancelamento do prêmio dado a Smith na cerimônia, por sua atuação em “King Richard: criando campeãs” já havia sido descartado como punição.

O comunicado afirmou ainda que “o comportamento inadmissível e perigoso do senhor Smith no palco” ofuscou a 94ª edição do Oscar, que “era para ser uma celebração dos vários indivíduos de nossa comunidade”. Em nome da Academia, Rubin e Hudson também pediram desculpas por não terem reagido “de forma apropriada à situação” e agradeceram Rock por ter mantido “a compostura sob circunstâncias extraordinárias”.

“Esperamos que isso possa iniciar um período de cura e renovação para todos aqueles envolvidos e impactados pelo ocorrido”, disseram os signatários do documento.

Smith já havia dito que acataria a decisão da Academia e descrito as próprias ações como “chocantes e dolorosas”. “Eu traí a confiança da Academia. Privei outros indicados e vencedores de sua oportunidade de celebrar e ser celebrado por seu trabalho extraordinário. Estou de coração partido”, disse ele em seu comunicado de renúncia à Academia, no início do mês.

O ator agrediu Rock após o comediante comparar sua mulher, Jada Pinkett Smith, à personagem G.I. Jane, interpretada pela atriz Demi Moore no filme “Até o limite da honra” (1997). No longa, a personagem tem o cabelo raspado porque faz parte da Marinha. Jada, porém, sofre de alopecia, que provoca calvície.

Após a piada, Smith subiu em silêncio no palco e deu um tapa no rosto de Rock. De volta à plateia, esbravejou: “deixe o nome da minha mulher fora da p**** da sua boca”. Na sequência, o ator foi acalmado por Jada e Denzel Washington. No dia seguinte, Smith pediu desculpas a Rock.

Funcionários ameaçam deixar Apple após volta aos escritórios

Na próxima segunda-feira (11/4), é esperado que os funcionários da Apple finalmente voltem aos escritórios da empresa após dois longos anos de trabalho remoto, provocado pela pandemia do novo Coronavírus (COVID-19). Segundo o New York Post, entretanto, alguns colaboradores não estão nada contentes com o retorno — ameaçando, inclusive, deixar a empresa.

Essa situação tem sido uma verdadeira novela para a Apple, que já adiou o retorno aos escritórios mais de uma vez no último ano. Desta vez, a empresa espera que seus funcionários voltem a frequentar suas instalações em um novo sistema híbrido, o qual começaria com apenas um dia de trabalho presencial pelas primeiras três semanas e aumentaria progressivamente para um regime de três dias de trabalho até 23 de maio.

De acordo com o veículo, alguns funcionários estão ameaçando pedir demissão da Apple caso a empresa mantenha os atuais planos de retorno, citando, inclusive, condições de trabalho mais flexíveis em outras empresas, como o Google e a Amazon.

Parte das declarações, retiradas do fórum corporativo Blind, são bastante incisivas e ressaltam, principalmente, questões como o deslocamento até os escritórios.

Eu vou ir para dizer “olá” e conhecer todo mundo, já que nunca os vi desde que comecei, e então irei enviar minha carta de demissão quando chegar em casa. Já sei que não vou conseguir lidar com o transporte e ficar sentado lá por 8 horas.

Parte das mensagens encontradas no fórum são acompanhadas de comentários de outros funcionários da empresa encorajando a atitude e/ou dizendo pretender fazer o mesmo.

Mês passado, no anúncio da última data do retorno ao presencial, o CEO1 Tim Cook reconheceu que o plano teria resistência de parte de seus funcionários, mas focou naqueles que estão animados para o “novo normal” ao dizer que a mudança “representa um marco há muito aguardado e um sinal positivo de que poderemos interagir mais fortemente com pessoas que possuem um papel importante”.

Outras Big Techs também já expressaram o desejo de voltar aos escritórios; contudo, vale notar que empresas como o Google passaram a permitir que seus funcionários optem por continuar a trabalhar em casa permanentemente, mesmo que isso implique em cortes no pagamento. Amazon e Meta também adotaram políticas semelhantes.

Enquanto alguns funcionários dizem já estar a procura de novas vagas de trabalho, outros afirmam já estar em fase avançada de negociação com outras companhias.

A Apple ainda não comentou o assunto. [MacMagazine]

Shanti Celeste | Boiler Room x Dommune x Technics: A Celebration of 50 Years of the SL-1200

Shanti Celeste – live from Sounds of the Universe in London.

Novo livro Kids of Cosplay do fotógrafo Thurstan Redding se concentra na comunidade global de cosplay

por IRENE OJO FELIX

Imagens cortesia de Thurstan Redding

O que é moda senão escapismo de alfaiataria? O fotógrafo londrino Thurstan Redding leva a questão mais longe com sua exploração da expansiva comunidade de cosplay em seu livro de estreia, Kids of Cosplay . Inesperadamente filmado fora da Comic-Con, o olhar introspectivo no mundo dos cosplayers vê a moda como uma forma completa de expressar a criança interior, em vez de uma apresentação segura e esperada. Justapondo o mistério encoberto da comunidade com a realidade mundana da vida suburbana, Redding trabalhou com os colaboradores Finlay Macaulay , Jean-Baptiste Talbourdet-Napoleone e Lolita Jacobs .elenco e direção de arte, respectivamente. O resultado é uma celebração visual que levou Redding ao redor do mundo para um vislumbre da vasta habilidade e arte do cosplay. Redding fala com Models.com sobre o processo de criação de Kids of Cosplay , como o elemento de ‘brincar’ é essencial e ser rejeitado por Daenerys Targaryen. Disponível para pré-encomenda aqui , o livro será vendido globalmente neste inverno e será vendido por US$ 85.

O que há na comunidade de cosplay que o cativou e sempre se interessou?
Cosplay foi algo que eu só me interessei muito pouco antes de começar o projeto. Eu estava em Los Angeles em uma missão quando vi pela primeira vez um cosplayer na rua. Eu estava ciente disso como uma subcultura, mas nunca havia realmente me envolvido com isso. Fiquei tão intrigado, e quando vi outro cosplayer no DLR em Londres – vestido como Rick de Rick & Morty – senti que realmente poderia se tornar o foco do livro. Como comunidade, meu interesse veio inicialmente do fato de que ainda parece incrivelmente esotérico, apesar de ser enorme em escala. É quase como um fenômeno global que está acontecendo sem que realmente o vejamos.

Onde você foi buscar cosplayers para este projeto?
O diretor de elenco Finlay Macaulay e eu íamos à Comic-Con em Londres e abordávamos dezenas de cosplayers para pedir seus dados de contato. Do punhado que os daria para nós, outro punhado responderia, e então outro punhado deles realmente apareceria nos brotos. Basicamente, repetimos esse processo para lançar o livro, que é uma das razões pelas quais acabou consumindo bastante tempo. Acabamos com cerca de 60 cosplayers no final.

Imagens cortesia de Thurstan Redding

Em termos de moda e figurino, o que mais te impressionou em seus temas?
Eu acho que a atenção aos detalhes é realmente impressionante. Lembro-me de conhecer uma Daenerys Targaryen [cosplayer] de Game of Thrones que tinha um ovo coberto de folha de ouro real. Eu estava muito interessado em incluí-la no livro, mas ela infelizmente recusou! Essa atenção aos detalhes é algo que os cosplayers realmente carregam em seu trabalho. Eu também amo como os figurinos são coisas que eles ajustam e reutilizam. Parece um verdadeiro amor pelo artesanato e a ideia de que algo pode ser melhorado lentamente ao longo do tempo.

Como você decidiu sobre os cenários contrastantes dos locais como uma estrutura para os cosplayers?
Eu inicialmente gravei o livro de uma perspectiva puramente documental, mas achei que parecia um pouco desequilibrado com os cosplayers. Acho que também percebi que algo que achei tão marcante é a existência dos cosplayers em espaços tão liminares e suburbanos. Esse contraste era algo que eu realmente queria traduzir, e senti que havia perdido esse elemento ao abordá-lo estritamente de maneira documental.

Imagens cortesia de Thurstan Redding

Quanto tempo durou o seu processo de seleção das imagens finais e qual o fio condutor essencial para transmitir?
A seleção das imagens finais foi bastante rápida, surpreendentemente. Eu acho que isso aconteceu porque todas as imagens foram pré-desenhadas e esboçadas, então, uma vez que foram percebidas, foi fácil selecionar. Muitas pessoas me disseram que as imagens parecem muito melancólicas; isso não é algo que eu explicitamente pensei que estava transmitindo, mas olhando para trás agora estou muito feliz que parece ser um fio comum em todas as imagens.

Ao olhar para sua trajetória como artista, o que você gostaria de dizer ao seu eu mais jovem?
Ah, essa é uma pergunta tão difícil! Eu gosto de pensar que arrependimentos são uma grande perda de tempo, mas eu definitivamente diria ao meu eu mais jovem para levar meu tempo.

Imagens cortesia de Thurstan Redding

Como colaboradores como Jean Baptiste Talbourdet-Napoleone e Lolita Jacobs ajudaram seu processo criativo?
A direção de arte que eles trouxeram foi fundamental para realmente traduzir o espírito do cosplay de forma visual ao abordar o livro. Eles tiveram a ideia de homenagear as cores vivas do cosplay (e é por isso que o livro é roxo e menta, com toques de amarelo ácido) e justapor isso com um layout mínimo. Eu nem tinha pensado em como o livro ficaria porque eu estava tão focado nas imagens, mas ter o olho deles realmente permitiu que o projeto se unisse e parecesse coerente como um conjunto.

O que você quer que o público sinta ao ver essas imagens?
Isso tem sido tão interessante para mim. Como mencionei, realmente parece que o principal sentimento que eles provocaram é a melancolia. Parte de mim acha que isso talvez seja porque o projeto confronta as pessoas com o fato de que elas deixaram de lado esse elemento de ‘brincar’ e se vestir que os cosplayers abraçam tão livremente. Eu certamente senti uma sensação de melancolia pelo meu eu mais jovem ao filmar o projeto – como o ato de simplesmente encarnar um super-herói pode ser tão divertido. Eu acho que é algo que estou muito feliz para os espectadores levarem com eles.

Filha de Madonna, Lourdes Maria Leon exibe axila sem depilar em clique de lingerie

A modelo Lourdes Maria Leon é fruto do relacionamento da cantora com o ator cubano Carlos Leon

A modelo Lourdes Maria Leon, filha da cantora Madonna (Foto: Instagram)

A filha de 25 anos da cantora Madonna exibiu suas axilas sem depilar em um clique de lingerie compartilhado na conta dela no Instagram. No registro, a jovem Lourdes Maria Leon aparece vestindo as roupas íntimas, com os cabelos soltos e os braços para cima.

O registro foi feito para ensaio da modelo para a grife norte-americana Calvin Klein.

Chamada pela mãe pelo apelido de Lola, a modelo tem o espaço de comentários de seus posts no Instagram fechado, para evitar o ataque e o bullying de haters.

Lourdes Maria nasceu em 1996, durante o casamento de Madonna com o ator cubano Carlos Leon, entre 1995 e 1997. Ela tem cinco irmãos por parte de mãe e uma irmã por parte de pai. Estrela de campanhas publicitárias de várias grifes internacionais, recentemente ela também posou para as marcas Burberry e Savage X Fenty, essa última pertencente à cantora Rihanna.