NORD LIVE: Danae Greenfield – Shelter

Check out the amazing Danae Greenfield Quintet performing “Shelter” live at the Bunker Studios in Brooklyn!

NORD LIVE ft. Danae Greenfield features exclusive live performances from the Brooklyn-based keyboardist and her electronic quintet which combines elements of jazz, fusion, and electronic music. Recorded live at the Bunker Studios, Brooklyn in January 2022. #danaegreenfield​ #nordlive​ #iseenord​

Confira o incrível Danae Greenfield Quintet tocando “Shelter” ao vivo no Bunker Studios no Brooklyn!

NORD LIVE com Danae Greenfield apresenta performances ao vivo exclusivas da tecladista do Brooklyn e seu quinteto eletrônico que combina elementos de jazz, fusão e música eletrônica. Gravado ao vivo no Bunker Studios, Brooklyn, em janeiro de 2022. #danaegreenfield​ #nordlive​ #iseenord​

Song: Shelter by Danae Greenfield
Keys: Danae Greenfield
Guitar: Finnegan Singer
Saxophone: Jared Yee
Bass: Antonio Solis
Drums: Jharis Yokley
Audio Engineer: Alex Conroy
Mixing: Sam Brawner
Video production: Ian Priven
Location: The Bunker Studio, Brooklyn
Gear: Nord Wave 2, Nord Stage 3

Liberdade ou mais controle? Como será o futuro do Twitter nas mãos de Elon Musk

Interesses políticos podem estar envolvidos na aquisição da rede social pelo bilionário, que é crítico da moderação de conteúdo, mas dúbio sobre sua visão política
Brad Stone, da Bloomberg News

Elon Musk - Em 2022, sua fortuna é avaliada em US$263 bilhões. Deve conquistar seu primeiro trilhão em 2024, aos 52 anos Foto: POOL / via REUTERS
Elon Musk – Em 2022, sua fortuna é avaliada em US$263 bilhões. Deve conquistar seu primeiro trilhão em 2024, aos 52 anos Foto: POOL / via REUTERS

NOVA YORK – O que está em jogo na compra, por Elon Musk, o homem mais rico do mundo, do Twitter? A oferta de US$ 44 bilhões foi aprovada nesta segunda-feira pelo Conselho de Administração da plataforma que, agora, vai se tornar uma empresa de capital fechado.

E uma confluência de interesses pode fazer com que o impacto da aquisição da rede social pelo bilionário fundador da Tesla vá muito além dos negócios — influenciando desde os rumos da democracia nos Estados Unidos à política em diversos países.

Em meio à avalanche de fake news e suas implicações políticas, a grande pergunta que fica agora é se uma das maiores redes sociais do mundo tende a reduzir ou ampliar o controle ao que é publicado por seus usuários.

Até agora, Musk tem deixado uma visão dúbia sobre o que classifica como liberdade de expressão, além de dizer que pretende se manter afastado da política. Em comunicado, o empresário defendeu a “liberdade de expressão”, mas prometeu combater robôs e cogitou “autenticar” todos os usuários.

“Liberdade de expressão é a base de uma democracia funcional, e o Twitter é a praça digital onde temas vitais para o futuro da humanidade são debatidas”, afirmou Musk em um comunicado nesta segunda-feira.

Ele também deu sinais do que pretende mudar na plataforma: “Quero tornar o Twitter melhor do que nunca, aprimorando o produto com novos recursos, tornando os algoritmos de código aberto para aumentar a confiança, derrotando bots de spam (robôs que replicam mensagens) e autenticando todos os humanos.”

O bilionário sul-africano já vinha deixando claro que seu principal objetivo ao comprar o Twitter é apoiar a liberdade irrestrita de publicações na plataforma e reduzir o uso de marcadores ou remoções de conteúdos inapropriados.

— É muito importante que exista uma arena inclusiva para a liberdade de expressão — afirmou Musk este mês em uma conferência. — O Twitter se tornou uma praça pública de fato, então é muito importante que as pessoas tenham tanto a possibilidade concreta como a percepção de que são livres para falar, dentro dos limites da lei.

Apesar de seu próprio histórico pessoal de tolerância com discursos contrários aos seus interesses ser dúbio, Musk definiu assim, na conferência, o que seria na sua visão a liberdade de expressão: 

— Um bom sinal se há liberdade de expressão é o seguinte: alguém que você não gosta pode falar algo que você não gosta? Se a resposta é sim, então há liberdade de expressão.

Musk costuma dizer que prefere ficar longe da política, mas há bons motivos para suspeitar que tendo o Twitter como uma empresa sua, ele poderia reativar a conta do ex-presidente americano Donald Trump.

Trump foi banido permanentemente do Twitter após a invasão do Capitólio, em janeiro do ano passado, “devido ao risco de novas incitações à violência”, como justificou a plataforma na ocasião. Nesta segunda-feira, o ex-presidente disse que não voltaria ao Twitter, mesmo sob nova direção.

Na mesma conferência em que defendeu a liberdade de expressão, Musk disse que seria “muito cauteloso” em relação a banimentos permanentes em plataformas como o Twitter.

Em outros momentos, sua visão de mundo se aproximou à de Trump, como há dois anos, quando o então presidente americano apoiou os planos da Tesla de reabrir sua fábrica na Califórnia em pleno lockdown do estado para conter a Covid.

E, em tuítes recentes, o bilionário aparentemente absorveu muitas das ideias da extrema direita americana em sua guerra cultural: “ A mentalidade ‘woke’ está fazendo a Netflix impossível de se assistir”,  disse Musk referindo-se a forma politicamente correta de abordagem de temas como racismo e desigualdade de gênero.

Aposta dos conservadores

O Politico, um dos mais influentes sites de análise política dos EUA, pontuou, recentemente, que os políticos conservadores americanos consideram que Trump será o “salvador do Twitter”.

Em entrevista ao site, o deputado republicano Darrell Issa, da Califórnia, disse que Musk “poderia levar o Twitter a uma direção muito melhor” para aqueles que, segundo Issa, foram “injustamente silenciados ou censurados pela ofensiva do Twitter contra o discurso conservador e contra as ideias de que a plataforma não gosta”. 

“Os censores do Twitter estão enlouquecendo porque não podem comprar o silêncio de Elon Musk. Claramente, as big techs não conseguem lidar com quem pensa diferente delas”, tuitou a senadora republicana pelo Tennessee Marsha Blackburn.  

Musk sempre foi um grande doador do American Civil LIberties Union, entidade que defende o “livre discurso” de todos os candidatos e que argumenta que todos os políticos deveriam ter acesso ilimitado e sem travas às mídias sociais, não importa os riscos envolvidos. 

É por isso que a proposta de Musk pelo Twitter parece ser bem mais do que uma aquisição de negócios, mas sim uma “compra política”, remetendo a episódios do passado, como a aquisição, pelo bilionário australiano Rupert Murdoch, do New York Post em 1976 e do Wall Street Journal em 2007. 

Musk, que já disse “não ligar para as questões econômicas” de comprar o Twitter, parece querer um diferente tipo de poder: controlar um dos maiores megafones do mundo e, com isso, conseguir impor sua ideologia libertária em temas como moderação – ou falta de moderação – e desinformação. 

E assim como Murdoch já foi acusado de usar suas publicações para defender os interesses de seus negócios, Musk também terá não só motivações pessoais como financeiras para reabilitar vozes hoje banidas pelo Twitter. Por exemplo, se Trump for reeleito e a Tesla conseguir retomar seus créditos tributários para a produção de veículos elétricos, Musk pode ser tentado a permitir sua volta ao Twitter. 

E, com mais de 80 milhões de seguidores, Musk já usa o Twitter como uma máquina poderosa de marketing para suas empresas. 

A pressão política pode ser ainda mais forte fora dos Estados Unidos. Em 2020, o Twitter começou a marcar como “mídia de filiação estatal” as contas de membros do governo e de grupos de comunicação governamentais da China.

Além de marcar essas publicações, a plataforma adotou medidas para que esses tuítes não tivessem grande alcance na rede. A Tesla tem grandes interesses comerciais na China e, para atingi-los, precisa do apoio do presidente Xi Jinping. Como Musk lidaria com essa moderação do Twitter em relação aos posts de órgãos estatais chineses? 

E, se outro titã do mundo tecnológico, Jeff Bezos, da Amazon, prometeu — e até agora cumpriu — não misturar negócios com decisões editoriais após sua aquisição do Washington Post em 2013, Musk parece estar fazendo justamente o contrário.  

O bilionário não cansa de repetir que “vai se envolver” no Twitter. Então, qualquer que seja a ideologia que ele poderá implantar caso compre a plataforma, isso terá impacto não só para os acionistas do Twitter — mas para todos nós.

Grace Wales Bonner será a designer convidada na próxima edição do Pitti Uomo

por Gabriel Córdoba Acosta

Grace Wales Bonner 

A designer britânica Grace Wales Bonner, fundadora de sua marca homônima Wales Bonner , está em alta. Depois de fazer sua estréia na semana de moda de Paris em janeiro passado (embora digitalmente devido às restrições do Covid-19 na época), ela acaba de confirmar o boato que todos ouvimos sem parar nos últimos dias. Que? Que ela será a designer convidada da temporada na próxima edição do Pitti Uomo .

Isso mesmo, Grace viajará para Florença no próximo mês de junho para participar da 102ª edição da feira como convidada de honra e apresentar sua coleção Primavera/Verão 2023.

Como esperado, ela não conseguiu conter sua emoção e felicidade com esta bela notícia, expressando em um comunicado de imprensa as seguintes palavras: “ Congratulo-me com esta oportunidade especial de expressar a visão de luxo cultural de Wales Bonner na instituição historicamente importante de Pitti Uomo “.

A partir de agora, GWB pode se orgulhar de fazer parte da lista exclusiva de designers que foram convidados a participar deste evento, incluindo nomes como: Telfar, Off-White, Raf Simons, Craig Green e Rick Owens.

A próxima edição do Pitti Uomo acontecerá de 14 a 17 de junho e será lá que poderemos ver a próxima proposta de Wales Bonner.

Stan Taylor – Man of Metropolis April 2022 Cover

Man of Metropolis April 2022 Cover
Source: manofmetropolis.com
Published: April 2022

All people in this magazine cover:

Brendan Wixted – Photographer Nicholas MacKinnon – Fashion Editor/Stylist Stan Taylor – Model

Sarah Jessica Parker Breaks Down 10 Met Gala Looks From 1995 to Now | Life in Looks | Vogue

Actor Sarah Jessica Parker sits down with Vogue to relive her iconic headpieces, gowns, and more from Met Galas of years past.

Director: Catherine Orchard
Producer: Gabrielle Reich
Director of Photography: Shane Sigler
Editor: Michael Suyeda
AC: Alice Boucherie
Gaffer: Ariel Nehorayoff
Audio: Gabe Quiroga
Associate Producers: Qieara Lesesne, Cecillia Sallusti,
Covid Supervisor: Heather Drew
Set Designer:Jacob Burstein
Set Designer Assistant: Michael Newton
Line Producer: Tina Magnuson
Production Manager: Emma Roberts
Production Coordinator: Kit Fogarty
Post Production Supervisor: Marco Glinbizzi
Post Production Coordinator: Andrea Farr
Hair Stylist: Serge Normant
Makeup Artist: Leslie Lopez
Entertainment Director, Vogue: Sergio Kletnoy
VP, Digital Video Programming and Development, Vogue (English Language): Joe Pickard
Director, Creative Development, Vogue: Anna Page Nadin
Manager, Creative Development, Vogue: Alexandra Gurvitch
Associate Director, Creative Development,Vogue: Billie JD Porter
Senior Director, Programming, American Vogue: Linda Gittleson
Director of Content, Vogue: Rahel Gebreyes
Filmed at: The Beekman, A Thompson Hotel

0:00 – Intro

0:30 – 1995

1:30 – 2006

3:25 – 2010

5:05 – 2011

5:48 – 2012

6:39 – 2013

8:04 – 2014

9:46 – 2015

11:10 – 2016

12:00 – 2018

The Label Edition | Fall Winter 2022/2023 | Full Show

The Label Edition | Fall Winter 2022/2023 | Phygital Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – 080 Barcelona) #Thelabeledition #FW22

Sora Choi’s Day in the Life Of a Working Model | A Day In The Life | Harper’s BAZAAR

Model Sora Choi’s ‘not so busy day’ consists of attending two fashion shows, one photoshoot, and a fitting- all while filming her Day In The Life for Harper’s BAZAAR. Spending the day working in New York City, Sora takes us through what it’s like to be a fashion model during New York Fashion Week. Sora works hard but also likes to have fun by hanging out with friends, doing TikTok dances, and taking time in-between jobs to nap. Follow along to meet some of Sora’s friends, see which brands she’s booked, and her true feelings about snow.

O ‘dia não tão ocupado’ da modelo Sora Choi consiste em assistir a dois desfiles de moda, uma sessão de fotos e uma prova – tudo enquanto filmava seu Day In The Life for Harper’s BAZAAR. Passando o dia trabalhando na cidade de Nova York, Sora nos mostra como é ser um modelo de moda durante a New York Fashion Week. Sora trabalha duro, mas também gosta de se divertir saindo com os amigos, dançando no TikTok e tirando um tempo entre os trabalhos para tirar uma soneca. Acompanhe para conhecer alguns dos amigos de Sora, ver quais marcas ela reservou e seus verdadeiros sentimentos sobre a neve.

Producer: Amanda DiMartino
Director of Photography: Mary Kang
Editor: Erica Dillman
Motion Designer: Anna Aiello

Atriz Ana de Armas que interpreta Marilyn Monroe em ‘Blonde’ fala sobre o filme: ‘Foi a coisa mais linda que fiz’

Com alta classificação por conteúdo sexual explícito, o filme foi gravado em três meses e segue em edição
LAILA NERY – O ESTADÃO

Em ‘Blonde’, Ana de Armas promete a Marylin Monroe mais explícita que o cinema já assistiu.

O filme Blonde, da Netflix, ainda não tem data de lançamento, mas já gera muita polêmica entre os admiradores da loira mais famosa de Hollywood, Marilyn Monroe. A biografia é baseada no livro de mesmo nome da escritora Joyce Carol Oates, dos anos 2000 e tem cenas pesadas de sexo explícito, recebendo a classificação mais alta dos Estados Unidos, NC-17.

Ana de Armas, que interpreta a protagonista, se preparou durante um ano para encarar a personagem. A atriz, que é fã de Marilyn, ainda afirma que a obra é a coisa mais linda que ela já fez. “Foi o trabalho mais intenso que já fiz como atriz. Levei um ano para me preparar para isso”, contou em entrevista à Entertainment Weekly.

“Desde a pesquisa e sotaque, tudo o que você pode imaginar. Lendo o material, conversando com Andrew Dominik por meses e me preparando para começar. Foram três meses de filmagens sem parar”, contou Ana, que ainda elogiou o diretor Andrew Dominik, “Foi a coisa mais linda que eu já fiz. Mal posso esperar para que seja lançado. É um filme muito especial e Andrew é um gênio. Ele é um dos melhores cineastas com quem já trabalhei.”

As falas do diretor têm gerado muita expectativa sobre o que está por vir. Ele afirmou ter sido muito exigente durante as gravações e até ficou orgulhoso com a classificação alta. “É um filme exigente. Se o público não gostar, isso é problema do público”, afirmou Andrew.

“Meu filme não está concorrendo a um cargo público, não precisa ganhar o voto. É um filme NC-17 sobre Marilyn Monroe. É o que você quer, certo? Eu quero ir ver a versão NC-17 da história de Marilyn Monroe.”

Esta é a primeira vez em que a Netflix recebe uma classificação tão alta numa produção, por sexo explícito.

Andreas Ortner for ELLE Spirit with Maartje Verhoef

Andreas shot beautiful Maartje Verhoef for the new Elle Spirit in Oman. Hair and Makeup by George Tsiogkas, Styling by Elle Fashion director Pia Leonie Knoll assisted by her Sister Tinka Knoll.