Breno Silveira, diretor de ‘Dois Filhos de Francisco’ e ‘Gonzaga: de Pai pra Filho’, morre aos 58

Cineasta teve um mal súbito no set de novo filme de Fernanda Montenegro

O cineasta Breno Silveira
O cineasta Breno Silveira – Divulgação

Morreu na manhã deste sábado (14), em Vivência, zona da mata norte de Pernambuco, o cineasta Breno Silveira, aos 58 anos. Diretor da produtora Conspiração, ele ganhou fama pelo filme “Dois Filhos de Francisco” (2005), seu primeiro longa-metragem, sobre a trajetória da dupla Zezé Di Camargo e Luciano, uma narrativa pelo olhar do pai deles, Francisco.

Silveira sofreu um mal súbito durante o primeiro dia de filmagens do filme “Dona Vitória”, estrelado por Fernanda Montenegro.

O cineasta Breno Silveira e a atriz Fernanda Montenegro
O cineasta Breno Silveira e a atriz Fernanda Montenegro na pré-produção do filme ‘Dona Vitória’ – Caio Mitidieri/ Conspiração Filmes

O cineasta chegou a ser socorrido, mas a parada cardíaca foi irreversível. A equipe do filme foi a Vivência para rodar as cenas da infância da protagonista. A informação foi confirmada pela produtora Conspiração, da qual Silveira era sócio.

Silveira dirigiu ainda “Era uma vez” e “Gonzaga: de Pai pra Filho”, com Júlio Andrade. Recentemente, comandou “Dom”, série brasileira de maior sucesso mundial da Amazon Prime Video, cuja 2ª temporada havia acabado de filmar, com Gabriel Leone e Flávio Tolezani.

Breno Silveira se formou na École Louis Lumière, de Paris. Foi diretor de fotografia do filme “Carlota Joaquina” (1995), de Carla Camurati, e de “Eu, Tu, Eles” (2000), de Andrucha Waddington, que lhe valeu prêmio de melhor fotografia no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. Assinou a direção de “Entre Irmãs”, com Marjorie Estiano e Nanda Costa, e de “Um Contra Todos”, indicada ao Emmy Internacional, com quatro temporadas, feita para a FOX, com Júlio Andrade.

Cineasta interessado em contar histórias de dramas familiares, Silveira era obcecado pelo olhar que rege relações entre pais e filhos, premissa que honrou em “Dois Filhos de Francisco”, “Gonzaga” e “Dom”. Esta última foi série que sofreu contestações de uma das irmãs e da mãe do personagem real, um jovem branco e bonito de classe média de Copacabana que se tornou assaltante de residências de luxo no Rio de Janeiro no início dos anos 2000.

Costumava dizer que era “o malvado favorito” de sua equipe de produção, pois tinha o hábito de filmar o roteiro todo em ordem cronológica, obedecendo ao roteiro no papel, o que obrigava a todos um vaivém de locações. Normalmente, a logística de uma produção pede que todas as cenas referentes a um mesmo cenário sejam gravadas de uma vez só, não importando se são de capítulos ou trechos distintos no script.

Silveira havia acabado de filmar a 2ª temporada de “Dom”, mas ainda não havia finalizado os novos episódios na pós-produção. A Amazon Prime Video ainda não se manifestou sobre previsão de data, mas a estreia será ainda neste ano.

O cineasta deixa duas filhas menores e esposa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.