Johnny Depp esmagou Amber Heard com o autoritarismo do ‘sim’

Atriz, condenada ao rótulo de mentirosa, foi golpeada com um imponente ‘não’, enquanto astro teve sua verdade consagrada
Henrique Artuni

Johnny Depp e Amber Heard – Reuters/AFP

As respostas do júri para a defesa de Johnny Depp nesta quarta (1º) foram unânimes: “sim”. Apenas três letras bastavam para que, conforme a juíza lia o veredito, a torcida de fãs do ator, do lado de fora do tribunal na Virgínia, vibrasse a cada pequena vitória.

Que sim, a atriz Amber Heard difamou o ator de “Piratas do Caribe” em um artigo de opinião publicado no jornal americano The Washington Post, e que, sim, ela fez isso com más intenções. Não há dúvidas: sim, Depp, o Jack Sparrow de “Piratas do Caribe”, venceu o processo contra Heard, a Mera de “Aquaman”.

Nas redes sociais, minutos antes de o veredito ser lido ao vivo para milhões de pessoas sintonizadas na transmissão, a torcida já fazia memes a partir do formulário que o grupo de sete jurados —cinco homens e duas mulheres— deveria preencher.

Lá, mais do que uma série de “sins”, os fãs repercutiam uma fala de Isaac Baruch, amigo de infância de Depp, que testemunhou no caso —”muitas pessoas foram afetadas pela mentira maliciosa que Amber começou”.

Do ponto de vista da torcida organizada, então, a pessoa mais prejudicada com as “mentiras” foi a própria Heard. Afinal, será ela que terá de desembolsar US$ 15 milhões para o ator, com que foi casada até 2016.

No artigo publicado, Heard dizia que foi vítima de abuso doméstico e sexual, sem mencionar o nome de Depp. Ele, no entanto, decidiu processá-la sob a alegação de que Heard fazia referências claras, em seu texto, ao período em que ambos estiveram casados.

Durante o processo que se encerra agora, ambos se acusaram de diversos tipos de abuso, o que gerou atenção da mídia e da internet, que têm acompanhado o caso de perto. Torcidas apaixonadas se formaram em torno deles, com fãs promovendo campanhas de ódio contra um ou outro.

Já quando a juíza começou a ler a posição do júri, que deliberou por quase 13 horas (um período que especialistas até consideraram curto pelo tamanho da decisão), o que soou do microfone foi um imponente “não”. Bastava que o júri reconhecesse que o ator cometeu apenas um abuso contra a atriz para que Heard tivesse alguma vitória.

Os que veem o meio copo cheio dirão que, pelo menos, ele terá de pagar US$ 2 milhões a ela —afinal, o júri acabou discordando do advogado de Depp por tê-la acusado de inventar uma história para os policiais sob a direção de seu advogado e publicitário. Leia-se, um tímido “sim” para sua tragédia —ou para sua atuação lastimável, como preferiram os defensores de Depp. No entanto, o que vale mesmo é o “não”, que a condena à mentira, ao rótulo de “megera” e, muito provavelmente, a graves dívidas.

A cifra, claro, é menos bombástica. Originalmente, ela pedia US$ 100 milhões a Depp, enquanto ele pedia US$ 50 milhões a Heard.

Talvez assustado com cifras que nunca imaginariam em suas contas bancárias, o júri considerou uma montanha de dinheiro mais razoável para as estrelas hollywoodianas —mas o peso no bolso aqui, de fato, é secundário nessa disputa por reputação, verdades e mentiras numa realidade que segue o esmagador fluxo bovino das redes sociais.

A atriz Amber Heard antes da leitura do veredito do júri sobre o processo contra Johnny Depp – Evelyn Hockstein/AFP

​Depp não foi presencialmente à corte —cumpria “compromissos de trabalho” e acompanhou o caso do Reino Unido. Nem esse esforço precisou fazer, já cantando antes essa vitória. Mas logo publicou uma declaração comentando a vitória. “O júri me deu minha vida de volta. Me sinto verdadeiramente humilde”, resumiu. “A verdade sempre prevalece.”

Enquanto isso, Heard voltou a colocar a cara à tapa no tribunal. As câmeras da transmissão não saíram dela, o tempo todo cabisbaixa, até o fim da leitura do veredito. Quando as imagens mostravam mais da corte, os advogados de Depp não seguravam o entusiasmo. Derrotada pelo autoritarismo de duas palavras de três letras, pelo “sim” e pelo “não”, Heard comentou ao final do veredito: “A decepção que sinto hoje vai além das palavras”.

A ver como a reputação de cada um vai se recuperar ou se degradar, mas, como já diziam alguns, a luta de titãs era, desde o princípio, desigual.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.