The Last of Us | Joel e Ellie se escondem em foto oficial da série

Lançamento na HBO está previsto para o ano que vem
BIA VACCARI

Stoked to share this preview of @PedroPascal1
and @BellaRamsey
as the live action Joel and Ellie

A HBO divulgou nesta quinta-feira (9) a primeira foto oficial da versão em live-action do game The Last of Us. Na prévia oficial, Joel (Pedro Pascal) e Ellie (Bella Ramsey) se escondem em um lugar escuro. 

A imagem foi divulgada durante a Summer Game Fest 2022 e depois foi compartilhada novamente pelo roteirista (tanto da série quanto do game) Neil Druckmann nas redes sociais. Empolgado para compartilhar esta prévia de Pedro Pascal e Bella Ramsey como as versões em live-action de Joel e Ellie”, escreveu.

“Foi uma honra colaborar com Craig Mazin em The Last of Us. Em breve na HBO”, finalizou ele na postagem.

The Last Of Us se passa 20 anos após a quase extinção da humanidade. É quando Joel (Pascal) é contratado para levar Ellie (Ramsey) para fora de uma zona de quarentena – o que deveria ser um simples trabalho para ele se torna uma jornada brutal pelos Estados Unidos, onde ambos dependem um do outro para sobreviver.

O elenco ainda inclui Murray Bartlett (The White Lotus) e Anna Torv (Fringe), além de vários dos atores que já trabalharam no jogo, como Merle Dandridge (Marlene) e Nico Parker (Sarah). 

Ainda não há previsão de estreia.

Without Blood | Angelina Jolie vai escrever e dirigir adaptação

Filme marca o quinto projeto da atriz na cadeira de direção
BIA VACCARI

Jolie como sua personagem,Thena em Eternos

Angelina Jolie está de volta como diretora. A atriz comandará e escreverá a adaptação do livro Without Blood, do italiano Alessandro Baricco, publicado em 2002. O filme também já possui dois nomes confirmados em seu elenco: Salma Hayek Pinault (Eternos) e Demián Bichir (A Freira).

De acordo com a Variety, as filmagens iniciais já começaram nas regiões de Puglia (Apúlia) e Basilicata, no sul da Itália, bem como em Roma.

A história se passa após um conflito não identificado, descrita como a “exploração de verdades universais sobre guerra, trauma, memória e cura”.  Without Blood marcará o quinto filme de Jolie como diretora.

Ainda não há previsão de estreia para o longa nos cinemas.

Mugler S/S 22 Show/Film

Mugler S/S 22 Show/Film
Published: June 2022

All people in this show:

Torso – Director Casey Cadwallader – Creative Director Haley Wollens – Fashion Editor/Stylist Olivier Schawalder – Hair Stylist Daniel Sallstrom – Makeup Artist Julia Lange – Casting Director Sylvie Macmillan – Manicurist Chloë Sevigny – Actor Dominique Jackson – Actor Eartheater – Entertainer Megan Thee Stallion – Entertainer Adut Akech – Model Amber Valletta – Model Aweng Chuol – Model Bella Hadid – Model Lidia Judickaite – Model Lourdes Leon – Model Natasa Vojnovic – Model Raynara Negrine – Model Shalom Harlow – Model Sora Choi – Model Yilan Hua – Model

Naomi Campbell – Self-Portrait ‘The Bow is Mine’ 2022 Campaign

Self-Portrait ‘The Bow is Mine’ 2022 Campaign
Source: self-portrait-studio.com
Published: June 2022

In this picture: Naomi Campbell
Credits for this picture: Han Chong (Designer), Renell Medrano (Photographer), Renell Medrano (Director), Haley Wollens (Fashion Editor/Stylist), Rio Sreedharan (Hair Stylist), Angloma (Makeup Artist)

All people in this campaign:

Han Chong – Designer Renell Medrano – Photographer Renell Medrano – Director Haley Wollens – Fashion Editor/Stylist Rio Sreedharan – Hair Stylist Angloma – Makeup Artist Naomi Campbell – Model

In this picture: Naomi Campbell
Credits for this picture: Han Chong (Designer), Renell Medrano (Photographer), Renell Medrano (Director), Haley Wollens (Fashion Editor/Stylist), Rio Sreedharan (Hair Stylist), Angloma (Makeup Artist)
In this picture: Naomi Campbell
Credits for this picture: Han Chong (Designer), Renell Medrano (Photographer), Renell Medrano (Director), Haley Wollens (Fashion Editor/Stylist), Rio Sreedharan (Hair Stylist), Angloma (Makeup Artist)

O que é coloração pessoal, febre no TikTok que promete revolucionar seus lookinhos

Entenda o que há por trás da técnica que promete levar harmonia ao seu estilo e ditar quais cores você não deve usar
Marina Lourenço

Colagem com cores e traços faciais Silvis

Diante de um espelho hiper-iluminado com luzinhas de camarim, a consultora de estilo Mariana Aragão põe um longo tecido cinza sobre os ombros e o peitoral desta repórter, sentada à sua frente. Depois, vai até um cabideiro e puxa mais alguns lenços de outras cores para sobrepor ao atual. Começa, então, mais uma de suas sessões de coloração pessoal, técnica que identifica —ou pelo menos, promete identificar— as cores que tornam o visual de cada pessoa mais harmônico.

O primeiro passo, afirma Aragão, é medir a temperatura da pessoa —em termos cromáticos—, o que indicaria se a pele é quente, fria, ou neutra. Cada uma das opções tem suas próprias cartelas de cor —e todas divididas a partir das estações do ano, sendo que outono é atrelado a tons terrosos e alaranjados, primavera, a vivos e ultracoloridos, inverno, a escuros e profundos, e verão, a luminosos e pouco saturados.

A ideia é eliminar as paletas que não valorizam o rosto em questão, o que, segundo ela, seria uma aparência cansada, com destaque para olheiras e manchas, boca arroxeada e um aspecto muito amarelado ou esbranquiçado.

Para isso, a consultora trabalha com 12 paletas de cor e usa o método chamado de sazonal expandido, no qual mede os níveis de temperatura, saturação e luminosidade de cada pele. “A coloração permite que a pessoa faça escolhas de compra mais assertivas”, afirma Aragão. “É algo que impacta o estilo. Quando há harmonia [no visual], elogiam você, não a roupa [que está usando].”

É como se cada pessoa estivesse dentro de uma caixinha de cores. Aliás, ao final desse tipo de sessão, é comum que o cliente receba um guia com seus tons pessoais.

Agora, imagine desembolsar R$ 600 —valor cobrado por Aragão para a realização da consulta— e descobrir que a maioria das suas roupas e acessórios está totalmente fora da tal cartela que foi atribuída. Você trocaria seu guarda-roupa? Abandonaria suas peças favoritas? Qual é o preço, afinal, de ser harmônico aos olhos da tal análise cromática?

“O mais importante é entender que o objetivo da coloração é libertar, não aprisionar. Tentam vender de tudo para nós, não se preocupam se [o produto] fica bom no nosso corpo. Informação é poder”, defende a consultora. “Claro, você pode ser feliz do jeito que quiser. Mas acho importante saber valorizar a sua beleza, principalmente quando temos tantas belezas diferentes.”

Ainda assim, é comum que haja frustração na compra desse tipo de consultoria. Isso porque, muitas vezes, a cor favorita da pessoa não compõe a sua cartela de cores.

paleta de cores
Paleta de cores – RomanR

“Eu mesma odiei a minha cartela [à primeira vista]”, diz Aragão. “Quando isso acontece é superdifícil, porque, às vezes, a pessoa desacredita da credibilidade do seu trabalho e pensa que não faz nenhum sentido, já que ela sempre usou outros tons [e não os da cartela]. Por isso, é importante que esteja disposta a ouvir e consiga realmente entender o que vou dizendo.”

Ela afirma ainda que ninguém precisa abandonar por completo as cores de que gosta, podendo usar esses tons de outras formas, como em acessórios e maquiagens. E ressalta que todos continuam com a liberdade para não alterar o guarda-roupa, se assim desejarem.

Não é de hoje que a coloração pessoal está fazendo sucesso. Logo no início da pandemia, aliás, houve um boom dessas consultorias, que ganharam até sessões online —criticadas por alguns especialistas, como Aragão, que diz ser impossível fazer esse tipo de atendimento a distância, porque “tanto a luz quanto o ambiente são fundamentais nessa análise”.

No Instagram e no TikTok, essa técnica se tornou uma febre. São inúmeros os vídeos que viralizaram ao mostrar o efeito visual do troca-troca de tecidos coloridos. Dá até para encontrar tiktokers ensinando conceitos da coloração pessoal a partir de lençóis de cama velhos.

A grande questão, no entanto, avalia Aragão, é que a colorimetria é um assunto extenso demais para caber num vídeo desses. E, de fato, não faltam complexidades nessa conversa.

Aliás, a própria ideia de análise cromática, que começou a ser desenvolvida nos anos 1920, na escola artística alemã Bauhaus, e ganhou embalo seis décadas depois, é contestada por alguns. Há muitos que criticam a técnica e a encaram como um policiamento fashion que limitaria as pessoas a se vestirem como quiserem.

Também não faltam profissionais de moda reclamando do sucesso recente da técnica. A consultora de estilo Érica Minchin, por exemplo, viralizou no YouTube ao questionar o crescente interesse pela coloração. Segundo ela, o processo é só a cereja “do se vestir bem” e vem sendo tratado com simplismo nas redes.

“O bolo seria a informação do que, de fato, nos afeta no dia a dia, o entendimento das características do nosso estilo —as linhas, formas, modelagens, texturas e até as cores, independentemente da cartela e da combinação específica desses elementos—, de como ele interage com nossas características físicas e do uso dessas informações para atingir nossos objetivos”, diz Minchin.

Ela afirma ainda que esse tipo de consultoria tem várias circunstâncias importantes a serem consideradas, como a de que existem diferentes métodos. Há técnicas menos famosas no Brasil, por exemplo, que usam 20 cartelas de cores, não 12.

Minchin também ressalta que aspectos raciais devem ser levados em conta, já que a origem eurocêntrica do processo e a miscigenação brasileira interferem na leitura da análise, que por essência é carregada de traços subjetivos.

Segundo a especialista em design Ethel Leon, que dá aulas sobre a história cultural das cores, outro ponto importante a ser considerado é o de que a própria ideia de harmonia é relativa ao contexto histórico, assim como acontece com o que atribuímos a cada cor.

“Imagino que, sim, a coloração pessoal tem sentido”, diz ela. “Agora, o azul, que hoje é considerado uma cor fria, já foi visto como quente no passado. Cores são símbolos. Não têm um significado único.”

Ela lembra ainda que as cores sempre operam em relação umas às outras, ou seja, nunca estão realmente isoladas.

Ainda não dá para cravar ao certo o grau de precisão da coloração pessoal. Mas o que se sabe é que a técnica, de fato, vem ganhando cada vez mais adeptos —mesmo que muitos acabem decidindo não deixar de lado cartelas alheias. É o caso desta repórter, fã de rosa-choque, apesar de pertencer, segundo Aragão, à paleta de outono escuro.

i-D Magazine Summer 2022 Covers: The Earthrise Issue

i-D Magazine Summer 2022 Covers: The Earthrise Issue
Source:  i-d.vice.com
Published: June 2022

In this picture: Mica Argañaraz
Credits for this picture: Stef Mitchell (Photographer), Alastair McKimm (Editor), Sydney Rose Thomas (Fashion Editor/Stylist), Samuel Ellis Scheinman (Casting Director)

All people in this work:

Mario Sorrenti – Photographer Stef Mitchell – Photographer Zoë Ghertner – Photographer Alastair McKimm – Editor Camilla Nickerson – Fashion Editor/Stylist Sydney Rose Thomas – Fashion Editor/Stylist Recine – Hair Stylist Frank B – Makeup Artist Philipp Haemmerle – Set Designer Spencer Vrooman – Set Designer Samuel Ellis Scheinman – Casting Director Honey – Manicurist Wes Olson – Producer Celina Ralph – Model Mica Argañaraz – Model Vittoria Ceretti – Model

In this picture: Vittoria Ceretti
Credits for this picture: Mario Sorrenti (Photographer), Alastair McKimm (Editor), Recine (Hair Stylist), Frank B (Makeup Artist), Philipp Haemmerle (Set Designer), Samuel Ellis Scheinman (Casting Director), Honey (Manicurist)
In this picture: Celina Ralph
Credits for this picture: Zoë Ghertner (Photographer), Alastair McKimm (Editor), Camilla Nickerson (Fashion Editor/Stylist), Spencer Vrooman (Set Designer), Wes Olson (Producer)

Brad Pitt está no meio de muitos adversários no novo pôster de Trem-Bala

Sony Pictures revelou um pôster inédito de Trem-Bala, que coloca Brad Pitt no meio de muitos adversários; veja:

Sony Pictures/Divulgação

O filme ainda conta com Sandra Bullock (que substituiu Lady Gaga no projeto), Joey King (A Barraca do Beijo), Aaron Taylor-Johnson (Kick-Ass), Brian Tyree Henry (Atlanta), Zazie Beetz (Deadpool 2), Masi Oka (Heroes), Michael Shannon (O Homem de Aço), Logan Lerman (Percy Jackson) e até o cantor Bad Bunny

Indicado para fãs de John Wick, a trama acompanha um assassino de aluguel (Pitt) que se vê em um trem-bala recém-inaugurado acompanhado de outros quatro colegas de profissão. Quando eles percebem que suas missões estão inerconectadas, o caos se instaura durante a viagem.

A estreia está prevista para o dia 4 de agosto de 2022 nos cinemas brasileiros.

Não! Não Olhe! | Daniel Kaluuya é assombrado por aliens em trailer inédito

Dirigido por Jordan Peele, longa tem estreia marcada para julho
MARIANA CANHISARES

Universal Pictures revelou um trailer inédito de Não! Não Olhe!, novo filme do diretor Jordan Peele com Daniel Kaluuya; assista acima.

Segundo a sinopse de Não! Não Olhe!, “os residentes de um barranco solitário no interior da Califórnia testemunham uma descoberta estranha e arrepiante”. Durante o Super Bowl, o filme ganhou uma prévia com alguns relances inéditos.

Daniel Kaluuya e Keke Palmer estarão no elenco junto a Steven Yeun, de Minari. Palmer é conhecida por As Golpistas, enquanto Kaluuya, que ganhou destaque sob a direção de Peele em Corra!, venceu o Oscar por Judas e o Messias Negro.

Após surgir como roteirista e ator em projetos de comédia, incluindo seu próprio programa Key & Peele, Jordan Peele se reinventou no terror em 2017, quando lançou o elogiado e premiado Corra!. Desde então, o cineasta tem se envolvido com diferentes produções como Infiltrado na KlanA Lenda de CandymanHunters Lovecraft Country em diferentes cargos.

Não! Não Olhe! será lançado em 22 de julho de 2022.

Empresa do Primo Rico demite 20% dos funcionários e cita ‘reestruturação’

A empresa, liderada por Thiago Nigro, Bruno Perini e Joel Jota, fez aquisições e precisou fazer reajuste no quadro de colaboradores; Empiricus e Mercado Bitcoin também tiveram cortes recentes de funcionários
Lucas Agrela, O Estado de S.Paulo

Thiago Nigro ensina economia aos jovens
Thiago Nigro, criador do Grupo Primo, é conhecido pela produção de conteúdos sobre finanças pessoais e metaverso para o YouTube Foto: WERTHER SANTANA/ESTAD?O

Grupo Primo, empresa liderada por Thiago Nigro, Bruno Perini e Joel Jota, demitiu 20% do seu quadro de funcionários na última quarta-feira, 8. O corte atingiu mais de 50 dos 280 colaboradores da companhia. A empresa confirmou as demissões ao Estadão. O corte vem após a integração de processos e times de aquisições do grupo, como as empresas Spiti, Grão e TopInvest.

O Grupo Primo diz crescer consecutivamente há 7 semestres e havia adicionado 246 ao time de colaboradores desde janeiro de 2021. A companhia cresceu tanto com a expansão dos próprios negócios quanto com compras de outras empresas. A abertura de capital na bolsa de valores está nos planos futuros do grupo.

O Grupo Primo atua na produção de conteúdos educacionais sobre finanças nas redes sociais, vende cursos sobre investimentos e passou a atuar no segmento de criptomoedas em 2022. 

Nesta semana, a Empiricus também cortou funcionários, citando maior interesse do público por investimentos em renda fixa. A empresa é conhecida pela venda de relatórios para investimentos na bolsa de valores e foi comprada pelo banco BTG Pactual no ano passado.

A 2TM, dona do Mercado Bitcoin, também cortou funcionários recentemente. O preço do bitcoin está na casa dos US$ 30 mil há cerca de um mês, patamar que representa metade do registrado no pico de novembro de 2022, e queda de um terço só em 2022.