Saiba como foi a humilhação sofrida pela indígena Sacheen Littlefeather que representou Marlon Brando no Oscar

Academia de Hollywood se desculpou com Sacheen Littlefeather 50 anos depois daquela noite em que o ator recusou seu Oscar

Sacheen Littlefeather
Sacheen Littlefeather, na cerimônia do Oscar no dia 27 de março de 1973 Foto: AP

Quase 50 anos depois que Sacheen Littlefeather subiu ao palco do Oscar em nome de Marlon Brando para falar sobre a representação dos nativos americanos nos filmes de Hollywood, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas pediu desculpas a ela pelo abuso que sofreu.

O Museu da Academia disse na segunda-feira, 15, que vai receber Littlefeather, agora com 75 anos, para uma noite de “conversa, cura e celebração” em 17 de setembro.

Quando Marlon Brando ganhou o prêmio de melhor ator por O Poderoso Chefão, Littlefeather, usando vestido de camurça e mocassins, subiu ao palco, tornando-se a primeira mulher nativa americana a fazê-lo no Oscar. Ela rejeitou a estatueta das mãos dos apresentadores Roger Moore e Liv Ullman, visivelmente constrangidos.

Marlon Brando recusa prêmio
Marlon Brando recusou o Oscar por atuação em ‘O Poderoso Chefão’ em 1973 Foto: Paramount Pictures

Em um discurso de 60 segundos, ela explicou que Brando não poderia aceitar o prêmio devido ao “tratamento dado aos indígenas americanos pela indústria cinematográfica“. Alguns na plateia a vaiaram. John Wayne, que estava nos bastidores na época e era conhecido pelos filmes de faroeste, ficou furioso.

Oscar de 1973 foi realizado na mesma época em que aconteceu a ocupação do Movimento Indígena Americano que durou dois meses, em Wounded Knee, em Dakota do Sul. Nos anos seguintes, Littlefeather disse que foi ridicularizada, discriminada e atacada pessoalmente por sua breve aparição no Oscar.

Ao fazer o anúncio, o Museu da Academia compartilhou uma carta enviada em 18 de junho a Littlefeather por David Rubin, presidente da academia, sobre aquele icônico momento do Oscar.

Rubin chamou o discurso de Littlefeather de “uma declaração poderosa que continua a nos lembrar da necessidade do respeito e da importância da dignidade humana”.

Sacheen Littlefeather
Sacheen Littlefeather, quase 50 anos depois do episódio do Oscar Foto: Valerie Macon/AFP

“O abuso que você sofreu por causa dessa declaração foi injustificado”, escreveu Rubin. “O fardo emocional que você viveu e o custo para sua própria carreira em nossa indústria são irreparáveis. Por muito tempo, a coragem que você mostrou não foi reconhecida. Por isso, oferecemos nossas mais profundas desculpas e nossa sincera admiração.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.