Netflix terá publicidade e preço é reduzido; conheça novo plano

Plano básico com anúncios custará R$ 18,90 por mês e estará disponível em 3 de novembro
Por Bruno Romani

Foto: Dado Ruvic/Reuters

Após meses de rumores, a Netflix anunciou nesta quinta, 13, que terá anúncios publicitários em sua plataforma. Os comerciais serão exibidos em uma nova modalidade de assinatura, que terá preços mais baixos. O plano “Básico com anúncios” vai custar R$ 18,90 por mês e estará disponível a partir de 3 de novembro em 12 países, incluindo o Brasil (os outros são Alemanha, Austrália, Canadá, Coreia, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, Japão, México e Reino Unido).

Com o novo plano os anúncios serão de 15 ou 30 segundos, exibidos antes e durante as séries e os filmes – nunca nos finais. Isso, porém, pode mudar com o tempo, pois a empresa diz que o formato está previsto para o momento de lançamento. No total, serão exibidos em média de 4 a 5 minutos de anúncios por hora.

Além dos anúncios, o novo plano também terá outras limitações. Alguns filmes e séries não estarão disponíveis devido a restrições de licenciamento – ou seja, o conteúdo produzido pela companhia, como a série Stranger Things, permanece disponível. Em evento para jornalistas, Greg Peters, diretor financeiro da companhia, afirmou que, em média, o catálogo será reduzido em 10%, mas a disponibilidade de programas vai variar em cada país.

Também não será possível fazer download para assistir os programas offline. A qualidade de vídeo será de até 720p, a mesma do plano básico sem propagandas – essa foi uma mudança da companhia, já que seu plano básico tinha resolução de 480p.

Os outros planos da companhia permanecem iguais em recursos e valores – atualmente, o plano mais barato da companhia, o básico sem anúncios, custa R$ 25,90 por mês.

Guinada

Embora Reed Hastings, CEO da Netflix, tenha sempre se posicionado contra publicidade, a guinada tenta reverter o ano ruim da companhia. Em 2022, a companhia registrou perda de assinantes pela primeira vez em 11 anos – nos dois primeiros trimestres do ano, a perda foi de 1,2 milhão de assinantes. Para cortar custos, a Netflix demitiu 450 pessoas em todo o mundo, principalmente nos EUA e na Europa.

“A Netflix tem um desafio maior do que outras empresas de streaming, pois ela não tinha catálogo. Para manter os assinantes, ela precisa produzir muito conteúdo. É preciso investimento sistemático e massivo, o que faz a conta da empresa não fechar apenas com assinaturas”, diz Márcio Rodrigo, professor de cinema e audiovisual da ESPM.

Hoje, a Netflix possui 220 milhões de assinantes, mas viu o crescimento de concorrentes como Disney+, HBO Max e Amazon Prime. Agora, a gigante espera atrair 43 milhões de usuários até o terceiro trimestre de 2023 com a nova modalidade, segundo o Wall Street Journal.

Ainda segundo a publicação, a Netflix espera ter 4,4 milhões de usuários em todo o mundo até o fim de 2022, sendo 1,1 milhão do território americano. Até o fim de 2023, o número dos EUA deve totalizar 13,3 milhões. A companhia não fez projeções nesta quinta, mas disse que vai incluir números em seu próximo relatório fiscal, que será divulgado no final de outubro

Segundo o documento, a métrica de “usuários únicos” é diferente de “assinantes únicos”, já que, no modelo de baixo custo, mais pessoas devem dividir uma única conta. Portanto, os números costumam ser maiores para essas projeções. O movimento atual da Netflix foi realizado em parceria com a Microsoft e terá também medição para os anunciantes realizada pela Nielsen.

O movimento da Netflix na busca por publicidade, porém, não é solitário. As empresas deixaram de buscar o crescimento da base de usuários e passaram a focar na lucratividade. Assim, nomes Paramount+, HBO Max e Pluto TV já operam com o modelo – no Brasil, o Globoplay também tem propagandas. Já a Disney+ anunciou em março que terá um plano com publicidade – a expectativa é que a estreia ocorra em dezembro. Há rumores também de que a Apple estuda o formato para o Apple TV+.

A Netflix afirmou que a escolha pelos países iniciais se dá pela maturidade dos mercados em termos publicitários, além do potencial de clientes. A companhia diz que não vai aceitar propagandas políticas, fraudulentas ou discriminatórias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.