Minimoog Model D | The Will Gregory Moog Ensemble | Archimedes Screw

In collaboration with Moog Music, the Will Gregory Moog Ensemble presents “Archimedes Screw,” a live performance from 11 musicians—with each of the 10 keyboardists using their own Model D to add layers of sound to the composition as it builds.

From the onset of the video, the stage is set: a mix of vintage and modern Minimoogs line the chancel of The Mount Without, a historic chapel in Bristol, UK. The acoustics of the space provide a warm depth to the sound of Minimoogs produced from every era they have been manufactured.

Utilizing MIDI integration for the 2016 and 2022 reissues, and MIDI-to-CV converters for the vintage units involved in this performance, the Moog Ensemble highlights the modern features alongside the classic sound. According to the group’s musical director and composer, Will Gregory, the instrument’s enhancements expand Model D’s realm of sonic possibility.

“The MIDI aspect of these instruments enables us to open polyrhythmic possibilities between the 10 parts that would be beyond humans to reproduce otherwise. Our hands become free for sound sculpting as we perform by manipulating the filter, resonance, modulation, and envelope controls in pairs. Both these aspects are very important to how I see the Moog Ensemble breaking new ground in live performance and simultaneously giving a more expressive and warm creation.”

“Archimedes Screw” demonstrates Model D’s timeless sound, playability, and relevance as a powerful musical tool for live performance. The Moog Ensemble manifesto, Gregory shares, is very much about live performance as a living breathing unit of musicians listening and responding together.

Will Gregory discusses his connection with the instrument and shares more details on how the ensemble composed this piece from a technical perspective on Moog’s website (moogmusic.com).

Goldfrapp’s Will Gregory is one of the UK’s leading advocates of using synthesizers and electronic instruments to create new sounds and reinvent old ones. Leading and performing with the Moog Ensemble since 2005, Gregory and its rotating contributors—which includes Adrian Utley of Portishead—perform a mixture of specially composed music, transcriptions of classical works, and their own versions of music from popular culture and film scores. “Archimedes Screw” will be featured on the debut Will Gregory Moog Ensemble album coming out via Mute Records in 2023.

Credits:

John Baggott – Minimoog Model D
Will Gregory – Minimoog Model D
Simon Haram – Minimoog Model D
Vyv Hope-Scott – Minimoog Model D
Ross Hughes – Minimoog Model D
Hazel Mills – Minimoog Model D
Daniel Moore – Minimoog Model D
Hinako Omori – Minimoog Model D
Eddie Parker – Minimoog Model D
Adrian Utley – Minimoog Model D
Harriet Riley – Percussion
Chris Talbot: Director/Editor
Sofia Ilyas – On-Site Producer
Nick Batt – Audio Engineer
Alex Kozobolis – Photographer
Vince Camacho – Cam-Op
Charlie Graham (Bunch Creative) – DOP
James Mackie (Bunch Creative) – Cam-Op
Alastair Bury – Gaffer
Jake Sullivan – Spark
Adam Buruncz – Spark

Em colaboração com a Moog Music, o Will Gregory Moog Ensemble apresenta “Archimedes Screw”, uma performance ao vivo de 11 músicos – com cada um dos 10 tecladistas usando seu próprio Modelo D para adicionar camadas de som à composição conforme ela se desenvolve.

Desde o início do vídeo, o palco está montado: uma mistura de Minimoogs vintage e modernos alinham-se na capela-mor de The Mount Without, uma capela histórica em Bristol, Reino Unido. A acústica do espaço proporciona uma profundidade quente ao som dos Minimoogs produzidos em todas as épocas em que foram fabricados.

Utilizando integração MIDI para as reedições de 2016 e 2022 e conversores MIDI para CV para as unidades vintage envolvidas nesta performance, o Moog Ensemble destaca os recursos modernos ao lado do som clássico. De acordo com o diretor musical e compositor do grupo, Will Gregory, os aprimoramentos do instrumento expandem o reino das possibilidades sonoras do Model D.

“O aspecto MIDI desses instrumentos nos permite abrir possibilidades polirrítmicas entre as 10 partes que estariam além dos humanos para reproduzir de outra forma. Nossas mãos ficam livres para esculpir o som enquanto tocamos, manipulando os controles de filtro, ressonância, modulação e envelope em pares. Ambos os aspectos são muito importantes para a forma como vejo o Moog Ensemble abrindo novos caminhos na performance ao vivo e, simultaneamente, dando uma criação mais expressiva e calorosa.”

“Archimedes Screw” demonstra o som atemporal, a jogabilidade e a relevância do Model D como uma ferramenta musical poderosa para apresentações ao vivo. O manifesto do Moog Ensemble, Gregory compartilha, é muito sobre performance ao vivo como uma unidade viva de respiração de músicos ouvindo e respondendo juntos.

Will Gregory discute sua conexão com o instrumento e compartilha mais detalhes sobre como o conjunto compôs esta peça do ponto de vista técnico no site da Moog (moogmusic.com).

Will Gregory, da Goldfrapp, é um dos principais defensores do uso de sintetizadores e instrumentos eletrônicos no Reino Unido para criar novos sons e reinventar os antigos. Liderando e atuando com o Moog Ensemble desde 2005, Gregory e seus colaboradores rotativos – que incluem Adrian Utley do Portishead – executam uma mistura de música especialmente composta, transcrições de obras clássicas e suas próprias versões de música da cultura popular e trilhas sonoras de filmes. “Archimedes Screw” será apresentado no álbum de estreia de Will Gregory Moog Ensemble, que será lançado pela Mute Records em 2023.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.