Canali F/W 21 Campaign

Canali F/W 21 Campaign
Source: canali.it
Published: October 2021

Credits for this picture: Mel Bles (Photographer), Beat Bolliger (Fashion Editor/Stylist), Luciano Chiarello (Makeup Artist), Simone Bart Rocchietti (Casting Director)

All people in this campaign:

Mel Bles – Photographer Beat Bolliger – Fashion Editor/Stylist Luciano Chiarello – Makeup Artist Simone Bart Rocchietti – Casting Director Paolo Vecchione – Choreographer Anatol Modzelewski – Model Bakay Diaby – Model Simon Martyn – Model

Credits for this picture: Mel Bles (Photographer), Beat Bolliger (Fashion Editor/Stylist), Luciano Chiarello (Makeup Artist), Simone Bart Rocchietti (Casting Director)
In this picture: Anatol Modzelewski
Credits for this picture: Mel Bles (Photographer), Beat Bolliger (Fashion Editor/Stylist), Luciano Chiarello (Makeup Artist), Simone Bart Rocchietti (Casting Director)

Campanha do WhatsApp destaca recurso de visualização única de fotos e vídeos

Ação criada pela AlmapBBDO quer reforçar a preocupação da plataforma com a privacidade de seus usuários
Carolina Firmino

Com o objetivo de promover a opção de “visualização única” disponível no aplicativo, o WhatsApp lançou um vídeo na segunda-feira (18), convidando as pessoas a experimentarem o recurso.

Na ação criada junto da AlmapBBDO, assistimos a um casal trocando mensagens e usando essa alternativa para trocar conteúdo sobre o momento delicado do término do relacionamento. O filme ressalta que algumas situações são tão pessoais que só devem ser vistas uma vez.

As fotos e os vídeos enviados nesse formato desaparecem após a abertura pelo destinatário. Com a ferramenta, o WhatsApp busca oferecer ainda maior controle e segurança sobre o que é compartilhado, além de reforçar seu compromisso com a privacidade dos usuários. Segundo, comunicado à imprensa, esse movimento faz parte do plano de conferir mais visibilidade à principal característica da plataforma: a privacidade.

Por isso, além de contar com ativações de influenciadores e mídias “out of home”. Além disso, a campanha estará presente nos intervalos do “Vale a Pena Ver de Novo” da Rede Globo e nas reprises de campeonatos esportivos transmitidos pela emissora, pelo SBT e TNT. Neste caso, o objetivo é contrapor esses momentos de repetição, como no caso desses dois tipos de transmissões, com funcionalidade do aplicativo que permite uma única visualização.

Samsung e BIBI lançam coleção de moda em realidade aumentada

Designers emergentes do mundo da moda criaram looks digitais para demonstrar o recurso Fun Mode
Carolina Firmino

Uma campanha digital desenvolvida pela Wieden + Kennedy Amsterdam foi criada para demonstrar o Fun Mode da Samsung, um recurso de alguns dispositivos Galaxy A que permite aos usuários aplicar efeitos do Snapchat em fotos e vídeos. Para isso, a marca recrutou seis designers de moda digital que prepararam looks personalizados em realidade aumentada.

Entre os artistas escolhidos está BIBI, sucesso no universo de K-Pop que teve a ascensão mais rápida na Coreia do Sul. Ela modelou os looks por meio do Fun Mode da Samsung e mostrou o resultado em um clipe de 30 segundos, desenvolvido pela 88rising em parceria com a marca, tocando sua nova música, “The Weekend”.

Os outros designers da coleção são da Alemanha, Reino Unido e Finlândia. Além de BIBI, mais um destaque é Ines Alpha, especialista em 3D futurísticos, fantásticos e surreais, que criou sua primeira roupa digital para o projeto. De maneira geral, a coleção apresenta elementos de RA, como jaquetas em tecido estilo glitch, vestidos blindados e outros detalhes possíveis de serem produzidos com efeitos 3D do Snapchat.  

Segundo o Adweek, a campanha da Samsung será veiculada no mundo todo e deve incluir: histórias interativas no Instagram, um desafio para influenciadores e um vídeo de instruções para usuários do Galaxy A, com incentivo para que eles experimentem os recursos.

No comunicado à imprensa, Emma Mällinen, diretora criativa da W + K Amsterdam comemorou a participação de vários talentos na ação e destacou a moda digital: “Estamos todos familiarizados com os filtros de rosto, mas a moda digital está revelando uma autoexpressão ainda maior. Agora, as pessoas que definem os looks estão na internet, e não nas casas de moda”.

Ignorados, influenciadores com deficiência querem mais espaço na publicidade

Público representa apenas 1% das campanhas e não ganha espaço nem no mês dedicado ao tema
Victoria Damasceno

Duas fotos semelhantes, uma ao lado da outra, de uma mulher ruiva, de cabelos longo e cacheados, de blusa amarela e calça cinza, sentada em uma cadeira de rodas. O que difere uma foto da outra é que na primeira foto a mulher está com a mão no queixo e está levemente sorrindo. O fundo é neutro, dividido em uma parece em tom de azul claro embaixo e o céu em cima
A influenciadora Zannandra Fernandez, 19, percebeu que nem no setembro verde pessoas com deficiência são lembradas pela publicidade – Aterio M. Alighieri

SÃO PAULO – Com a chegada do setembro verde, mês que marca a inclusão da pessoa com deficiência, a influenciadora e modelo Zannandra Fernandez, 19, esperava que a procura pelas suas postagens publicitárias crescessem, já que ela faz parte deste público —mas isso não aconteceu.

“Eu fiz alguns trabalhos, mas nenhum querendo enfatizar que é setembro verde”, conta.

Além de não ter visto sua demanda aumentar, notou que as campanhas veiculadas na televisão, nas redes sociais e em outros meios dificilmente incluíam pessoas com deficiência. Fez, então, coro àqueles que quiseram chamar a atenção para a baixa representatividade deste público nas peças publicitárias.

“Já que nenhuma marca quer investir em mim nesse Mês da Pessoa com Deficiência, deixa que eu mesma faço isso”, postou em seu Twitter ao lado de duas fotos profissionais.

Poucas marcas convidam as pessoas com deficiência para que estampem suas campanhas. Isso fez com que influenciadores com deficiência chamassem a atenção para sua baixa representatividade mesmo no setembro verde.

Isto é, porém, um sintoma de uma invisibilidade diária. Pessoas com deficiência participam de aproximadamente apenas 1% dos anúncios publicitários do país, de acordo com a pesquisa “Diversidade na Comunicação de Marcas em Redes Sociais”, realizada pela consultoria Elife e a agência SA365.

O estudo avaliou 1.900 postagens de 50 marcas em 2020. Os grupos analisados foram de homens, mulheres, negros, amarelos, indígenas, brancos, LGBTQIA+, gordos, idosos e deficientes físicos.

As pessoas brancas foram representadas em 74% das publicações, liderando o ranking. Em seguida aparecem as mulheres, presentes em 62% –neste caso, não foi feito recorte racial. Ao lado dos indígenas, as pessoas com deficiência foram o grupo menos representado, ambos com 1%.

Cerca de 46 milhões de brasileiros possuem algum tipo de deficiência, de acordo com o Censo de 2010. Isso corresponde a 24% da população do país.

A youtuber e mestre em políticas públicas Mariana Torquato postou um vídeo chamando atenção para o dia 21 de setembro, que marca a luta das pessoas com deficiência —e que não ganhou grande destaque

“Nem no dia da luta da pessoa com deficiência aqui no país a gente tem uma notinha na mídia ou a gente ganha um destaque dentro das grandes empresas. Até mesmo as grandes celebridades que dizem apoiar a inclusão. [Não] tem nada, minha gente”, disse.

Já o influenciador Eduardo Victor destacou que as poucas marcas que propõem parcerias no setembro verde não querem remunerar os criadores de conteúdo. Ele salientou que a autonomia financeira é um dos fatores determinantes para a independência das pessoas com deficiência.

“Falar sobre acessibilidade é falar sobre a possibilidade de acessar os lugares com o nosso dinheiro, com a nossa independência. E falar sobre independência e deficiência são coisas muito difíceis em uma sociedade que não nos enxerga como pessoas capazes”, destacou Victor.

A consultora de diversidade e inclusão na comunicação, e fundadora do projeto Propaganda de Responsa, Anna Castanha, atribui a falta de representatividade à necessidade de se incorporarem mais pessoas com deficiência nos processos criativos. Não basta, porém, que façam parte do cotidiano das agências de publicidade, marketing ou do dia a dia das marcas, precisam estar nos cargos de liderança.

“Se nesse patamar de hierarquia [de liderança] não tem essas pessoas, a coisa não vai acontecer. Não importa quantas pessoas com deficiência existam dentro de uma empresa, não são elas que vão fazer a coisa mudar, as lideranças precisam querer. Não só uma questão de representatividade, mas de equidade e voz”, diz.

Seu trabalho envolve uma checagem dos projetos antes que eles cheguem às ruas, como uma espécie de consultoria de bom senso. É ela quem avisa quando percebe que um anúncio não vai ser bem recebido por um público –ou pode até gerar um processo, por exemplo.

Em seu trabalho como consultora, ela percebeu que não há um esforço para inclusão das pessoas com deficiência, mas que as empresas apenas preenchem as cotas estabelecidas por lei. A legislação é alvo frequente de discriminação.

O artigo 93 da Lei 8213/1991 determina que empresas com mais de 100 funcionários contratem um percentual deste público, que varia de acordo com o número de colaboradores do local. Até 200 pessoas, este número é de 2%. Sobe para 3% caso tenha entre 201 e 500 empregados. De 501 a 1.000 funcionários, a cota é de 4%. De 1.001 em diante, são 5%.

“O que é para uma agência contratar um diretor de arte surdo? O que é para uma empresa contratar um planner [estrategista] que é cego, por exemplo? As agências não querem se adaptar à realidade das pessoas”, afirma Castanha.

Se escolhem alguém para estrelar uma campanha, Lorrane Silva, apelidada de Pequena Lo, é uma das favoritas. Com 4,8 milhões de seguidores nas redes sociais, ela foi uma das primeiras influenciadoras com deficiência a ser popularmente reconhecida. Ainda assim, também não viu crescer o número de publicidades nas suas redes sociais no mês passado.

“Apareceram algumas falando sobre o setembro verde, mas não foi um aumento”, diz.

Para Lo, a situação piora quando as empresas tentam incluir, mas não fazem do jeito certo. Veiculam campanhas com termos incorretos, palavras ofensivas e até colocam as pessoas com deficiência em situações constrangedoras.

“Falta muita informação antes para falar sobre um assunto sério. Algumas empresas estão falando só por falar. Tem que ter uma procura, uma pesquisa antes. Sobre os termos principalmente. Pessoas especiais, por exemplo, ainda é bem usado, e não é o correto”, afirma.

Castanha acredita que a representatividade de pessoas com deficiência deve crescer nos próximos anos. De acordo com ela, a publicidade escolhe causas e esta não é a bola da vez. Crê que em um futuro próximo as empresas começarão a responder a essa cobrança, assim como fizeram com as mulheres, pessoas negras e o público LGBTQIA+.

“Por ser uma tendência de mercado, as marcas começam a aumentar a presença em seus anúncios dos grupos da vez, mas as pessoas com deficiência ainda não são a tendência do momento”, explica.

Prada Linea Rossa F/W 2021 Campaign

Prada Linea Rossa F/W 2021 Campaign
Source: prada.com
Published: October 2021

All people in this campaign:

Hugo Comte – Photographer Max Clark – Fashion Editor/Stylist Patti Bussa – Hair Stylist Rocco Santamorena – Makeup Artist Ashley Brokaw – Casting Director Claudio Goncalves – Model Erica Honing – Model Gabi Rodrigues – Model

Prada Linea Rossa FW21 Campaign

The red line of Prada Linea Rossa can be traced to its origins in 1997: born from action, crafted by the lived experience of athletes. Its iconographic power is immediate – an ability to be universally understood both as a brand signifier and a metaphorical symbol. At once, the red line has become the most direct brandmark and the most meaningful gesture.

The Fall/Winter 2021 Prada Linea Rossa campaign brings to life the inherent call to action the red line implies. It is an invitation to cross the line and go beyond. Captured by Hugo Comte, the Beyond the Line campaign stars are drawn from the universes of sport and dance – basketball, ballet, skate and parkour – from the four corners of the globe. These talents represent a lineage of achievement, their movements blurring the line between art and athletics in dynamic action around the graphic Linea Rossa.

A linha vermelha da Prada Linea Rossa remonta às suas origens em 1997: nasceu da ação, trabalhada pela experiência vivida de atletas. Seu poder iconográfico é imediato – uma capacidade de ser universalmente compreendido tanto como um significante de marca quanto como um símbolo metafórico. Ao mesmo tempo, a linha vermelha se tornou a marca mais direta e o gesto mais significativo.

A campanha outono / inverno 2021 Prada Linea Rossa traz à vida a chamada para a ação inerente que a linha vermelha implica. É um convite para cruzar a linha e ir além. Capturadas por Hugo Comte, as estrelas da campanha Beyond the Line vêm dos universos do esporte e da dança – basquete, balé, skate e parkour – dos quatro cantos do globo. Esses talentos representam uma linhagem de conquistas, seus movimentos borrando a linha entre arte e atletismo em ação dinâmica em torno do gráfico Linea Rossa.

Natura Tododia lança clipe com Duda Beat em campanha sobre “Amor de Verão”

Campanha traz “Amor de Verão com Ombrim”, versão de Duda Beat e Li Saumet (Bomba Estéreo) para a música “Ombrim”, do grupo Rosa Neon
Soraia Alves

A nova campanha de Natura Tododia traz a ideia de que o amor de verão não precisa ser um romance entre duas pessoas, mas sobre cada mulher consigo mesma. Ao lado de Duda Beat, a marca convida todas as mulheres a colocarem seus corpos em movimento para um verão mais leve e feliz.

Assinada pela agência Africa, a campanha apresenta um videoclipe estrelado pela artista ao som de “Amor de Verão com Ombrim”, versão que Duda fez para a música “Ombrim”, do grupo Rosa Neon. A nova versão também conta com a participação especial da cantora colombiana Li Saumet, vocalista da banda Bomba Estéreo.

“Natura Tododia convida as mulheres a criarem uma relação mais íntima com elas mesmas, ajudando-as a olharem, se sentirem e se cuidarem todos os dias. A campanha para este verão deseja que as mulheres construam uma relação de amor e afeto consigo, para que os dias ensolarados sejam acompanhados da pessoa mais importante: ela mesma. Com Duda Beat e Li Saumet, materializamos esse desejo em um hit energizante, um incentivo para movimentar os corpos, se amar, se divertir e se sentir livre.” comenta Fernanda Rol, diretora de Marketing da Natura.

Há cinco anos, Natura Tododia inspira e convida as mulheres a terem um momento diário de autocuidado e de conexão consigo, promovendo a autoestima de cada uma por meio de uma relação mais leve e de amor com o próprio corpo. Uma relação que ainda é bastante desafiadora para muitas, principalmente no verão.

Dessa forma, a marca segue o conceito “O amor de verão é o amor de Tododia” para mostrar como esse amor-próprio pode ser construído dia após dia e ao longo de uma vida inteir.

Depois de 5 anos, Coca-Cola lança campanha global com foco na Geração Z

Ideia é convidar “todos a celebrarem a verdadeira magia da humanidade”, inspiração que veio das dificuldades vividas pelo mundo todo nos últimos 18 meses
Soraia Alves

Divulgação/Coca-Cola

Coca-Cola apresentou sua primeira campanha global em 5 anos. Criada pela BETC Londres, a campanha “Real Magic” traz um claro foco na Geração Z em termos de aparência, e dá início a um novo capítulo da marca. De acordo com o The Drum, o presidente da categoria Coca-Cola global, Selman Careaga, disse que a iniciativa é “uma nova filosofia que guiará tudo o que fazemos com nossa marca”, acrescentando que a Coca-Cola “vai convidar todos a abraçar o magia da humanidade.”

No filme de estreia, vemos uma batalha de eSport no estilo “World of Warcraft”, até que um dos competidores abre uma garrafa de Coca. Depois do primeiro gole, todas as ameaças vão sendo transformadas e os personagens passam a sem comportar de acordo com seus próprios sentimentos, como no filme “Free Guy”.

Com a ideia de convidar “todos a celebrarem a verdadeira magia da humanidade”, a mensagem final do vídeo aparece como “Estamos a uma Coca de distância um do outro”. A inspiração veio das dificuldades vividas pelo mundo todo nos últimos 18 meses, explica a marca.

“Real Magic” também transcende o status de slogan ou campanha singular, e está definido como parte significativa da identidade da marca. A ideia da Coca-Cola é criar um movimento que inspire a ideia de fazer as coisas da forma mais humana possível.

Além disso, a campanha permite que fãs em mercados selecionados encontrem códigos ocultos em uma página da Coca-Cola em parceria com o Twitch. A promoção dá a chance de ganhar Twitch Bits, uma “moeda” virtual usada na plataforma de streamer.

Hermès F/W 2021 Campaign

Hermès F/W 2021 Campaign
Source: hermes.com
Published: September 2021

All people in this campaign:

Durimel – Photographer Fabien Mouillard – Creative Director Elodie David Touboul – Fashion Editor/Stylist Laurent Philippon – Hair Stylist Karim Rahman – Makeup Artist Herve Sauvage – Set Designer Bakay Diaby – Model Jiao Jiang – Model Rishi Robin – Model Sarah Dahl – Model