“Guerra na neve” é o foco do novo comercial da Apple filmado com o iPhone

Dando sequência à sua campanha “Filmado com iPhone” (“Shot on iPhone”) — o último comercial mostrou uma aventura nos desertos da Arábia Saudita —, a Apple publicou hoje um novo, agora focado nas festividades natalinas.

Uma cinemática luta com bolas de neve Filmada no iPhone 11 Pro pelo diretor David Leitch.

Intitulado “Snowbrawl”, nele temos uma luta cinematográfica com bolas de neve filmada com o smartphone topo-de-linha da Maçã e dirigida por David Leitch.

Além do filme, a Apple publicou também um making of da produção:

Veja os bastidores com o diretor David Leitch, enquanto ele transforma uma luta de bolas de neve em um épico filme de ação.

Lembrando também que a Maçã já soltou o seu comercial de Natal de 2019 — e que não tem nada a ver com guerras de bolas de neve, por sinal.

Comercial de Natal da Apple ‘Holiday — The Surprise’

Às vezes, os melhores presentes podem vir dos lugares mais inesperados.

Intitulado “A Surpresa” (“The Surprise“), no comercial temos uma família americana que viaja para passar o Natal com o avó materno — que, por sua vez, perdeu a sua companheira há pouco tempo.

Enquanto os pais tentam acalmar os ânimos das duas meninas lhes ofecerendo um iPad para assistir algo em diversos momentos (técnica parental bastante utilizada nos dias de hoje), elas mostram que, com o tablet, é possível não apenas consumir mas criar muita coisa.

E não estamos falando de um iPad Pro de última geração com um Apple Pencil novo, não: a Apple fez questão de mostrar que tudo isso é possível num iPad “normal”, com um lápis original: https://apple.co/35kaYGD

Song: “Married Life” by Michael Giacchino https://apple.co/2O50rYZ

Agência de publicidade Media Arts Lab parceira da Apple demite 50 em meio a mudança de estratégia

Já há algum tempo, a Apple tem adotado mudanças na sua estratégia de publicidade: cada vez mais peças têm sido criadas pela própria equipe interna de marketing da empresa. Isso obrigou a parceira de longa data da Maçã, a Media Arts Lab (MAL), a se mexer.

A agência de publicidade externa da Apple Inc. cortou cerca de 50 funcionários, segundo pessoas familiarizadas com o assunto. A empresa disse que estava se adaptando às novas necessidades de seu único cliente.

A agência de publicidade, que é uma subsidiária da TBWA\Chiat\Day, tem a Apple como a única cliente e trabalha com a gigante de Cupertino desde basicamente os primórdios da Maçã — foi a Media Arts Lab, por exemplo, que desenvolveu campanhas icônicas como “1984”, “Think Different” e “Get a Mac”. Agora, com a mudança de estratégia da Apple, cerca de 50 empregados estão sendo dispensados.

De acordo com a Bloomberg, os cortes foram feitos em várias áreas da subsidiária; o grosso das demissões, entretanto, está na parte de estratégia da MAL — justamente o núcleo criativo da agência que trabalhava em proximidade máxima com a Apple para o desenvolvimento das campanhas. Uma das despedidas é a de Geoff Edwards, diretor criativo executivo da agência e chefe de publicidade para a Apple; ele tinha sido promovido para o cargo atual em maio passado.

Em comunicado enviado à Bloomberg, o vice-presidente de comunicação de marketing da Maçã, Tor Myhren, afirmou que a confiança da empresa na MAL continua a mesma; a única diferença é que “enquanto a Apple continua envolvendo sua abordagem ao marketing, nós pedimos à agência que fizesse o mesmo”. A MAL ecoou o mesmo sentimento:

Ontem foi um dia difícil, pois tivemos que nos despedir de alguns dos nossos colegas mais talentosos. Nossa relação com a Apple nunca esteve tão forte, mas conforme as necessidades do nosso cliente continuam evoluindo, nós precisamos nos adaptar e continuar desenvolvendo a composição das nossas equipes.

Seria esse o prenúncio de uma cisão ou só estamos vendo de fato uma adaptação nas operações? Vamos acompanhar.

Apple volta a se focar em privacidade no mais novo comercial do iPhone

Privacidade. Se tem um tema que a Apple gosta de explorar [1234] e que, na teoria, está 100% alinhado com a sua estratégia comercial, é privacidade.

Por quê? Simples: empresas como Google, Facebook, Amazon e outras precisam de informações dos clientes para que seus serviços façam sentido. Já a Apple ganha boa parte dos seus dólares vendendo produtos e até mesmo serviços os quais, de uma forma superficial, não precisam saber absolutamente nada sobre a sua vida particular.

É claro que a história não é tão simples assim como eu contei acima. A Siri, por exemplo, precisa ter acesso a um certo nível de informações dos usuários para funcionar da maneira como imaginamos — não é à toa que a Maçã também se meteu em polêmicas envolvendo invasão de privacidade nesse sentido.

A grande diferença é que a Apple, nesses casos, costuma assumir o erro e agir rápido para remediar a situação — como isso faz parte de uma estratégia de marketing, tudo precisa necessariamente estar bem alinhado com o discurso, afinal.

Mantendo essa linha, a Apple divulgou hoje um novo comercial batendo nessa tecla. Intitulado “Privacidade no iPhone – Simples assim”, o vídeo explica que nos dias de hoje o nosso smartphone tem mais informações pessoais do que a nossa casa.

Detalhes financeiros, mensagens, a sua localização, o seu batimento cardíaco depois de uma corrida… tudo isso é informação sensível que deveria estar apenas no seu telefone, sem que ninguém mais tenha acesso. E é exatamente isso que a Apple promete com o iPhone. Ao usá-lo, tudo o que é sensível e importante fica apenas nele. [MacMagazine]

iPhone 11 Pro Cinematic 4k: Tokyo by Andy To

O lançamento dos novos iPhones ocorrerá nesta sexta-feira (20), mas existem aqueles que já estão com eles em mãos para conferir o potencial dos gadgets, principalmente com relação às câmeras.

Como sabemos, os iPhones 11 Pro e 11 Pro Max contam com um sistema de câmera triplo, o qual introduz uma nova lente ultra-angular àquelas já existentes (uma grande-angular e outra teleobjetiva) na geração anterior. Isso, naturalmente, significa que as fotos e os vídeos capturados com os novos aparelhos possuem não só uma qualidade maior, mas também oferecem novas possibilidades.

Entretanto, só sabemos o quanto a câmera desses aparelhos é boa… vendo! Dessa forma, o cineasta Andy To foi a Tóquio (Japão) para testar a câmera dos novos iPhones. É possível conferir o resultado no vídeo acima, o qual muitos duvidariam que foi gravado com um smartphone.

Fui a Tóquio com o novo iPhone 11 Pro para testá-lo. O objetivo desse vídeo é apresentar uma história visual que mostre minha jornada ao Japão. A história começa em Tóquio, uma cidade progressivamente futurista que possui um belo cenário para o estilo de edição que eu amo fazer.

O vídeo foi gravado diretamente pelo app Câmera (nativo) sem a ajuda de lentes externas, e editado com o Final Cut Pro X no macOS. Como podemos observar, To trouxe a versatilidade da câmera do iPhone 11 Pro ao passar por uma variedade de ambientes, alterando entre cenários brilhantes e coloridos, a lugares com pouca luz.

O CEO1 da Apple, Tim Cook, elogiou o resultado:

rabalho impressionante como sempre, @andyyto! Uma viagem fascinante por uma das minhas cidades favoritas, capturada com o iPhone 11 Pro.

Os iPhones 11 Pro e 11 Pro Max possuem algumas diferenças importantes em relação aos XS e XS Max. Com relação à câmera, ambas as gerações são capazes de gravar vídeos 4K a 60qps, mas nos novos modelos há suporte para alcance dinâmico estendido, melhorando a cor e o contraste das filmagens. [MacMagazine]

Serena Williams quer mostrar que ser mãe não é obstáculo em comercial tocante da Chase

Produzido pela Droga5, “This mama keeps going” lança olhar intimista sobre a época de gravidez e recuperação da tenista em 2017
Por Pedro Strazza

Na noite desta terça-feira, 3 de setembro, Serena Williams disputa as quartas-de-final do U.S. Open contra a chinesa Wang Qiang na busca de seu 24° título do circuito do Grand Slam do tênis. Caso vença, o título marcaria o primeiro da tenista na “liga dos grandes” do esporte desde que teve sua filha Alexis em 2017, uma que carregava no útero quando levou o Australia Open daquele ano.

É esta trajetória de superação de Williams que leva a sua patrocinadora de longa data Chase a lançar um novo comercial sobre sua figura. Produzida pela Droga5e intitulado “This Mama Keeps Going”, a peça de um minuto da marca é altamente emocional ao relembrar com imagens de arquivo os caminhos recentes da tenista para ter sua filha – em especial, os problemas encarados por Williams na gravidez – pra mostrar como ela conseguiu provar ao mundo que a maternidade não encerra a carreira de nenhuma mulher e, mais importante, como é possível conciliar estes dois mundos. Confira acima.

Embalado pelo lema de orgulho da marca sobre ser patrocinadora do “U.S. Open, de Serena e de mães em todo o lugar”, “This Mama Keeps Going” na verdade continua a campanha iniciada pela Chase no ano passado e que se situa em cima desta jornada de superação pessoal de Williams para manter a carreira e ter uma filha. O diferencial, porém, é mesmo o olhar intimista, presente desde o início com as imagens do ultrassom de Alexis até o registro do longo processo de recuperação da tenista e seus primeiros meses de maternidade.

Tudo isso encerrado com o gesto singelo da peça em relembrar o discurso da vitória da atleta quando venceu seu primeiro Grand Slam em 1999: “Eu venho praticando por tanto tempo para este momento e ele está aqui”.