Triangel / Ritter Schumacher

 

Triangel_Nendeln_(17)Do arquiteto. No alto da margem tranquila da floresta encontra-se uma estrutura triangular monolítica. Semelhante a um arco inclinado de um navio, o volume da casa corta o fluxo de ar para o sul. À primeira vista, o contorno exterior surpreende, mas ambos os lados do triângulo se encaixam perfeitamente no entorno especial e se relacionam com a encosta e o vale. O edifício possui três lados e, portanto, não possui a parte posterior.

A forma triangular define um contraponto arquitetônico perante as construções existentes vizinhas. Ambas as fachadas de cunha são formadas com grandes feixes que criam um espaço livre abaixo do piso térreo, enquanto apoiam a estrutura do primeiro andar. As áreas de estar ao ar livre em ambos os níveis formam a coroação espacial no arco do edifício. O terraço do “pavimento superior” com vista panorâmica sobre o nível do telhado não é menos impressionante.

Todo o envelope externo é realizado em concreto. A hidrofobização profunda oferece proteção adicional contra as influências climáticas. O número de aberturas para janelas é reduzido ao mínimo. Uma janela em forma de baía se destaca ligeiramente na parede do norte. Este é um nicho de leitura e “mirante” na área de dormi, onde o lazer pode se associar às vistas.

Os ambientes internos são executados em branco para criar uma diferenciação intencional entre interior e exterior. No geral, este é um projeto cheio de poesia arquitetônica. ArchDaily Traduzido por Victor Delaqua

Arquitetos: Ritter Schumacher
Localização: Nendeln, Liechtenstein
Área: 264.0 m2
Ano do projeto: 2017
Fotografias: Joana Vilaça
Fabricantes: Wilhelm Büchel AG, Landquart, QualiWood, René Schweizer AG, Reute Engenharia: Frick & Gattinger Engineer

OMA projeta edifício de uso misto para porto de Boston

88-SeaportO OMA New York revelou renderizações para o projeto mais recente, um empreendimento de uso misto com 45.000 metros quadrados, localizado no 88 Seaport Boulevard, no emergente Porto de Boston. Desenvolvido pelo empreendedor com sede em Massachusetts WS Development, a estrutura agrega a uma crescente coleção de arquitetura de qualidade comissionada para o distrito, incluindo projetos de  James Corner Field OperationsSasaki, e NADAAA.

“Estamos empenhados em trazer a arquitetura de classe mundial para o Porto de Boston – arquitetura que resistirá ao teste do tempo. Juntamente com a brilhante equipe do OMA, criaremos um ambiente urbano único que promove a economia de inovação de Boston e comemora um excelente projeto urbano” Disse Yanni Tsipis, vice-presidente sênior do Seaport no WS Development.

88 Seaport consistirá em uma estrutura de 18 andares com uma fachada de vidro facetada dividida por uma grande fatia angular que permitirá que a luz natural penetre nos espaços interiores e abrirá o edifício em direção ao Fan Pier Green e à água. No total, o prédio oferecerá cerca de 39.500 metros quadrados de escritórios, cerca de 5.575 metros quadrados de comércio (localizado nos dois primeiros andares) e 465 metros quadrados designados para uso cívico / cultural.

O projeto está sendo liderado pelo sócio do OMA, Shohei Shigematsu, que dirigiu o escritório da OMA em Nova Iorque e tem trabalhado nas Américas desde 2006.

“É emocionante se envolver com a migração de inovação para o Distrito do Seaport e trabalhar com o WS Development em um prédio posicionado para ser o nexo entre o histórico Fort Point e os empreendimentos emergentes”, disse Shigematsu.

“Nosso projeto para o 88 Seaport fatia o prédio em dois volumes, criando respostas distintas para a escala urbana antiga e a nova, além de acomodar diversas tipologias de escritórios para diversas indústrias com demandas de pisos tradicionais e alternativos. A fatia também gera uma oportunidade para desenhar os domínios públicos do distrito, ligando o cais e Fan Pier Green com uma paisagem contínua “.

Espera-se que a construção seja iniciada em 2018 e finalizada em 2020.  Traduzido por Eduardo Souza 

Notícia via OMA.

NALU / Studio Saxe

2Nalu_HighRes_039Do arquiteto. Studio Saxe finalizou um hotel boutique e um estúdio de ioga na paisagem tropical de Nosara, Costa Rica. O projeto faz parte de uma longa linha de edifícios sustentáveis do escritório que misturam o desenho contemporâneo com o artesanato local, abrangendo o entorno natural que rodeia e emoldura a arquitetura.

Nosara se tornou um destino para os vistantes de todo o mundo para a saúde, bem-estar e surfe. Por isso, os proprietários do Hotel Nalu-Nosara, Nomel e Mariya Libid, queriam um desenho que refletisse a atitude dos seus hóspedes. O estúdio de ioga, que também se tornou muito popular como um espaço de academia multiuso, envolto na vegetação exuberante por todos os lados é, também, um refúgio na selva para o exercício e relaxamento.

Os hóspedes do hotel dispõem de casas individuais em vez de dormitórios situados a poucos minutos a pé do oceano. Ao romper o volume do hotel tradicionalmente monolítico, os arquitetos foram capazes de dispersar espaços de convivência entre as árvores e criar um sentido de privacidade rodeado pelo mundo natural. Cada pavilhão foi cuidadosamente posicionado, depois de uma investigação minuciosa sobre as condições do vento e sol, garantindo ao mesmo tempo que todos eles possuam uma visão individual da paisagem. As coberturas de madeira sobrepostas são projetadas sobre cada pavilhão proporcionando sombra do intenso sol equatorial. Estes tetos estão feitos com tábuas recicladas criando padrões desiguais que enfatizam ainda mais essa tensão entre artesanato local e desenho moderno. As habitações estão conectadas através dos corredores que filtram a luz solar desde pergolados e emolduram mais vistas do exuberante entorno.

O arquiteto Benjamin Garcia Saxe disse: “Nosso projeto em Nalu representa o poder da arquitetura tropical moderna simples e discreta. Converteu-se rapidamente em um dos espaços favoritos da cidade o que demonstra que existe um desejo de ocupar espaços que aproximam as pessoas da natureza, ocupando-se das necessidades da vida contemporânea”. Traduzido por Camilla Sbeghen

Este slideshow necessita de JavaScript.

Arquitetos: Studio Saxe
Localização: Guanacaste, Nosara, Costa Rica
Área: 656.0 m2
Ano do projeto: 2017
Cliente: Nalu Nosara
Diretor de Projeto: Benjamin Garcia Saxe
Arquiteto Projetista: Alejandro Gonzalez & Cesar Coto
Coordenador de Projeto: Laura Morelli
Documentação da Obra: Roger Navarro
Engenheiro Estrutural: Sotela Alfaro Ltda.
Engenheiro Elétrico e Mecânico: Dynamo Studio
Construtora: Construction PROS

Heatherwick Studio divulga imagens e vídeo de sua “montanha de árvores” em Xangai

Após a publicação na semana passada do vídeo produzido pelo #donotsettle sobre o projeto 1000 Trees de Heatherwick Studio em Xangai, o próprio escritório divulgou um vídeo mostrando o andamento das obras.

O empreendimento de 300 mil metros quadrados está localizado a 20 minutos do centro de Xangai ao lado do distrito de artes M50, e assume a forma de duas “montanhas cobertas de árvores”. Como o nome sugere, o projeto incluirá colunas estruturais de concreto largas no topo, criando espaço para plantadores árvores. O vídeo apresenta o edifício em estado meio concluído, mostrando como ele irá se relacionar com seu entorno imediato.

“A legislação permitia construir dois blocos de shopping center, no entanto, um edifício maior e pesado precisaria ser dividido em partes menores para se adequar aos arredores”, explicou Heatherwick Studio. “O plantio integrado atua como um elemento de equilíbrio natural e as bordas do prédio são reduzidas para minimizar o impacto onde se encontra com o distrito artístico e o parque, reduzindo o limite discernível entre eles.”  Traduzido por Romullo Baratto

Via Heatherwick Studio

Estúdio numa estufa / O-OFFICE Architects

the_gree_neigbourhoodDo arquiteto. Este estúdio de trabalho foi transformado a partir da parte central de uma estufa vazia, construída em uma colina voltada para o sul. Um antigo pórtico de concreto, coberto de lianas, na parte frontal, fornece um caminho de entrada para o estúdio. O espaço foi projetado para abrigar uma empresa de paisagismo.

O arquiteto planejava construir um ambiente de trabalho íntimo, similar a uma pequena aldeia, sob a envoltória original da fábrica, mantendo a luz natural e a ventilação no novo núcleo de trabalho para conseguir um preenchimento espacial verde com baixo custo de energia. O espaço interno é verticalmente dividido em dois: o térreo abriga um grande espaço para a equipe trabalhar em conjunto e o piso superior serve para várias pequenas equipes de design e gerenciamento trabalharem de forma independente.

O espaço compartilhado e aberto da “aldeia”, todo ventilado naturalmente, liga o chão do átrio da recepção ao pavimento superior por uma grande escada de concreto com vegetação. Três árvores crescem ali trazendo uma experiência de jardinagem semi-exterior.

Toda a construção foi realizada in situ. A técnica local de madeira e torção de cânhamo foi adaptada e contribuiu para a fase de acabamento do projeto. Traduzido por Victor Delaqua

Este slideshow necessita de JavaScript.

Arquitetos: O-OFFICE Architects
Localização: Guangzhou, Guangdong, China
Autores: Jianxiang He, Ying Jiang
Área: 1214.0 m2
Ano do projeto: 2017
Fotografias: Liky Photos
Equipe de Projeto: Chengqiang Huang, Xiaolin Chen, Tao Zhang
Engenharia Estrutural: Qirao Luo

Studio Gang e nAOM selecionados como finalistas para redesenhar a Torre Montparnasse em Paris

Sem título.png90Studio Gang e nAOM (Franklin Azzi Architecture / Chartier Dalix / Hardel-Lebihan Architectes) foram selecionados como as duas equipes finalistas que competem pelo redesenho da infame Torre Montparnasse de Paris, superando uma lista de estrelas que incluiu OMAMAD Architects (China) + DGLA (França), Architecture StudioDominique Perrault Architecture, e PLP Architecture.

O concurso pediu às equipes que enviassem uma proposta para a torre que “não só cria uma identidade nova poderosa, dinâmica e arrojada para a Torre Montparnasse, mas também aborda todos os desafios envolvidos em termos de acessibilidade, conforto e desempenho energético dos usuários”.

“Ficamos bastante impressionados com o alto padrão de todas as sete propostas apresentadas, mas tivemos que fazer uma escolha. Afinal, é disso que as competições tratam!”, explicou o júri em sua decisão. “Ambas as propostas finais atendem aos requisitos do cliente em termos de uma declaração urbana arrojada, desempenho ambiental e acessibilidade de usuários de alta qualidade “.

“A Cidade de Paris está encantada com o excelente nível de propostas concorrentes nesta fase final do concurso”, disse Jean-Louis Missika, vice-prefeito de Paris para o planejamento urbano, a arquitetura, a atratividade, o desenvolvimento econômico e das Iniciativas da Grande Paris (Grand Paris)”. Ambos os candidatos demonstraram uma compreensão pericial dos desafios urbanos colocados pela Torre Montparnasse. Suas propostas permitirão que a torre se adapte aos desafios do século XXI e estabeleça um novo marco na paisagem urbana moderna de Paris”.

O projeto de 300 milhões de euros será totalmente financiado pelos coproprietários do edifício, o que significa que não terá qualquer custo para os contribuintes. O projeto vencedor será anunciado em setembro. A construção está programada para começar em 2019, com a conclusão prevista para 2023.  Traduzido por Eduardo Souza

Notícia via Demain Montparnasse.

Conheça o brutalismo de Boston com este novo mapa da Blue Crow Media

Brutalist_Boston_Map_x_City_Hall_-_Credit_Chris_Grimley_Michael_Kubo_and_Mark_PasnikEm seu nono guia arquitetônico, a editora londrina Blue Crow Media destaca os edifícios brutalistas da cidade de Boston. O mapa foi criado por Chris Grimley e Mark Pasnik, juntamente com Michael Kubo, autores do livro “Heroic: Concrete Architecture and New Boston“. O mapa destaca mais de quarenta exemplos de arquitetura brutalista localizados na região de Boston.

Trabalhos aclamados como o Boston City Hall, feito por Kallmann, McKinnell e Knowles, o Centro de Serviço do Governo de Paul Rudolph e a Escola Madison Park de Marcel Breuer são apresentados no guia. Ele inclui também o único edifício norte-americano de Le Corbusier, o Carpenter Center para Artes Visuais. A Biblioteca Charlestown Branch de Eduardo Catalano e a Escola Josiah Quincy de The Architects Collaborative são exemplos de obras menos conhecidas.

Projetos de infra-estrutura em concreto construídos nas décadas de 1960 e 1970, como hospitais, universidades e edifícios governamentais, fizeram parte de um esforço de renovação urbana chamado “New Boston”. O legado da arquitetura de concreto da cidade se proliferou através de uma variedade de obras institucionais e comerciais espalhadas por toda a região. A revitalização teve como objetivo modernizar, embora muitos esforços de renovação urbana tenham deixado algumas comunidades divididas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Mapa Brutalista de Boston faz parte de uma série, que inclui cidades como Paris e Sydney, da Blue Crow Media, que explora a arquitetura do século XX. De acordo com a editora, os mapas são projetados para afirmar a importância da arquitetura brutalista, que muitas vezes tem sido objeto de polarização no debate público.

Disponível por US $ 10 USD, 9 € e £ 8 aqui, o guia apresenta uma introdução à arquitetura na região, juntamente com fotografias e detalhes de cada edifício. Mapas para Nova York e Tóquio serão lançados ainda este ano.  Traduzido por Camilla Sbeghen

Via Blue Crow Media.

Residência na Montanha Franklin / hazelbaker rush

extsouth79979_2_smDo arquiteto. As montanhas Franklin se estendem no extremo norte de El Paso, como uma península de natureza rochosa na paisagem urbana da cidade, elevando-se 700 metros sobre o vale do Rio Grande. O terreno da residência está localizado aos pés da montanha Franklin, 240 metros sobre a cidade, posicionado acima de um pequeno desfiladeiro com vistas ao centro de El Paso e Juárez ao sul.

A medida que a acidentada paisagem nativa desce pela ladeira e encontra o volume da residência, a terra começa a ser percebida como mais controlada e cultivada. O terreno escarpado converte-se em uma série de terraços que retardam o fluxo de água. Este oásis montanhoso é enriquecido com suculentas nativas e cactos além de vegetações rasteiras coloridas e aromáticas. Um ecossistema sustentável de pequena escala para uma família que converteu um terreno “duro” em um santuário.

A inclinação permite que a residência de três pavimentos mantenha uma conexão direta com o exterior em cada nível. Os espaços utilitários estão no primeiro pavimento com as funções de estar, cozinha e jantar no segundo pavimento e o dormitório mais privativo e áreas de recreação da família no terceiro nível. Os picos das montanhas ao leste atrasam os primeiros raios de sol até muito tarde. Ao sul, a inclinação cai abruptamente no córrego profundo onde cedo pela manhã ou pela tarde, as águias reais e os falcões percorrem as correntes térmicas até os desfiladeiros mais altos em busca da sua próxima refeição. Frequentemente, as crianças despertam e vêm cervos e coelhos pastando na flora recém plantada ao longo do pátio sul, às vezes encontrando a evidência do felino local. Cada noite, quando o sol se põe, o céu se ilumina e o estar ao ar livre converte-se no melhor lugar para ver o céu desvanecer de vermelho a alaranjado a índigo profundo a medida que as luzes da cidade de Juaréz iluminam o vale ao sul.

Próximo a parte superior do terreno existe uma mina de quartzo abandonada. Os cristais angulares dispersos na parte leste do lugar – objetos bonitos e estranhos entre as pedras cinzas – converteram-se em uma inspiração para a massa da residência. Um volume tradicional de estuque de cal branco abriga as habitações e a área privada da família e se equilibra com uma massa estereotômica de basalto cinza local, utilizando o estilo dos muros de todo o povoado que coincide com o entorno e é tão presente no local que, desde uma distância os pavimentos mais baixos quase desaparecem e a massa branca do dormitório parece flutuar na paisagem.

Os materiais estão diretamente relacionados com o artesanato vernacular de El Paso; tijolos de pedra, estuque liso, trabalhos de aço relacionados com o trem e artigos de couro relacionados com a história dos vaqueiros. Nos momentos em que um se acopla diretamente à edificação, as maçanetas das portas e os puxadores dos armários estão feitos com aço preto com um pequeno detalhe de couro para suavizar e dar calidez às bordas frias. Os materiais naturais são utilizados de maneira pouco convencional para expressar claramente um refinamento da arte vernacular.  Traduzido por Camilla Sbeghen

Este slideshow necessita de JavaScript.

Arquitetos: hazelbaker rush
Localização: El Paso, Estados Unidos
Área: 483 m2
Ano do projeto: 2015
Fotografias: Casey Dunn
Fabricantes: Supreme, Western Window
Construtora: Cullers & Caldwell Builders
Engenharia Estrutural: Harris Engineering Services

Centro de Saúde em Valenzá / IDOM

A_VALEZA_036Do arquiteto. O edifício projetado para o novo centro de saúde de Valenzá, em Orense, está localizado em um terreno de mais de 3.666 m2, situado em uma área de prominente inclinação no meio do caminho entre o rio, a rodovia principal do município, em sua parte inferior e a autopista na parte superior da ladeira.

O terreno tem a peculiaridade da sua dimensão longitudinal e está limitado na parte frontal. Ao leste, está limitado por uma via de acesso e um bloco longitudinal de moradias de quatro pavimentos e na parte oeste por um talude de grande dimensão com um desnível superior aos 16-18 metros.

A implantação urbana do novo centro de saúde torna presente esta delicada situação. Com essas premissas de partida procura-se uma correta localização que minimize o impacto visual e construtivo deste nível, diminuindo o efeito de “encaixotamento” do centro no terreno. O edifício eleva-se levemente sobre a cota do terreno e se resolve com um corpo longitudinal de um pavimento, encaixado no talude e um nível superior disposto em posição central em torno de um pátio interior.

Desde o ponto de vista urbano, planeja-se uma solução que permite, ao mesmo tempo, a criação de espaços públicos de interesse e o correto funcionamento do centro. Cria-se uma praça de entrada vinculada ao acesso principal e de ambulâncias, salas de instalações em uma posição centralizada no terreno, minimizando os percursos e uma praça posterior vinculada às salas de jogos e espera da pediatria, à sala de reuniões e aos programas que podem requerer um acesso independente. As praças se qualificam com a presença das árvores, bancos ou escadas e suaves rampas ou arquibancadas na fachada norte do terreno, minimizando o impacto do talude nesta área e integrando-o em uma proposta urbana unitária.

No momento de desenhar o projeto confere-se especial atenção a proteção ao excessivo soleamento e a busca por uma correta iluminação, assim como a potencialidade de uma ventilação natural cruzada dos ambientes.

O programa se divide em quatro grandes áreas de atenção ao paciente além daquelas áreas destinadas à gestão e manutenção do centro. O centro conta com 5 consultórios de medicina geral, 5 de enfermaria, 1 destinado à obstetrícia, 1 sala de educação para saúde, 1 consultório odontológico + higienista, 1 sala de exames, 1 sala técnica, 1 sala polivalente, 1 sala para mulheres, 1 consultório de urgências, 2 consultórios de pediatria, 2 consultórios de enfermaria pediátrica, sala de estar dos funcionários, sala de reuniões e biblioteca. Traduzido por Camilla Sbeghen

Este slideshow necessita de JavaScript.

Arquitetos: IDOM
Localização: Valenzá, Orense, Espanha
Arquiteto Responsável: Jesús Llamazares Castro
Área: 1952.0 m2
Ano do Projeto: 2017
Fotografias: Aitor Ortiz
Arquitetos Colaboradores: Cesar Jiménez Valcárcel, João Rafael Abreu Fortes, Pilar Romero Cajigal, Ingrid Valero Geli, Julia Míguez Rey
Paisagista: Julia Metrass Mendes
Arquitetos Técnicos: José Ángel Rodríguez Souto, Josu Novoa Hernández
Estruturas: Alejandro Bernabeu Larena, Victoriano Sancho Villasante, Juan Rey Rey (Mecanismo S.L.) Pablo Vegas González (Mecanismo S.L.)
Instalações: Miguel Ces Pérez, Cesáreo Pose Núñez (C&G Técnicos Asociados), Mª José Germil Feás (C&G Técnicos Asociados)
Revisão: Galo Zayas Carvajal
Gestão da Obra: López Fando Asociados SL
Construtora: UTE Extraco SA – Misturas SA

gmp Architekten projeta torre de vidro de 150 metros para a China UnionPay

China UnionPay Tower, ShanghaiVista aérea. Imagem © Crystal Digital Technology


O escritório gmp Architeckten (von Gerkan, Marg and Partners) divulgou sua proposta para uma torre de vidro de 150 metros de altura que será a nova sede da China UnionPay, em Xangai. Localizada em frente ao antigo terreno da Expo, às margens do rio Huangpu, a torre apresenta uma fachada de vidro que oferece impressionantes vistas da cidade e, externamente, reflete seu entorno.

O projeto do complexo, que totaliza 90.000 m², consiste em três quadrados, com um arranha-céus central ladeado por dois edifícios de cinco pavimentos em sua base, cada um ligeiramente deslocado para acompanhar a geometria do terreno. Uma passarela de vidro no 4º e 5º pavimentos que conecta os edifícios funciona como uma área de entrada coberta e permite o acesso tanto para norte quanto para sul.

Elementos importantes do programa, como o hall de entrada, o salão, as áreas de exposição, a cafeteria dos funcionários, salas de reuniões e escritórios de administração, são enfatizados através de uma sutil diferenciação na fachada; quando reunidos, esses elementos criam uma composição lógica de verticais e horizontais.

“Graças aos detalhes cuidadosamente pensados envolvendo a fachada de vidro e o aço estrutural, que foi projetado como um sistema tubular em colaboração com Schlaich Bergermann Partner (sbp), é possível integrar os apoios verticais no plano da fachada, criando profundidades de fachada rasas e, no interior, áreas funcionais sem elementos verticais de apoio”, explicam os arquitetos. “No embasamento, as colunas foram reunidas para convergir em quatro pontos, o que permite criar um desenho aberto e transparente das áreas de entrada.”

O escritório gmp Architekten foi selecionado como vencedor do concurso para a nova sede da China UnionPay em 2015.  Traduzido por Romullo Baratto

Via gmp Architekten

Este slideshow necessita de JavaScript.

Arquitetos: gmp Architekten
Localização: Xangai, China
Projeto: Meinhard von Gerkan e Nikolaus Goetze com Magdalene Weiss
Gerente de projeto: Sun Yajin
Equipe de projeto: Cai Lei, Chen Jingcheng, Ralf Donner, Martin Friedrich, Gao Shusan, Saeed Granfar, Sa Xiaodong, Katharina Schneider, Yu Xiaoliang, Zhang Bowei
Equipe responsável pelo detalhamento: Davide Biselli, Cai Lei, Ralf Donner, Fan Xiaodi, Liu Jinrui, Lu Yan, Katharina Schneider, Yu Xiaoliang
Cliente: China UnionPay
Área: 137.729 m²
Fotografias: gmp Architekten