Livros de arquitetura: 4 novidades para comprar já

Confira as novas publicações que valem a pena acrescentar à coleção

emiliano_fachada.jpg
Fachada do hotel Emiliano, projeto de Arthur Casas

O mês de dezembro veio recheado de lançamentos de livros relacionados ao universo da arquitetura e do décor. Por isso, listamos a seguir quatro grandes publicações que acabaram de chegar às prateleiras das livrarias e são ótimas opções para presentar aquele amigo ou familiar apaixonado pelo assunto.


Coleção Arquiteturas – André Vainer e Guilherme Paoliello

capa_livro_avgp_r23_20171027_01pordosol_frentelombada.jpg

A Editora da Cidade, da Escola da Cidade, lança mais um livro da série “Coleção Arquiteturas”. Desta vez, a obra organizada pelos professores Anderson Freitas e Cesar Shundi Iwamizu, em conjunto com alunos, apresenta os trabalhos mais significativos dos arquitetos André Vainer e Guilherme Paoliello. São projetos de 1980 e 2010, época em que atuavam juntos no escritório AVGP, e contribuíram para o desenvolvimento do cenário arquitetônico paulista. Por R$ 80, com 280 páginas.


Gisele Taranto – Arquitetura

Sem título.pngpFormada em arquitetura e urbanismo na Universidade Santa Úrsula no Rio de Janeiro, Gisele Taranto conta sua trajetória profissional neste livro que reúne 17 projetos luxuosos, entre edifícios corporativos, casas, apartamentos e mostras de decoração, criados por ela nos últimos 10 anos. Publicado pela Zeta Editora, por R$ 249, com 288 páginas.


Studio Arthur Casas

Sem título

Nesta edição revisada e ampliada pela Zeta Editora, 33 trabalhos desenvolvidos pelo arquiteto Arthur Casas entre 2008 e 2017 ganham destaque. São projetos recentes e inéditos dos mais variados tipos, como o hotel Emiliano, no Rio de Janeiro, o restaurante Kosushi, em São Paulo, e até uma linha de relógios desenhada para a H.Stern. A obra conta ainda com textos assinados por grandes autores brasileiros e estrangeiros – Philip Jodidio, Maria Cecilia Loschiavo dos Santos e Fernando Serapião estão entre eles. Por R$ 297, com 376 páginas.


Cadas

capacadas_abranchespersp-alta

Com desenhos feitos à mão e uma percepção muito pessoal sobre cada elemento construído, o arquiteto Cadas Abranches comemora 38 anos de carreira com um livro especial. A edição bilíngue discorre as lembraças e inspirações do profissional a partir de 21 projetos inéditos, a maioria residenciais, que passeiam pelo eixo Rio-São Paulo. Da Zeta Editora, por R$ 297, com 336 páginas.

Anúncios

Stanford Apple Store, Palo Alto, CA, EUA / Bohlin Cywinski Jackson

Apple_Store_Stanford_01Arquitetos: Bohlin Cywinski Jackson
Localização: Stanford Shopping Center, 379 Stanford Shopping Center, Palo Alto, CA 94304, Estados Unidos
Arquiteto Principal: Karl A. Backus, FAIA
Gestão de Projeto: Michael Waltner, RA
Equipe de Projeto: Dan Yoder, Projeto / David Andreini, AIA / Tina Lindinger, AIA / Joe DiNapoli, RA / Andrew Hamblin, RA / George Bradley, AIA
Ano do projeto: 2017
Fotografias: Hufton+Crow Roy Zipstein
Fabricantes: Whisperwalls, Frener&Reifer, PIETRA SERENA
Empreiteira: Pepper Construction
Estrutura: Umerani Associates
Engenharia de Serviços: WSP Group
Civil: BKF
Iluminação: ISP Design

Apple_Store_Stanford_08Descrição enviada pela equipe de projeto. A marca Apple sempre demonstrou seu enorme apreço pelo design, seja nas mãos de seus clientes ou na forma como apresentam seus produtos na loja. Localizado no centro comercial Palo Alto, este pavilhão respeita as expectativa da marca, introduzindo novas e evolutivas formas de reinterpretar treze anos de tradição.

Apple_Store_Stanford_12Não demora muito para se reconhecer a marca: o vidro transparente que se estende proeminentemente desde o piso até o teto, o suave aço inoxidável resplandecente sobre o dossel conforme ocorre uma aproximação, a aconchegante pedra que ancora o pavilhão dentro de seu contexto e a brilhante maçã branca na entrada.

Apple Store StanfordNo coração da experiência do cliente está o produto e, por essa razão, o espaço está desenhado em torno de sua exposição.

Apple Store StanfordA fachada frontal com 55 metros lineares de vidro e as três entradas torna a marca visualmente reconhecível e fisicamente acessível. Com o suporte estrutural de finas aletas de vidro ao longo da fachada, a sala da loja é livre de pilares, o que permite aos clientes explorar de forma desinibida a variedade de produtos dispostos sobre as mesas de madeira.

Conforme o visitante movimenta-se pela sala da parte dianteira para a posterior, a atmosfera muda para uma sensação de recinto. O teto dá espaço a uma enorme cobertura de vidro, a luz do sol brinca sobre o piso e os sons das atividades diminuem. Dedicado ao serviço, ao treinamento e à exposição de acessórios à venda, o sentido de privacidade apoia a vontade da empresa de criar um ambiente para reunião e aprendizado.

Apple Store StanfordDelicadas vigas de aço inoxidável sustentam a cobertura de vidro que se arqueia suavemente, e junto às paredes de pedra, estão visivelmente em harmonia com o céu acima. Um cuidadoso equilíbrio entre a coloração e o revestimento de alto rendimento, permite que a luz do dia preencha o espaço, mantendo a comodidade durante todo o ano. [ArchDaily – Traduzido por Julia Brant]

Apple_Store_Stanford_11© Roy Zipstein

The Rock: Uma casa construída em uma montanha by Atelier Général

contemporary-cabin-rock-atelier-general-7-700x500.jpgLocalizado em Shefford, Quebec, Canadá, The Rock é uma casa construída na encosta de uma montanha e cercada por árvores de bordo. O Atelier Général projetou a residência negra como se estivesse saindo da montanha. []

The-Rock-Atelier-General-4-810x540Em volta, uma plataforma grande estende o espaço vital para o lado rochoso do local.

The-Rock-Atelier-General-3-810x540O piso superior abriga o living space e projeta-se oferecendo um espaço coberto embaixo de onde você entra na casa. Uma escada de madeira conecta a entrada ao piso principal.

The-Rock-Atelier-General-11-810x540Grandes janelas e portas do chão ao teto enquadram a floresta e a vegetação de maple circundantes.

The-Rock-Atelier-General-12-810x540A cozinha minimalista é terminada em folheado de pinho branco, superfícies brancas e acentos negros para um visual moderno / rústico.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Photos by Adrien Williams, courtesy of v2com.

 

Blue Bottle Coffee Cafe by Schemata Architects

schemata-architects-blue-bottle-coffee-sangenjaya-cafe-japanese-design-designboom-7-768x512O design inspirou-se na textura de concreto áspero do edifício original. Todas as imagens © kenta hasegawa


Inspirado na textura de concreto áspero do prédio original, que foi derramada com cofres de madeira de cedro japonês, Blue Bottle Coffee Cafe projetado por Schemata Architects está localizado perto do centro da cidade de Tokyo, a 3 minutos da estação de sangenjaya. o edifício de 50 anos era inicialmente residência, clínica e oficina do proprietário original. [Designboom]

Devido à localização, seria muito proveitoso estabelecer um novo edifício comercial ou residencial aqui. No entanto, em vez de simplesmente se concentrar nos lucros das empresas, o cliente manteve o lugar para criar um novo espaço público com alma para a comunidade do bairro. Após a renovação completa no início de 2017, os arquitetos de esquemas foram desafiados a projetar uma loja de café com garrafas azuis – um espaço que servirá de conexão entre a cidade e o próprio prédio.

No prédio há também uma galeria, que fica ao lado do café, e um jardim verde e tranquilo no seu quintal. “Este edifício foi concebido de tal forma que os clientes experimentarão a continuação desta sequência espacial profunda”, diz Jo Nagasaka, fundador dos arquitetos de esquemas.

Como o prédio está escondido atrás de duas outras casas, o estúdio projetou uma pavimentação de concreto pré-moldado para estabelecer uma nova relação entre o prédio e as ruas movimentadas, o que leva os visitantes a todo o território. Após a pavimentação, os clientes chegaram ao café. Todos os ajustes e mobiliário são muito simples, bem como em outras lojas de café com garrafas azuis, e não desviam a atenção das impressionantes paredes de concreto. Depois de passar a sala de estar, o visitante entra no jardim tranquilo, que o deixa desfrutar do silêncio após a pressão da grande cidade densa.

project info:
architect: jo nagasaka / schemata architects
project team: yui matsushita, yasunori nakano
address: 1-33-18 sangenjaya, setagaya-ku, tokyo, japan
construction: tank
collaboration: soup design (sign), hashizaki electric co., ltd. (kitchen), whitelight. ltd. (sound plan), 1lux (lightning plan
area: 99.52 sqm
structure: RC
photography: kenta hasegawa

Herzog & de Meuron vence concurso para sede do Banco Suíço com vista ao lago de Genebra

19114578_herzog-amp-de-meuron-wins_tb343d5cb.jpgCortesia de Herzog & de Meuron


Herzog & de Meuron, junto ao escritório local Favre & Guth, foram selecionados como vencedores da competição internacional para o projeto da nova sede global ao Banco privado Lombard Odier que será localizada em Bellevue, na Suíça, ao no Lago Genebra.

Em resposta ao tema da competição “One Roof” (uma cobertura), o projeto consiste em um único edifício em que todos os lados têm mesmo grau de importância, sem frente ou fundo óbvios. A proposta vencedora de Herzog & de Meuron consegue isso através de sua fachada em vidro e lajes contínuas suportadas por esbeltos pilares que parecem flutuar.

“Um bunker revestido de pedra não estaria de acordo com a imagem de um banco contemporâneo”, disse o sócio fundador Pierre de Meuron. “Criamos um edifício transparente, elegante e escalonado. Como tal, sua arquitetura reflete a visão e os valores de Lombard Odier. A forma e a aparência do nosso projeto não é devido à preferência estética. Nossa intenção é permitir que todos os ocupantes da nova sede apreciem plenamente o envolvente ambiente natural”.

lombard-odier_16_643x397Cortesia de Herzog & de Meuron


Sobreposto em um terreno de 27.400 metros quadrados com vista para o Lago de Genebra, o prédio acomodará 2.600 funcionários, fornecendo-lhes estações de trabalho flexíveis e de alta tecnologia que permitirão ao Lombard Odier melhor servir e colaborar à seus clientes

“Fomos imediatamente atingidos pela atemporalidade, personalidade e integração do projeto em seu ambiente natural. O prédio será arejado e ficará maravilhoso visto do chão, do lago e do céu”, comentou Patrick Odier, sócio-gerente sênior da Lombard Odier. “Tudo foi projetado para inspirar a criatividade e o trabalho em equipe através de um ambiente dinâmico e motivador. Nossos clientes se beneficiarão pelo excepcional local e de fácil acesso, que fornecerá todos os nossos serviços e conhecimentos sob um mesmo teto “.

“No centro de nossos valores sempre há o conceito de desenvolvimento sustentável, combinando considerações ambientais, sociais e econômicas”, pontua Odier. “Este edifício integra perfeitamente essa preocupação. Em particular, atenderá aos mais altos padrões de desenvolvimento sustentável e empregará a mais eficiente tecnologia disponível, especialmente em termos de economia de energia. A qualidade das condições de trabalho será parte integrante deste ecossistema “.

O projeto está previsto para ser concluído até 2021. By Traduzido por Matheus Pereira

6 Iniciativas que destacam o papel da mulher no design e na arquitetura

Frente à uma dura realidade, iniciativas do mundo todo promovem o papel das mulheres no design, na arquitetura e no urbanismo
Por Giovanna Maradei I Fotos Reprodução

arquitetura_capa“Procura-se mulheres no design, na arquitetura e no urbanismo”. Se fosse preciso resumir essa coluna em uma frase, talvez essa fosse a melhor escolha. Afinal, antes de tudo, este é um espaço de busca. Busca por criações de mulheres que se destacam nestas três disciplinas, busca por novidades que lançam luz às questões de gênero pertinentes a estes universos e, principalmente, busca por um aumento de espaço para as criações feitas por e para mulheres.

Dito isso, sei que muitos leitores irão revirar os olhos e sentenciar: eis aqui mais uma vítima da moda feminista. E bom, não posso negar que esta tal de “moda” ajudou a abrir várias portas e clarear muitas ideias. Mas também não posso deixar de ressaltar que, independentemente dela, mulheres seguem sendo minoria nos cargos de chefia dos grandes escritórios de arquitetura e também na indústria criativa. Seguem ganhando menos que seus pares homens. Seguem fora de muitos livros de história. E, mesmo assim, seguem criando e desenhando o nosso mundo de forma igualmente incrível.

Uma pesquisa realizada e publicada recentemente no Dezeen, por exemplo, mostrou que entre os 100 maiores escritórios de arquitetura do mundo, apenas três são comandados por mulheres e só dois possuem uma equipe gerencial que seja mais de 50% feminina. A organização britânica Design Concil, por sua vez, ressaltou que no Reino Unido apenas 22% dos profissionais do design são mulheres – sendo que em setores específicos, como o design industrial, a porcentagem cai para 5%.  E o 3 Percent Movement, ressalta que, mundialmente, embora o número tenha crescido, apenas 11% das líderes da indústria criativa são mulheres.

Mas, se elas nem sempre estão comandos os departamentos criativos, gerencial os grandes escritórios de arquitetura ou coordenando o planejamento das nossas cidades, onde estão as mulheres que andam desenhando nosso futuro? Esperamos revelar muitas delas por aqui, todas as quartas-feiras no “Feito por elas”. Mas também te convidamos a mergulhar nesta busca a partir de agora, incluindo na sua lista – além desta coluna – outras 6 grandes iniciativas que resgatam, destacam e promovem trabalhos de designers, arquitetas e urbanistas de todo o mundo.

1. Arquitetas Invisíveis
arquiteta_inisiveis

Coletivo Arquitetas Invisíveis é uma ação criada por estudantes da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília que busca promover a igualdade de gênero dentro do âmbito da arquitetura e do urbanismo. Sua estratégia é promover a vida e obra de arquitetas desprestigiadas pela história para assim ampliar o repertório dos estudantes e profissionais, além de incitar a discussão sobre gênero no meio acadêmico e profissional.


2. Hall of Femmes
hall_of_femmes

Hall of Femmes é uma iniciativa criada em 2009 para destacar o trabalho das mulheres na direção de arte e no design. Sentido falta de modelos femininas no universo do design, Samira Bouabana e Angela Tillman Sperandio fundaram o projeto que hoje inclui palestras, exposições, entrevistas, podcasts e a publicação de uma série de livros que traça o perfil de mulheres designers.


3. WD+RU – An archive of Women’s Design + Research
wdru

“unidade de pesquisa de design feminino” (WD + RU) foi fundada em 1994 com a intenção de aumentar a conscientização sobre as mulheres que trabalham no campo da comunicação visual e da educação de design. Trabalhando em parceria com estudantes e outras iniciativas elas elaboram e reúnem trabalhos e pesquisas que falam das questões femininas e também de sustentabilidade.


4. Womenability
womenability

O projeto Womenability tem origem francesa, mas atuação internacional, pesquisa como as mulheres se relacionam com a cidade, com o objetivo de criar e compartilhar recomendações para ajudar os poderes públicos e individuais a reequilibrar a forma como as mulheres adotam o espaço urbano.


5. Women Who Design
women_design

Women Who Design é um agregador de perfis do Twitter que reúne mulheres inspiradoras no setor de design. Fundado por  Jules Forrest, o diretório pretende ajudar todas as pessoas a encontrar vozes notáveis e femininas para seguir e se inspirar.


6. The International Archive of Women in Architecture (IAWA)
iawa

Arquivo Internacional de Mulheres em Arquitetura (IAWA) foi criado em 1985 através de uma parceria entre  a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo e as Bibliotecas Universitárias da Virginia Tech. O objetivo é documentar a história das contribuições das mulheres para o ambiente construído, coletando, preservando e fornecendo acesso aos registros das organizações arquitetônicas femininas e outros documentos que contem a histórias de mulheres arquitetas, paisagistas, designers, planejadoras urbanas, e historiadoras da arquitetura.


Giovanna Maradei é Repórter online da Casa Vogue, feminista e fundadora da Iniciativa “Todas as Mulheres do Mundo”. Autora da coluna Feito por elas, a jornalista acredita que é compartilhando o trabalho e as histórias de mulheres criadoras que ficamos mais próximos de um mundo mais justo e igual para todos.

Uma casa vitoriana é renovada by WALTER&WALTER

House-SE-WalterWalter-1WALTER&WALTER renovou uma casa vitoriana em Melbourne, Austrália, repensando o layout tradicional e concentrando-se em aproveitar ao máximo cada quarto. A House SE mantém sua fachada vitoriana na frente enquanto obtém uma nova fachada traseira moderna, revestida de metal ondulado e perfurado. []

House-SE-WalterWalter-2-810x1080A renovação compreende materiais acessíveis na prateleira, o que ajudou a manter custos e prazos para o projeto.

House-SE-WalterWalter-5-810x608A pegada compacta resultou em um corredor de um lado que conecta os quartos, mas os mantém separados. Também mantém a linha de visão aberta da porta da frente diretamente para as portas traseiras. Portas deslizantes que combinam o tapume perto de privacidade adicional.

House-SE-WalterWalter-7-810x1080As portas deslizantes perfuradas permitem que o ar fresco penetre no interior, além de adicionar uma camada de privacidade.

House-SE-WalterWalter-9-810x1080A cozinha é mantida mínima, com sutis armários de madeira embaixo e armários pretos contra paredes pretas acima.

House-SE-WalterWalter-14-810x1080Uma clarabóia estreita corre ao longo do teto em um lado, trazendo luz natural para a parte do meio do interior, que tipicamente não tem muita luz.

House-SE-WalterWalter-17-810x1080Uma janela alta e estreita na parte de trás da casa imita a clarabóia acima, aumentando visualmente o tamanho do espaço.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Photos by Ben Hosking, courtesy of BowerBird.