Visita guiada: apê em Recife ganha vibração com pontos de cor

unio-arquitetura

O apartamento de 140 metros quadrados em Poço da Panela, Recife (PE), foi projetado pelo escritório Unio Arquitetura para um casal jovem. Após a reforma, ganhou um layout funcional e moderno. O pedido principal dos moradores foi: uma sala ampla e iluminada e uma suíte espaçosa. [Mariana Conte]

2-visita-guiada-ape-em-recife-ganha-vibracao-com-pontos-de-cor-1

Por isso, no projeto, um dos quartos foi eliminado e seu espaço foi usado para realizar o desejo dos proprietários. Linhas retas e decoração contemporânea foram priorizadas. No mobiliário sob medida predomina a cor branca e os tons amadeirados. As cores são incorporadas em pontos específicos, deixando os ambientes mais descontraídos.
3-visita-guiada-ape-em-recife-ganha-vibracao-com-pontos-de-cor
Na cozinha, o revestimento nas cores cinza e azul traz vibração para o espaço. A bancada e os armários com acabamentos brancos e em madeira criam uma ligação com o restante do apartamento.

4-visita-guiada-ape-em-recife-ganha-vibracao-com-pontos-de-cor
Na sala de jantar, um revestimento cimentício branco com formas geométricas tridimensionais adicionou textura ao ambiente.

5-visita-guiada-ape-em-recife-ganha-vibracao-com-pontos-de-cor
O lavabo também ganhou pontos de cor na bancada da pia, em contraste com a neutralidade do cimento queimado das paredes.

6-visita-guiada-ape-em-recife-ganha-vibracao-com-pontos-de-cor
A iluminação foi planejada de acordo com a função de cada ambiente e completa a atmosfera aconchegante do apê.

Anúncios

A menor e mais valiosa casa do mundo

reproducao_tiny_heriloom
O lar tem apenas 18 m² (Foto: Reprodução/Tiny Heriloom)

Já ouviu a máxima de que “os melhores perfumes estão nos menores frascos”? Essa casa prova que o ditado é a mais pura verdade. Desenvolvida pelo escritório Tiny Heriloom, localizado em Oregon, nos Estados Unidos, o lar impressiona por ter muito estilo em um espaço tão pequeno.
A casa de apenas 18 m² ganhou decoração vintage com um toque contemporâneo. Mas a grande definição para o ninho é: design compacto. O destaque fica por conta de uma plataforma em madeira motorizada que serve de cama, banco, mesa e escada – dependendo do que os moradores precisam no momento. Quando usada como escada, ela leva até a sala instalada acima do compartimento.
Mas o que faz essa casinha custar US$ 150 mil (aproximadamente R$ 500 mil)? Para começar, os materiais da cozinha são de altíssima qualidade, como a bancada de mármore, uma pia longa e funda e eletrodomésticos de alta tecnologia.
Além disso, o banheiro tem uma banheira. Parece pouco, né? Mas quantas casas enormes você conhece que não tem uma peça dessas? Imagine colocar uma em um espaço tão diminuto assim? Para fechar o pacote de itens caros, a cereja do bolo é o lustre instalado no centro da casa. Confira abaixo as fotos e um vídeo que explica a funcionalidade do lar. [Julyana Oliveira]

Design de interiores une família

family-apartment-studio-raanan-stern_dezeen_2364_ss_2-1024x732

O escritório de arquitetura Studio Raanan Stern concluiu recentemente o design de interiores deste apartamento de 165 m² em Tel Aviv, Israel. Planejado para uma jovem família com filhos pequenos, o cliente solicitou aos profissionais a criação de duas áreas distintas onde adultos e crianças pudessem se divertir ao mesmo tempo, mas preservando a privacidade de cada um. Assim, a morada foi alongada, formando uma estreita porém prática área de convivência social.

A organização espacial idealizada por Stern criou o correspondente a duas áreas de lounge distintas. Na parte da frente do apartamento estão localizados cozinha, sala de jantar, living e varanda. Do lado oposto, no final do corredor de distribuição, uma porta de madeira funciona como barreira anti-ruído e entrada para o setor infantil da morada. Aqui, um segundo lounge criado apenas para elas conecta-se a três quartos e banheiros. O corredor entre ambas as áreas também é utilizado como um espaço extra de armazenamento.

Partições, divisórias e paredes internas foram evitadas tanto quanto possível. O objetivo era permitir a livre circulação dos moradores e também da iluminação natural. Ao invés de divisões, vários tipos de pisos, prateleiras, revestimentos e paredes em cores distintas são os responsáveis para delimitar cada segmento do lar. A iluminação foi afixada ao longo do corredor e, quando possível, foi mimetizada com as grandes janelas horizontais.

A cartela de cores abrange o cinza, verde, branco e o azul, além da forte presença da madeira e do concreto. Clean e minimalista, o mobiliário atende as necessidades de toda a família. O resultado final é uma morada aconchegante e com uma distribuição interna que alcançou os objetivos solicitados pelos clientes. [Marcos Zeitoune ] Fotos: © Gidon Levin

Coudamy Architectures

Direto de Tokyo, mas assinado pelo escritório de Paul Coudamy (de Paris), vem a inspiração dessa terça-feira: a loja da marca Comme des garçons. O projeto, de 2012, é o resultado de um briefing da marca que queria reinventar uma “caverna de madeira”. O resultado é Fantastique Canopée, uma composição dupla de 9715 placas de madeira que se espalham para formar uma estrutura separada pela escada rolante.

Outro projeto interessantíssimo do escritório é “Red Nest”, um espaço que precisa, em 23m², contemplar um quarto, um banheiro, um armário e uma área de trabalho. Aliás, essa é uma realidade das grandes cidades, em que há cada vez menos espaço para as moradias. O resultado é um engenhoso sistema móvel.

Para conhecer outros projetos do escritório Paul Coudamy, nada melhor do que conferir o site. [Leandro Freitas]

Sede da Etsy em Nova York tem ambientes alegres e descontraídos

sede-da-etsy-em-nova-york-tem-ambientes-alegres-e-descontraidos.jpg

Para a sede global da loja online Etsy no Brooklyn, em Nova York, o escritório Gensler desenhou interiores alinhados com a filosofia da empresa de sustentabilidade e de trabalhos artesanais.
Cheios de cores, plantas e com um estilo eclético, os espaços são decorados com mobiliário de artistas locais e vendedores do site, feitos à mão ou de pequenas manufaturas. Além disso, o Gensler reutilizou materiais e objetos onde foi possível.
Com 18.580 metros quadrados, o escritório conta com espaços de trabalho individuais, para equipes e para reuniões.
Cada um dos nove andares foi pensado como um “ecossistema” equilibrado e quase todos contam com sua própria cozinha.
O último andar forma um terraço para momentos de descontração e conta com painéis solares. Gabriela Domingues Fachin

Fonte: Designboom

Conheça a Galeria da Matemática, novo projeto do Zaha Hadid Architects

ngut-credit-0001Por Giovanna Maradei; Fotos Nick Guttridge/ Divulgação
O movimento do ar em torno de um avião: está foi a inspiração dos arquitetos do Zaha Hadid Architects ao projetar a Galeria de Matemática do Museu de Ciência de Londres, o primeiro lançamento do escritório, no Reino Unido, após a morte de Hadid, em março deste ano.

Sem medo de cálculos complexos, os arquitetos analisaram equações de fluxo de ar, utilizadas na indústria da aviação e, através delas, encontraram linhas que desenham os caminhos do ar em torno de um Handley Page, avião ecolhido com peça central da galeria, por representar, segundo os curadores, “como a prática da matemática tem ajudado a resolver problemas do mundo real”.

Seguindo os traços feitos pelo ar em torno da aeronave, os arquitetos criaram três grandes estruturas de curvas sinuosas, marca registradas de Zaha Hadid, que ficam dispostas em torno da aeronave, no meio da galeria.Para além das peças centrais, todo o layout do espaço, com painéis e vitrines que expõe os mais diferentes objetos, é configurado de acordo com os caminhos traçados pelo ar, formando corredores curvos que contornam a aeronave e deixam os visitantes livres para traçar diferentes rotas por todo o espaço

De acordo com os responsáveis pelo projeto, a Galeria de Matemática “responde à ambição de apresentar a matemática não como um conceito acadêmico, mas como uma prática que influencia a tecnologia e permite que o ambiente em torno de nós seja transformado”

No Japão, prédio é construído dentro de uma montanha

keita-nagata-architectual-element-miyawaki-greendo-designboom-01.jpg

Por Giovanna Maradei; Fotos: Divulgação
Na cidade de Takamatsu, no Japão, o escritório Keita Nagata Architectual Element ganhou destaque ao achar uma solução bonita, original e sustentável para um problema bastante comum no país, a construção de edifícios que conversem com as montanhas ao seu redor.

No Japão 75% da paisagem é formada por montanhas, o que representa um desafio para diversos projetos arquitetônicos. Neste caso, porém, os arquitetos usaram o entorno ao seu favor e inovaram ao construir o Greendo, um pequeno prédio, com 5 andares e 7 apartamentos, dentro da própria montanha que o cerca.

Através da interação entre obra e paisagem, o Nagata estende a vegetação por toda a parte externa dos apartamentos, criando tetos verdes que além de ajudarem a regular a temperatura interna, funcionam como jardins individuais – ou seja, o teto de um apartamento é também o terraço do vizinho de cima.

Os interessados em morar no Greendo podem escolher entre apartamentos de 30 ou 75 m², sendo que os menores ficam na base da montanha e os maiores ficam mais perto do topo. Cool!