8 lições de arquitetura que podemos tirar deste apartamento pequeno

01-8-licoes-de-arquitetura-que-podemos-tirar-deste-apartamento-pequeno

Por Texto: Gabriela Domingues Fachin

O casal de arquitetos japoneses Tomoko Sasaki e Kei Sato, do estúdio 8 Tenhachi, reformou este apartamento na província de Kanagawa para criar um espaço aberto para a sua própria família. Com o objetivo de aproveitar ao máximo a metragem enxuta de 67 m², eles apostaram em soluções criativas. Confira oito lições para apartamentos pequenos que podemos tirar do projeto:

1. Remodelar o espaço

Uma das primeiras coisas que os arquitetos fizeram foi remover as paredes divisórias, o que criou um espaço flexível para cozinhar e comer, trabalhar e relaxar.

02-8-licoes-de-arquitetura-que-podemos-tirar-deste-apartamento-pequeno

2. Criar áreas mais privadas

Duas estruturas que parecem caixas com a frente aberta foram adicionadas no apartamento. Estas áreas com mais privacidade abrigam o quarto do casal e o banheiro.

3. Delimitar os cômodos

O piso do quarto é 5 centímetros mais baixo do que o restante do apartamento, o que ajuda a diferenciá-lo do living.

03-8-licoes-de-arquitetura-que-podemos-tirar-deste-apartamento-pequeno

4. Cada centímetro importa

Os arquitetos aproveitaram o espaço acima da “caixa” do quarto, acessível pela escada de madeira – é lá que as crianças brincam e dormem. Já os armários ficam dentro das paredes.

04-8-licoes-de-arquitetura-que-podemos-tirar-deste-apartamento-pequeno

5. Em direção à luz

Ao contrário da disposição mais convencional dos cômodos, o quarto e o banheiro ficam logo na entrada do imóvel. O living fica ao fundo para receber o máximo da luz do sol vinda das grandes janelas.

6. Apostar na simplicidade

As paredes foram pintadas de branco e o piso foi revestido com placas de carvalho para combinar com o concreto aparente do teto.

05-8-licoes-de-arquitetura-que-podemos-tirar-deste-apartamento-pequeno

7. Usar móveis dois (ou mais) em um

Feita de cedro japonês, a longa bancada no centro do estar foi desenhada para ser um móvel multifuncional: funciona como mesa de jantar, bancada para a cozinha, escrivaninha, estante e mesa de desenho para as crianças.

8. Incorporar prateleiras suspensas

Para organizar os utensílios de cozinha, são utilizadas duas prateleiras pendentes do teto.

Anúncios

Antigo monastério vira apê moderno e cheio de luz na Polônia

01-reproducao-dezeen-edmund-dabneyPorque os invernos têm dias curtos, a luz natural foi priorizada no apartamento, que recebeu revestimentos claros e um layout integrado
Em Cracóvia, na Polônia, este apartamento costumava abrigar um monastério antes da reforma assinada pelo escritório londrino Studio Mills.

“O cliente queria uma casa moderna. Nós baseamos o design na arquitetura do apartamento. Um extra é que como é uma cobertura, ele é inundado por luz”, contaram as profissionais ao Dezeen, que publicou o projeto.

A luz natural foi uma prioridade na transformação, para que os invernos com dias curtos pudessem ser aproveitados ao máximo. Para isso, os ambientes foram integrados ao máximo, o piso recebeu revestimentos claros e a base branca foi eleita.

Minimalista com inspiração escandinava, o décor é composto por uma mistura de equilibrada de tons neutros com pontos de cor focados nos objetos, como as almofadas, poltrona e mesa lateral. Na sala, a biblioteca leva uma escada – tudo em branco.

A mesa de jantar separa a cozinha do living e leva mesa de madeira clarinha e cadeiras em branco, preto e cinza.

Na cozinha e no banheiro, o mármore branco marca presença.

Inspiração do dia: living com jardim de inverno suspenso

1-inspiracao-do-dia-living-com-jardim-de-inverno-suspenso

Neste living, projeto do escritório Ruetemple, em Moscou, na Rússia, um grande cubo suspenso abriga um jardim de inverno bem no centro do ambiente. Ao redor, está disposta a sala de estar, com áreas de descanso, para assistir TV e uma bancada. Módulos flexíveis removíveis formam o mobiliário que permite criar diferentes composições e possibilitam que a área fique livre quando encaixados sob o cubo. Dentro dele, há uma árvore iluminada por uma claraboia. O lugar é ideal para ficar só, relaxando e praticando a meditação. Fonte: Archdaily

Casa colonial na Austrália se adapta ao estilo de morar contemporâneo

casas16

Chamada de Acton, a casa de quase 200 anos na Austrália era uma casa senhorial e também funcionava como base para as famílias que trabalhavam na propriedade ao redor, no início da colonização no país. Hoje, ela é o lar de uma única família com um modo de vida bem diferente dos primeiros moradores.

Para adaptar a construção antiga ao estilo contemporâneo de morar, o escritório Circa Morris-Nunn Architects criou anexos. As pedras e a madeira utilizadas – incluindo uma peça de 18 metros – vieram do celeiro original de 1820, destruído em uma tempestade.

O resultado é uma arquitetura que cria um diálogo entre as novas extensões contemporâneas e os elementos coloniais antigos.
Fonte: Architizer

‘Casa dos Espelhos’ otimiza vista de Barcelona

nook-house-mirrors-LR-1024x682.jpgCriativo estúdio de design de Barcelona, formado por jovens arquitetos com projetos para lá de autorais, o Nook Architects sempre surpreende por suas reformas ousadas e repletas de estilo. E desta vez não foi diferente.02-nook-house-mirrors-lr04-nook-house-mirrors-lrEste apartamento, no último andar de um edifício localizado na Plaça Catalunya, região mais central de Barcelona, foi um desafio e tanto para o trio de profissionais Rubén Berenguer, Ana García e Joan Cortés. A primeira coisa que fizeram foi dar uma boa olhada panorâmica através da varanda do imóvel. Foi aí que decidiram que – com uma localização tão privilegiada – as áreas reservadas para as atividades diurnas deveriam acontecer neste setor da morada, com uma vista maravilhosa para o ritmo frenético da cidade.05-nook-house-mirrors-lr07-nook-house-mirrors-lrO cliente, entusiasmado com o centro de Barcelona, tinha uma opinião bastante formada sobre como deveria ser a distribuição do programa: espaços amplos e integrados que proporcionassem conforto para ele e seus hóspedes nas visitas ocasionais à cidade. A cozinha deveria ser o centro de tudo – funcionando mais como um ponto de encontro “gastro bar” do que uma cozinha familiar propriamente dita. Além disso, deveria comportar uma adega para cerca de 600 garrafas de vinho.08-nook-house-mirrors-lr09-nook-house-mirrors-lrA intervenção começou pela união de duas salas – antes separadas por uma parede. O resultado foi a criação de um grande living de 61 m2 na parte frontal da residência, de um total de 118 m2, deixando o restante do espaço para os dormitórios e dois pátios internos. A suíte principal fica próxima à entrada social e a um destes pátios, o mais reservado dos dois. Mais adiante no hall, um segundo conjunto de quarto e banheiro de hóspedes possui acesso mais íntimo. Adjacente a ele e conectado à cozinha, a adega foi executada em marcenaria planejada.11-nook-house-mirrors-lr12-nook-house-mirrors-lrApesar do pequeno número de quartos, há a presença de mais de dez janelas voltadas para o exterior. Para maximizar a iluminação natural, os profissionais do Nook Architects utilizaram um inteligente jogo de espelhos posicionados estrategicamente de forma a garantir o máximo de luz diurna possível. Além disso, graças ao pé-direito elevado, os espelhos funcionaram como uma saída para destacar características arquitetônicas do imóvel, que data do início do século 20.

No tocante aos materiais construtivos o projeto recuperou características originais do apartamento, como as vigas de ferro do teto e as telhas cerâmicas. Outros materiais nobres – como a madeira, o granito, o aço e o vidro – foram utilizados em tonalidades neutras, com exceção do granito presente na cozinha e nos banheiros.13-nook-house-mirrors-lrRevestimentos contemporâneos e acolhedores foram dispostos de forma a preservar as características originais do imóvel, sendo alterados apenas quando a alternativa gerasse mais conforto e estivesse de acordo com os mais modernos padrões de moradia e design de interiores. [arkpad]
Fotos: Nieve Productora Audiovisual

Telhado de concreto com lados côncavos e paredes de vidro em Cabo de Vila, Portugal

Um telhado de concreto com lados côncavos fica em cima de paredes de vidro e madeira curvadas nesta casa em Portugal, que é capturada em um filme estrelado por uma criança em um triciclo vermelho.

Estúdio português Spaceworkers projetaram Cabo de Vila para um jovem casal que pediu uma casa de aparência incomum para ocupar um sítio rural em Paredes cercado por bosques.

O estúdio queria que a forma da casa preenchesse o terreno aberto na base de um vale e, assim, projetou um grande teto de concreto com lados e cantos escavados que se estendem para fora.

Uma base de concreto segue a mesma forma que o telhado e ambos apresentam marcas verticais nas bordas.

Paredes feitas de madeira e vidro pretos estão espremidas entre as lajes, oferecendo aos moradores muitas vistas para a vegetação e casas à distância.

“Queríamos uma forma que pudesse preencher o vazio deixado pelo vale e, ao mesmo tempo, queríamos que essa nova forma abrangesse e refletisse as áreas verdes ao redor, dando aos usuários uma perspectiva especial sobre a paisagem”, disse o estúdio.

“O volume proposto materializa sua forma através de duas lajes de concreto com seus lados côncavos, permitindo que um vidro leve e uma parede de madeira se desenrolem entre eles, o que em um jogo positivo e negativo permite que o interior da casa se comunique com o exterior.”

A fachada está ligeiramente recuada da borda das lajes de concreto, criando uma passagem coberta ao redor da casa e plataformas de visualização maiores nos cantos.

Um conjunto de degraus rasos se estende para fora e leva da estrada para um desses cantos cobertos – a entrada da casa – enquanto outro funciona como um espaço de estacionamento para a motocicleta do proprietário.

Visita guiada: apê com espaços flexíveis

gif-visita-guiada-ape-com-espacos-flexiveis.gifO conceito do projeto do escritório Metamoorfose era dar flexibilidade aos usos de cada ambiente, permitindo recriar os espaços de acordo com a necessidade do cliente. No apartamento que fica no bairro da Vila Madalena, em São Paulo, os cômodos são integrados, mas têm suas funções específicas a disposição dos moradores. [Mariana Conte]

Maíra Acayaba
2-visita-guiada-ape-com-espacos-flexiveisO apê de 58 metros quadrados foi reformado para um jovem casal a procura de espaços flexíveis. No projeto original, os ambientes estavam bem definidos. Na reforma, o segundo quarto foi transformado em sala de estar, mas pode ser usado como quarto de visitas. “Dessa forma, recriamos os espaços dando maior flexibilidade aos usos”, diz André Procópio, arquiteto do Metamoorfose junto com Aline D’Avola.

Esta área fica escondida por um painel de madeira proporcionando privacidade quando necessário. Quando aberto, o painel ocupa pouco espaço e integra a área de estar adicional aos outros ambientes. Aos fundos está a suíte do casal. Fechado, o painel exibe um desenho geométrico compondo o décor e dando mais identidade ao projeto.

Maíra Acayaba
4-visita-guiada-ape-com-espacos-flexiveisNa área aberta está a cozinha e uma mesa de jantar grande, com seis lugares. Os tons neutros e as linhas simples compõem os ambientes. Na parede da bancada da cozinha um tom de verde com padrão geométrico chama a atenção.
Maíra Acayaba
3-visita-guiada-ape-com-espacos-flexiveisNa lateral do ambiente, uma estante funciona como aparador e abriga objetos de decoração e livros. O piso, um porcelanato cinza, é o mesmo em todo o apartamento, inclusive na varanda e nos banheiros. “Queríamos algo neutro que servisse tanto para área seca como molhada. Acreditamos que como os ambientes são pequenos e integrados, o uso do mesmo piso promove uma continuidade entre eles”, exemplifica André.
Maíra Acayaba
5-visita-guiada-ape-com-espacos-flexiveis
Maíra Acayaba
7-visita-guiada-ape-com-espacos-flexiveisA varanda fornece uma metragem adicional ao apartamento e foi integrada ao resto do ambiente através da nivelação do piso. Conectada à cozinha, sala de jantar e estar, a área foi usada como um espaço acolhedor para assistir TV, ler e relaxar.
Maíra Acayaba
8-visita-guiada-ape-com-espacos-flexiveisAos fundos, é possível encontrar a suíte do casal. O quarto segue a paleta de tons neutros com amplo uso de madeira e cores claras. O décor é bastante simples e limpo. 
Maíra Acayaba
9-visita-guiada-ape-com-espacos-flexiveisNo banheiro, a madeira é usada no gabinete abaixo da bancada e o material dá unidade ao décor de todo o apê. Dentro do box, um revestimento geométrico coloca o espaço em destaque.