Inspiração do dia: sala de leitura elegante e minimalista

inspiracao-do-dia-sala-de-leitura-elegante

Nesta sala de leitura do arquiteto mineiro Pedro Felix, os tons pastel e o minimalismo evidenciam o estilo escandinavo.
O ambiente, apresentado na Casa Cor Minas 2016, traz uma atmosfera leve e bastante aconchegante, com uma lareira no espaço. Uma seleção de obras de arte faz conjunto com mobiliário de grandes nomes como Sergio Rodrigues e Jader Almeida.
Uma das paredes conta com iluminação em fitas de LED e tela tensionada criando um efeito uniforme e ideal para leitura.

Daniel Mansur
3-inspiração-do-dia-sala-de-leitura-elegante

Daniel Mansur
2-inspiração-do-dia-sala-de-leitura-elegante

Daniel Mansur
4-inspiração-do-dia-sala-de-leitura-elegante

Casa de praia tem ambientes integrados e área da lazer cercada por jardim

fachada-casa-piscina-jardim_1
Fachada | A piscina foi abraçada pelo projeto paisagístico de Fernando Acylino. Repare como os ambientes sociais são integrados ao exterior e há uma homogeneidade de cores e materiais. Destaque para a peroba presente nos caixilhos e brises (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)

Com paisagens exuberantes, a pequena Mangaratiba, vizinha a Angra dos Reis, a 130 quilômetros do Rio de Janeiro, é um verdadeiro oásis. E foi nesse recanto de frente para o mar que o jovem casal, com três filhos entre 8 e 14 anos, resolveu construir a casa de veraneio para a família relaxar e receber os amigos nos fins de semana.
O projeto de arquitetura para a casa de 700 m² ficou a cargo do arquiteto Mauricio Nóbrega, que valorizou a integração da construção com a praia. “Projetei a edícula com varandaárea gourmet e piscina, assim é possível passar o dia ao ar livre, bem pertinho do mar”, diz. Além disso, o arquiteto criou jardins laterais em parceria como paisagista Fernando Acylino para isolar a casa dos vizinhos, manter a privacidade da família e, é claro, aproveitar o frescor e a beleza das plantas.
Além da sensação de estar conectado com a praia, o projeto contemplou a iluminação e a ventilação. “Brises e venezianas altas na fachada ajudam a controlar a incidência do sol. Também fiz o maior número de aberturas possível para permitir a ventilação cruzada”, explica Nóbrega.
O trabalho de design de interiores se desenvolveu junto ao da construção, com a especificação de todos os revestimentos pelo escritório Servino & Assed, da arquiteta Rosane Servino e da designer de interiores Juliene Assed. Como o pedido dos moradores era ter uma casa atemporal, sem modismos e fácil de cuidar e manter, a dupla optou por bases neutras, madeira, couro e linho. As paredes claras permanecem nas áreas social e íntima, assim como o piso de limestone cinza, que reveste toda a casa, deixando os holofotes para os pontos de cores dos acessórios – almofadas e objetos de decoração, entre outros. A peroba é usada da marcenaria aos brises e caixilhos, o que confere unidade visual. “É um projeto praiano, com uma atmosfera acolhedora para que os ambientes se integrem”, diz Juliene. Ao abrir a porta de correr, o home theater se integra ao espaço social e à varanda com área gourmet e piscina.
E por falar em home theater, para a dupla, esse é o destaque do projeto. É lá que os filhos do casal e amigos se reúnem para ver filmes e séries de TV em um patamar mais alto, como uma arquibancada, com futons e muitas almofadas. A escada que interliga o térreo às cinco suítes no andar superior, desenhada pelo escritório, também chama a atenção, já que mistura peroba e aço cortén com um jardim vertical ao fundo. Um oásis dentro de outro, diríamos. [Rosana Ferreira]

Sala de estar | A área espaçosa traz sofás adquiridos na Restoration Hardware, de Miami, revestidos de linho. Poltronas de couro Exo, assinadas pelo estúdio Fetiche Design, foram encontradas na Finish. Tapete da Avanti (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)Sala de estar | A área espaçosa traz sofás adquiridos na Restoration Hardware, de Miami, revestidos de linho. Poltronas de couro Exo, assinadas pelo estúdio Fetiche Design, foram encontradas na Finish. Tapete da Avanti (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)
Vista | Aqui é possível sentir a integração da sala de estar com a varanda e o mar. Acima, a veneziana de peroba projetada pelo arquiteto Mauricio Nóbrega controla a luz e a ventilação dentro de casa (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)Vista | Aqui é possível sentir a integração da sala de estar com a varanda e o mar. Acima, a veneziana de peroba projetada pelo arquiteto Mauricio Nóbrega controla a luz e a ventilação dentro de casa (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)
Home Theater | No ambiente em que os filhos do casal se reúnem com amigos para ver filmes, há um patamar mais alto, projetado pelo escritório Servino & Assed e executado em peroba pela Novo Lar Marcenaria. Sofá de couro e poltrona Teia, ambos da Way Desig (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)Home Theater | No ambiente em que os filhos do casal se reúnem com amigos para ver filmes, há um patamar mais alto, projetado pelo escritório Servino & Assed e executado em peroba pela Novo Lar Marcenaria. Sofá de couro e poltrona Teia, ambos da Way Design (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)
Sala de Jantar | A mesa com tampo de mármore foi comprada na Restoration Hardware, de Miami, e faz composição com as cadeiras Zig, da Way Design (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)Sala de Jantar | A mesa com tampo de mármore foi comprada na Restoration Hardware, de Miami, e faz composição com as cadeiras Zig, da Way Design (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)
Cozinha | Projetada pela dupla Rosane Servino e Juliene Assed, a cozinha de laminado melamínico e vidro pintado segue a paleta de cores da casa. O cinza serve de base e o laranja aparece nos detalhes, como portas e nichos. Marcenaria executada pela Novo L (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)Cozinha | Projetada pela dupla Rosane Servino e Juliene Assed, a cozinha de laminado melamínico e vidro pintado segue a paleta de cores da casa. O cinza serve de base e o laranja aparece nos detalhes, como portas e nichos. Marcenaria executada pela Novo Lar. O granito preto das bancadas é da Marmoraria Interplanetário (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)
Escada | Um dos pontos altos do projeto, a escada criada pelo escritório Servino & Assed e executada pela Benimol Marcenaria mistura peroba e aço cortén com um jardim vertical de samambaias (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)Escada | Um dos pontos altos do projeto, a escada criada pelo escritório Servino & Assed e executada pela Benimol Marcenaria mistura peroba e aço cortén com um jardim vertical de samambaias (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)
Suíte do casal | Destaque para a cama de peroba ripada executada pela SPJ Marcenaria, que tem a mesma linguagem dos brises da fachada e das portas e janelas. Na parede, revestimento de couro natural da Ipanema Kravet. Roupa de cama da Mundo do Enxoval (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)Suíte do casal | Destaque para a cama de peroba ripada executada pela SPJ Marcenaria, que tem a mesma linguagem dos brises da fachada e das portas e janelas. Na parede, revestimento de couro natural da Ipanema Kravet. Roupa de cama da Mundo do Enxoval (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)
Área gourmet | Com churrasqueira e forno de pizza, a área conta com mesa e bancos de peroba projetados pelo escritório Servino & Assed e produzidos pela Solar Barroco. Bancada de Silestone executada pela Marmoraria Mangaratiba. Repare no charme do teto, r (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação)Área gourmet | Com churrasqueira e forno de pizza, a área conta com mesa e bancos de peroba projetados pelo escritório Servino & Assed e produzidos pela Solar Barroco. Bancada de Silestone executada pela Marmoraria Mangaratiba. Repare no charme do teto, revestido de palha natural aplicada por artesão local. Iluminação da Interpam (Foto: Juliano Colodeti/MCA Estudio/Divulgação

RGirls/ Décor I Visita guiada: apê pequeno mistura branco, madeira e cimento queimado

ape-jovem-mistura-branco-madeira-e-cimento-queimadoAssinado pelo escritório INÁ Arquitetura, o apartamento de 80 m² em São Paulo tem até uma porta inspirada na série de TV Friends
Lar de um casal gaúcho que vive em São Paulo, o apartamento de 80 metros quadrados no bairro de Pinheiros foi reformado pelos arquitetos Júlio Beraldo e Marcos Mendes, do escritório INÁ Arquitetura. Com uma atmosfera jovem, os ambientes misturam muito branco, madeira e cimento queimado.

Maira Acayaba
01-ape-jovem-mistura-branco-madeira-e-cimento-queimadoNo estar, decorado com muitas plantas, os tons de azul escuro das almofadas e do tapete se destacam na paleta de cores neutra. Os tacos de peroba-rosa, usados no piso da sala, do corredor e do quarto, foram garimpados na internet e em caçambas, depois restaurados e instalados.

Maira Acayaba

03-ape-jovem-mistura-branco-madeira-e-cimento-queimadoA porta, inspirada na série de TV Friends, foi personalizada do lado de dentro a pedido da moradora.
Maira Acayaba
04-ape-jovem-mistura-branco-madeira-e-cimento-queimadoNa cozinha, a área da mesa tem parede de tinta lousa e um trio de pendentes em alturas diferentes.

Maira Acayaba
05-ape-jovem-mistura-branco-madeira-e-cimento-queimadoO armário antigo contrasta com o décor moderno do ambiente.

Maira Acayaba
06-ape-jovem-mistura-branco-madeira-e-cimento-queimadoO quarto do casal é claro, colorido por detalhes como a roupa de cama e as flores do quadro e do arranjo na mesa de cabeceira.

Maira Acayaba
07-ape-jovem-mistura-branco-madeira-e-cimento-queimadoO banheiro mistura branco e cimento queimado, usado na bancada, no nicho do chuveiro e no piso.

7 ambientes que provam que preto é sinônimo de sofisticação

simg_0033-1Reportagem Visual: Zizi Carderari I Texto: Flávia G. Pinho
Sombrio, pesado? Deixe de lado os adjetivos de sempre. Os projetos a seguir comprovam que essa cor, quando bem dosada, é sinônimo de sofisticação e contemporaneidade. Basta tirar partido da luz natural e lançar mão dos contrastes para que ela se torne luminosa

“O preto agrada quem é antenado, moderno, quem gosta de viver numa casa contemporânea, cercada de tecnologia.” Segundo Elisabeth Wey, presidente do Comitê Brasileiro de Cores, é dessa maneira que o tom aparece na Cartela de Cores Cecal 2016/2017. “Ele voltou com força no mobiliário, nas paredes e nos biombos. Lançamos uma versão de preto maravilhosa, com acabamento perolizado”, descreve. Para a arquiteta Caroline Gabriades, a cor perdeu a fama de triste, soturna e pesada faz tempo. E ganhou novo status. “O mais interessante é ver que, mesmo sem ser protagonista, o preto produz um efeito sofisticado incrível.” Neste apartamento paulistano de 200 m², projetado para uma publicitária, Caroline ousou na sala de jantar. Criou um conjunto quase invisível de aparador e vasos, inteiramente negros sobre parede também preta, que só revela seus contornos quando se ajusta o foco do olhar. Diante dele, todos os elementos claros – as cadeiras com capa de couro off-white (Dpot), o pendente Tom Dixon (Lumini) e a gravura Levitação, de Daniel Senise – ganham destaque. Na foto, aparador de laca alto brilho da Dpot, vasos da LS Selection e tela de James Kudo (Luciana Caravello Arte Contemporânea) decoram a parede negra.

Marco Antonio
ambientes-elegantes-preto

No projeto de Caroline Gabriades, paredes e piso claros realçam as persianas (Luxaflex). Poltronas Beto, de Sergio Rodrigues (Dpot), mesa Lens (B&B Italia) e obra de Kilian Glasner.

Marco Antonio
ambientes-elegantes-preto

No projeto do Studio GPPA, o arranjo mostra como o preto também enobrece elementos que pendem para o rústico – os objetos de tons terrosos da Loja Teo dialogam com a cômoda de palha ebanizada (Olho Interni).

Marco Antonio
ambientes-elegantes-preto

A separação entre os ambientes cabe a um biombo de madeira ebanizada. A estrutura, desenhada pelos arquitetos Olegário de Sá e Gilberto Cioni, traz brises giratórias – basta abri-las ou fechá-las para integrar ou não as salas de estar e jantar. Cadeiras da Casual. Segundo Olegário, o preto tem o dom de passar a ideia de poder e refinamento, sem sobrecarregar o ambiente com informações em excesso. “É uma forma de reforçar a linguagem sofisticada de um jeito limpo e contemporâneo”, acredita. Sua tese fica evidente neste apartamento de 500 m², que ele e o sócio reformaram para um casal com filhos.

Marco Antonio
ambientes-elegantes-preto

No quarto criado pelo Studio GPPA, o biombo de madeira negra (Interni) e o painel de Alex Cerveny (Casa Triângulo) fazem as vezes de cabeceira. A composição é realçada pelo piso ebanizado. Criado-mudo de Sergio Rodrigues (Loja Teo) e enxoval da Casa Almeida.

Marco Antonio
ambientes-elegantes-preto

Na biblioteca projetada por Caroline Gabriades, nichos simétricos compõem a estante de madeira ebanizada (execução da Marcenaria Armatex). “São toques de preto, que aparece somente na estante e na persiana”, explica Caroline.

Marco Antonio
ambientes-elegantes-preto

Situação inversa acontece na escada, projeto dos arquitetos Olegário de Sá e Gilberto Cioni, na qual o preto é o protagonista. “A peça é uma obra de arte, toda metálica”, diz Olegário. “Os degraus, revestidos de granito preto absoluto, destacam a leveza do guarda-corpo calandrado branco.”

30 apartamentos pequenos que vão te surpreender

24-marcelo-donadussiNo Brasil e no mundo, estes 30 apartamentos pequenos – de 25 a 90 metros quadrados – se apoiam em muita criatividade, multifuncionalidade e iluminação natural
Seja em espaços privilegiados ou em ambientes diminutos, uma das tendências mais significativas da decoração é o uso da criatividade, da multifuncionalidade, da iluminação natural e das cores para aproveitar e valorizar cada cantinho da casa. Nestes 30 apartamentos pequenos não é diferente. A partir de 25 e com até 90 metros quadrados, estes projetos já foram publicados em nosso portal e vão te inspirar e te surpreender. [Mariana Bruno]

1. Apartamento de 25m² integra sala e quarto com uma cama suspensa

Reprodução | Maria Teresa Furnari | Renato Arrigo
Reprodução | Maria Teresa Furnari | Renato Arrigo

O dilema de decorar espaços motiva soluções criativas no design, tais quais a do arquiteto italiano Renato Arrigo neste apartamento. Quando jovem, ele sonhava em viver na Sicília, na Itália, com a esposa. Depois de anos e com duas filhas já adolescentes, eles finalmente se mudaram para lá – com a condição de que morassem em apenas 25 metros quadrados. Por isso, ele preferiu destinar um quarto só para as meninas e ficou com o espaço integrado à cozinha, usado como sala. Decidido a não dividir a metragem mais uma vez, o arquiteto conseguiu integrar living e dormitório em um só ambiente com a engenhosidade de uma cama suspensa.

2. Visita guiada: apê de 37 m² abriga o lar e o estúdio de um designer

Reprodução | Patryk Lewinski | Contemporist
02-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

O morador Maciej Kawecki deu uma tarefa difícil ao escritório mode:lina architekci: projetar os interiores de um apartamento de 37 metros quadrados para ser seu lar e também seu estúdio de design, Brandburg. Assim, um volume de madeira foi criado para organizar a cozinha e a mesa de trabalho, onde os nichos do escritório, com rodízios, podem ser retirados e escondem um quartinho de brinquedos. É preciso subir a escada para chegar ao quarto, que fica em cima do home office.

3. Apartamento pequeno em Paris ousa ao investir em revestimentos coloridos

Jérôme Fleurier
03-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Localizado na parte mais antiga de Paris, este pequeno apartamento ganhou toques de cor com o projeto de reforma assinado por Anne Rolland. O piso, inspirado nos bistrôs parisienses, tem tons e padrões marcantes. O quarto se ergue em uma espécie de plataforma na área de estar e o mobiliário multifuncional, feito de madeira compensada, serve como divisória entre os cômodos.

4. A delicadeza da arquitetura japonesa em espaço da CASA COR SP 2016

Divulgação
04-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Conceitos de paz, calmaria e ergonometria, misturados com design e urbanismo, são pautados no projeto da Yamagata Arquitetura na CASA COR São Paulo 2016. O escritório estrou na mostra paulista com o Shoji 04, um espaço de 84 m² que remete aos pequenos e aconchegantes espaços do Japão. Fundamentos mais elementares da arquitetura, como otimização de espaço e sustentabilidade, marcam o ambiente.

5. 8 boas ideias para decorar um apartamento pequeno gastando pouco

Divulgação
05-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Aos 33 anos, Ana Carolina Belizário faz parte de uma geração que prefere ter poucas e boas coisas. Nessa busca por simplicidade, em que o excesso está vetado e o necessário prevalece, ela montou seu primeiro apartamento, driblando o orçamento enxuto e recheando os ambientes de ótimas ideias de decoração. O espaço de 50 m² reflete essa personalidade desapegada. “Usei truques práticos e baratos, como integrar as áreas e empregar estantes de compensado em vez de investir em marcenaria fixa. Isso me liberou para gastar um tantinho mais no acabamento da cozinha e em alguns móveis bacanas”, conta.

6. 8 lições de arquitetura que podemos tirar deste apartamento pequeno

Akihide Mishima
06-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

O casal de arquitetos japoneses Tomoko Sasaki e Kei Sato, do estúdio 8 Tenhachi, reformou este apartamento na província de Kanagawa para criar um espaço aberto para a sua própria família. Com o objetivo de aproveitar ao máximo a metragem enxuta de 67 m², eles apostaram em soluções criativas, como remover as paredes divisórias, criar áreas mais privadas, delimitar os cômodos por meio do piso e usar móveis multifuncionais.

7. Integração e marcenaria funcional otimizam área de apartamento pequeno

Maíra Acayaba
07-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Para receber o irmão em seu apartamento na zona oeste de São Paulo, a moradora decidiu reformar o imóvel, antes modelado para uma pessoa. Com a transformação assinada pelos arquitetos Marcos Mendes e Júlio Beraldo, do escritório Iná Arquitetura, o apê de 60 m² ganhou ambientes integrados e mais um quarto. Como a metragem é enxuta, os profissionais escolheram revestimentos horizontais com acabamento brilhante para as paredes do banheiro e da cozinha, que contribuem para que os espaços pareçam mais amplos.

8. Apartamento de 36m² otimiza o espaço com um módulo multifunção

Kat Lu
08-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Dá para acreditar que um apartamento de 36 metros quadrados tem quarto, sala, closet, cozinha, espaço para jantar e uma banheira? Este, na Austrália, tem tudo isso — graças a um móvel exclusivo, feito sob medida, pensado por Sarah Jamieson, diretora de design do estúdio Catseye Bay. Ele dá as caras já na entrada: se parado em frente à porta, é possível ver as três divisões do armário e sua ponta curva. Essa parte faz às vezes de closet, ideal para se vestir assim que sair do banheiro. Atrás, o armário se torna estante, cama e sofá, privilegiados por sua posição alinhada à janela.

9. Apartamento pequeno tem divisória de vidro e layout funcional

Reprodução | Design Milk
09-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Quando a metragem é pequena, cada centímetro conta. E era exatamente isso que os moradores buscavam quando convidaram o estúdio A’Lentil Design para dar novas caras ao cômodos que dividem em Taipei, Taiwan. Com 66 metros quadrados disponíveis, o hall e as salas de estar e jantar foram integradas. O quarto menor virou home office com uma parede de vidro: “o escritório é equipado com mobiliário móvel para maior flexibilidade e é fácil ajustar o espaço se houver novos membros da família no futuro”, os profissionais explicam. “As grandes janelas de vidro fazem o espaço público parecer iluminado e ainda maior. Por outro lado, basta abaixar a cortina e o ambiente inteiro se torna um espaço privado”, completam.

10. Arquitetos modernizam apartamento de 45 m² em terraço vitoriano

Reprodução | Megan Taylor | Dezeen
10-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Uma cirurgiã que divide sua rotina agitada entre Londres, Leeds e Egito queria transformar seu flat na capital britânica em um refúgio tranquilo. Além disso, a moradora desejava usar melhor os 45 metros quadrados do apartamento, localizado no primeiro andar de uma casa vitoriana. Os arquitetos do escritório Nimtim, encarregados da reforma, redefiniram a planta com três espaços: cozinha integrada ao estar, quarto e banheiro.

11. Apartamento de 40m² com uma janela e ambientes separados por degraus

Lu Haha
11-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Longo e estreito, esse apartamento em Shangai não tem mais que 40m² e apenas uma janela. Para trazer graça e movimento ao espaço retilíneo, os arquitetos do Atelier Mearc lançaram mão de varias soluções de design. A primeira foi abolir paredes e portas comuns para permitir que a luz natural invadisse todos os ambientes. A principal divisão dos espaços se tornou o revestimento e diferenças de altura no piso e no teto.

12. Inspiração do dia: apartamento de 35 m² com espaço para tudo

Reprodução | Tory Williams | Architectural Digest
12-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Combinar espaços para morar e trabalhar em pouco mais de 35 metros quadrados foi um desafio para a designer de interiores Gena Dorminey. Mas o pé direito alto de seu apartamento em Nova York foi um grande aliado nessa tarefa. O sistema de organização que ela criou com prateleiras no canto da parede, por exemplo, se tornou possível graças ao teto elevado. A profissional também deixou a estrutura da cama mais alta, o que permitiu criar um espaço de armazenamento embaixo dela, escondido pela saia do móvel. Outro artifício que ela usou foi a instalação de arandelas, em vez de luminárias de piso, para liberar espaço no chão.

13. Apartamento em Budapeste tem parede customizável

Reprodução | Design Milk
13-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Neste apartamento de 30 m² em Budapeste, na Hungria, a construção central é uma estrutura que acumula diversas funções: como plataforma, dá suporte à cama ao mesmo tempo em que disfarça gavetas e armários e, como cozinha, se estende para a pia, balcão, e novamente gavetas e armários. Nas paredes, uma placa une os dois ambientes: perfurada, ela permite customização máxima do número e da posição das prateleiras. Entitulado Air B N’ P, o apartamento é descrito como “uma casa longe de casa” no site da Position Collective, responsável pelo projeto de 2015. Segundo o portal, o local foi pensado para acomodar viajantes de passagem pela cidade.

14. Apartamento de 65 m² em Ipanema ficou amplo e iluminado

Denilson Machado | MCA Estúdio
14-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Os pais moram em Niterói, mas os dois filhos, universitários, estudam na Zona Sul carioca. Para evitar os constantes deslocamentos, a família decidiu montar um pouso confortável do outro lado da baía, perfeito também para minitemporadas à beira-mar. A ideia era comprar um apartamento pequeno e prático num ponto bacana do Rio. “Depois que os quatro encontraram este flat, dos anos 1980, pediram que eu reformasse tudo, imprimindo um jeito de casa”, conta a arquiteta Paloma Yamagata. “Quase não mexi na planta, mas troquei todos os revestimentos. Usei uma paleta de tons neutros para trazer amplidão”, resume.

15. Apartamento de 90 m² no Rio de Janeiro aposta no branco e na madeira

MCA Estúdio
15-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Para viver mais perto do trabalho, o jovem casal de moradores queria se mudar da Barra da Tijuca para a zona sul do Rio de Janeiro. Escolheram como sua nova morada um apartamento de 90 m², em um prédio antigo de Ipanema. O imóvel – antes com ar antiquado e escuro – ganhou decoração e instalações elétricas e hidráulicas novas. O projeto das arquitetas Adriana Sadala e Maria Eduarda Gomide apostou no uso do branco e da madeira em todo o apartamento. As arquitetas desenharam uma estante para a televisão com um painel de madeira, que esconde a fiação.

16. Loft de 25 m² em Amsterdã é todo integrado

Ewout Huibers
16-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Em 25 m², o loft Zoku é um novo tipo de hospedagem para o que chama de “nômades globais” – ou seja, pessoas que viajam a trabalho e ficam no exterior por algum período. Projetado pelo escritório Concrete Architectural Associates em Amsterdã, o micro-apartamento privilegia os espaços de estar e de trabalho e coloca o quarto escondidinho na parte de cima.

17. Estúdio de 75 m2 Austrália

Lisbeth Grosmann
17-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

O estúdio Clare Cousins Architects criou uma caixa de madeira e um mezanino para abrigar dois quartos do tamanho de uma cama neste apartamento em Melbourne, Austrália. A estrutura, que também tem prateleiras para os livros, economiza espaço para a área de estar no apê de 75 m².

18. Em Milão, apê de 60 m2 com dois andares

Michele Filippi
18-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

No apartamento de 60 m² e dois andares em Milão, Itália, o escritório +R Piuerre pintou as paredes de branco para fazer os cômodos parecerem maiores. Soluções para o mobiliário usado para guardar coisas, como estantes e armários, também ajudam a aproveitar melhor o espaço.

19. Loft Londrino dá destaque aos livros

Craft Design
19-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Neste loft em Londres, Inglaterra, a escada se integra aos nichos com livros e objetos de decoração. No projeto do Craft Design, os degraus levam para o quarto no topo de uma “caixa”, que abriga o banheiro e a despensa, além de dividir a sala e a cozinha.

20. Micro apartamento na Polônia tira proveito da marcenaria

Jedrzej Stelmaszek
20-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Em Wroclaw, Polônia, Szymon Hanczar conseguiu deixar clean e organizado o micro apartamento de apenas 13 m², onde ele morou por muitos anos. Num mesmo bloco de marcenaria, fica a cozinha, o armário que esconde a bagunça e o quarto no mezanino.

21. Um ambiente de 60 m² para trabalhar e habitar

Haruo Mikami
21-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Ao pensar em um espaço multiuso, compacto, para morar e trabalhar, o escritório BEP Arquitetos Associados projetou o Studio 212 na CASA COR Brasília 2015. Trata-se de um ambiente de convívio e trabalho, com 60 m², onda há demarcação das funções dos locais por meio da aplicação de diferentes materiais, além de uma organização sem compartimentos.

22. 4 boas ideias de décor em um apartamento de 35 m²

Maíra Acayba
22-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Quer uma receita fácil para ampliar visualmente os espaços? Aposte no branco total. O recurso orientou o projeto deste apartamento de 35 m², em São Paulo – reformado por Marcos Mendes e Júlio Beraldo, do Estúdio MB Arquitetos. Mas não foi só: à base clara se acrescentou uma marcenaria que fez valer cada centímetro.

23. Apartamento de 80 m² tem decoração elegante e bem masculina

Marco Antonio
23-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Com planta curva e complicada, o dúplex representou um tremendo desafio a André Pavan e Brunno Meireles,  do escritório Meireles + Pavan Arquitetura. O compacto dúplex tem a porta de entrada no pavimento superior – enquanto a suíte dá as boas-vindas a quem chega, estar, cozinha e lavabo são acessados pela escada, que leva ao piso inferior. “Quase tudo precisou ser feito sob medida para aproveitar melhor o espaço”, conta Pavan. Além disso, a marcenaria fixa se mostrou a solução perfeita para fechar a área do quarto sem perder a luz natural. O resultado da combinação entre os materiais e as linhas dos móveis é sóbrio, contemporâneo e reflete as preferências do morador.

24. Apartamento de 90 m² é reformado e marca mudança de rotina do casal

Marcelo Donadussi
24-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Morada dos advogados Carolina Scherer e Fábio Albuquerque, este apartamento de 90 m² em Porto Alegre ganhou reforma entre 2012 e 2015. “A proprietária sabia o que não queria, e esse era nosso único ponto de partida. Aqui exercitei o ato de planejar o espaço de alguém sem tantas interferências minhas”, conta  o arquiteto Luiz Humberto de Albuquerque. O lugar passou pela mudança quando os então namorados decidiram viver juntos – surgiu a necessidade de integrar ambientes, o que levou à ligação entre a cozinha, a varanda e o estar. O tempero vem da mistura de móveis de família, coleções e itens recém-chegados, dispostos numa combinação equilibrada.

25. Apê de 27 m² em Brasília tem boas soluções para aproveitar o espaço

Divulgação
25-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Nesta quitinete, os móveis e os ambientes têm múltiplas funções: o sofá vira cama king size, os armários acomodam as cadeiras e uma mesa fica escondida na marcenaria. Essas foram algumas das soluções criativas encontradas pelo morador, o arquiteto e empresário Fabio Cherman, para tornar confortáveis os cômodos de seu apartamento de apenas 27 m² em Brasília. A primeira mudança estrutural, ao receber o  imóvel, foi derrubar a parede que isola o banheiro e colocar uma porta de correr. Assim, foi possível conquistar alguns centímetros. O mesmo piso, travertino romano resinado e levigado, foi aplicado à casa toda, gerando a sensação de amplitude.

26. Apartamento de 70 m² abusa do cinza e mantém o décor super feminino

André Nazareth
26-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Praia e sol sempre encantaram a estilista baiana Neide Dantas, dona de uma grife de bijuterias. Por isso, quando soube de um empreendimento do tipo apart-hotel – com apartamentos de 70 m² –, localizado a poucos metros de seu ponto favorito na orla, resolveu ter um pouso fixo na cidade. Assim que fechou negócio, convocou o arquiteto Antonio Ferreira Junior para tocar a reforma e os interiores. Encomendou a ele, sócio do também arquiteto Mario Celso Bernardes, uma ambientação prática e cosmopolita, porém sem deixar de lado a espontaneidade litorânea. Quando vem com a filha, Neide afasta as mesinhas da sala, abre o sofá-cama e fecha as portas de correr que isolam o espaço. “A marcenaria ora integra, ora setoriza os ambientes, e ganhamos amplitude com armários no lugar de paredes. Foi um quebra- -quebra total, que valeu a pena”, explica Antonio.

27. Neste apartamento pequeno, o tijolinho dá cara de loft aos ambientes

Mariana Orsi
27-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Deixar um apartamento pequeno aconchegante é uma tarefa difícil. Mas não para Camila Benegas e Paula Motta, do escritório Casa 2 Arquitetura, que deixaram este apê 85 m², com três dormitórios, em Pinheiros, São Paulo, amplo e cheio de charme. A parede de tijolinhos com pintura branca do living é ponto-chave do projeto. A composição de quadros, o aparador verde-água, a viga com concreto aparente e a luminária de trilho reforçam ainda mais este clima na sala.

28. Apê de vlogger Danielle Noce exala referências a docerias

Marco Antonio
28-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Graduada em moda, a vlogger Danielle Noce conta que sempre teve paixão por confeitar. Em 2011, a afinidade a inspirou a criar o I Could Kill for Dessert (ICKFD), um blog em que apresenta suas aventuras na cozinha. Como o local onde grava as receitas é a própria morada, o casal foi reformando os ambientes aos poucos com o objetivo de deixá-los mais bonitos na telinha. “Optei por paredes brancas, pois elas ficam bem nos programas. Já meus móveis e objetos trazem os toques de cor e design”, descreve Dani.

29. Apartamento pequeno de 42 m² é assinado por Marcelo Rosenbaum

Evelyn Müller
29-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Este loft de 42 m² em São Paulo, decorado para uma incorporadora, foi um belo laboratório para Marcelo Rosenbaum colocar em prática tudo o que sabe sobre economia de espaço. Ao criar o projeto, o designer imaginou um casal de moradores fã de peças assinadas e disposto a abrir mão de itens supérfluos, então concebeu a marcenaria flexível e uma paleta discreta.

30. Quitinete de 36 m² no edifício Copan cheia de emoções

Marco Antonio
30-apartamentos-pequenos-que-vao-te-surpreender

Das qualidades que o arquiteto Gabriel Valdivieso mais adora no quarto e sala onde mora, nenhuma se pode medir ou capturar com precisão. A primeira delas é a luminosidade que chega pela grande janela em toda a lateral do espaço. A outra está no afeto das peças de família que carregou quando resolveu deixar os pais e morar sozinho. ““Minha casa é uma colagem da minha história. Nada entrou aqui só para cumprir uma função”, diz.” Por último, o burburinho que sobe até o 17º andar para contar do movimento da cidade lá fora. Móveis de época e peças de família ganham um olhar atualizado na decoração de Gabriel, marcada por um glamour vintage. É o caso da cadeira que pertenceu ao avô, combinada com uma carteira escolar comprada em um depósito de usados.

Um lar em meio às dunas de areia

f1_villa_cd_oostduinkerke_office_o_architects_photo_tim_van_de_velde_yatzer_Fotor.jpg

Restrições construtivas muitas vezes são a realidade enfrentada por escritórios de arquitetura ao realizar um projeto. Muitas das boas ideias surgem justamente nesta hora, da obrigatoriedade de criar soluções criativas. Este foi justamente o caso da Villa CD – Tableland, uma residência particular localizada nas dunas de areia da região litorânea da Bélgica, projeto do escritório OOA | Office O Architects.

O terreno da morada está localizado em um condomínio com casas em estilo bangalô. Apesar de remontar aos anos 1960, o loteamento ainda apresenta as mesas regras de zoneamento. Assim sendo, o projeto deveria, ao menos, guardar alguma semelhança com um bangalô. O lar está situado em uma pequena encosta, com vista para as dunas, mas seus moradores quiseram manter o máximo de privacidade possível em relação aos vizinhos.

Desta forma, os arquitetos posicionaram um paredão de concreto vertical com aberturas irregulares na face virada para a rua. Unindo-se a ele, um grande platô de concreto horizontal se transforma na base estrutural do volume único da morada. Neste sutil isolamento externo criado pelos profissionais foi possível alocar acomodações para os hóspedes como fora solicitado: fora da parte íntima da casa e no nível da rua.

O terreno em declive permitiu a utilização completa do lote. Um grande pátio com jardim, na parte interna da casa, garante toda a insolação necessária para a vida cotidiana. Houve ainda a preocupação de não gerar uma estranheza muito grande entre a construção e o entorno. Desta forma, o lote permaneceu com sua vegetação natural intocada. Seja no jardim localizado no nível da rua, ou no pátio interno privativo do subsolo, as dunas de areia e a flora litorânea típica da costa crescem e se desenvolvem sem interferência do homem.

Revestimentos naturais dão a tônica ao projeto. Para refletir a arquitetura brutalista, os interiores combinam um minimalismo quase espartano. Poucos e bons móveis compõem a decoração, toda em tons de branco, preto, cinza, grafite e madeira ebanizada. No living principal, uma grande lareira adiciona dramaticidade ao ambiente. Sala de estar, de jantar e cozinha americana se conectam naturalmente.

Trata-se de um lar clean e minimalista, com espaços bem conectados e perfeito para aproveitar a vida à beira-mar.
Fotos: Tim Van de Velde

Luz natural banha apartamento em Barcelona

p4_tamarit_apartment_ras_arquitectura_yatzer_Fotor (1)Chamado a reformar um apartamento de 140 m² e proporções desajeitadas em Barcelona, na Espanha, o arquiteto Raúl Sánchez, do escritório RAS Arquitectura, encontrou uma forma inteligente de transformá-lo em um lar elegante, moderno e repleto de luz natural; graças, em grande parte, ao terraço de 60 m² nos fundos da morada.

O principal desafio para Sánchez durante o projeto foi redimensionar a planta do imóvel, longa e estreita. A solução encontrada pelo arquiteto foi excluir pequenos halls de conexão, corredores e até mesmo portas, substituindo-os por uma sequência de salas delimitadas por partições que não alcançam o teto. Desta forma, o profissional conseguiu maximizar espaços e garantiu vistas ininterruptas ao alinhar as diversas aberturas dos ambientes. Mas mais importante do que isso, Sánchez garantiu que a iluminação natural e difusa circulasse por todo o apartamento – conectando visualmente a grande bay window na parte da frente com as portas de vidro do pátio externo, na parte de trás do imóvel.

As divisórias de vidro entre o living e a cozinha garantem a propagação da luz, assim como as portas envidraçadas do pátio externo, que foram reconstruídas em madeira e uma lúdica combinação de partições de vidro alternadamente transparentes e translúcidas – estas últimas ocultando partes pouco interessantes da fachada posterior do edifício.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Outro ponto-chave na transformação dos interiores foi a subdivisão de todos os espaços em três zonas decorativas: uma seção principal, pintada de cinza, que compreende o teto original e os elementos estruturais que percorrem todo o imóvel; uma seção intermediária, pintada de branco e com altura de 60 cm até a união com a seção anterior; e ainda uma terceira, revestida de madeira – no caso do living, dormitórios e escritório – ou de ladrilhos hidráulicos, no caso da cozinha, banheiros e zonas de separação.

O resultado é um apartamento com estética clara e minimalista, de superfícies simples e revestimentos nobres, porém tradicionais. O único toque destoante que traz algum elemento mais barroco à reforma fica por conta das duas colunas gregas que foram preservadas para emoldurar a vista de Barcelona que adentra a morada através da elegante bay window. [Arkpad]