Terapias naturais e novos recursos ajudam mulheres a viver a fase da perimenopausa

Produtos à base de soja e lasers e radiofrequências são indicados
Talita Duvanel

Gwyneth Paltrow, de 46 anos, está na perimenopausa

Sinto as mudanças hormonais acontecendo: o suor, (a falta de)ânimo, uma onda de fúria sem razão.” Esse depoimento veio de ninguém menos que a atriz Gwyneth Paltrow, de 46 anos, que usou as redes sociais, há algumas semanas, para expor um momento inerente à existência de toda mulher: a perimenopausa e a menopausa. Independentemente da conta bancária, da classe social ou da etnia, ser mulher é também passar por isso, em menor ou maior grau.

O primeiro a usar a palavra “menopausa” foi o médico francês Charles Pierre Louis De Gardanne, no livro “De La Menopause: Ou De L’Age Critique Des Femmes” (em português, “Menopausa: ou a idade crítica das mulheres”), publicado originalmente em 1821. Do ponto de vista linguístico, dizem os médicos, o termo está relacionado à última menstruação, mas acabou se popularizando como sinônimo de climatério.

— A partir dos 45 anos, algumas mulheres já começam a viver a perimenopausa, ou seja, já têm sintomas provenientes da diminuição progressiva da produção de estrogênio, principal hormônio secretado pelo ovário. Elas começam a sentir as ondas de calor e a insônia, mas ainda menstruam — explica Ricardo Meirelles, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

Esse é justamente o momento da vida de Gwyneth Paltrow: ela sente diariamente o aumento da temperatura corporal, que acarreta suor excessivo, a falta de disposição (muitas vezes causada pela insônia) e as alterações de humor. Há também quem perceba um crescente ressecamento da mucosa vaginal, que faz da relação sexual dolorosa e, por consequência, desinteressante.

A psicóloga R., de 50 anos, viveu as agruras da perimenopausa por cerca de três anos. Praticante de atividade física desde a adolescência, ela sentiu dificuldades em manter o ritmo de exercícios, sofreu com um suor descomunal e ainda descobriu ter osteoporose. O enfraquecimento dos ossos, aliás, é um dos sintomas da diminuição de estrogênio no corpo feminino, assim como o aparecimento de doenças cardiovasculares.

— O período da perimenopausa foi o pior. Sentia muito desânimo, não tinha vontade de fazer nada. Tenho amigas que não dormem à noite, estão deprimidas. É um momento caótico na vida da mulher. Eu sigo lutando, porque sei que o estado mental é muito importante nessa fase — diz R.

A ginecologista Flavia Tarabini, da clínica Dr. André Braz e professora da Faculdade de Medicina da UFRJ, vê com frequência no consultório a depressão como uma das consequências dessa mudança fisiológica.

— Essa é a hora em que a mulher percebe o envelhecimento, e na nossa sociedade, infelizmente, isso pode levar a quadros depressivos — diz Flavia.

A perimenopausa é a janela de tempo ideal para começar a pensar em terapia hormonal, antigamente chamada de reposição. A expressão caiu em desuso no meio médico porque a ideia não é deixar a paciente com níveis de estrogênio e progesterona iguais aos de 20 anos antes, mas usar uma quantidade que cesse os desconfortos e aumente a qualidade de vida.

— O objetivo é dar a mínima dose possível para tirar o quadro de sintomas — explica Flavia.

Ainda há, no entanto, vários mitos envolvendo a terapia. Um deles tem a ver com câncer de mama. Em décadas passadas, usava-se um tipo de estrogênio sintético que levou à observação de aumento da doença nas pacientes. Hoje, a medicação é mais parecida com os hormônios naturalmente produzidos pelo corpo, e o risco é praticamente inexistente. No caso de problemas no endométrio, eles só têm chance de aparecer se a terapia for feita sem associar a progesterona a estrógenos. Claro que mulheres com histórico de tumores não devem se submeter a esse tratamento, mas todas as outras podem conversar com os médicos sobre a qualidade de vida que possam vir a ganhar.

Pré-requisito para usar a medicação é estar disposta a sempre fazer exames de rotina, como ultrassonografias transvaginal e mamária, mamografia e análise das taxas <de gordura e de glicose no sangue.

Quem não pode ou não quer tomar remédios tem outro tipo de ajuda para minimizar os efeitos do climatério: as terapias naturais.

Anúncios

Perfumes masculinos: os lançamentos mais desejados da estação

São cinco lançamentos que o surpreenderão, pelo bom gosto. Aposte sem medo numa dessas fragrâncias para impressionar
Por Glauco Junqueira

Os perfumes must have da estação (Foto: Divulgação)

E aí, beleza?
Se acha que está na hora de variar e comprar um novo perfume, mas ainda não se decidiu por qual escolher, estas novidades da perfumaria são boas apostas para impressionar. Conheça-as:

212 VIP Men Party Fever, Carolina Herrera, R$ 449 (100 ml). (Foto: Divulgação)

212 VIP Men Party Fever, Carolina Herrera, R$ 449 (100 ml)

Esse eau de parfum de edição limitada celebra a noite e as grandes festas: uma escolha perfeita para quem não dispensa uma balada. Nova York foi a inspiração para ele, que é um bomba energética e floral ao mesmo tempo. Suas notas de madeira de cedro e almíscar tornam a fragrância mais quente e sedutora; um acorde herbal de cannabis tona-a ainda mais intrigante e misteriosa. Imagine-se num dos clubes mais badalados da Big Apple, curtindo uma noitada com os amigos e um clima de azaração total. 212 Men Party Fever é assim, cheio de personalidade, enérgico e que não o deixará  passar despercebido na pista. Pode apostar!


CH Insignia Men, Carolina Herrera, R$ 459 (100 ml). (Foto: Divulgação)

CH Insignia Men, Carolina Herrera, R$ 459 (100ml)

Esse outro lançamento de Carolina Herrera é uma homenagem à perfumaria oriental. Um eau de parfum também de edição limitada e extremamente elegante, combinando moda, perfumaria e viagens. Assinada por Emilie Copperman e Pierre Gueros, abre com notas de rosa e açafrão, no topo. No coração, oud, folhas de violetas, canela e madeira de caxemira; a base é uma mistura de patchuli e ládano. Esse último evoca o aroma intenso e glamoroso do couro, em um elegante tributo aos cavalos de Dubai. Chic!


L’Homme Prada L’Eau, Prada, R$ 529 (100 ml). (Foto: Divulgação)

L’Homme Prada L’Eau, Prada, R$ 529 (100 ml)

Dizer que o homem Prada é elegante e urbano seria um estereótipo do qual a estilista Miuccia quer desvincular-se, lançando essa fragrância. Evitando o clichê da figura emblemática exclusiva, como a única representante do mundo de uma fragrância, Prada olha para a multiplicidade de identidades: ela celebra a individualidade e as diferenças dos homens que usarão L’Homme Prada. Romantizando um pouco, L’Eau surge como um dia brilhante e alegre – dia em que tudo está perfeitamente claro! – e se traduz numa fragrância extremamente fresca e vibrante, cheia de atitude. As notas de topo são de gengibre e neroli; no coração, íris e âmbar, e notas de saída de sândalo e cedro. Uma brisa de verão.


Coach Platinum, Coach, R$599 (100ml). (Foto: Divulgação)

Coach Platinum, Coach, R$599 (100 ml)

Mais uma vez, Nova York serve como pano de fundo para esse lançamento da Coach. Dinâmico e quente, o perfume incorpora o lado aventureiro e desbravador do homem. A fragrância abre com notas de topo frescas de óleo de pimenta negra, abacaxi e bagas de zimbro. O coração revela uma mistura distinta de notas masculinas e florais – sálvia e gerânio –, ricamente contrastadas com madeiras refinadas – cashmeran, patchuli e madeira de sândalo, finalizando com um acorde de couro de baunilha, o que cria uma assinatura quente, sensual e elegante. Bruno Brovanic, perfumista criador, queria uma fragrância que capturasse o estilo de vida elegante de um homem que adora fugir de Nova York para sentir a sensação única de voltar à cidade. Conseguiu!


COR.AGIO, Natura Homem, R$190 (100 ml). (Foto: Divulgação)

COR.AGIO, Natura Homem, R$190 (100 ml)

Dentre as opções nacionais, o novo deo parfum masculino da Casa de Perfumaria do Brasil surpreende pelo equilíbrio de suas notas olfativas. É uma fragrância amadeirada intensa, que evolui com o passar do tempo, assim como em um primeiro encontro. “Cor” remete a coração e “agio” à ação – COR.AGIO, que, por fim, remete à coragem. Desenvolvido em uma parceria entre os perfumistas Verônica Kato – perfumista exclusiva da Natura, a Casa de Perfumaria do Brasil – e o francês Jean-Christophe Herault, da casa de fragrâncias IFF, a fragrância traz uma moderna e contrastante combinação de notas de especiarias frias, como a pimenta rosa e a noz moscada, e o calor da madeira copaíba e do cumaru: ingredientes da biodiversidade brasileira. Um perfume sensual e autêntico, que convida os homens a se expressarem como realmente são – livres de padrões ou estereótipos! Libertador.

Top Laís Ribeiro mostra o corpo escultural em praia na Bahia

A musa ostentou toda sua beleza nas redes sociais neste sábado (24)

Laís Ribeiro (Foto: Reprodução/ Instagram)

Laís Ribero é uma das modelos brasileiras mais reconhecidas no mundo todo – e não à toa. Prova disso é a foto publicada redes sociais neste sábado. Curtindo a belíssima praia de Ponta do Corumbau, no litoral baiano, a musa aparece vestindo um biquíni vermelho, revelando o corpão impecável e o bronzeado em dia.

O clique arrancou elogios entusiasmados – e em vários idiomas – dos fãs.”Simplesmente incrível”, sintetizou um admirador de Laís Ribero. “Beleza natural”, disse outro.

Produtos e fórmulas ocean-friendly movimentam o mercado de beleza

Produtos ocean-friendly e fórmulas que apostam em extratos marinhos movimentam o mercado de beleza
Por Vitória Moura Guimarães

Anna Cleveland fotografada por Gil Inoue na praia de Ipanema (Foto: Gil Inoue)

Se o horizonte dos produtos sustentáveis é vasto, necessário e agrada consumidores conscientes, a maré do eco-friendly deságua agora no mar. No mercado de beauté, uma nova onda de marcas busca no oceano a solução para a redução do impacto ambiental negativo. “Cresci em frente ao mar e sempre tive a impressão de me sentir melhor na praia. O que eu não sabia era que uma mudança profunda realmente acontece quando estamos perto da água”, diz a americana Marcella Cacci, ex-presidente da Burberry Beauty e idealizadora da recém-lançada One Ocean Beauty. Depois de ler o livro Blue Mind, de Wallace J. Nichols (que explica a mudança neurológica e fisiológica do organismo quando ele está perto do oceano), ela resolveu transformar seu interesse em negócio.

Para proteger a flora e a fauna marinhas, os ingredientes ativos dos produtos da One Ocean Beauty, que tem a Oceana (organização global de conservação marinha criada em 2011) como parceira, são replicados em laboratório. “Estudamos diversas algas de diferentes partes do mundo – uma que apresenta excelentes propriedades de proteção contra os raios UV encontrada no Japão, outra que garante a hidratação, mesmo em temperaturas severas, originária do oceano Antártico – e as reproduzimos em laboratório por meio da biotecnologia azul, para evitar a exaustão de recursos naturais”, explica Marcella, que também eliminou dos produtos substâncias tóxicas normalmente encontradas em cosméticos, como OGMs, parabenos, sulfatos, ftalatos, polietilenoglicol, nanopartículas, óleos minerais e fragrâncias sintéticas. Adicione polietileno, polipropileno, polietileno tereftalato, os três nocivos às águas e aos peixes, e você tem uma boa lista de ingredientes a evitar na hora de analisar o rótulo do produto no nécessaire.

Uma série de medidas legais dá voz ao processo. Proibição das microesferas plásticas onipresentes nos esfoliantes (liderada pelo Rio de Janeiro, primeiro estado brasileiro a aprovar a lei, a exemplo de países como Estados Unidos, França, Canadá e Suíça). Há também o alerta sobre o impacto dos protetores solares na água (25 mil toneladas de produtos anti-UV espalhados no mar a cada ano, o que levou o Havaí, por exemplo, a banir o uso de filtros com determinadas substâncias nocivas aos corais de recifes).

Na biodiversidade dos oceanos há uma real ameaça: segundo um estudo publicado pela revista americana Science, em fevereiro, menos de 4% dos oceanos ainda não foram afetados pela atividade humana. “Os oceanos são vastos, mas não são imunes à influência humana. Nós já alteramos ou destruímos ecossistemas marinhos e levamos espécies milenares à beira da extinção”, explica Matt Littlejohn, vice-presidente sênior de comunicação da Oceana. “Quanto mais os consumidores se envolvereme se preocuparem com a conservação dos oceanos – e com o impacto dos produtos que eles compram – , mais as empresas serão incentivadas a irem além”, completa ele.

Um bom exemplo é o programa Skin Protect Ocean Respect, da Avène, que associa a preocupação com a proteção UVB/UVA ideal, minimizando o impacto no meio ambiente. “Atualmente, os produtos solares são, ao mesmo tempo, um assunto de saúde pública e de preocupação ambiental”, diz Alexandre Couttet, gerente da Eau Thermale Avène International, que eliminou o uso de silicones e filtros hidrossolúveis que se misturam na água e limitou a quantidade de filtros tanto em número quanto em concentração, sem impacto no índice de proteção da pele. A Avène firmou também uma parceria como Pur Project, que ajuda a regenerar os recifes de coral e proteger o sistema ecomarinho na Indonésia. Se o cuidado ajuda na preservação do meio ambiente, agrega também valor positivo às marcas que se engajam. Boa onda para todos!

MERGULHO PROFUNDO
Um arsenal de produtos eco-friendly e à base de ativos marinhos

Nova onda (Foto: Divulgação)

RECICLAR É PRECISO
A inglesa REN buscou no oceano atlântico dois ingredientes bioativos: uma alga que estimula a vitalidade da pele e um extrato de plâncton que a protege para formular o body wash energizante (€ 24). Sua nova embalagem é 100% reciclável e produzida a partir do plástico encontrado nos oceanos


Nova onda (Foto: Divulgação)

LIMPEZA POWER
O micro-organismo marinho ativo da fórmula do Purifying Ocean Mist Cleanser (US$ 38), da One Ocean Beauty, limpa profundamente a pele e ajuda a reduzir os danos do estresse oxidativo e da inflamação


Nova onda (Foto: Divulgação)

SOL SEM CULPA
Com filtros hidrossolúveis e sem silicone, a fórmula do Filtro solar Mat Perfect FPS 60 (R$ 70), da Avène, é não biotóxica. O produto é rico em vitaminas C e e, aumentando a proteção celular contra os radicais livres


Nova onda (Foto: Divulgação)

ALGA DO BEM
Rica em vitaminas e polissacarídeos, a alga presente na máscara Algas Marinhas e Argila Ionizada (R$ 94) é colhida por uma cooperativa de uma baía do sul da Irlanda

Outros ares: as novidades da perfumaria são híbridas

As novidades da perfumaria envolvem fragrâncias híbridas que realçam a busca pelo fim da diferença de gênero

Oli responde : Olivia veste Neriage (Foto: ENRICO BEER BOIMOND)

Você sabia que um dos testes para identificar o Alzheimer envolve o olfato? Pesquisadores da Universidade de McGill, no Canadá, constataram que a diminuição na capacidade de identificar odores está ligada às proteínas que indicam o avanço da doença. Quem me falou sobre essa relação foi o francês Francis Kurkdjian, perfumista que criou Her, a nova fragrância da Burberry (que chega ao Brasil em 2019), durante uma entrevista em Londres, no mês passado.
Acabei de mudar para o terceiro perfume que uso na vida e, por isso, decidi me aprofundar no assunto. Meu primeiro relacionamento fiel com uma fragrância foi com Parisienne, de Yves Saint Laurent. Depois veio Chance, um dos best-sellers da Chanel. Agora escolhi o Citron Noir, lançamento unissex da Hermès.

Perguntei a Francis o que está por trás desta mudança brusca de notas – de florais superfemininos, fui para um cítrico excêntrico. A explicação, além de uma mudança pessoal na forma de me mostrar para o mundo, está relacionada a um movimento coletivo. “Com a neutralidade de gênero sob os holofotes, as essências híbridas têm ganhado mais espaço.” De fato: três das pessoas mais sofisticadas que eu conheço usam o Santal 33, da Le Labo (marca francesa descolex). Acaba de chegar ao Brasil o Hwyl, da Aesop; e a Natura lançou o [No] Gender – todos compartilháveis. Agora, se assim como eu, você é apegadx ao seu perfume, não se preocupe e siga o conselho de Francis: “Perfume é como o amor, só devemos mudar quando nos apaixonamos por outro”. E o melhor desse mundo novo: essa escolha independe de gênero.

Oli responde (Foto: Divulgalção)

Lançado em 2016, o Replica, da maison Margiela, pode ser compartilhado


Oli responde (Foto: Divulgalção)

A campanha do M/Mink, da sueca Byredo, é híbrida assim como seu cheiro


Oli responde (Foto: Divulgalção)

Lime Basil & Mandarin Cologne (R$ 330, 30 ml), Jo Malone e Hwyl (R$ 527, 80 ml), Aesop


Oli responde (Foto: Divulgalção)

Citron Noir (R$ 544, 100 ml), Hermès


Oli responde (Foto: Divulgalção)

Amadeirado e com fundo de sândalo, o Santal 33, da Le Labo, chega ao Brasil em 2020


Acompanhe no instagram @oliviaanicoletti

Kylie Cosmetics lança aplicativo para celular e enlouquece a mulherada around the world

Kylie Jenner 

Menos de três anos depois de ter lançado sua linha de batons, a Kylie Cosmetics, de Kyle Jenner, avança em sua meteórica existência: acaba de lançar um aplicativo que permite que as pessoas façam suas compras pelo celular.

A linha da socialite inclui produtos para os olhos, rosto e lábios, além de parcerias especiais como a collab com sua mãe Kris. Este é um passo natural para a marca que nasceu em plena era digital e é vendida majoritariamente pelo  e-commerce. Fora a internet, os itens da caçula do clã Kardashian-Jenner só são vendidos nas lojas da rede Ulta Beauty. Em seu site, a marca compartilha algumas informações, como a linha de batons 100% vegana e o fato de nenhum produto ser testado em animais. E a melhor notícia é que todas as makes da Kylie Cosmetics são entregues no Brasil com frete grátis nas compras acima de US$ 60 (R$227).

6 dicas que levam a uma vida longa e saudável

A endocrinologista e nutróloga Vânia Assaly, palestrante do Wired Festival, é especialista em envelhecimento saudável
Por Anita Porfirio (@NITAFP)

Sem título
Maye Musk em ensaio da Vogue Brasil (Foto: Zee Nunes)


Sim, envelhecer é inevitável, mas não é preciso temer um processo natural da vida se nos prepararmos para uma longa e saudável jornada. “Quando falamos em envelhecer bem, falamos em senescência natural, que é o envelhecimento sem doença”, explica Vânia Assaly, endocrinologista e nutróloga especializada em medicina preventiva.

Integrante da grade de palestras do Wired Festival, que acontece no Rio de Janeiro nos dias 30.11 e 01.12, Vânia nos contou, de forma resumida, quais os principais fatores que levam a uma vida longeva e com muita saúde. Para adotar já!

1. Alimentação
“Uma dieta baseada em plantas, com baixa ingestão de gorduras de origem animal e alimentos superprocessados e industrializados tem se mostrado cada vez mais benéfica para uma longa vida saudável. Evitar a sobrecarga calórica também é fundamental.”

2. Exercícios
“Não é necessário fazer exercícios intensos. 30 a 45 minutos de atividade semanais são o suficiente. O mais importante é não ficar parado por muito tempo.”

3. Pertencimento
“Fazer parte de um grupo, quer seja de amigos, de família, é muito importante. Sentir-se parte de algo e ter o respeito dessas pessoas, pertencendo a algo, é ótimo para a saúde mental.”

4. Sono
“Vivemos com muita poluição luminosa, dos computadores, dos celulares, e isso altera nosso ciclo biológico e afeta a síntese de melatonina. A longo prazo, já foi observado que a privação de sono e o sono de má qualidade podem aumentar a incidência de obesidade, doenças vasculares e até câncer.”

5. Espiritualidade
“Não estou falando de religião, necessariamente, mas a conexão com algo maior, uma sensação de propósito, é um alívio ao sofrimento e uma fonte de inspiração.”

6. Natureza
“Quanto menos toxinas e contaminação tivermos em nosso cotidiano, melhor. Isso na alimentação, nos produtos que usamos em casa. Uma atenção extra ao que é natural, orgânico, é precisa.”