A inspiração por trás do novo visual de Bella Hadid é icônica

Top pintou os fios de castanho escuro depois dos desgastes no verão

Sem título.jpg
Bella Hadid (Foto: Getty Images)

Na véspera da gravação do desfile da Victoria’s SecretBella Hadid resolveu mudar o visual, incentivada pelo fim do verão e o desgaste da cor dos cabelos após muita praia, sol e piscina. Atualizando o look já para o outono/inverno, a top, que não é fã de mudanças radicais e raramente pinta os cabelos, resolveu deixar a balayage de lado e cruzou a passarela da marca de lingerie com os fios em um só tom: um chocolate escuro, obra de Jenna Perry, do famoso salão novaiorquino White Rose Collective, que cuida das madeixas de diversas famosas.

A inspiração por trás do novo visual não podia ser mais icônica e apropriada: Perry revelou que se inspirou nos catálogos da Victoria’s Secret dos anos 90, com cabelos castanho escuros que davam um ar misterioso às modelos da época, como Helena Christensen e Stephanie Seymour. “Elas assumiam seus cabelos castanhos em um mar de loiras. Eu quis levar a Bella para esse mesmo lugar. Um pouco mais escuro, mais profundo, e menos comum”.

Jenna, que afirma que o visual deve se firmar como uma das próximas tendêndias de beauté, contou ainda que usou uma tinta semi-permanente nos cabelos de Bella Hadid, mas que não requer manutenção constante, já que a top não gosta de mexer na cor dos fios.

bella-9970342ad-480w
Bella Hadid (Foto: Getty Images)
Anúncios

Bala na dieta: à base de chá-roxo, ela bloqueia a absorção de gordura

Criação da nutróloga Esthela Conde, o drops é à base de colágeno, ativo derivado do feijão e chá-roxo
Por SOFIA FERREIRA (@SOFIACSF)

Bala de colágeno desenvolvida por Esthea Conde e Tave Pharma promete ser nova aliada do emagrecimento (Foto: Henrique Gendre/Arquivo Vogue)

Esthela Conde, médica do esporte e nutróloga paulistana especializada em emagrecimento, lança com o auxílio da farmaceutica Anelise Taleb uma bala que promete ser boa aliada para quem quer sair sem culpa da dieta. A BioDrops é à base de colágeno, adoçante eritritol, chá-roxo (uma poderosa versão do chá verde mais rica em flavonóides e antioxidantes), e BeanBlock, um ativo derivado do feijão. 

“Esse mix ajuda o corpo a não absorver o carboidrato, diminuindo os picos de glicemia no sangue. Mais que isso, reduz o tempo de rebote da fome quando consumimos carboidrato, de 2 horas para 4 ou 5 horas em média”, explica a farmacêutica Anelise Leal Taleb, proprietária da farmácia. Através da combinação de ingredientes, a bala consegue bloquear de 10 a 15% da absorção da gordura do que consumimos.

A balinha pode ser consumida até quatro vezes ao dia, de preferência antes da refeição – mas também é boa opção para matar a vontade de açúcar. “A bala é para ser uma aliada da rotina, para ter sempre à mão, na bolsa, sem precisar andar com mil cápsulas”, conta Esthela, que acaba de abrir uma nova clínica no Jardim Paulista, em São Paulo.

O truque de beleza das modelos para aguentar a correria do trabalho!

301018-carol-trentini-dica-beleza2-590x487
Toda modelo tem um segredo de beleza para aguentar as temporadas de moda e a correria do trabalho


Semanas de trabalho mais intensas são bem comuns na vida de qualquer pessoa. Mas ninguém merece ficar com cara de acabado! Por isso o Blog LP perguntou para algumas modelos como Carol TrentiniRenata Kuerten e Katia André, que costumam ter uma vida bem corrida nas semanas de moda e viram experts no assunto: qual o truque de beleza pra vencer o cansaço e as longas horas de trabalho?

Novos perfumes Chanel celebram cidades que marcaram sua fundadora

Em Les Eaux de Chanel, as francesas Deauville e Biarritz e a italiana Veneza são materializadas em fragrâncias

Sem título.jpg
Gabrielle Chanel e sua tia Adrienne em frente à boutique em Deauville, a primeira Chanel do mundo Foto: Cortesia Chanel


Biarritz, Deauville e Veneza. Três cidades que foram inspiração de estilo e da iconografia da Chanel agora se materializam na nova série de perfumes da grife. Batizada Les Eaux de Chanel (As Águas de Chanel), os lançamento buscam traduzir em fragrância a vibração de cada uma dessas cidades.

Deauville, na Normandia, foi lar da primeira boutique de Gabrielle Chanel, inaugurada em 1913. A eau de toilette Paris – Deauville é uma espécie de fragrância nômade, que traz notas frescas e terrosas como a cidade, considerada meio litorânea meio campestre. Entre elas estão as de laranja e manjericão, jasmim, rosa e patchouli.

1541002204864.jpg
As três novas fragrâncias da marca, que celebram cidades que de alguma forma marcaram a vida de Chanel Foto: Cortesia Chanel

Biarritz, no sudoeste francês, com seu estilo praiano e esportivo, inspira a mais aquática das “águas de Chanel”. “Queria criar uma sensação na pele como se cada ingrediente tivesse sido mergulhado em água”, declara o perfumista Olivier Polge, autor dos três lançamentos. Assim, Paris – Biarritz traz uma mistura de tangerina com toranja, íris, gerânio e almíscar. É fresh e levemente sensual.

A única representante estrangeira do trio é Veneza, a cidade para onde Chanel foi se recuperar do luto da perda do namorado Boy Capel, morto num acidente de carro em 1919. Uma cidade de forte influência oriental, a eau de toilette Paris – Venise é a mais envolvente entre os lançamentos, com notas macias que remetem a talco, como cumaru e baunilha, além de âmbar, frutas vermelhas e neroli.

1541002203919
O frasco da ‘água de Chanel’ Paris-Biarritz e alguns dos ingredientes que estão em sua composição, como tangerina e lírios Foto: Cortesia Chanel

1541002203737
O perfume Chanel Paris – Venise, inspirado na atmosfera oriental de Veneza, tem notas de neroli, de tonka e de baunilha Foto: Cortesia Chanel

1541002203969
O frasco da ‘água de Chanel’ Paris-Biarritz e alguns dos ingredientes que estão em sua composição, como tangerina e lírios Foto: Cortesia Chanel

Marca La Roche-Posay lança pigmento para regular o tom do protetor solar com cor

Novidade também promete deixar o produto com cobertura de base

1540927693101
Anthelios Color Dose está disponível em seis tonalidades Foto: Divulgação/La Roche-Posay

A La Roche-Posay acaba de lançar um produto inovador no mercado nacional: um pigmento que promete regular o tom de protetores solares com cor, que costumam ter poucasopções de tonalidade.

A marca recomenda colocar o protetor no dorso da mão e pingar o Anthelios Color Dose. Em seguida, aplicar a mistura no rosto. Para uma cobertura leve, a marca recomenda duas gotas, três para média e quatro para alta, com o efeito de base.

O Color Dose está disponível em seis tonalidades (bege claro, bege claro dourado, bege médio, bege médio dourado, marrom e marrom escuro), pensadas para se adequar a pele dos brasileiros, é oil-free, não comedogênico, possui tecnologia antioxidante, para a cor não ficar mais escura quando entra em contato com o ar, e não altera o FPS do protetor. Ele está à venda em farmácias de todo o país por R$ 49,90 (cada).

As modelos negras e trançadas da Apartamento 03

251018-backstage-apartamento03-21-450x600
O casting do desfile da Apartamento 03 contou apenas com modelos negras 


Apartamento 03 desfilou na quinta (25/10) sua coleção de primavera-verão 2019 no SPFW e escalou apenas modelos negras! O objetivo de Daniel Hernandez, que assina a beleza do desfile, foi fazer uma maquiagem neutra, que apenas desenhe mais o rosto e realce a beleza das modelos – pra isso utilizou iluminador nos pontos altos e um blush mais escuro nos pontos de marcação! Pro cabelo, pintaram tranças diversas e bem lindas ornamentadas com continhas pretas! Ficou curioso? Veja mais abaixo!

O Boticário cria 1° perfume feito com ajuda de inteligência artificial

Desenvolvida em parceria com a IBM e a empresa de fragrâncias Symrise, novidade chega ao mercado em 2019
Por Vanessa Barbosa

boticario
Perfumaria: novas formulações foram criadas pelo sistema Phylira. (O Boticário/Divulgação)

São Paulo – A criação de um novo perfume é um processo demorado, que envolve combinações de centenas de ingredientes e repetidas tentativas e erros até chegar a uma fórmula que agrade ao nariz exigente do perfumista — e, mais importante, encante o consumidor final.

Buscando inovar nesse processo criativo, o grupo paranaense Boticário, maior varejista de cosméticos do país, resolveu invocar a deusa grega do perfume, Phylira — que no mundo real empresta seu nome a um sistema inédito de tecnologia de Inteligência Artificial (AI, na sigla em inglês) criado pela IBM em parceria com a alemã Symrise, uma das principais fornecedoras de fragrância da empresa.

O resultado são os primeiros perfumes do mundo desenvolvidos com a ajuda de AI. Em duas versões, eles chegam ao mercado em meados de 2019, e ainda não têm nome nem preço definido. Todo o mistério faz parte da estratégia de marketing dos produtos, que miram o grupo de consumidores da geração Y ou millennials (os nascidos de 1980 a 1995).

Para chegar às novas formulações, o sistema Phylira foi previamente alimentado com milhões de dados referentes a fórmulas, ingredientes, história da perfumaria e taxas de aceitação do consumidor. Com a precisão e capacidade de processamento que só um “cérebro artificial” é capaz de entregar, Phylira buscou e cruzou os dados que mais se aproximavam ao que O Boticário queria.

O resultado foram duas combinações de fragrâncias que levavam um pouco de frutas, flores, doces, especiarias, madeiras e até notas inusitadas, como pepino e leite condensado. Como o Phylira não tem limitação de combinações, pode usar ingredientes que às vezes passam despercebidos por um perfumista por serem muito incomuns.

Outra surpresa foi a redução do tempo de desenvolvimento dos novos produtos, que ocorreu em apenas seis meses, enquanto um processo convencional pode demorar até três anos, em grande medida devido às centenas de repetições de combinações para testes olfativos.

“Essa economia de tempo permite que os perfumistas, o time de marketing e de pesquisa e desenvolvimento se dediquem muito mais às combinações finais, concluindo a fragrância que chegará para o consumidor. Ao otimizarmos o processo, teremos profissionais mais disponíveis para fazer o que máquina não faz, que é a lapidação do produto final, que demanda sentimento e emoção”, afirma o gerente de Pesquisa e Desenvolvimento do Grupo Boticário, Tiago Martinello.

Se os perfumes feitos com ajuda de inteligência artificial vão agradar os clientes da marca, ainda é um mistério, já que o lançamento só ocorre ano que vem. Mas a recepção do mercado pode ser determinante na decisão da empresa de incorporar ou não a solução hightech em seu processo produtivo.

“É uma tecnologia que está disponível por um tempo limitado para a gente de forma exclusiva e conforme os resultados e a estratégia de negócios avaliaremos se será incorporada. Afinal, inovação tem que trazer resultado”, avalia o executivo.