Óleo de semente de brócolis é o ingrediente de beleza do momento

Popular entre marcas internacionais, o ativo previne o câncer de pele
Por BÁRBARA ÖBERG

Alguns produtos que usam o ativo extraído da semente de brócolis (Foto: Divulgação)

Espinafre, pepino, óleo de coco e outros itens comumente vistos na nossa alimentação diária viraram nos últimos anos ingredientes estrelas de fórmulas de cosméticos pelo mundo afora. Isso acontece graças à tendência mundial de transformar o mercado de beleza e oferecer mais receitas com ingredientes naturais, criar processos de produção menos invasivos e causar o menor impacto possível no meio ambiente.

O último legume tirado da horta e levado para os laboratórios de cosméticos foi o brócolis. O óleo extraído da sua semente contém ativos que trabalham como antioxidantes e ainda tem potencial para ajudar a prevenir o câncer de pele. Eis um ingrediente verde que você não vai mais querer evitar.

A dermatologista Lídia Machado, da Clínica Juliana Piquet, confirma que existem muitas pesquisas sobre os benefícios do sulforafano, principal ativo que é isolado quando se faz o fracionamento do broto do brócolis.

O mais promissor é o efeito protetor contra os danos da radiação UVB, como envelhecimento e câncer de pele. “Mas não existe ainda nada comprovado cientificamente”, afirma a profissional. Também há cientistas que pesquisam a ligação do uso do ativo com a redução do melanoma e do carcinoma espinocelular, dois tipos de câncer de pele.

Outro poder do componente é o de reduzir a expressão da MMP (metaloproteinase matriz), que são enzimas produzidas diariamente pelo corpo que degradam o colágeno da pele.

Por enquanto, apenas marcas internacionais, como L:A Bruket, Elemis, Marie Veronique, Sunday Riley, Osmia e Votary, trabalham com o ingrediente em séruns, óleos faciais e hidratantes com preços que variam de US$ 40 a 110. 

Anúncios

Skip-care: novidade para acelerar a rotina de beleza com eficiência

Contra rotina exaustiva que já está sendo questionada até pelas coreanas, skip-care promete acelerar os cuidados com a pele e poupar alguns minutos do seu dia
Por OLGA PENTEADO (@OLGAPENTEADO)

Skip-care: nova rotina propõe cuidados mais rápidos e concisos (Foto: Alex Batista)

Com uma nova geração de coreanas protestando contra os padrões estéticos inatingíveis impostos às asiáticas (sob a hashtag #EscapeTheCorset), o ritual dos 12 passos para cuidar do rosto passou a ser questionado na Coreia do Sul – não é raro que as mulheres de lá gastem duas horas entre preparo da pele e aplicação do make. Por aqui, alguns dermatologistas já levantam essa bandeira há algum tempo. “É uma rotina exagerada e difícil de ser aplicada no Brasil”, diz a dermatologista Claudia Marçal, de São Paulo.

Em contraponto aos 12 passos, surgiu o skip-care, um método que elimina excessos ao identificar os ingredientes essenciais para a pele – evitando produtos desnecessários. “Em vez de um cosmético para clarear, outro para hidratar, um terceiro para esfoliar e assim por diante, o skip-care sugere que você encontre produtos que tragam múltiplos benefícios e cubram diferentes necessidades”, explica o dermatologista Jardis Volpe, de São Paulo.

Para Claudia Marçal o primordial para a saúde e beleza da pele está na pirâmide de tratamento: higienização, hidratação e fotoproteção. Ela lembra que o anti-idade pode ser adicionado ao hidratante. Jardis Volpe concorda: “São três produtos essenciais para manter sua pele bem cuidada: um bom sabonete de limpeza, um creme ou sérum hidratante e o filtro solar. O protetor solar e o hidratante são os dois cosméticos antienvelhecimento mais eficazes e usá-los diariamente pode trazer uma diferença notável”. O médico considera que os produtos multifuncionais facilitam a rotina de skincare, oferecendo hidratação, antienvelhecimento e filtro solar em um só frasco. “Verifique, porém, se esse produto também oferece PPD, ou seja, a proteção contra os raios UVA”, diz ele. 

“É importante ter expectativas realistas em relação aos cosméticos”, reforça Claudia Marçal. Uma forma de escolher o produto ideal é se perguntando: o que mais me incomoda em relação ao envelhecimento da pele? “Concentrando-se em uma preocupação, como rugas ou manchas escuras, você obterá os melhores resultados. Nenhum produto pode tratar tudo ao mesmo tempo”, afirma Jardis Volpe. Para acertar na escolha, procure a ajuda de um dermatologista. Por meio da avaliação individual, ele vai customizar o tratamento – a fim de que seja o melhor possível para você.

Bichectomia: entenda o que é, os benefícios e os riscos da cirurgia

Cirurgia plástica retira a bola de Bichat (tecido gorduroso das bochechas) e deixa o rosto com aparência mais magra

bichectomia vem sendo muito procurada por quem quer ter um rosto com aparência mais magra, com mais ângulos.

A técnica em alta precisa ser recomendada e executada por profissionais como cirurgiões plásticos, craniofaciais e bucomaxilofaciais.

Também é fundamental que o procedimento ocorra em um ambiente cirúrgico que tenha condições de atender o paciente caso ocorra alguma complicação.

O que é bichectomia?
A bichectomia é uma cirurgia plástica para retirada da bola de Bichat – tecido gorduroso localizado na região interna das bochechas.

A bichectomia é uma cirurgia plástica para retirada da bola de Bichat – tecido gorduroso localizado na região interna das bochechas.

A cirurgia plástica envolve dois cortes dentro da boca, um de cada lado. O procedimento estético, que dura cerca de 30 minutos, pode ser feito com anestesia local.

“Para a realização da bichectomia, é realizado um corte de um centímetro, na região interna das bochechas, para a retirada da bola de Bichat, que é uma estrutura gordurosa presente entre dois músculos responsáveis pela mastigação. Como consequência, o rosto fica com um visual mais fino”, diz o cirurgião plástico Sérgio Morum.

A cirurgia plástica de bichectomia envolve dois cortes dentro da boca, um de cada lado
A cirurgia plástica de bichectomia envolve dois cortes dentro da boca, um de cada lado Foto: Lesly Juarez/ Unsplash

Qual é a função da bola de Bichat no organismo?
“A bola de Bichat é importante nos primeiros anos de vida, para ajudar na sucção e alimentação dos bebês. Na idade adulta, ela serve como uma estrutura gordurosa entre os músculos da face, porém com pouca função fisiológica”, explica o cirurgião plástico Henrique Lopes Arantes.

Em quais casos a bichectomia é indicada?
Segundo Arantes, a cirurgia é indicada para pacientes que possuem hipertrofia (aumento) das bolas de Bichat, que se machucam por morder a parte interna da bochecha ou que, por motivos estéticos, querem ter um rosto mais afinado.

Para que serve a bichectomia?
“A bichectomia é feita para fins estéticos. O cirurgião avalia o rosto do paciente, já que não é possível detectar a bola de Bichat por exames. Ele identifica onde está localizada a gordura, e a retira. Não é necessário realizar um segundo procedimento, visto que essa gordura é acumulada no rosto apenas uma vez”, afirma Morum.

O procedimento cirúrgico para retirar essa gordura da bochecha dura cerca de 30 minutos Foto: Jessica Oto/ Unsplash

Como é a recuperação da bichectomia?
O tempo de recuperação depende de cada paciente, mas em média dura 14 dias.

“No primeiro dia após a bichectomia, o paciente precisa cumprir uma dieta líquida fria ou gelada, e, no segundo, apenas dieta pastosa macia, como arroz e frango”, explica Morum.

Na primeira semana, é necessário evitar esforço físico, a ingestão de alimentos quentes, sucção ou uma mastigação vigorosa e abertura exagerada da boca. O inchaço pode ser mais evidente nos primeiros sete dias após a cirurgia.

Quais são os riscos da bichectomia?
Apesar de a bichectomia ser considerada simples, o cirurgião plástico Vitorio Maddarena ressalta que, como qualquer cirurgia, também existem alguns riscos.

Caso seja retirada muita gordura, o paciente pode perder a habilidade de sucção com a boca e com o passar dos anos o rosto pode ficar excessivamente fino.

“Quando a bichectomia não é feita corretamente, a longo prazo o rosto pode ficar mais caído. Mas isso é muito raro de acontecer. Se retirar apenas o excesso, o resultado será apenas a melhora estética”, afirma Maddarena.

Outro problema que pode acontecer durante a cirurgia é um corte acidental e errôneo de algum nervo ou músculo. “Isso pode levar a sérias complicações, como hematomas, perda de movimentos, com consequente rosto torto e fístula salivar, ou seja, a saída de saliva por lugares errados”, diz o cirurgião.

O cirurgião plástico Henrique Lopes Arantes comenta que também existe o perigo de ocorrer sangramento, infecção e outros problemas na cicatrização.

A bichectomia pode ser feita com anestesia local, mas precisa ocorrer em um ambiente cirúrgico Foto: Kyle Loftus/ Unsplash

Quais são as contraindicações do procedimento?
A intervenção cirúrgica é inadequada para pessoas que não têm a bola de Bichat com tamanho acima do normal. Também não é aconselhada para pacientes sem condições clínicas ideais. Arantes ressalta que não recomenda a bichectomia quando existe uma “expectativa irreal do resultado” do procedimento. [Marcia Marçal]

Kristen Stewart mistura Egito antigo e Camden Town para assistir ao desfile da Chanel

A atriz mostrou ainda que não tem regra quanto o assunto é maquiagem, combinando batom vermelho com sombra azul

Kristen Stewart no desfile de verão 2019 alta-costura da Chanel (Foto: Getty Images)

Kristen Stewart é a perfeita garota-propaganda para a Chanel: a atriz sabe, como ninguém, como injetar seu estilo em qualquer look da marca, transformando-o em algo totalmente novo e inusitado e ensinando combinações fresh para todos os gostos: ela já combinou peças da grife com camiseta básica rasgada, loafers, corrente de cadeado prateada e até All-Star.

Para assistir da fila A ao desfile de verão 2019 alta-costura da maison francesa, que ficou marcado pela ausência de Karl Lagerfeld pela primeira vez em 30 anos, a atriz mais uma vez deu seu toque punk ao visual da grife, misturando Egito com Camden Town. A bordo de um look da coleção de pre-fall da Chanel, toda inspirada no Egito Antigo (e perfeita para o Baile da Vogue 2019!), ela finalizou o styling com sapatos Dr. Martens de pegada masculina, que deixaram o styling exatamente a sua cara.

E já que o mood era de combinações inusitadas, que tal os olhos contornados por sombra azul combinados com o batom alaranjado? 

Kristen Stewart no desfile de verão 2019 alta-costura da Chanel (Foto: Getty Images)

Miss Rio de Janeiro terá primeira candidata transexual em 2019

‘Vocês sabem o quanto me dedico a representar todas as mulheres de nosso País’, afirmou Náthalie de Oliveira

Náthalie de Oliveira será candidata ao Miss Rio de Janeiro em 2019. Foto: Instagram / @nathydoll3

A modelo Náthalie de Oliveira, 24, será a primeira mulher transexual a ser candidata ao concurso Miss Rio de Janeiro, que ocorrerá no próximo sábado, 26.

A candidata da cidade de Bom Jardim publicou alguns stories em um hotel neste sábado, 19, participando de algumas etapas do concurso. Náthalie fez o anúncio em seu Instagram há alguns dias: “Se preparem porque vai ter mulher transexual no Miss Rio de Janeiro sim”.

“Vocês sabem a minha trajetória no mundo Miss e o quanto me dedico a representar todas as mulheres de nosso País. Dessa vez não será diferente, preparada e com um time estrondoso comigo.”

Em relação à sua trajetória, em seu perfil no Instagram, Nathy, como gosta de ser chamada, afirma ter vencido o concurso de Miss T Brasil e sido vice-campeã do Miss International Queen em 2016. Por fim, concluiu: “O tempo de casulo acabou, vamos voar!”

Náthalie também é youtuber. Em seu canal, que atualmente conta com quase de 15 mil inscritos, fala sobre temas como transexualidade, maquiagem e viagens.

Com trança nagô, Naomi Campbell personifica marca de cosméticos pela primeira vez

Aos 48 anos, a eterna supermodelo britânica Naomi Campbell, ícone máximo da beleza negra no mundo da moda, é o rosto de uma marca de cosméticos pela primeira vez.

naomi
Bare it all. 🙌🏽 done in Kenya 🇰🇪 #NAOMIAFRICA

O ineditismo vem acompanhado de outra novidade: sob o conceito de “Bare it all” (algo como “revele tudo”, em português), a londrina se mostra sem suas conhecidas perucas de cabelos longos e lisos para exibir um rosto emoldurado por finas tranças nagô, em uma foto feita no Quênia.

Naomi Campbell foi a primeira mulher negra a protagonizar a capa das “Vogues” francesa e norte-americana, no final da década de 80, e integrou o time das modelos mais conhecidas do mundo, ao lado de nomes como Claudia Schiffer, Linda Evangelista e Cindy Crawford. Apesar de haver chegado ao topo em sua profissão e de haver desfilado para os principais estilistas ao redor do planeta, nunca antes havia sido o rosto principal de um produto de beleza.

Em entrevistas, Naomi (também cantora e escritora) disse considerar esse paradoxo uma marca do racismo na sua carreira. Para combater essas e outras das mazelas que afetam principalmente minorias, criou há 13 anos um desfile com celebridades batizado de Fashion for Relief (“moda para ajuda humanitária”). O evento anual é a parte mais visível de uma organização sem fins lucrativos que já coordenou o envio de doações a pessoas atingidas por furacões, pelo ébola ou a campos de refugiados, por exemplo.

A preocupação em estender o prestígio das passarelas à vida real através de ações concretas cresceu a partir da amizade de duas décadas com Nelson Mandela. O ex-presidente sul-africano era “o mundo” para a modelo, segundo conta em vídeo recente do seu canal no YouTube, Being Naomi (“sendo Naomi”). [Denise Mota]

O Boticário começa a ter selo vegano em seus produtos

Segundo a marca brasileira, 30% dos itens de maquiagem já são livres de teste ou matérias-primas de origem animal
Por Gabriela Marçal

Selo estará nos cosméticos veganos Foto: Cedida pelo Boticário

Os produtos da marca O Boticário que são veganos vão começar a receber um selopara identificá-los. A sinalização será definida pela própria empresa e não possui uma certificadora externa. No entanto, a fabricante de cosméticos afirma que está seguindo padrões de organizações internacionais.

A empresa informa que não faz testes em animais e 30% do portfólio de maquiagem, que inclui as linhas Make B. e Intense, não possui ingredientes de origem animal.

“O Boticário já contava com produtos veganos em seu portfólio – o que estamos fazendo é dando mais clareza para a comunicação com o consumidor”, diz Alexandre Bouza, diretor de Marketing do Boticário.

No Brasil, mais de 900 produtos alimentícios, de limpeza doméstica e cosméticos têm o selo vegano do programa gratuito de certificação da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) – ONG sem fins lucrativos.

“Não sabemos quais critérios foram usados pelo Boticário, mas estamos muito contentes com essa movimentação para oferecer e identificar produtos veganos. É um caminho sem volta a ampliação desse mercado”, afirma Guilherme Carvalho, secretário executivo da SVB.

Apesar de ver a iniciativa da marca com “bons olhos”, Carvalho pondera que a certificação de uma instituição “terceira” traria mais “confiabilidade”. “Não é por má fé, mas existe uma infinidade de produtos e processos que envolvem animais e nem sempre as empresas têm conhecimento de todos.”

O processo de certificação da SVB chancela apenas itens que não fazem testes e não possuem componentes de origem animal – inclusive na formulação de ingredientes que não aparecem na embalagem do produto que chega ao consumidor final.

O Boticário se tornará totalmente vegano?

Sobre a possibilidade de aplicar o selo em outras marcas do Grupo Boticário – como Eudora, Quem disse Berenice?, The Beauty Box, Vult e Multi B -, a empresa explica que está buscando soluções com a área de pesquisa e desenvolvimento para aumentar gradativamente o número de produtos veganos.

O caminho para se tornar totalmente vegana segue os mesmos passos. A companhia se compromete a ampliar a oferta, mas não há um prazo estabelecido.  “Temos grandes desafios em termos de ingredientes, mas queremos evoluir a cada lançamento. Entre as estratégias, existem estudos do uso de glicerol somente de origem vegetal.”

Além do Brasil, O Boticário também está na Colômbia, Estados Unidos, Costa Rica, Guiana, Panamá, Venezuela, Suriname, Bolívia, Paraguai, Portugal, Líbano, Angola, Emirados Árabes, Moçambique e Japão.