Atores reagem à reconstrução digital de James Dean para filme

Chris Evans e Zelda Williams criticaram atitude de diretores de Finding Jack
NICOLAOS GARÓFALO

CGI James Dean estrelará novo filme 64 anos após a morte do ator

A escolha polêmica dos diretores Tati Golykh e Anton Ernst de recriar digitalmente o ator James Dean para o filme Finding Jack, adaptação do livro homônimo de Gareth Crocker que aborda o abandono de 10 mil cães militares ao fim da Guerra do Vietnã, causou revolta entre alguns profissionais de Hollywood.

Chris Evans, o ex-Capitão América do MCU, comentou a notícia ironicamente no Twitter, dizendo que Dean adoraria ser recriado em CGI e comparou a medida a usar um robô para compor uma música e creditá-la a John Lennon – leia abaixo:

Tenho certeza que ele iria adorar. Isso é horrível! Quem sabe a gente não consiga que um computador pinte um novo quadro Picasso ou componha algumas músicas novas do John Lennon. A falta de compreensão é vergonhosa

Elijah Wood, eterno Frodo Bolseiro, concordou com o colega, sendo seguido da atriz Zelda Williams, filha do lendário comediante Robin Williams, que também não escondeu o descontentamento com a tecnologia:

NÃO. Isso não deveria existir!

Eu falei sobre isso com meus amigos por ANOS e ninguém acreditou em mim quando disso que a indústria jogaria tão baixo quando a tecnologia permitisse. Golpe publicitário ou não, estão usando um morto como marionete por sua ‘influência’ e estão abrindo um terrível precedente para o futuro da atuação

Ator que fez teste para o papel que ficou com “Dean”, Devon Sawa (Premonição) também questionou a escolha. Já Julie Ann Emery (Preacher) quis se aprofundar nas diversas questões legais envolvendo a “atuação”:

É, esse não é o James Dean. É a cara dele refeita com captação de movimentos com um ator ‘anônimo’ lhe dando voz e escolhas. Quero saber como isso será creditado. Como os atores serão pagos. E o quão pouco essa equipe entende de atuação.

Em resposta à reação dos atores, Ernst se disse confuso e chateado com as declarações daqueles que afirmavam que Dean estava sendo usado apenas como uma ferramenta de marketing, afirmando que a produção trará uma nova geração de fãs para o ator, morto em um acidente automobilístico em 1955 (via The Hollywood Reporter).

A pré-produção de Finding Jack começa no próximo dia 17, com data de lançamento prevista para 11 de novembro de 2020.

Anúncios

Perfil: Quem é Jane Fonda, atriz que adotou as sextas-feiras como ‘dia para ser presa’

Dona de uma carreira impecável, ela conquistou dois prêmios Oscars enquanto protestava contra a Guerra do Vietnã; veja mais na biografia feita pelo ‘Estado’
Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

Atriz faz graça aos fotográfos após ser presa pela polícia na sexta-feira de 18 de outubro. Jane tem longo histórico de ativismo. Foto: Sarah Silbiger/ Reuters

Como hoje é sexta-feira, pode-se imaginar o que, desde cedo, está se passando na capital dos Estados Unidos. Uma senhora prepara-se para ser presa em algum momento do dia, alguém da guarnição prepara-se para prendê-la. A dama é uma famosa estrela de cinema e TV, Jane Fonda, que resolveu seguir o exemplo de uma garota sueca – Greta Thunberg – e instituiu as sextas-feiras como dia para tentar salvar o planeta.

Vestida com um casaco vermelho cintilante, ela tem protestado em frente ao Capitólio. Tem ido com amigos – Catherine KeenerRosanna ArquetteTed Danson -, ocupando as escadarias com chamamentos sobre a urgência da crise ambiental, que o presidente Donald Trump e seus epígonos ao redor do mundo insistem em minimizar.

Confiscam-lhe o celular, ela vai presa, batem a identidade. Terminam por libertá-la. Na semana que vem tem mais. Já foram quatro sextas-feiras, essa será a quinta e Jane, de 81 anos – nasceu em 1937 -, pretende continuar sendo presa até meados de janeiro, quando recomeça a produção da que está sendo anunciada como última temporada de Grace & Frankie, sua série (com Lily Tomlin) da Netflix. Para ela, a militância ecológica talvez seja uma novidade, mas não propriamente a militância. Nos anos 1960/70, Jane participou de manifestações nos campi das universidades norte-americanas. Com o então companheiro, Tom Hayden, foi ativista contra a Guerra do Vietnã. Chegou a ir a Hanói, via Paris, onde viveu com outro marido – o cineasta Roger Vadim -, para se solidarizar com os norte-vietnamitas, que sofriam ataques de napalm. Era chamada, pelo establishment militar, de Hanói Jane.

Jane Fonda
Da esquerda para a direita: Jane Fonda e Lily Tomlin durante a estreia de ‘Grace and Frankie’, série produzida pela Netflix Foto: Mario Anzuoni/ Reuters

Filha de Henry Fonda, um astro que pertencia à aristocracia de Hollywood, a mãe era uma socialite de Nova York. Não admira que tenha sido batizada como Lady Jayne. A mãe suicidou-se, e ela e o irmão, Peter Fonda – que morreu este ano -, foram enviados para internatos. O pai seguiu a rotina de casamentos e divórcios – só muitos anos mais tarde, quando Henry já estava no fim, Jane acertou os ponteiros com ele. Decidida a ser atriz, iniciou a carreira em casa – Hollywood -, mas foi para a França e se ligou a Vadim. Ele, que já iniciara o mito de Brigitte Bardot em E Deus Criou a Mulher, fez dela um mito sexual em Barbarella. Alternando Europa e EUA, Jane ganhou o primeiro Oscar – em 1972, por Klute, o Passado Condena, de Alan J. Pakula – e filmou com Jean-Luc Godard (e Yves Montand), Tout Va Bien, que foi seguido por Letter to Jane. Foi às ruas com os estudantes, apanhou da polícia protestando contra a guerra, foi chamada de antipatriótica por veteranos.

Jane Fonda
Jane Fonda virou um símbolo sexual ao interpretar uma viajante do espaço em ‘Barbarella’, filme de Roger Vadim lançado em 1968 Foto: IMDB/ Divulgação

Tudo isso faz parte de sua biografia. Ganhou outro Oscar de melhor atriz – em 1979, por Amargo Regresso, de Hal Ashby, justamente sobre a dificuldade de adaptação de veteranos da guerra. Casou-se com Ted Turner, virou garota propaganda dos benefícios das academias na busca da eterna juventude. Essa fase passou, mas agora uma outra Jane – outra? A mesma! – está de volta às ruas, e aos protestos. A causa ambiental, o aquecimento global. A série vai bem, obrigado. Grace & Frankie aborda com humor temas importantes de gênero. Como hoje é sexta, vale repetir, é dia de Jane Fonda ser presa. O tempo passa e ela não desiste do engajamento. Jane, em Hollywood, foi sempre assim. Não uma diva, uma esfinge inatingível. Uma mulher do seu tempo.

Demi Moore compara ex-marido Ashton Kutcher com seu vício em drogas

Atriz, que alcançou sucesso com os filmes ‘Ghost’ e ‘Proposta Indecente’, diz que relação com o ator a ‘sugou emocionalmente’

Demi Moore deu entrevista ao talk show Red Table Talk na última segunda-feira, 4, e comparou seu passado de dependência química com a relação de “codependência” que viveu com o ex-marido Ashton Kutcher.

“Meu vício no Ashton foi provavelmente o mais devastador. Isso realmente me sugou emocionalmente”, disse. A artista conta também que teve uma recaída com álcool drogas durante uma viagem com o ator, depois de quase 20 anos longe das substâncias. 

“Criei a ideia de que ele queria alguém com quem pudesse tomar vinho e curtir, mas ele não foi o motivo de eu ter aberto essa porta na minha vida. Eu queria ser algo que eu não era, abandonei meu controle”, revela.

Os dois ficaram casados por cerca de oito anos e se divorciaram em 2013, após Demi descobrir que havia sido traída pelo ator. O término da relação a fez ter mais uma recaída, na qual voltou a abusar de álcool e de Vicodin, remédio usado para tratar dores fortes. Em sua autobiografia intitulada Inside Out – lançada em setembro deste ano -, ela revela que quase morreu por overdose e sexo a três em sua mansão meses depois de se separar.

A dependência química fez Demi perder, na época, o vínculo com as três filhas, frutos do relacionamento com o ator Bruce Willis. “Eu nutri comigo uma narrativa de que ela não me amava. Eu acreditava nisso de verdade”, disse a caçula Tallulah Willis, de 25 anos, que acompanhou a mãe no Red Table Talk ao lado da irmã Rumer Willis, de 31.

A jovem tinha nove anos quando viu Demi tendo problemas com drogas pela primeira vez, mas hoje tem uma relação estável com a mãe. “Tenho total certeza de que ela me ama, mas naquele momento eu estava machucada”, desabafou.

Camilla, mulher do príncipe Charles cancela agenda devido a infecção pulmonar

Camilla recebeu orientação do médico após o problema de saúde se tornar ‘progressivamente pior’ nos últimos dias
ALISTAIR SMOUT – REUTERS

Príncipe Charles e sua mulher Camilla, duquesa da Cornualha, em visita ao mercado de agricultores suíços, em Londres. Foto: Eddie Mulholland/Pool/AFP

Camilla Rosemary Shand, mulher do príncipe Charles, teve de cancelar sua agenda de eventos por orientação médica devido a uma infecção pulmonar. A informação foi dada por uma porta-voz do casal real nesta quinta-feira, 7.

Aos 72 anos, a duquesa da Cornualha recebeu o conselho na noite de quarta-feira, 6, e cancelou um jantar que teria na Biblioteca de Londres.

“A duquesa da Cornualha foi orientada por seu médico a cancelar seus compromissos devido a uma infecção pulmonar que se tornou progressivamente pior ao longo dos últimos dias”, informou o comunicado.

Nesta quinta-feira, ela deveria comparecer a um serviço no Campo da Lembrança, que homenageia soldados mortos, e junto com Charles faria uma visita oficial à Nova Zelândia no dia 17 de novembro. O príncipe deve viajar sozinho à Índia em 13 de novembro.

Camilla é a segunda mulher de Charles, que se divorciou de Diana, princesa de Gales, em 1996. Diana, mãe dos príncipes William e Harry, morreu em um acidente de carro em Paris em 1997.

Selena Gomez volta ao palco do American Music Awards após dois anos

Premiação marcará primeira apresentação televisionada da cantora, que lançou em outubro ‘Lose You to Love Me’
LUDIMILA HONORATO – O ESTADO DE S.PAULO

Selena Gomez na 72ª edição do Festival de Cinema de Cannes, em maio de 2019

Selena Gomez fará sua primeira apresentação televisionada, após dois anos, no palco do American Music Awards 2019. A cantora lançou em outubro dois singles que poderão fazer parte de sua performance: Lose You to Love Me, que fãs associaram a Justin Bieber, e Look At Her Now.

A artista ficou um tempo afastada do mundo da música e, mais recentemente, das redes sociais. O último álbum dela foi Revival, de 2015.

No ano passado, Selena lançou Back to You, que faz parte da trilha sonora de 13 Reasons Why, série da Netflix, mas a música não se tornou um single, foi feita especialmente para a produção.

Mas nada de cobranças. A cantora viveu momentos complicados: em 2017, revelou ter recebido um transplante de rim devido às complicações do lúpus e no ano seguinte foi internada em um centro psiquiátrico após uma crise emocional.

Pouco antes da internação, ela havia comunicado a seus seguidores que passaria um tempo longe das redes sociais. O retorno ocorreu em janeiro deste ano, quando ela disse que 2018 havia sido um ano de autorreflexão, desafios e crescimento.

Selena Gomez no American Music Awards

Em 2014 e 2015, Selena Gomez se apresentou no evento da premiação com The Heart Wants What It Wants e Same Old Love, respectivamente. Em 2017, a cantora subiu ao palco com Wolves.

No Brasil, o American Music Awards terá transmissão ao vivo exclusiva pela TNT em 24 de novembro a partir das 22h. Com 29 categorias, os indicados ao prêmio são definidos de acordo com as maiores interações entre os fãs e a revista, o site e as redes sociais da Billboard. Além disso, são considerados dados como venda de álbuns e as músicas mais tocadas nas rádios e aplicativos de streaming.

Kristen Stewart fala sobre caso com diretor Rupert Sanders quando namorava Robert Pattinson: “Eu não transei com ele”

“Eu não diria que me apaixonei pelo diretor. Foi uma coisa meio estranha”, revelou a atriz

Photo: The Howard Stern Show

Kristen Stewart finalmente falou sobre o caso que teve com o diretor Rupert Sanders – insistindo que eles nunca fizeram sexo. A estrela de ‘As Panteras’ relembrou a situação polêmica em que se envolveu há sete anos e, segundo o portal Metro.co.uk, ela contou sua versão sobre o escândalo em entrevista ao programa do Howard Stern.

Kristen Stewart e Rupert Sanders (Foto: Getty Images)

Embora eles não tivessem oficialmente confirmado seu relacionamento na época, Kristen e o ator Robert Pattinson formavam o casal mais quente de Hollywood em 2012 – principalmente por causa da parceria nos filmes da saga ‘Crepúsculo’.

Naquele ano, a atriz também tinha acabado de aparecer em ‘Branca de Neve e O Caçador’, dirigido por Rupert Sanders – que era casado com a modelo Liberty Ross.

View image on Twitter
Rupert Sanders considera o caso com Kristen Stewart uma “recaída momentânea”

Mas os relacionamentos e a carreira de Kristen foram abalados por uma série de fotos que surgiram online, mostrando a estrela e Rupert se beijando em um carro e se abraçando em uma ponte. Sete anos depois, a atriz de 29 anos negou que o caso tivesse passado dos beijos e abraços. “Eu não transei com ele. Essa é tipo a entrevista mais sincera. Não, eu não dormi com ele”, diz a atriz. Howard pergunta por que ela não falou isso na época, e Kristen respondeu: “Bem, quem ia acreditar em mim? Isso nem importa. Parecia que… você sabe, você dá uns amassos com um cara em público, definitivamente parece que você [transou com ele]”.

A atriz ainda se disse irritada por ter sido “demitida” da sequência de 2016 do filme, ‘O Caçador e a Rainha do Gelo’, por causa disso. “Vivíamos em uma época diferente, entende o que eu quero dizer? Eu sinto que a humilhação sobre mim foi tão absurda. E eles deveriam ter me colocado naquele filme! Teria sido melhor. Não querendo ser uma idiota, mas… Eles não me colocaram naquele filme porque eu passei por um escândalo muito divulgado, e eles ficaram com medo de lidar com isso”, Kristen continuou.

“Eu não diria que me apaixonei pelo diretor. Foi uma coisa meio estranha, mas eu definitivamente acho que aquele filme… Ugh, não foi nada demais, sabe o que estou dizendo? O trabalho é muito mais importante! É tipo, por que você se importa se eu… eu apenas pensei que esse filme realmente… nós poderíamos ter feito um ótimo segundo [filme], e poderíamos ter feito isso de uma maneira funcional e saudável. No final, não fizemos, e tudo bem, porque eu fiz outras coisas e está tudo bem, mas sim, foi estranho”, disse a atriz, que está promovendo seu mais recente trabalho, ‘As Panteras’.

Ela acrescentou: “Esse foi um período realmente difícil da minha vida. Eu era muito jovem. Eu realmente não sabia como lidar com isso. Cometi alguns erros. E honestamente, não é da conta de ninguém. E as pessoas se esquecem dessa merda, entende o que eu quero dizer? Realmente não é grande coisa. Basicamente, o que estou dizendo é que o trabalho para mim foi genuinamente ignorado de uma maneira realmente frívola, tola e mesquinha. Por um grupo de pessoas adultas que deveriam estar comandando estúdios e fazendo filmes? Honestamente, a indústria cinematográfica de Hollywood é tão baseada no medo. Eu acho que eles são idiotas, porque se você correr um pouco de risco e criar algo bom, as pessoas vão assistir e gostar e pagar”, disse.

Kristen e Robert nunca confirmaram o relacionamento deles, mas a atriz se sentiu forçada a pedir desculpas depois que as fotos surgiram. Ela disse: “Sinto muito pela mágoa e pelo constrangimento que causei às pessoas próximas a mim e a todos a quem isso afetou. Essa indiscrição momentânea colocou em risco a coisa mais importante da minha vida, a pessoa que mais amo e respeito, Rob. Eu o amo, te amo, sinto muito”, declarou na época.

Até Donald Trump se envolveu no escândalo. O atual presidente americano chegou a escrever no Twitter: “Robert Pattinson não deve voltar com Kristen Stewart. Ela o traiu como um cachorro e fará de novo – apenas observe. Ele consegue fazer muito melhor!”.

Apesar de toda a polêmica, Kristen e Robert só se separaram mesmo em maio de 2013. Kristen disse a Stern: “Passamos por uma coisa e foi uma merda, mas realmente queríamos ficar juntos”. Enquanto isso, Liberty Ross, que tem dois filhos com Rupert Sanders, se divorciou do marido em 2013. Agora, Kristen está namorando a roteirista Dylan Meyer e disse que pretende se casar com ela.

Namoro de Keanu Reeves, 55, com a artista plástica Alexandra Grant de 46 causa espanto. Como assim?

Nina Lemos

Alexandra Grant e Keanu Reeves (Foto: Getty Images)

O ator e ídolo máximo da internet Keanu Reeves, de 55 anos, está namorando. Legal. Isso já seria notícia, já que ele é considerado o “crush mundial”, o cara que todo mundo queria ser (ou ter) e há 20 anos não assumia um namoro em público.

Mas o burburinho aumentou quando se soube quem era a namorada dele: uma mulher linda, artista plástica, que ele conhece há 10 anos. Mas… uma mulher de mais de 46 anos! Rufem os tambores! 

Claro, era para isso ser o normal. Afinal, a moça, a artista plástica Alexandra Grant, é nove anos mais nova que ele. E se fosse mais velha, o que teria de mais?

Mas acontece que a gente vive em uma sociedade machista em que o preconceito contra a idade grita e atinge mais as mulheres. Alguma dúvida? Provas não faltam: um ator namorando uma mulher mais nova, por exemplo, nem é notícia. Mas quando uma famosa namora um cara mais novo… tudo muda de figura!

Alexandra Grant e Keanu Reeves (Foto: Getty Images)

E, no caso de Keanu, bem, quando a gente vê um galã aparecendo com uma mulher que não é décadas mais nova? Quando a namorada tem mais de 40 (e não esconde isso, nem parece ter metade da idade?) Humm. Raríssimo!

No Twitter, enquanto o namoro de Keanu  era um dos assuntos do momento, li: “Keanu Reeves é o primeiro homem famoso da historia a a namorar uma mulher de sua faixa etária.”

Bem, claro que isso é exagero. Mas também não é completamente fora da realidade. É só dar uma olhadinha na vida amorosa dos colegas de Keanu da mesma faixa etária.

-George Clooney 58 anos, é casado com Amal Clooney, de 41 anos.

-Leonardo Di Caprio, de 44 anos, está namorando Camila Morrone, de 22.

-Johnny Depp, de 56, estaria namorando uma bailarina 30 anos mais nova.

-Hugh Grant, de 59, é casado com Ana Eberstein, de 39.

Não, não estou dizendo que essas pessoas não se amam e que não acontece de um casal com grande diferença de idade se dar mega bem. Só estou, de novo, repetindo o óbvio: a sociedade prega esse modelo. Se não fosse isso, ninguém estaria achando o que Keanu é incrível por não seguir o comum no caso dos galãs, que é, claro namorar uma menina linda e décadas mais nova. Ele quebra, sim, um tabu ao namorar uma mulher que é só um pouco mais nova.

A artista plástica Alexandra ainda comete o pecado de não pintar os cabelos e ostentar fios grisalhos. Pronto. Enquanto muitos acham o casal fofo e comemoram,  outros, inconformados, dizem que ela, na verdade, parece ser a avó dele.

Que Keanu sirva de inspiração para os seus fãs no mundo afora. E que eles se sintam livres para se apaixonar (e assumir) relacionamentos com as mulheres que bem quiserem. Afinal, mulher não é, ou não era para ser, um troféu que se exibe.

Mirem-se no exemplo de Keanu!