Britney Spears posta foto sendo carregada pelo namorado Sam Asghari na praia

Cantora ainda postou vídeo em que fala de seu verão

Britney Spears e Sam Asghari (Foto: Reprodução/Instagram)

Britney Spears usou seu Instagram, na noite de quarta-feira (14), para postar uma foto em dia de praia com o namorado, o personal trainer Sam Asghari, e ainda divulgou um vídeo falando sobre seu verão.

“Depois do meu último post, muitos amigos quiseram saber mais do meu verão. Claro! Por que não? Acho que o auge do meu verão foram dois amigos comigo na piscina e também tive duas festinhas. Foi bem divertido e, a meu ver, verão ainda está rolando”, disse Britney (assista clicando abaixo).

Recentemente Britney voltou a preocupar seguidores Isso porque eles pediram para ela usar vermelho, caso estivesse com problemas, e ela fez duas publicações seguidas falando sobre a cor.

“Vermelho em breve”, anunciou ela, em um post com a imagem de uma rosa vermelha. “Um gostinho de vermelho!!!! Obs: A primeira foto é a original!!!”, escreveu Britney, em uma sequência do mesmo clique, em que ela aparece com um top vermelho.

Esta não é a primeira vez que Brit deixa mistério sobre sua saúde mental no ar. Muitas pessoas acreditam que ela estaria totalmente debilitada durante a pandemia e seu pai, Jamie Spears, esteja controlando demais. Ele foi acusado até de tomar o celular da artista, que sofre de bipolaridade e já esteve internada em uma clínica psquiátrica em 2007. O movimento #FreeBritney (Britney livre) foi um dos assuntos mais comentados no mundo.

Britney Spears foi comparada, por seu próprio advogado, a um paciente em coma por supostamente não ter capacidade para assinar uma declaração juramentada, no longo processo sobre a tutela e conservadoria de sua fortuna, estimada em R$ 1,1 bilhão (US$ 200 milhões). De acordo com o TMZSam Ingham fez a analogia em uma nova audiência do caso.

View this post on Instagram

🌹🌹🌹

A post shared by Britney Spears (@britneyspears) on

Segundo o site, o juiz do processo começou a fazer perguntas sobre Britney querer um co-conservador de sua propriedade, para trabalhar ao lado do pai da estrela. Ele perguntou então a Sam, se Britney assinaria uma declaração para que houvesse um relato em primeira mão de como ela se sente em relação à conservadoria. [Léo Gregório]

Cher faz raríssima apresentação no Billboard Music Awards

Cantora de 74 anos apresentou premiação na edição do evento musical

Cher (Foto: Getty Images)
Cher (Foto: Getty Images)

Cher, de 74 anos de idade, uma das maiores musas da música pop, fez uma aparição pública raríssima, ainda mais se tratando de uma premiação. Isso porque ela esteve no palco do Billboard Music Awards 2020, que aconteceu na noite de quarta-feira (14).

Cher subiu ao palco para apresentar o Billboard Icon Award, prêmio especial da noite, que foi dado ao astro da música country Garth Brooks. Cher, claro, virou assunto nas redes sociais pela presença.

ma das últimas aparições públicas de Cher foi em dezembro do ano passado, antes da pandemia do novo coronavírus, quando se apresentou no Madison Square Garden, em Nova York. Já no Billboard Awards, ela esteve na edição 2017, sendo inclusive uma das atrações musicais daquela edição. [Léo Gregório]

Cher (Foto: Getty Images)
Cher (Foto: Getty Images)
Cher (Foto: Getty Images)
Cher (Foto: Getty Images)

Rebel Wilson é clicada de maiô após perder 20 kg

Atriz está curtindo dias de férias em Cabo San Lucas, no México, e foi vista com o namorado, Jacob Busch

Rebel Wilson (Foto: The Grosby Group)

Recentemente ela revelou para os fãs em seu Instagram que falta pouco para atingir a sua meta de emagrecimento. Em clique pós-caminhada, ela explicou: “Esta semana foi muito corrida, mas eu me levantei muito cedo 3 vezes (6h) e fui fazer uma caminhada … até dei algumas corridas de 100m para aumentar ainda mais a frequência cardíaca (embora meu trote seja provavelmente a ‘corrida lenta’ de outra pessoa). Mas eu me senti orgulhoso de mim mesmo e agora estou a apenas 3 kg de distância do meu peso ideal”.

Até então, no entanto, Rebel tem exibido suas novas curvas apenas com roupas mais justas. É a primeira vez que ela é clicada de maiô desde que iniciou o programa de emagrecimento.

Gal Gadot – Vanity Fair November 2020 By Dudi Hasson

Apresentando a estrela da capa de novembro: Gal Gadot! Três anos atrás, ela abalou o mundo como a Mulher Maravilha. Agora, ela está de volta (pelo menos por agora) para salvar o mundo novamente em #WonderWoman1984 .

Photographed by: Dudi Hasson Makeup by : @naorappel Hair by: @sagidahary Styled by: @noa_rennert

Lily Collins responde todas as perguntas que você gostaria de fazer sobre #EmilyInParis

Das críticas em torno dos estereótipos e clichês do roteiro aos detalhes do figurino, até com quem seu personagem deveria se relacionar
POR HAYLEY MAITLAND

Lily Collins em ‘Emily em Paris’ (Foto: Reprodução)

“Teve momentos em que você se envergonhou do comportamento de Emily, ou apenas pensou, ‘Controle-se!’?”: fizemos a Lily Collins todas as perguntas que você gostaria que fossem respondidas sobre ‘Emily em Paris‘, a nova série da Netflix, que está dividindo opiniões nas redes.

Das críticas em torno dos estereótipos e clichês do roteiro aos detalhes do figurino, até com quem seu personagem deveria se relacionar. Continue lendo. 

Como você se sentiu sobre a reação maluca à série até agora?
Sabe, é uma sensação estranha passar por esse tipo de liberação agora. Temos muita sorte de ter a Netflix porque a série está sendo lançada em todo o mundo – mas ter isso acontecendo enquanto você está em casa é surreal, para dizer o mínimo. Não é comum viajar pelo mundo para promover uma série. Eu sou uma pessoa muito social, então eu gosto desse processo – embora agora eu possa simplesmente dirigir por LA e ver alguns outdoors. Dito isso, houve muita escuridão para todos em 2020 – é ótimo fazer as pessoas rir e ajudá-las a escapar um pouco da realidade. Parece que os espectadores estão realmente gostando e se divertindo, então chegou no momento perfeito, de várias maneiras. A série não é de forma um enredo revolucionário – mas é um enredo estrangeiro que simplesmente não é possível na vida real.

Então, comecemos pelo princípio: quantos anos Emily deve ter e qual é o seu nível de experiência profissional?
Não acredito que já tenhamos dado a ela um ‘número’ específico para sua idade, mas acredito que ela acabou de sair da faculdade. Talvez este seja seu primeiro ano após a formatura. Eu quero dizer que ela tem 22 anos. Ela teve experiência suficiente em sua empresa em Chicago para ter conquistado o respeito de seu chefe. Ela é uma inteligente e realmente inovadora – e este não é seu primeiro emprego. Ela foi para a faculdade para isso e completou estágios. No entanto, ela não é a pessoa que viajou durante a faculdade e não acho que ela tenha viajado para o exterior. Basicamente, ela sempre foi um peixe grande em um pequeno lago – e de repente em Paris ela é um peixe fora d’água. Se ela tivesse ido para uma empresa diferente em Chicago, ela teria sido levada a sério – mas em Paris, ela não está preparada para a mudança cultural. Sua única experiência real na Europa é através do cinema e da TV. ”

Houve momentos em que você se envergonhou com o comportamento de Emily ou apenas pensou “controle-se!”
Há muitos pontos na série em que ela tenta se defender de forma quase proativa. A equipe do Savoir pensava que ela seria mais velha e falaria francês – mas ela só descobriu que se mudaria para Paris uma semana antes de deixar Chicago. Ela está dando o melhor de si com sete dias para se preparar, sem nunca ter estudado o idioma na vida. Então, ela fica tipo, ‘Ok, vou pular e fazer o que puder no avião – obviamente não há tempo suficiente, mas vou tentar.’ Essa é apenas sua atitude típica de fazer funcionar. Quando ela diz algo como, ‘Eu fiz Rosetta Stone [ensino de línguas]’, ela está realmente dizendo, ‘Olha, eu sei que não estou preparada, mas estou tentando!’ Sua especialidade é o gerenciamento de crises; ela é uma pessoa voltada para soluções e ela vai fazer acontecer.

O que você acha da ética de trabalho dela?
Eu amo que Emily seja assumidamente ela mesma. Ela é uma mulher romântica e voltada para o trabalho – você não precisa ser uma coisa nem outra. Ela realmente se valoriza. Ela abandona o namorado porque descobre que ele não está dando tanto pelo relacionamento quanto ela. E acho que ela também encontra valor em sua carreira. É revigorante ouvir uma mulher dizer: ‘Adoro o meu trabalho, fico feliz’. Então, por exemplo, quando Emily chega em Paris e está claramente sendo julgada por seus colegas, ela começa aulas de francês porque quer ser boa em seu trabalho. Ela está em uma cidade que é extremamente estranha para ela e é difícil – e, sim, ela provavelmente poderia entrar em um avião e ir para casa, mas isso não é quem ela é. 

Você acha que os erros de expatriados dela são realistas na série?
É engraçado porque muitas das experiências são baseadas em coisas que aconteceram com amigos de Darren [Star] (produtor de televisão) – aquela coisa classicamente americana de ir para outro país e ser realmente alienado, mas tentando abraçar o mundo. Quando cheguei em Paris para filmar, tive muitas experiências como Emily – a ponto de perguntar à equipe: ‘Você está planejando isso para tentar me dar mais empatia por ela? Eu já tenho empatia por ela! ‘ Quer dizer, o aquecimento do meu apartamento quebrou por duas semanas; Eu errei o andar do meu prédio; meu elevador parou de funcionar… Eu quase pisei no cocô de cachorro. É um clichê, mas também é um cenário fundamentalmente humano. No final das contas, é tudo sobre a atitude de Emily; ela simplesmente supera isso, e o faz com um pouco de humor.

EMILY IN PARIS (L to R) LILY COLLINS as EMILY in episode 105 of EMILY IN PARIS. Cr. CAROLE BETHUEL/NETFLIX  (Foto: CAROLE BETHUEL/NETFLIX)
EMILY IN PARIS (Foto: CAROLE BETHUEL/NETFLIX)

Como foi trabalhar com Patricia Field nos figurinos?
Incrível. Eu nunca esperei que Patricia Field fosse tão colaborativa quanto ela é porque, quer dizer, ela é Patricia Field! Quando a conheci, ela me perguntou sem rodeios: “Quem você acha que Emily é, e o que você acha que Emily usaria?” Ela me enviou todos esses PDFs e me disse para circular os designers e itens de que eu gostava e, quando cheguei a Paris, tudo estava lá, até o tipo de legging que eu disse que achava que Emily gostaria ou o tipo de laço de cabelo que ela deveria ter. Ela também me deu suas próprias roupas pessoais para usar em várias cenas. A certa altura, ela literalmente tirou a jaqueta das costas e me fez vesti-la depois que o tempo mudou de ensolarado para chuvoso durante as filmagens – e ela realmente me deu sua mochila MCM vintage para a cena em que Emily está saindo de Chicago para Paris no último minuto.

Como você projetou o visual de Emily antes de filmar?
Eu definitivamente acredito que Emily admira ícones da cultura pop como Carrie Bradshaw e Audrey Hepburn, com certeza. Estávamos vendo outros filmes e séries com garotas americanas em Paris, como ‘Funny Face’ ou os episódios de ‘Gossip Girl’ quando Blair [Waldorf] e Serena [Van der Woodsen] vão para a França. Ao mesmo tempo, Emily tinha que se sentir como Emily e não como uma versão de outra pessoa. Patricia e eu estávamos muito na mesma página sobre criar homenagens aos personagens que Emily ama, mas fazer as roupas dela. Misturamos peças de design e achados vintage; às vezes eu estava indo para o cenário e olhava para a vitrine de uma boutique e dizia, ‘Bem, aqui está minha jaqueta para a cena de amanhã. É moda acessível – mas também é uma espécie de realização de desejos, porque esta é a oportunidade de Emily se vestir bem e estar em Paris, e ela vai aproveitar isso. Eu nunca me concentrei tanto em traduzir a personalidade de um personagem para seu estilo antes, e Emily usa seu coração em sua manga, então há muitas cores, texturas e estampas diferentes em seu guarda-roupa.

E o mais importante, com quem você acha que Emily deveria terminar romanticamente?
Sabe, estou ansiosa para que Mindy se mude para o prédio de apartamentos porque acho que isso vai causar confusão. Só acho que ela vai mexer com a situação e estou imaginando noites de jogos em apartamentos ou algo assim. Eu honestamente não sei se Camille sabe sobre o que está acontecendo com Gabriel. Aquela mensagem de voz no final me surpreendeu. E é interessante porque, na série, há vários momentos em que você fica tipo, ‘Camille gosta de Emily?’ Você realmente não consegue ter uma vibração, e eu sinto que essa ambigüidade é o que mantém Emily intrigada. Acho que qualquer pessoa nessa posição seria tipo, você é meu amigo, mas agora eu tenho essa conexão romântica [com o Gabriel], e não quero te machucar, mas… Ai meu Deus! Então, quer saber, é realmente confuso. Eu sinto que a próxima temporada irá apenas criar mais drama sobre o triângulo amoroso, embora talvez Emily tenha um controle um pouco mais forte sobre a situação… Ou talvez não.”

Jane Fonda dá aula de ginástica no Zoom para famosos em prol da eleição

‘Exercite-se para votar’ foi o mote da ação, que teve participação de Katy Perry e Kerry Washington
O Globo

Jane Fonda no Zoom Foto: Reprodução

Jane Fonda está de volta à malhação mais empolgada do que nunca. Pelo menos é o que mostra a ação da ONG RegisterVote, que visa a conscientizar o cidadão americano a se cadastrar para votar (por lá, o voto não é obrigatório).

No clipe, Jane, usando um body vermelho e faixa de suor bem anos 1980, diz, “Olá classe, estamos trazendo de volta o movimento. Precisamos que você esteja em forma para a próxima corrida. Eu preciso que você seja forte. Eu preciso que você seja focado. Eu preciso que você esteja totalmente comprometido com a tarefa. Então, vamos nos preparar para exercer nosso direito de voto! ”

A estética do vídeo segue o estilo VHS de treino que ela ajudou a popularizar e contou com a presença virtual de Kerry Washington, Shaquille O’Neal, Amy Schumer, Orlando Bloom, Katy Perry, Vanessa Hudgens e Ashley Benson.

Apesar de todo mundo ser comprometido com a causa eleitoral, o vídeo traz cenas engraçadas, como a da nova mãe Katy Perry, que em vez de fazer ginástica optou por bombear leite materno e fazer um lanche em uma barra de chocolate enquanto assistia seu noivo Orlando Bloom puxar ferro.

Sharon Stone rechaça título de sex symbol: ‘Tenho 62 anos! Cresçam’

Atriz também falou que vida amorosa nos apps de relacionamento é uma comédia

Sharon Stone

Aos 62 anos, Sharon Stone diz estar cansada de ainda ocupar o imaginário popular pelo personagem femme fatale de “Instinto Selvagem”. Em entrevista à revista “Closer”, a atriz brincou que todo mundo ainda quer “ver seus seios”.

“Eu tenho 62 anos! Tipo… é sério? Cresçam”, disse ela. “É muito difícil se livrar (do título de sex symbol). Marilyn Monroe fez filmes que realmente importaram como ‘Bus Stop’, mas todo mundo espera que você seja assim (sexy) o tempo todo… Nunca achei que eu fosse sexy.”

A atriz falou ainda sobre ter entrado em aplicativos de relacionamento no ano passado, mas desistido porque ninguém acreditava que era ela:

“É uma comédia. Eu gostaria de ter continuado.”

Hilary Swank diz que ator trans seria mais adequado para papel que lhe rendeu Oscar

Atriz considera injusto que pessoas com o perfil sequer puderam competir pelo personagem

Em 1999, Hillary Swank, 46, protagonizou o longa “Meninos Não Choram”, um filme independente baseado na história real do homem transexual Brandon Teena. Embora o trabalho tenha rendido a ela seu primeiro Oscar de Melhor Atriz, a estrela considera injusto que transexuais não puderam sequer competir pelo papel.

“Naquela época, as pessoas trans não andavam pelo mundo dizendo, ‘ei, eu sou trans’. Mas vinte e um anos depois, felizmente, eles estão visíveis e podem viver suas vidas sem ninguém os apontar. Embora ainda tenhamos um longo caminho a percorrer na sua segurança e inclusão”, disse Swank em entrevista à Vanity Fair. “No momento há um grupo de atores trans que obviamente seria muito mais adequado para o papel e que deveria ter tido a oportunidade de fazer um teste para aquele filme”, pontuou.

Para a atriz, a indústria cinematográfica vem apresentando mudanças significativas. Um bom exemplo disso são as novas regras publicadas há algumas semanas pela Hollywood Film Academy. Elas determinam que a partir de 2024, os longas indicados ao Oscar de Melhor Filme terão que contar com grupos minoritários na equipe.

“Para criar mudanças e fazer as pessoas contarem histórias que representem o mundo em que vivemos, que é um mundo colorido e cheio de diferentes tipos de pessoas, é necessário estabelecer regras como essa”, diz ela, argumentando que em sua carreira quase todos os filmes contavam a história do ponto de vista de um homem branco heterosexual.

“Isso é algo que faz muito mal às pessoas que vivem neste mundo, porque elas não conseguem se ver representadas na tela de forma que se sintam vistas e ouvidas”, defendeu Swank. “No final das contas é sobre não tirar privilégios de alguns, mas expandi-los para aqueles que os reivindicam há décadas”, concluiu a atriz.

Swank começou a carreira artística aos nove anos ao participar de uma peça teatral. O primeiro longa que protagonizou no cinema foi “Karatê Kid – Uma Nova Aventura”. Desde então atuou em filmes de diversos gêneros como “P.S. Eu Te Amo”, “A Colheita do Mal” e “Menina de Ouro”, pelo qual venceu pela segunda vez o Oscar de Melhor Atriz. O trabalho mais recente da artista é na série “Away”, que estreou na Netflix em setembro.

Michelle e Barack Obama completam 28 anos de casamento e pedem que americanos votem

Há anos, o casal faz campanha durante as eleições para incentivar a população a se registrar como votante, uma vez que o voto não é obrigatório nos Estados Unidos
LUDIMILA HONORATO – O ESTADO DE S.PAULO

Michelle e Barack Obama se casaram em 1992. Foto: Lim Huey Teng/Reuters

Michelle Barack Obama completaram 28 anos de casamento neste sábado, 3, e ao compartilharem mensagem de amor e carinho em rede social, eles fizeram um pedido: que os americanos se registrem para votar nas eleições presidenciais nos Estados Unidos. Há anos, o casal faz campanha durante o período eleitoral para encorajar a população do país, onde o voto não é obrigatório.

“28 anos com esse aqui. Eu amo Barack pelo seu sorriso, seu caráter e sua compaixão. Tão grata por tê-lo como parceiro em meio a tudo que a vida atirou contra nós. E este ano, nós temos um pedido para vocês: escolha uma pessoa na sua vida que pode não votar e garanta que ela vai (…) Essa é uma mensagem de aniversário do melhor tipo. Amo você, Barack”, escreveu Michelle ao publicar uma foto dos dois.

O ex-presidente dos EUA também compartilhou uma foto do casal e fez o mesmo apelo. “Mesmo com tudo que está acontecendo, eu queria tirar um momento para dizer feliz aniversário para o amor da minha vida. Cada dia com Michelle me faz um marido melhor, um pai melhor e um ser humano melhor. Este ano, enquanto apreciamos todos os seus votos de felicidade, o que realmente adoraríamos é que cada um de vocês estenda a mão para uma pessoa em sua vida que pode não votar. Ajude-as a se registrarem. Ajude-as a fazer um plano para votar”, disse Obama.

Uma vez que o voto não é obrigatório no país, quem deseja exercer esse ato precisa se registrar como votante. A carreira de Barack Obama é marcada pela atuação nas comunidades, incentivando as pessoas a fazerem o registro e votar. Antes mesmo de ser senador e presidente dos EUA, ele participava do Projeto VOTE!, que em 1992 tinha a meta de “registrar novos eleitores de Illinois a um ritmo alucinante de 10 mil pessoas por semana”, conta Michelle no livro de memórias Minha História.

Como Michelle e Barack se conheceram

Antes de se tornar uma Obama, Michelle era Robinson e trabalhava como advogada associada júnior em um escritório de advocacia em Chicago, o Sidley & Austin. Ela foi designada para ser mentora de um jovem Barack, estudante do primeiro ano de direito, que passaria uma temporada de verão no local.

Na autobiografia, Michelle conta que ele chegou atrasado no primeiro dia, atitude que a deixava “louca”, como descreve, pois “considerava sinal de pura arrogância”. O histórico estudantil de Barack era exemplar, mas a advogada “estava cética”.

“Somente depois de mais de dez minutos que ele chegou à recepção do nosso andar, saí para encontrá-lo sentado em um sofá – o tal Barack Obama, vestindo um terno escuro ainda um pouco úmido pela chuva. Ele sorriu timidamente e pediu desculpas pelo atraso quando apertou minha mão. Tinha um sorriso largo e era mais alto e magro do que eu imaginava – um homem que claramente não era de comer muito e também parecia não ter o costume de usar roupas formais”, ela relata no livro.

Os dois eram os poucos, talvez os únicos, afro-americanos no escritório e, para Michelle, seria estranho que os dois se envolvessem amorosamente, porque traria muitos estereótipos. Além disso, um era o oposto do outro, até mesmo pela criação que cada um teve: enquanto ela vinha de uma família estruturada, ele cresceu sem a presença do pai, teve um padrasto, morou com os avós e passou por diferentes países. Enquanto ela tinha um espírito mais contido, ele era aventureiro.

Apesar das diferentes visões de mundo, inclusive sobre casamento – Michelle achava importante, mas Barack não via necessidade, os dois começaram a namorar, se casaram em 1992 e tiveram duas filhas, Malia e Sasha. A convivência fez com que eles aprendessem a lidar com as diferenças, mas não de forma romantizada. Em um momento da vida deles, chagaram a consultar um terapeuta de casal. Atualmente, os dois atuam em diferentes projetos e valorizam o poder das relações pessoais e das comunidades.