Rainhas do Crime | “Filmes feitos por mulheres não são só para mulheres”

Diretora Andrea Berloff fala sobre questões atuais abordadas em um filme de anos 70
JULIA SABBAGA

Rainhas do Crime, filme da DC/Vertigo

Em Rainhas do Crime, a adaptação cinematográfica da HQ The Kitchen, da Vertigo, três mulheres tomam o poder da máfia para conseguir pagar as contas depois da prisão de seus maridos. Marcando a estreia de Andrea Berloff (indicada ao Oscar pelo roteiro de Straight Outta Compton: A História do N.W.A) na direção, o filme pode cair na armadilha de ser chamado um “filme de mulher”, mas para Berloff, se afastar desta noção era uma prioridade. Durante uma visita ao set do filme em Nova York, o site Omelete conversou com a diretora sobre a questão.

Chamando seu projeto sempre como um “filme de gângster” em primeiro lugar, e citando referências de Martin Scorsese e O Poderoso Chefão, Berloff faz questão de esclarecer que o filme não tem medo de ser violento. Ela diz que tomou cuidado para que Rainhas do Crime não tivesse medo de retratar a frieza da Nova York dos anos 70 e espera que a energia passada de uma produção liderada principalmente por mulheres não seja entendido de modo errado. Relembrando o sucesso de Oito Mulheres e Um Segredo, Berloff falou sobre um mundo em transição, em que o protagonismo feminino está deixando de ser associado a um público só: “Nós temos que superar a ideia de que um filme protagonizado por mulheres é feito para mulheres”, ela explica, também lembrando que nomes marcantes como Domhnall GleesonCommonBill Camp e Brian d’Arcy James completam o elenco liderado por Elizabeth MossMelissa McCarthy e Tiffany Haddish: “Nós temos um elenco incrível de homens nesse filme. A gente sempre fica falando que precisamos fazer um derivado focado nos homens de Rainhas do Crime”.

Isto não quer dizer, no entanto, que o filme terá receio de lidar com questões de gênero, fazendo o esforço de falar sobre questões atuais sem escapar dos moldes dos anos 70. Questionada sobre seus principais desafios na adaptação, Berloff explicou: “Em primeiro lugar, precisava ser divertido. Se ele não entretém, ninguém vai assistir (…) Em segundo lugar, eu quis me certificar que eu estou contando uma história que tem nuances o suficiente para ser trazida para os dias de hoje”. Afinal de contas, ela conclui, o objetivo final, além de entreter, foi inspirar: “Eu espero que seja inspirador. As mulheres deveriam querer estar no poder, deveriam saber como é ter poder na sua comunidade, no seu mundo”.

O que animou a cineasta para a temática veio de um sentimento específico de explorar a ascensão das minorias, temática mais do que atual. Berloff descreve que a aventura de imaginar a dominação feminina em um cenário ou local de trabalho tão tradicionalmente masculino é um exercício intrigante, já que a união de mulheres em poder é definitivamente diferente do cenário familiar liderado pelas figuras masculinas. Em última instância, o molde que Berloff usou em Rainhas do Crime é certamente atual: “O mundo está começando a entender que se você não dá poder a certas pessoas, se você não dá chance, você não pode se surpreender quando elas quiserem derrotar o sistema”.

Rainhas do Crime estreia em 8 de agosto.

Anúncios

CINEMA I Estreias: A Última Loucura de Claire Darling, Abaixo a Gravidade, Velozes e Furiosos: Hobbs & Shaw, Os Dois Filhos de Joseph

Novo ‘Velozes e Furiosos’ e longa com Catherine Deneuve estão entre as estreias da semana

Abaixo a Gravidade
Brasil, 2017. Direção: Edgard Navarro. Com: Everaldo Pontes, Rita Carelli e Bertrand Duarte. 109 min. 16 anos.
Um homem leva uma vida solitária no interior e descobre que tem uma grave doença. Ele precisa decidir se vai para a cidade grande, em busca de tratamento, ou se espera pelo desenvolvimento natural da enfermidade. Exibido na 42ª Mostra. 

Os Dois Filhos de Joseph
Deux Fils. França/Bélgica, 2018. Direção: Félix Moati. Com: Vincent Lacoste, Benoît Poelvoorde e Mathieu Capella. 90 min. 12 anos.
Um pai e dois filhos sempre tiveram uma relação muito próxima. Mas quando o irmão mais velho começa a negligenciar a faculdade por causa de uma separação e o pai decide largar tudo para virar escritor, o mais novo passa a sentir raiva daqueles que antes eram seus modelos.

Meu Bebê
Mon Bébé. França/Bélgica, 2019. Direção: Lisa Azuelos. Com: Sandrine Kiberlain, Thaïs Alessandrin e Victor Belmondo. 87 min. 12 anos.
Mãe de três filhos, uma mulher está prestes a ver o último deles sair de casa para estudar no Canadá. Ela então percebe que cumpriu seu grande objetivo e precisa lidar com a distância dos herdeiros.

No Coração do Mundo
Brasil, 2019. Direção: Gabriel Martins e Maurílio Martins. Com: Grace Passô, Leo Pyrata e Kelly Crifer. 120 min. 16 anos.
Na periferia de Contagem, em Minas Gerais, um homem sobrevive cometendo pequenos delitos. Quando reencontra uma velha amiga, conclui que pode realizar um grande assalto, mas para isso precisa também da ajuda da namorada, que não está disposta a participar.

A Última Loucura de Claire Darling
La Dernière Folie de Claire Darling. França, 2018. Direção: Julie Bertuccelli. Com: Catherine Deneuve, Chiara Mastroianni e Alice Taglioni. 94 min. 12 anos.
Uma mulher acorda convencida de que aquele será seu último dia. Ela então decide vender todos os seus pertences, enquanto relembra momentos da vida —até que a filha que não vê há 20 anos retorna.

Velozes e Furiosos: Hobbs & Shaw
Fast & Furious Presents: Hobbs & Shaw. EUA/Reino Unido, 2019. Direção: David Leitch. Com: Dwayne Johnson, Jason Statham, Idris Elba e Vanessa Kirby. 136 min. 10 anos.
No filme que explora o universo da franquia “Velozes e Furiosos”, os agentes Luke Hobbs e Deckard Shaw precisam unir forças para combater um anarquista geneticamente modificado.

Trailer do terror ‘The Lighthouse’ traz Robert Eggers e Willem Dafoe enlouquecendo

Filme com direção de Robert Eggers tem estreia prevista para outubro

Willem Dafoe e Robert Pattinson em The Lighthouse (2019) (Foto: Divulgação)

O primeiro trailer de The Lighthousepromete que o filme será simplesmente perturbador.

Dirigido por Robert Eggers – que fez o elogiado A Bruxa (2015) –, o novo longa-metragem de terror é ambientado no século XIX, e foi feito em preto e branco. Nele, o jovem Ephraim Winslow (papel de Robert Pattinson) é contratado para ajudar Thomas Wake (interpretado por Willem Dafoe) na manutenção de um farol. Enquanto vivem sozinhos na pequena e remota ilha, os personagens escondem (e descobrem) segredos, se embebedam e, ao que tudo indica, vão à loucura.

Robert Pattinson e Willem Dafoe em The Lighthouse (Foto: Divulgação)

No trailer, também é possível perceber um toque de fantasia horripilante: um rápido take traz o que parece ser uma sereia sob a água, enquanto outro mostra Ephraim sendo estrangulado por uma espécie de polvo.

Em entrevista ao The Interview, Willem Dafoe – que recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator neste ano por No Portal da Eternidade (2018) – revelou que as gravações do filme não foram fáceis. “As condições eram tão severas que [eu e Pattinson] mal nos falávamos fora das cenas”.

Robert Pattinson também já foi confirmado como o novo ator a encarnar o Batman nos cinemas – uma decisão que não agradou muitos fãs do herói.

The Lighthouse deve estrear no Brasil em outubro. Veja o trailer abaixo:

Cena deletada de Vingadores: Ultimato confirma destino de Gamora

Entenda como isso pode afetar Guardiões da Galáxia Vol. 3
MARIANA CANHISARES

Gamora (Zoe Saldana, à esquerda) juntou-se a outros heróis femininos em “Avengers: Endgame”, mas tem um momento intrigante em uma nova cena deletada.  (Photo: MARVEL STUDIOS)

O destino de Gamora foi uma das maiores dúvidas deixadas por Vingadores: Ultimato. Afinal, ainda que o sacrifício de Tony Stark tenha transformado Thanos e todos os seus aliados em pó, a Guardiã sequer apareceu neste momento do filme. Como ela se voltou contra o Titã Louco e ajudou na vitória dos heróis, muitos fãs ficaram esperançosos de que talvez ela tivesse sobrevivido. A possibilidade pareceu ainda mais viável quando Peter Quill, já com os “Asgardianos da Galáxia”, foi mostrado investigando discretamente o paradeiro da amada. Será que ela realmente poderia voltar em Guardiões da Galáxia Vol. 3?

Nesta semana, a questão foi resolvida de vez. O USA Today divulgou uma cena deletada do longa, em que os Vingadores homenageiam o Homem de Ferro imediatamente após seu estalar de dedos. Enquanto todos são vistos chorando e se curvando, Gamora assiste à cena quieta e decide deixar o local. 

Embora o trecho não dê pistas sobre o planeta para onde ela foi, a confirmação de que a versão de 2014 da personagem está viva sugere um aspecto crucial do próximo Guardiões. Se o Senhor das Estrelas e o restante da equipe de fato reencontrarem Gamora no último filme da trilogia, eles ficarão frente a frente com uma assassina mais bruta e desconfiada do que a que Thanos matou em Vormir.

Enquanto todos eles têm numerosas lembranças da heroína e consideram-na um membro essencial da família, a filha de Thanos sequer viveu essas situações. Em Ultimato, ela avançou praticamente uma década e, portanto, não enfrentou Ronan, o Acusador, ou Ego ao lado dos seus companheiros. Mesmo a ligação emocional que tem com Nebulosa é ínfima, tendo em vista todo o contexto de competição que elas tiveram desde pequenas.

O estado emocional dela também deve estar abalado por causa da morte de Thanos. Ainda que não tivesse um ótimo relacionamento com o pai adotivo, Gamora assistiu à sua morte e o fracasso do seu plano de “salvar” o universo – que, goste ela ou não, moldou toda sua vida, desde a destruição do seu planeta natal até sua “vocação” como a mulher mais perigosa do universo. Isso tudo sem entrar no mérito da viagem no tempo, uma situação que deve causar, no mínimo, algum estranhamento para a personagem.

Quill também estará diante de uma situação confusa, mas por outras razões. Afinal, depois de sofrer pela morte de Gamora, ele de repente a encontra viva e sem sentir nada por ele – uma mudança drástica se comparado a Guerra Infinita, quando os dois finalmente se assumiram como um casal. Em meio a esse sentimento misto de rejeição e saudades, não seria absurdo especular que uma das missões do líder dos Guardiões neste terceiro filme será tentar reconquistá-la. Uma espécie de Como se Fosse a Primeira Vez versão Marvel.

Vale notar que, por enquanto, não há muitos detalhes sobre a trama de Guardiões da Galaxia Vol. 3. Segundo Chris Pratto longa é “maior, melhor, mais rápido, mais forte e mais engraçado”. Rumores, por sua vez, afirmam que a produção fará o público chorar. O que parece mais certo é que o longa, novamente dirigido por James Gunn, faça parte da fase 5 do MCUe, portanto, chegue aos cinemas apenas após 2021.

Bilheteria EUA: O Rei Leão, Era Uma Vez Em… Hollywood, Homem-Aranha: Longe de Casa, Toy Story 4, Predadores Assassinos

Era Uma Vez Em… Hollywood estreia na segunda posição

The Lion King – Foto: Disney / Divulgação

Nenhum título foi capaz de desbancar O Rei Leão da liderança da bilheteria norte-americana neste final de semana. O remake da animação clássica da Disney arrecadou US$ 75,5 milhões, um valor impressionante, mas que representa uma queda de 60% na arrecadação na semana de estreia.

O lançamento da semana, Era Uma Vez Em… Hollywood, também teve um bom desempenho no mercado americano. O nono filme do diretor Quentin Tarantino fez US$ 40,3 milhões nos mais de 3,5 mil cinemas onde foi exibido. O resultado é consideravelmente inferior ao primeiro lugar, mas na realidade esta é a maior abertura de um filme do Tarantino.

Na sua quarta semana em cartaz, Homem-Aranha: Longe de Casa garantiu a quarta colocação com uma bilheteria avaliada em US$ 12,2 milhõesToy Story 4 vem na sequência, com US$ 9,8 milhões.

Por fim, completando o Top 5 está Predadores Assassinos. Estrelado por Kaya Scodelario, o longa fez US$ 4 milhões, somando US$ 31,4 milhõesnas últimas três semanas.

Zumbilândia 2 | Sobreviventes retornam no primeiro trailer da sequência

Zombieland: Double Tap chega aos cinemas em outubro
ARTHUR ELOI

Zombieland: Double Tap, sequência de Zumbilândia, teve seu primeiro trailer completo divulgado, que mostra a volta do grupo de sobreviventes.

Além do diretor Ruben Fleischer, o longa terá o retorno do elenco original, isto é, Emma StoneWoody HarrelsonJesse Eisenberg e Abigail Breslin. Os roteiristas Paul Wernick e Rhett Reese, hoje conhecidos pelo trabalho na franquia do Deadpool, também estão de volta.

Zumbilândia 2 mostrará o quarteto enfrentando diferentes tipos de zumbis e os sobreviventes humanos, conforme eles passam por diferentes lugares, incluindo a Casa Branca. Mas, segundo a Sony, o grande desafio será lidar com as dores da sua família improvisada. 

A sequência de Zumbilândia tem estreia marcada para 11 de outubro.

Vídeo mostra processo de rejuvenescimento de Will Smith em ‘Projeto Gemini’

Longa, dirigido por Ang Lee, estreia em outubro no Brasil

O ator Will Smith em ‘Projeto Gemini’. Foto: Reprodução/Paramount Pictures

Aos 50 anos de idade, Will Smith terá a oportunidade de ‘voltar no tempo’ uns 30 anos. Isso porque o ator, protagonista de Projeto Gemini, terá seu rosto rejuvenescido para viver ele mesmo no longa.

O filme teve um featurette divulgado que revela os bastidores dos efeitos especiais e com a equipe de produção dando detalhes sobre as filmagens. 

Will Smith será Henry Brogan, um assassino de elite que é perseguido por um jovem agente que pode prever cada movimento seu. E é justamente esse personagem vivido pela versão juvenil do ator. Assim, o inimigo o conhece como ninguém.

A direção de Projeto Gemini é de Ang Lee. O filme tem estreia prevista no Brasil em 10 de outubro.

Assista ao vídeo: