MIB Internacional | Confira a descrição do trailer revelado na CCXP

MIB Internacional, o novo filme da franquia Homens de Preto, teve seu primeiro trailer divulgado na CCXP18. Veja a descrição abaixo.

MIB| Tessa Thompson – bastidores do filme

“O trailer mostra que tem um espião na MIB de Londres, e os personagens de Chris Hemsworth e a Tessa Thompson vão para a cidade investigar isso. O personagem de Chris parece ser o agente durão, e a de Tessa parece ser o cérebro. Eles mostram algumas cenas de luta e os dois trabalhando juntos. Hemsworth aparece lado a lado de Liam Neeson, atirando pra tudo quanto é lado. Emma Thompson escala a Tessa para a função. Ela apresenta as armas e a Tessa gosta dos gadgets. A prévia mostra panorâmicas de Londres, Paris e até do Rio de Janeiro”.

Além de Tessa Thompson e Chris Hemsworth, também estão no elencoRebecca Ferguson, Emma Thompson, Liam Neeson, Kumail Nanjiani, entre outros. A produção é dirigida por F. Gary Gray, de Velozes e Furiosos 8 e Straight Outta Compton: A História do N.W.A.

Homens de Preto estreia agora em 14 de junho. [Julia Sabbaga]

Anúncios

Grammy dá mais atenção às mulheres após ano marcado por reclamações

Na categoria disco, concorrem Cardi B., Brandi Carlile, H.E.R., Janelle Monáe e Kacey Musgraves

Indicados na categoria disco do ano, Cardi B., Brandi Carlile, Drake e H.E.R. (no alto, da esq. para dir.), Post Malone, Janelle Monae, Kacey Musgraves e Kendrick Lamar (a partir da esq.) – Reuters

Dos 84 troféus concedidos na edição de 2018 do Grammy, apenas 11 foram dados a mulheres. Houve queixas, muitas, e a Academia de Gravação (Recording Academy), que organiza a premiação, se mexeu.

​A principal mudança foi o aumento no número de indicados (de cinco para oito) nas quatro principais categorias: disco do ano, artista revelação, canção e gravação —o prêmio de gravação vai para o intérprete e pode ser dado a uma música que não seja inédita; o de canção vai para o compositor e a faixa tem de ser necessariamente nova.

As indicações divulgadas nesta sexta (7) mostram que a alteração funcionou. Em disco, por exemplo, concorrem Cardi B., Brandi Carlile, H.E.R., Janelle Monáe e Kacey Musgraves (os outros são Post Malone, Drake e Kendrick Lamar, este pelo álbum do filme “Pantera Negra”).

Se o Grammy quiser premiar pela qualidade da obra, o troféu ficará entre Janelle Monáe e Cardi B.

Já em canção do ano, entraram Ella Mai, Brandi Carlile e Lady Gaga(com Bradley Cooper, por “Shallow”, do filme “Nasce uma Estrela”). Em gravação, estão Brandi Carlile, Cardi B., Lady Gaga e SZA (esta ao lado de Kendrick Lamar).

É um Grammy, também, que tenta fugir da mesmice. Brandi Carlile e Kacey Musgraves são cantoras country; H.E.R. é uma jovem (e talentosa) que faz um R&B estiloso e Cadi B. dominou o tradicionalmente masculino rap norte-americano neste ano.

Nomes como Taylor SwiftKanye West Ariana Grande, por exemplo, ficaram relegados a categorias menos importantes. Em artista revelação, as mulheres também tomam conta: com as irmãs Chloe x Halle, H.E.R., a inglesa Dua Lipa, a country Margo Price, a pop Bebe Rexha e Jorja Smith, que lançou um elogiado disco na linha R&B.

Elas disputam com Luke Combs e Greta van Fleet, esta última uma espécie de banda de gente que tenta imitar o Led Zeppelin no Guitar Hero.

Uma das categorias mais diversas e equilibradas deste Grammy é a de performance pop solo. Estão concorrendo de Beck (por “Colors”) ao rapper meloso Post Malone (“Better Now”), passando por Ariana Grande (“God Is a Woman”), Camila Cabello (“Havana”) e Lady Gaga (“Joane”).

Taylor Swift, que em 2016 recebeu sete indicações para o disco “1989” (que inclusive ganhou como álbum do ano), agora disputa apenas em álbum pop vocal, por “Reputation”. Ela tem a companhia de Camila Cabello (“Camila”), Kelly Clarkson (“Meaning of Life”), Ariana Grande (“Sweetener”), Shawn Mendes (“Shawn Mendes”) e Pink (“Beautiful Trauma”).

O Grammy, sendo Grammy, ainda vê a necessidade da existência da categoria música alternativa. E concorrem para disco de música alternativa nomes nada alternativos como Arctic Monkeys, David Byrne, St. Vincent, Beck e Bjork.

Dentro do universo rap, Cardi B. é favorita em álbum por “Invasion of Privacy”. Mas estão na disputa bons discos, como “Daytona”, de Pusha T, “Astroworld”, de Travis Scott, “Swimming”, de Mac Miller (morto recentemente), e “Victory Lap”, de Nipsey Hussle.

Cardi B. está ainda em performance solo de rap, por “Be Careful”. Com ela, concorrem Drake, por “Nice for What”, Kendrick Lamar, Jay Rock, Future e James Blake, por “King’s Dead”, Anderson Paak, por “Bubblin”, e Travis Scott, Drake, Big Hawk e Swae Lee, por “Sicko Mode”.

O troféu de melhor disco de rock ficará entre Alice in Chains, por “Rainier Frog”, Fall Out Boy, por “Mania”, Ghost, por “Prequelle”, Greta van Fleet, por “From the Fires”, e Weezer, por “Pacific Daydream”.

A premiação será realizada em 10 de fevereiro no ginásio Staples Center, em Los Angeles. Os artistas que vão se apresentar ao vivo na noite ainda não foram anunciados. [Thiago Ney]

Warner Bros. está desenvolvendo filme do Homem-Borracha, da DC

Warner Bros. está desenvolvendo um filme-solo para o Homem-Borracha, personagem dos quadrinhos da DC. A informação é do Deadline.

O personagem foi originalmente criado por Jack Cole para a Quality Comics, que tornou-se propriedade da DC. Nos quadrinhos, o Homem-Borracha é Patrick ‘Eel’ O’Brien, um criminoso que é atingido por produtos químicos durante um roubo, possibilitando que ele estique todas as partes de seu corpo.

Ainda não há detalhes sobre o projeto, que está em fases iniciais de desenvolvimento. [Arthur Eloi]

Jodie Whittaker confirma participação na 12ª temporada de ‘Doctor Who’

Atriz foi a primeira doutora mulher na série britânica

Jodie Whittaker foi a primeira doutora mulher em ‘Doctor Who’

A primeira doutora mulher de Doctor Who está confirmada para mais uma temporada da série de ficção científica. “Tem sido uma jornada extraordinária até então e eu não estou pronta para deixá-la ainda”, revelou a atriz Jodie Whittaker ao site The Hollywood Reporter.

Jodie Whittaker foi a primeira mulher a assumir o papel de ‘Senhora do Tempo’ ao longo dos 55 anos da série britânica. Com a estreia da 11ª temporada, em outubro deste ano, a atriz obteve a audiência mais alta da história do seriado, superando a visibilidade dos ‘doutores’ dos anos anteriores. O último episódio vai ao ar no próximo domingo, 9, e retorna para um especial de ano-novo em 1º de janeiro. A 12ª temporada ainda não tem data de estreia revelada, mas a expectativa é de que as gravações comecem no início de 2019.

Globo de Ouro 2019; veja a lista de indicados

Premiação anunciou uma nova categoria especial para produções de TV

Estátuas do Globo de Ouro montadas no palco do anúncio dos indicados, no hotel Beverly Hilton, em Beverly Hills Foto: Chris Pizzello/Invision/AP

Foram anunciados nesta quinta-feira, 6, os indicados ao Globo de Ouro 2019Vice, filme escrito e dirigido por Adam McKay, parte como o grande favorito da 76.ª edição do prêmio, com seis indicações. A Favorita, Green Book e Nasce Uma Estrela têm cada um cinco indicações.

Os indicados foram anunciados no hotel Beverly Hilton, em Los Angeles. A cerimônia de premiação ocorre no dia 6 de janeiro, também na Califórnia. Os apresentadores do ano serão Sandra Oh e Andy Samberg.

O Globo de Ouro anunciou uma nova categoria especial para produções de TV, equivalente ao Cecil B. DeMille Award, entregue para profissionais do cinema anualmente. O prêmio é entregue pela Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood (HFPA).

Melhor filme — drama
Black Panther
BlacKkKlansman
Bohemian Rhapsody
If Beale Street Could Talk
A Star Is Born

Melhor filme — comédia ou musical
Crazy Rich Asians
The Favourite
Green Book
Mary Poppins Returns
Vice

Melhor roteiro (cinema)
Barry Jenkins (“If Beale Street Could Talk”)
Adam McKay (“Vice”)
Alfonso Cuaron (“Roma”)
Deborah Davis e Tony McNamara (“The Favourite”)
Peter Farrelly, Nick Vallelonga, Brian Currie (“Green Book”)

Melhor filme estrangeiro
Capernaum
Girl
Never Look Away
Roma
Shoplifters

Melhor animação
Os Incríveis 2
Ilha dos Cachorros
Mirai
Wifi Ralph
Spider-Man: Into the Spider-Verse

Melhor atriz em filme de drama
Glenn Close
Lady Gaga
Nicole Kidman
Melissa McCarthy
Rosamund Pike

Melhor ator em filme de drama
Bradley Cooper
Willem Dafoe
Lucas Hedges
Rami Malek
John David Washington

Melhor atriz em filme de comédia ou musical
Emily Blunt
Olivia Colman
Elsie Fisher
Charlize Theron
Constance Wu

Melhor ator em filme de comédia ou musical
Christian Bale
Lin-Manuel Miranda
Viggo Mortensen
Robert Redford
John C. Reilly

Melhor atriz coadjuvante (cinema)
Amy Adams
Claire Foy
Regina King
Emma Stone
Rachel Weiss

Melhor ator coadjuvante (cinema)
Mahershala Ali
Timothee Chalamet
Richard E. Grant
Sam Rockwell
Adam Driver

Melhor diretor (cinema)
Bradley Cooper
Alfonso Cuaron
Peter Farrelly
Spike Lee
Adam McKay

Melhor trilha sonora (cinema)
A Quiet Place
Isle Of Dogs
Black Panther
First Man
Mary Poppins Returns

Melhor canção original (cinema)
“All The Stars,” Black Panther
“Girl in the Movies,” Dumplin’
“Requiem For A Private War,” A Private War
Revelation, Boy Erased
“Shallow,” A Star Is Born

TELEVISÃO
Melhor série de drama

The Americans
Bodyguard
Homecoming
Killing Eve
Pose

Melhor atriz em série de TV — drama
Caitriona Balfe
Elisabeth Moss
Sandra Oh
Julia Roberts
Keri Russell

Melhor ator em série de TV — drama
Jason Bateman
Stephan James
Richard Madden
Billy Porter
Matthew Rhys

Melhor série de comédia
Barry
The Good Place
Kidding
The Kominsky Method
The Marvelous Mrs. Maisel

Melhor atriz em série de comédia ou musical
Rachel Brosnahan, The Marvelous Mrs. Maisel (Amazon)
Alison Brie, GLOW (Netflix)
Kristen Bell, The Good Place (NBC)
Debra Messing, Will & Grace (NBC)
Candice Bergen, Murphy Brown (CBS)

Melhor ator em série de comédia ou musical
Bill Hader, Barry (HBO)
Donald Glover, Atlanta (FX)
Jim Carrey, Kidding (Showtime)
Michael Douglas, The Kominsky Method (Netflix)
Sacha Baron Cohen, Who Is America (Showtime)

Melhor série limitada de TV
The Alienist
The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story
Escape at Dannemora
Sharp Objects
A Very English Scandal

Melhor atriz de série limitada de TV
Amy Adams, Sharp Objects (HBO)
Patricia Arquette, Escape at Dannemora (Showtime)
Laura Dern, The Tale (HBO)
Regina King, Seven Seconds (Netflix)
Connie Britton, Dirty John (Bravo)

Melhor ator em série limitada ou filme para TV
Antonio Banderas, “Genius: Picasso”
Daniel Bruhl, “The Alieniest”
Darren Criss, “The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story”
Benedict Cumberbatch, “Patrick Melrose”
Hugh Grant, “A Very English Scandal”

Melhor atriz coadjuvante em série de TV
Patricia Clarkson, “Sharp Objects” (HBO)
Thandie Newton, “Westworld” (HBO)
Penelope Cruz, “The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story” (FX)
Alex Borstein, “The Marvelous Mrs. Maisel” (Amazon)
Yvonne Strahovski, “The Handmaid’s Tale” (Hulu)

Melhor ator coadjuvante em série de TV
Alan Arkin
Kieran Culkin
Edgar Ramirez
Ben Whishaw
Henry Winkler

Yoko Ono levou John Lennon a se viciar em heroína, diz nova biografia

De acordo com o livro “Being John Lennon: A Restless Life”, o relacionamento do músico e da artista plástica começou após uma perseguição da arista ao Beatle

Casamento Em 20 de março de 1969, o beatle John Lennon casa-se com a artista plástica japonesa Yoko Ono, deixando a ex-esposa Cynthia Powell e o primeiro filho, Julian.

Yoko Ono apresentou a John Lennon a heróina. É o que revelou o escritor Ray Connolly no livro Being John Lennon: A Restless Life. De acordo com trechos da biografia, reproduzidos pelo Daily Mail, o relacionamento do músico e da artista plástica começou após uma perseguição da arista ao Beatle. 

Inicialmente, Yoko queria que o roqueiro milionário fosse patrocinador de um dos eventos de sua galeria de arte em Londres.  Por isso, o seguiu a todos os lugares e enviou diversas cartas.  Assim acabou atraindo a atenção de Lennon, mas irritando seus colegas de banda.

Yoko entrou na vida do Beatle quando ele estava procurando por um renascimento espirital. Mas, segundo Mimi, tia de John, a artista apresentou ao roqueiro a heroína, droga que ele passou a usar com frequência.

A biografia contou ainda que casos de adultério, algumas vezes com consentimento de Yoko, marcaram o relacionamento do casal. A artista chegou a convencer May Pang, uma jovem que trabalhava para o casal em seu apartamento, a se relacionar com Lennon.

CINEMA I Estreias da Semana: O Beijo no Asfalto, O Chamado do Mal, Maria Callas, O Ódio que Você Semeia, Rasga Coração

Adaptações do teatro, ‘O Beijo no Asfalto’ e ‘Rasga Coração’ são destaques entre as estreiasS

O Ódio que Você Semeia” acredita que o amor vence o preconceito

O Beijo no Asfalto
Brasil, 2018. Direção: Murilo Benício. Com: Fernanda Montenegro, Lázaro Ramos e Débora Falabella. 98 min. 14 anos.
Misturando linguagem teatral e cinematográfica, o longa é uma adaptação da obra homônima de Nelson Rodrigues (1912-1980) e tem direção de Murilo Benício. A trama é desencadeada por um atropelamento: a vítima, em seus últimos segundos de vida, pede para um desconhecido beijá-lo. A cena é fotografada por um repórter sensacionalista e logo ganha proporções gigantescas, escancarando o preconceito da sociedade. Fernanda Montenegro, Lázaro Ramos, Débora Falabella e Stênio Garcia protagonizam as cenas, que incluem leituras de roteiro e bastidores.

O Chamado do Mal
Malicious. EUA, 2018. Direção: Michael Winnick. Com: Bojana Novakovic, Josh Stewart e Delroy Lindo. 92 min. 14 anos.
Um casal se muda para uma casa nova, isolada da cidade. Certa noite, a esposa, grávida, fica sozinha no local e acaba sofrendo um aborto em circunstâncias misteriosas. Depois disso, entidades sobrenaturais passam a assombrá-los.

Henfil
Brasil, 2017. Direção: Angela Zoé. 75 min. 12 anos.
Um dos principais cartunistas do país, Henfil (1944-1988) tem sua história narrada no documentário de Angela Zoé. Seu ativismo político e até mesmo a morte prematura devido a complicações da Aids são abordados no longa, que também mostra como um grupo de jovens artistas reinterpretam sua obra nos dias atuais. Exibido na 41ª Mostra.

Maria Callas – Em Suas Próprias Palavras
Maria by Callas. França, 2017. Direção: Tom Volf. 113 min. 14 anos.
O documentário apresenta a vida pessoal e a carreira da cantora de ópera Maria Callas (1923-1977), considerada um dos maiores nomes do canto lírico do século 20.

A Mata Negra
Brasil, 2018. Diretor: Rodrigo Aragão. Com: Carol Aragão, Jackson Antunes e Clarissa Pinheiro. 98 min. 16 anos.
O filme de terror acompanha uma garota que encontra um livro de feitiçaria em uma floresta no interior do Espírito Santo. Mas, além de dar poder a quem o possui, o objeto é portador de uma magia sombria e perigosa.

Meu Tricolor de Aço
Direção: Glauber Filho, Tibico Brasil e Valdo Siqueira. 71 min. Livre.
O documentário conta a história do Fortaleza Esporte Clube, que completa um século em 2018. Por meio de depoimentos, dirigentes, empresários, jogadores e torcedores ajudam a contar a trajetória do time de futebol cearense.

O Ódio que Você Semeia
The Hate U Give. EUA, 2018. Direção: George Tillman Jr. Com: Amandla Stenberg, Regina Hall e Russell Hornsby. 133 min. 14 anos.
Exibido no Festival de Toronto em setembro, o longa dirigido por George Tillman Jr. discute racismo e violência policial a partir da perspectiva de uma adolescente. Baseada no livro homônimo da americana Angie Thomas, a trama acompanha uma jovem negra que testemunha o assassinato de um amigo durante uma abordagem policial. O fato incita os moradores de sua vizinhança a se rebelarem contra a opressão e a desigualdade que sofrem. Exibido no Festival de Toronto.

Rasga Coração
Brasil, 2018. Direção: Jorge Furtado. Com: Marco Ricca, Drica Moraes, Chay Suede, George Sauma, João Pedro Zappa e Luisa Arraes. 115 min. 14 anos.
“O Beijo no Asfalto” não é a única obra teatral que vira filme nesta semana. Escrita por Oduvaldo Vianna Filho (1936-1974) durante a ditadura militar, “Rasga Coração” acompanha um militante que lutou, durante toda a vida, por causas de esquerda. Ao ser confrontado pelo filho, percebe que talvez esteja ficando conservador. Na adaptação, dirigida por Jorge Furtado, a trama é transportada para os dias atuais e o papel principal fica a cargo de Marco Ricca. O filme foi exibido na 42ª Mostra.

Tinta Bruta
Brasil, 2018. Direção: Filipe Matzembacher e Marcio Reolon. Com: Shico Menegat, Bruno Fernandes e Guega Peixoto. 113 min. 18 anos.
A dupla por trás de “Beira-Mar” (2015) se debruça novamente sobre o universo gay para narrar a história de uma rapaz tímido, mas que se liberta durante performances transmitidas pela internet. Coberto de tinta néon, ele faz do erotismo seu ganha-pão. O longa venceu o Teddy Award (um dos principais prêmios do cinema LGBT) no Festival de Berlim e arrematou quatro troféus no Festival do Rio, incluindo o de melhor filme. O filme foi exibido na 42ª Mostra.

A Vida em Si
Life Itself. Estados Unidos, 2018. Direção: Dan Fogelman. Com: Oscar Isaac, Olivia Wilde e Annette Bening. 118 min. 16 anos.
Do criador da série “This Is Us”, o longa é uma coletânea de histórias que refletem sobre amor e perda em diferentes épocas e locais —todas conectadas por um único evento.