Categoria: decoração

Cozinha preta e iluminação cênica são detalhes que dão sofisticação a apartamento de solteiro

xmd2017_04_06-154614.jpg.pagespeed.ic.tz5nSnv3EwOs armários da cozinha aberta são em melamima na cor preta com eletrodomésticos embutidos, em aço – Marcelo Donadussi / Divulgação


RIO – Um piloto de companhia aérea solteiro queria reformar seu imóvel, dos anos 80, que fica no bairro Bom Fim, em Porto Alegre. A arquiteta gaúcha Bibiana Menegaz buscou, então, dar uma linguagem contemporânea aos 130m2 do apartamento, sem exageros, com uma atmosfera minimalista, adequado ao estilo de vida urbano e aconchegante que o morador sonhava.

Quando está em terra, o cliente gosta muito de receber amigos. Integrar os ambientes era um pedido fundamental. O apartamento, originalmente, tinha três quartos, e os ambientes eram muito compartimentados. Bibiana, que estudou em Milão e atua bastante na área hoteleira, teve total liberdade para criar. Uma das primeiras providências, além da reforma da parte elétrica e hidráulica, foi derrubar a parede da cozinha e ampliar o living, ficando a parte social totalmente aberta. Os três banheiros agora são apenas dois, já que um deles foi demolido para que a cozinha fosse ampliada. Durante a obra, surgiram pilares e vigas que também “entraram na dança” e, pintados de cinza, cor predominante do apartamento, fazem parte dos ambientes.

– Priorizando a funcionalidade, o living, a sala de jantar e a cozinha ficaram sem divisórias, tendo apenas uma ilha separando o preparo das refeições dos demais ambientes, e o forro de gesso e a luminotécnica setorizando os espaços – conta a arquiteta, que mandou instalar entre as vigas do teto diferentes tipos de forros, que parecem flutuar: – As luzes são comandadas por interruptores normais, mas foram pensadas para criar diferentes climas e atmosferas. [Suzete Aché]

A cor favorita do mundo em sua casa

chart_largeQuando o assunto é cor, as opiniões são diversas. Mas você sabia que existe uma cor que é considerada a preferência de quase a metade da população mundial? Esta cor é o azul.

Em 2015, o YouGov realizou uma pesquisa em 10 países de 4 continentes e chegou à conclusão de que a cor azul é a mais popular em todos os lugares – inclusive na China, onde as cores como vermelho, verde e amarelo são consideradas prósperas e dão sorte.

Por ser uma cor que simboliza a paz, tranquilidade, confiança e fé, o azul tem o poder de acalmar e relaxar as pessoas. Além disso, atualmente, a cor está sendo muito utilizada em diversos projetos de arquitetura e design de interiores – e não se limita apenas a quartos de bebês não, viu?

Por isso, selecionamos aqui várias referências para você se inspirar e apostar nessa cor para alegrar sua casa! Confira:

1 – Nas paredes
Sejam pintadas, com azulejos, papeis de parede ou outros revestimentos, as paredes em azul vão muito bem em qualquer espaço. Só fique atento ao tom que irá utilizar no ambiente escolhido – não há uma regra específica, porém o projeto num todo deve proporcionar um equilíbrio entre a cor da parede e a decoração.

2 – Nos móveis
Apostar em móveis na cor azul pode dar um upgrade naquele ambiente mais sóbrio. Se está afim de um toque especial na sua sala, que tal um sofá ou uma poltrona azul? Na cozinha, a cor pode divertir e dar mais vida ao espaço, dependendo do tom escolhido.

Veja uma referência de “Blue Kitchen” por Luiza Bottino.

3 – Na decoração
Outra dica é dar uma chance para luminárias, almofadas, tapetes, vasos, quadros, entre outros objetos de decoração azuis. A cor dá um charme quando combinada com outras cores e alegra qualquer ambiente.

E você, já tem algum ambiente como esses em sua casa? Conta pra gente!
Aos que ainda não aderiram à tendência, tome esta boa dose de inspiração e aposte no azul sem medo de ser feliz! [Isabela Dias]

7 inspirações da nova tendência de decoração de banheiros

DIETER-VANDER-VELPEN-ARCHITECTS.jpgSe você está em busca de ideias nada tradicionais para um novo banheiro, precisa ficar de olho nessa aqui: metais e detalhes na cor preta. Os chuveiros, torneiras, porta-toalhas, esquadrias, entre outros acessórios metalizados, dão vez para o preto, que entra em cena garantindo um visual muito mais moderno no ambiente.

A  pegada industrial dos metais pretos ganha força com outra tendência fora do comum: o box com esquadria. Os blindex ficam muito mais charmosos com este detalhe que antes era mais comum de ser visto em áreas externas da casa, mas porque não trazê-lo para os banheiros? Para arrematar, use e abuse da tendência também nas molduras de espelhos, porta-shampoos, luminárias e outros acessórios. O resultado fica incrível!

Dica Arkpad: se deseja um conceito mais clean e elegante em seu banheiro, além de apostar na esquadria e metais pretos, invista num revestimento em mármore branco, tanto nas paredes, quanto na pia. Este material nobre vai deixar o ambiente mais fresco e com certeza mais bonito. [Isabela Dias]

Apartamento de 350 m² tem decoração despojada e muito branco

sala-branca-com-tapete-azul-escuro-ap_marina_e_pablo_-_ar-2
Sala de estar | A poltrona amarela, de Naoto Fukasawa para B&B Italia, destaca-se no ambiente. As poltronas à frente, de Erwan e Ronan Bouroullec para Cappellini, e o sofá da esq. vieram da Micasa; o da dir. e a mesa de centro são do estudiobola. A luminária de chão, da Diesel para Foscarini, é da Lumini. O tapete é um pedaço de carpete da Avanti, com acabamento (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)

Assim que o filho Leon nasceu, há cinco anos, a paulistana Marina Acayaba e o argentino Juan Pablo Rosenberg, ambos arquitetos, resolveram se mudar porque o apartamento onde moravam, de 150 m², tinha apenas um quarto. A família foi para um apê com o dobro de área, no 12° andar de um edifício nos Jardins, em São Paulo. Hoje, aquele menino saltita pelos 300 m² com energia, acompanhado da irmã, Eva, de 3 anos. Pode-se dizer que a alegria infantil traz bom astral à casa, mas não é só. “Acho que uma marca daqui é o despojamento”, diz a proprietária, de 35 anos.

Além dos espaços generosos – pouco alterados em uma reforma para ajustar o layout às necessidades dos moradores –, outro aspecto importante é a abundante luz natural. Ela atravessa os janelões e banha a área social toda pintada de branco e com parquet original. Através das vidraças também se observa uma grande massa verde, que evoca um parque. “A paisagem é tão linda que só recentemente colocamos cortinas”, conta Marina. Só agora, passado tanto tempo, os moradores consideram seu território “mais ou menos” pronto.

Ao entrar no imóvel, a partir do vazio do hall de entrada e distribuição, vê-se, à frente, um pórtico para o living retangular. O elemento está incorporado a uma estante branca que se estende desde a sala de estar até a de jantar. Feito de finas chapas metálicas, soldadas in loco, esse móvel sob medida tornou-se uma das marcas registradas do escritório AR Arquitetos, fundado por Marina e Juan Pablo em 2008. Seu visual preciso e refinado contrasta com duas paredes descascadas nos ambientes sociais, cada qual simetricamente posicionada, que deixam os tijolos aparentes e trazem um jeito de casa. “É um efeito high-low”, aponta o portenho, de 41 anos.

Os espaços de receber expõem design contemporâneo, lembranças de família e de viagem, além de arte. Um trabalho de Luiz Paulo Baravelli, por exemplo, pertencia aos pais da proprietária. “Para obter essa configuração, levou um tempo, tudo foi pouco a pouco incorporado”, conta Marina. “Chegamos até a comprar peças importantes que não caíram bem, e depois as vendemos via internet”, diverte-se ela.

Se o branco domina as paredes do hall, do living, da cozinha e do escritório, há espaço para mais cores na área íntima. O quarto dos meninos, que usam um só banheiro, ganhou uma parede vermelha; e o de brincadeiras, uma azul. “Poderíamos ter feito uma suíte para cada um deles, mas preferimos que convivam e aprendam a dividir”, comenta Juan Pablo. Já a suíte do casal exibe um tom de cinza atrás da cama, em harmonia com o escuro da imbuia empregada no mobiliário de linhas retas também assinado pela dupla.

Família. O pequeno Leon, Eva e, ao fundo, Juan Pablo com Marina reúnem-se no living. Na parede, a tela em tom de amarelo é de Luiz Paulo Baravelli, ao lado de trabalho de Eduardo Climachauska (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)Família | O pequeno Leon, Eva e, ao fundo, Juan Pablo com Marina reúnem-se no living. Na parede, a tela em tom de amarelo é de Luiz Paulo Baravelli, ao lado de trabalho de Eduardo Climachauska (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)
Living. A derrubada de paredes deixou uma viga exposta. Sob ela, fica a extensa estante metálica desenhada pelos arquitetos. À dir. do sofá da Micasa, com almofadas da Codex Home, há o carrinho-bar, criado por Renata Puglia e equipe, da Marcenaria Baraúna (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)Living | A derrubada de paredes deixou uma viga exposta. Sob ela, fica a extensa estante metálica desenhada pelos arquitetos. À dir. do sofá da Micasa, com almofadas da Codex Home, há o carrinho-bar, criado por Renata Puglia e equipe, da Marcenaria Baraúna. O piso de parquet é original do apartamento  (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)
Hall de entrada. Quem entra no apê vê o pórtico integrado a uma estante metálica que dá no living. A poltrona junto à janela é de Carlos Motta (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)Hall de entrada | Quem entra no apê vê o pórtico integrado a uma estante metálica que dá no living. A poltrona junto à janela é de Carlos Motta (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)
Sala de jantar. Pendentes italianos da Lumini ficam acima da mesa de pequi, elaborada pelos arquitetos, com vaso branco da LS Selection. As cadeiras são do estudiobola. Na parede, tela de Sean Quinn e uma composição de pratos (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)Sala de jantar | Pendentes italianos da Lumini ficam acima da mesa de pequi, elaborada pelos arquitetos, com vaso branco da LS Selection. As cadeiras são do estudiobola. Na parede, tela de Sean Quinn e uma composição de pratos: um trazido do México, outro de Portugal e mais dois da coleção de Brunno Jahara para a Vista Alegre (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)
Escritório À esq. do hall de entrada, o ambiente exibe Marina sentada na poltrona criada por Eero Saarinen, na Artesian, junto do tapete geométrico da By Kamy. A mesa lateral é da Desmobilia, e a luminária de chão, da Reka (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)Escritório | À esq. do hall de entrada, o ambiente exibe Marina sentada na poltrona criada por Eero Saarinen, na Artesian, junto do tapete geométrico da By Kamy. A mesa lateral é da Desmobilia, e a luminária de chão, da Reka. Na parede, há a tela de Guilherme Portela, na Galeria Sancovsky (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)
Cozinha. À dir. do hall de entrada, fica o ambiente, onde um grande balcão com tampo de nanoglass, da Galleria della Pietra, compõe um canto de refeições, bastante usado, além de acoplar fogão e pia. Cadeiras da Fernando Jaeger Atelier e pendentes da Reka (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)Cozinha | À dir. do hall de entrada, fica o ambiente, onde um grande balcão com tampo de nanoglass, da Galleria della Pietra, compõe um canto de refeições, bastante usado, além de acoplar fogão e pia. Cadeiras da Fernando Jaeger Atelier e pendentes da Reka. O piso é de ardósia preta (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)
Quarto de brinquedos. Leon e Eva brincam sobre o tapete da Punto e Filo no cômodo que tem uma das paredes pintadas de azul (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)Quarto de brinquedos | Leon e Eva brincam sobre o tapete da Punto e Filo no cômodo que tem uma das paredes pintadas de azul. A estante é da Oppa, e o móvel abaixo da janela foi criado pelos arquitetos (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)
Poderíamos ter feito uma suíte para cada uma das crianças. Mas preferimos que convivam e aprendam a dividir.”
Quarto das crianças. Os filhos do casal dividem o mesmo dormitório, onde uma das paredes foi pintada em um tom de vermelho. Entre as camas há um pequeno móvel desenhado pelos arquitetos. Na parede, destaque para o bordado redondo (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)Quarto das crianças | Os filhos do casal dividem o mesmo dormitório, onde uma das paredes foi pintada em um tom de vermelho. Entre as camas da Tok & Stok, há um pequeno móvel desenhado pelos arquitetos. Na parede, destaque para o bordado redondo, produzido por Paula Izzo, e para a foto feita por Maíra Acayaba. Tapete da By Kamy (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)
Banheiro das crianças. Um gabinete todo de madeira pintado de epóxi branco acopla as duas pias da Deca, entre as quais há um encanamento exposto, tingido de amarelo. O piso é de pastilhas Jatobá, e a iluminação, da Reka (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)Banheiro das crianças | Um gabinete todo de madeira pintado de epóxi branco acopla as duas pias da Deca, entre as quais há um encanamento exposto, tingido de amarelo. O piso é de pastilhas Jatobá, e a iluminação, da Reka (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)
Suíte do casal. Diante da parede pintada de cinza, a cama, com roupa da Trousseau, é ladeada por minicômodas de imbuia e linhas retas, assinadas pelos arquitetos – assim como o móvel à frente. As luminárias de mesa são da La Lampe  (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)Suíte do casal | Diante da parede pintada de cinza, a cama, com roupa da Trousseau, é ladeada por minicômodas de imbuia e linhas retas, assinadas pelos arquitetos – assim como o móvel à frente. As luminárias de mesa são da La Lampe, e a poltrona criada por Flávio de Carvalho veio da Futon Company (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)
Banheiro do casal. A partir do closet, vê-se a entrada do ambiente, em que se destaca a banheira da Interbagno (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)Banheiro do casal | A partir do closet, vê-se a entrada do ambiente, em que se destaca a banheira da Interbagno (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)

Gabinete. O móvel de imbuia tem tampo de ardósia preta, no qual a pia foi esculpida. A torneira é da Deca. Há bandeja, vidros e cilindro da LS Selection, além de toalha da Trousseau. O grande espelho dá profundidade ao espaço (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)Gabinete | O móvel de imbuia tem tampo de ardósia preta, no qual a pia foi esculpida. A torneira é da Deca. Há bandeja, vidros e cilindro da LS Selection, além de toalha da Trousseau. O grande espelho dá profundidade ao espaço (Foto: Maíra Acayaba / Editora Globo)


Texto Roberto Abolafio Junior I Realização Nuria Uliana I Produção Gabrielle Chimello

Décor do dia: cama vestida com as tendências do momento

decor-do-dia-2017-04-01-01Quando Aimee Tarulli escolheu as colchas, os lençóis e as fronhas para este quarto com ares minimalistas, ela não poderia estas mais conectada com as tendências do momento. Respeitando a paleta de cores sóbrias do ambiente, a stylist apostou no poder das texturas para dar ainda mais graça à decoração.

decor-do-dia-2017-04-01-02As roupas de cama exibem tecidos com aspecto rústico e amassado – um visual supercontemporâneo e fácil de manter na correria dos dias de hoje – em diversos tons de cinza. Os travesseiros foram vestidos com veludo, material que voltou com tudo para os holofotes da decoração. Para finalizar com muito estilo mais uma it-peça do décor: uma colcha de maxitricô adiciona exuberância inesperada no pé da cama. [Michell Lott]

Apê ganha decoração colorida e iluminação natural após reforma

sala-de-estar-varanda-integracao-sofa-tapete-mesa-lateral-poltrona-estampada
SALA DE ESTAR | O tapete, da Phenicia Concept, cobre todo o piso do ambiente. Sofá e poltrona da Decameron Design. As almofadas e o abajur já pertenciam ao acervo da família. Luminária de chão, Bauhaus 90, à venda na Lumini (Foto: Denilson Machado – MCA Estúdio/Divulgação)


Uma obra com cara de reconstrução total. É assim que podemos definir esse projeto. A reforma do apartamento de 160 m², localizado no bairro carioca Ipanema, durou oito meses e foi cheia de quebra-quebra.

Os moradores, a mãe e um casal de filhos adolescentes, pediram à arquiteta Paula Neder, responsável pelo projeto, que o imóvel recebesse bastante iluminação natural. “Para isso, demolimos quase todas paredes e integramos toda a área social”, explica a profissional.

A planta original possuía quatro quartos. Para aumentar a suíte principal, dois quartos foram integrados e ganharam também o espaço do hall de entrada do apartamento. A solução foi ousada, já que deixou o ambiente com abertura para a sala de jantar.

Com base e móveis em tons e materiais neutros, são os objetos de decoração, obras de arte, estampas e papéis de parede que colorem o espaço. “Esse conceito cria liberdade para mudanças e renovações futuras”, finaliza Paula. [Julyana Oliveira]

SALA DE TV | O ambiente foi integrado a cozinha, mas ganhou marcenaria para separar os espaços quando necessário. A peça foi desenhada pela arquiteta Paula Neder e executada pela Mallc Marcenaria com madeira freijó. O sofá já pertencia à família e foi revestido com tecido degradê da La Estampa. Almofadas e mesa de centro também já faziam parte do mobiliário dos moradores antes da reforma. Tapete e cachepot redondo à venda na LZ Studio (Foto: Denilson Machado - MCA Estúdio/Divulgação)SALA DE TV | O ambiente foi integrado a cozinha, mas ganhou marcenaria para separar os espaços quando necessário. A peça foi desenhada pela arquiteta Paula Neder e executada pela Mallc Marcenaria com madeira freijó. O sofá já pertencia à família e foi revestido com tecido degradê da La Estampa. Almofadas e mesa de centro também já faziam parte do mobiliário dos moradores antes da reforma. Tapete e cachepot redondo à venda na LZ Studio (Foto: Denilson Machado – MCA Estúdio/Divulgação)


COZINHA | O espaço ganhou piso de cerâmica hidráulica, da Tanto Revestimentos. Armários desenhados pela arquiteta Paula Neder e executados pela Ornare. A bancada de refeições, de madeira freijó, foi executada pela Marcenaria MAllc. Banco da LZ Studio (Foto: Denilson Machado - MCA Estúdio/Divulgação)COZINHA | O espaço ganhou piso de cerâmica hidráulica, da Tanto Revestimentos. Armários desenhados pela arquiteta Paula Neder e executados pela Ornare. A bancada de refeições, de madeira freijó, foi executada pela Marcenaria MAllc. Banco da LZ Studio (Foto: Denilson Machado – MCA Estúdio/Divulgação)


SALA DE JANTAR | A mesa oval Saarinen pertecia ao acervo da proprietária. Cadeiras, modelo Softshell, da Micasa (Foto: Denilson Machado - MCA Estúdio/Divulgação)SALA DE JANTAR | A mesa oval Saarinen pertecia ao acervo da proprietária. Cadeiras, modelo Softshell, da Micasa (Foto: Denilson Machado – MCA Estúdio/Divulgação)


HOME OFFICE | O móvel lateral que se estende por todo o escritório foi desenhado pela arquiteta Paula Neder e executado pela Mallc Marcenaria, com madeira freijó. Mesa e cadeira da Novo Ambiente. Banco à venda na LZ Studio. Luminária de mesa, modelo Desk Lamp, da Dimlux (Foto: Denilson Machado - MCA Estúdio/Divulgação)HOME OFFICE | O móvel lateral que se estende por todo o escritório foi desenhado pela arquiteta Paula Neder e executado pela Mallc Marcenaria, com madeira freijó. Mesa e cadeira da Novo Ambiente. Banco à venda na LZ Studio. Luminária de mesa, modelo Desk Lamp, da Dimlux (Foto: Denilson Machado – MCA Estúdio/Divulgação)


 CANTO DE LEITURA | A poltrona floral e os quadros pertenciam ao acervo da família. Mesa lateral, estante de livros e o tapete são peças da LZ Studio (Foto: Denilson Machado - MCA Estúdio/Divulgação)CANTO DE LEITURA | A poltrona floral e os quadros pertenciam ao acervo da família. Mesa lateral, estante de livros e o tapete são peças da LZ Studio (Foto: Denilson Machado – MCA Estúdio/Divulgação)


SUÍTE PRINCIPAL | O papel de parede foi um garimpo da moradora durante uma viagem. Cama e cabeceira foram desenhadas pela arquiteta Paula Neder e executadas pela Topo. Mesa redonda da LZ Studio. Roupa de cama à venda na Trama Casa (Foto: Denilson Machado - MCA Estúdio/Divulgação)SUÍTE PRINCIPAL | O papel de parede foi um garimpo da moradora durante uma viagem. Cama e cabeceira foram desenhadas pela arquiteta Paula Neder e executadas pela Topo. Mesa redonda da LZ Studio. Roupa de cama à venda na Trama Casa (Foto: Denilson Machado – MCA Estúdio/Divulgação)

Casa de praia ganha decoração para receber bem amigos e familiares

sala-de-estar-sofa-luminaria-de-chao-mesa-lateral-almofadas-mesa-de-centro
SALA DE ESTAR | Tapete Acqua, da By Kamy. Sofá, da Franccino, com almofadas By Kamy e L’oeil. Mesa de centro Italy, mesa lateral redonda Eros e mesa lateral quadrada Petra, da Franccino. Luminária de chão à venda na Dunelli. Abajur, modelo Brasília, assinado por Cristiana Bertolucci. Quadros da Patricia Golombek (Foto Lufe Gomes/Divulgação)


A família é grande! Um casal com três filhos, dois meninos e uma menina, que costuma passar os fins de semana no apartamento de 215 m², em Riviera de São Lourenço, litoral de São Paulo. Além da trupe, os moradores adoram receber os amigos e familiares. Pensando no conforto dos hóspedes surgiu a ideia de reformar o imóvel. A obra, que integrou totalmente a área social, foi assinada pela arquiteta Vivi Cirello. [Julyana Oliveira]

Hall de entrada
Uma das primeiras soluções proposta por Vivi foi demolir a parede que formava uma espécie hall de entrada dentro do apartamento e escondia, parcialmente, a porta do lavabo. A ideia trouxe amplitude ao living. Para manter o banheiro camuflado, um painel ripado no instalado no local.

Área social
Integração, aliás, era o desejo dos moradores. Por isso, a cozinha foi aberta para a sala, possibilitando quem prepara a refeição ter uma visão de todo apartamento: sala de jantar, estar e até a varanda, que ganhou uma ilha na frente da churrasqueira.

Suíte principal
Apesar dos filhos do casal terem quartos separados, os clientes pediram bicamas na suíte principal. Assim, caso recebam muitos hóspedes, as crianças podem dormir com eles e liberar os quartos para os amigos. A profissional criou uma cabeceira de painel ripado com criados-mudos suspensos. E, para deixar o espaços do móvel livre, em vez de abajur, o painel ganhou arandelas.

Quarto de hóspedes
A mesma solução de painel e bicama foi adotada no quarto de hóspedes. Além de um pequeno armário, prateleiras ao redor da cama foram instaladas para aproveitar melhor o espaço. “Essa é uma solução prática para que o hóspede não precise desfazer a mala inteira e mesmo assim terá conforto ao apoiá-la em uma prateleira suspensa”, explica Vivi.

Quartos das crianças
Os meninos ganharam um quarto amplo para receber os amigos. Com cinco camas, divididas em duas beliches e uma bicama, uma cômoda e um apoio para malas. Sem armários, a ideia foi deixar os espaços livres para as brincadeiras.

O quarto da filha aproveitou a mesma solução da suíte principal: painel ripado com criado-mudo suspenso e espaço para bicama. “Um projeto leve, com ar descontraído de praia e muito espaço para receber os amigos com conforto”, finaliza a profissional.

MARCENARIA | O móvel contínuo em MDF foi revestido com lâmina natural de madeira nogueira americana e laca branca com semibrilho. A peça foi desenhada pela arquiteta Vivi Cirello e executada pela marcenaria A Movelaria (Foto: Lufe Gomes/Divulgação)MARCENARIA | O móvel contínuo em MDF foi revestido com lâmina natural de madeira nogueira americana e laca branca com semibrilho. A peça foi desenhada pela arquiteta Vivi Cirello e executada pela marcenaria A Movelaria (Foto Lufe Gomes/Divulgação)
COZINHA | Os armários da cozinha e a bancada de refeições foram desenhados pela Vivi Cirello e executados por A Movelaria com MDF, lâmina natural de madeira nogueira americana e Formica cinza. Piso de porcelanato Portobello, linha Marmi Clássico, modelo Paille St Laurent 60x120cm polido reto. Cadeiras da Artesian, modelo C9027. Bancada da pia de Silestone Haiku. Coifa da Brastemp  (Foto: Lufe Gomes/Divulgação)COZINHA | Os armários da cozinha e a bancada de refeições foram desenhados por Vivi e executados pela A Movelaria com MDF, lâmina natural de madeira nogueira americana e Formica cinza. Piso de porcelanato Portobello, linha Marmi Clássico, modelo Paille St Laurent 60x120cm polido reto. Cadeiras da Artesian, modelo C9027. Bancada da pia de Silestone Haiku. Coifa da Brastemp (Foto Lufe Gomes/Divulgação)
SALA DE JANTAR | Mesa, modelo Anne, e cadeiras, modelo Telinha, à venda na Franccino. Pendetes da Labluz (Foto: Lufe Gomes/Divulgação)SALA DE JANTAR | Mesa, modelo Anne, e cadeiras, modelo Telinha, à venda na Franccino. Pendentes da Labluz (Foto Lufe Gomes/Divulgação)
VARANDA | Bancada de madeira de demolição, executada pela marcenaria A Movelaria. Banquetas, modelo Calabria, à venda na Franccino Giardini. Parede revestida com Pedra Hitan 10 x 10, da Palimanan. Pufe da Dunelli (Foto: Lufe Gomes/Divulgação)VARANDA | Bancada de madeira de demolição, executada pela marcenaria A Movelaria. Banquetas, modelo Calabria, à venda na Franccino Giardini. Parede revestida com Pedra Hitan 10 x 10, da Palimanan. Pufe da Dunelli (Foto Lufe Gomes/Divulgação)
ESPAÇO DE REFEIÇÕES | A varanda também ganhou espaço para refeições. Mesa com tampo de mármore da Breton. Cadeiras da Franccino Giardini (Foto: Lufe Gomes/Divulgação)ESPAÇO DE REFEIÇÕES | A varanda também ganhou espaço para refeições. Mesa com tampo de mármore da Breton. Cadeiras da Franccino Giardini (Foto Lufe Gomes/Divulgação)
LIVING | Ainda na varanda, um pequeno living foi instalado. Sofá e poltronas, modelo Shangai com tecido solaris branco, da Franccino Giardini. Mix de almofadas da By Kamy e Empório Beraldin. Tapete da linha revolution à venda na By Kamy. Pufe da Dunelli  (Foto: Lufe Gomes/Divulgação)LIVING | Ainda na varanda, um pequeno living foi instalado. Sofá e poltronas, modelo Shangai com tecido solaris branco, da Franccino Giardini. Mix de almofadas da By Kamy e Empório Beraldin. Tapete da linha revolution à venda na By Kamy. Pufe da Dunelli (Foto Lufe Gomes/Divulgação)
SUÍTE PRINCIPAL | Cabeceira com criado-mudo desenhada por Vivi Cirello e executada pela marcenaria A Movelaria com madeira laqueada de branco. Cama Cama da Copel. Roupa de cama e almofadas da Zara Home. Luminária à venda na Labluz. Quadros da Fast Frame.  (Foto: Lufe Gomes/Divulgação)SUÍTE PRINCIPAL | Cabeceira com criado-mudo desenhada por Vivi Cirello e executada pela marcenaria A Movelaria com madeira laqueada de branco. Roupa de cama e almofadas da Zara Home. Luminária à venda na Labluz. Quadros da Fast Frame. Cortina de linho misto executada pela Sol & Art (Foto Lufe Gomes/Divulgação)
QUARTO DE HÓSPEDES | Roupa de cama e almofadas da Zara Home. Marcenaria desenhada por Vivi Cirello e executada pela A Movelaria  (Foto: Lufe Gomes/Divulgação)QUARTO DE HÓSPEDES | Roupa de cama e almofadas da Zara Home. Marcenaria desenhada por Vivi Cirello e executada pela A Movelaria (Foto Lufe Gomes/Divulgação)
QUARTO DOS FILHOS | Marcenaria desenhada por Vivi Cirello e executada pela marcenaria A Movelaria com madeira laqueada. Tapete da By Kamy (Foto: Lufe Gomes/Divulgação)QUARTO DOS FILHOS | Marcenaria desenhada por Vivi Cirello e executada pela marcenaria A Movelaria com madeira laqueada. Tapete da By Kamy (Foto Lufe Gomes/Divulgação)
QUARTO DA FILHA | Marcenaria desenhada por Vivi Cirello e executada pela A Movelaria com madeira laqueada. Roupa de cama da Zara Hora. Espelho à venda na Bali Express (Foto: Lufe Gomes/Divulgação)QUARTO DA FILHA | Marcenaria desenhada por Vivi Cirello e executada pela A Movelaria com madeira laqueada. Roupa de cama da Zara Hora. Espelho à venda na Bali Express (Foto: Lufe Gomes/Divulgação)

Decoração de apartamento mistura elementos simples e sofisticados

sala-branca-com-sofa-cinza-e-tapete-brancoe-preto-741capa_mg_7119ok_6093.jpg
MORADORA | Ana Strumpf tem nas mãos print assinado por ela da capa da revista Time para a galeria BG27. Atrás, sofá e poltrona da ABC Carpet, com pufe da Moroso sobre o tapete da Ikea. Na parede, neon de Kleber Matheus, quadros de Marcio Banfi, Felipe Morozini, Patrick Townsend, Donald Robertson e gravura de Gabriel Giucci. Dica: a ajuda da paisagista Dani Ruiz na escolha de plantas realçou e deu vida à decoração (Foto Victor Affaro / Editora Globo)


Um criador nato busca redesenhar seu mundo sempre. No caso da designer Ana Strumpf, esses traços são reais na vida, no trabalho e em casa – esta, uma esfera que conta sua história. Em 2010 surgiu um irrecusável convite a se reinventar, e ela partiu para Nova York a fim de acompanhar o marido, o cineasta Dennison Ramalho. A dupla levou apenas algumas malas. Na volta, após os quatro anos previstos, eles trouxeram os gêmeos Noah e Max, que nasceram lá e fizeram três anos no começo do mês, muitas inspirações, um projeto novo e um contêiner cheio de móveis garimpados.

A busca por um lugar parecido com o estilo de vida que tinham os levou a fincar os pés em Higienópolis, São Paulo, onde encontraram este apartamento antigo, de 180 m². “Aqui faço tudo a pé, e me apaixonei pelo pé-direito alto, pelos janelões e os tacos originais. Não precisei fazer reforma”, conta. Por ali, os móveis se ajeitaram em um caminho natural para Ana, o do hi-lo. Depois de decorar três apartamentos de amigos e este, ela assumiu mais essa frente de trabalho. Tudo fica melhor com a parceria da mãe, a arquiteta Regina Strumpf, do RSRG Arquitetos. “Não penduro um quadro sem perguntar a ela”, diz.

Na casa, ela se expõe colorida. “Gosto de misturar estilos. Aqui tem achados de flea markets, coisas que fiz, peças de design, obras de artistas novos. As paredes estão sempre crescendo. Jamais serei minimalista.” Dos três quartos amplos, um é o escritório onde ela multiplica sua marca: há o décor, as ilustrações e o desenvolvimento de produtos. O desenho impulsionou tudo. “Desde criança eu preferia desenhar a brincar de boneca”, ri. Foi assim que, sem pretensão alguma, começou a fazer intervenções em capas de revistas em Nova York, um projeto autoral que ganhou o mundo, chamado Re.Cover. “Nunca imaginei que viveria das ilustrações, mas é real. Incrível isso”, ela conta sobre os contornos que já criou para diversas marcas – hoje, a maioria de fora do Brasil.

Da linhagem de mulheres fortes, como a avó Thereza, que borda almofadas para outro projeto dela, o Pillow Talk, Ana carrega o talento de recriar coisas e sua morada muito viva. A efusividade só dá trégua quando ela encontra seu lugar preferido: “O quarto, debaixo dos coqueiros, sob o edredom, vendo Netflix com a família”. Que fique bem claro… coqueiros que levam o traço dela. Criador e “criatura” realizados.

Memória. Na farmácia da Ikea, Ana guarda peças “quebráveis” pelas crianças. Ao lado, busto comprado na Evolution de Nova York, luminária de piso criada por ela para a Bertolucci. Na parede, bordado da prima Monica Figueiredo (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)MEMÓRIA | Na farmácia da Ikea, Ana guarda peças “quebráveis” pelas crianças. Ao lado, busto comprado na Evolution de Nova York, luminária de piso criada por ela para a Bertolucci. Na parede, bordado da prima Monica Figueiredo (Foto Victor Affaro / Editora Globo)


Família. Sobre o sofá da Ikea, revestido de veludo verde, estão Noah (à esq.), Ana Strumpf e Max (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)FAMÍLIA | Sobre o sofá da Ikea, revestido de veludo verde, estão Noah (à esq.), Ana Strumpf e Max (Foto Victor Affaro / Editora Globo)


Canto do estar Ao lado da poltrona da extinta Formatex, revestida com toile de jouy, estante da Design Within Reach, tapete comprado no Brooklyn, luminária Jielde e, na parede, arte de Mariana Tassinari (no alto, à esq.); fotografias de Camila Guerreiro  (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)CANTO DE ESTAR | Ao lado da poltrona da extinta Formatex, revestida com toile de jouy, estante da Design Within Reach, tapete comprado no Brooklyn, luminária Jielde e, na parede, arte de Mariana Tassinari (no alto, à esq.); fotografias de Camila Guerreiro (no alto, à dir.) e Marcio Simch (embaixo, à dir.); e print de Mickaelene Thomas (embaixo, à esq.) (Foto Victor Affaro / Editora Globo)


A sala mostra a parede com raquete de Felipe Morozini, skate de Vavá Ribeiro, seta e gabinete garimpados em flea markets de NY.  No estar, pufe revestido com bordados antigos needlepoint, tapete latino-americano. Abajur e, sobre o sofá, almofadas (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)SALA | Neste ângulo, a sala mostra a parede – “que só cresce”, segundo Ana – com raquete de Felipe Morozini, skate de Vavá Ribeiro, seta e gabinete garimpados em flea markets de NY. No estar, o pufe que Ana herdou foi revestido com bordados antigos needlepoint, comprados em NY, de onde vem também o tapete latino-americano. Abajur de Ana Neute e, sobre o sofá, almofadas de Jonathan Adler e The Rug Company. Dica: a sala enorme foi dividida em dois ambientes. Sugestão da arquiteta Regina Strumpf, mãe de Ana, para dar mais aconchego (Foto Victor Affaro / Editora Globo)


Sala de jantar. Mesa da Restoration Hardware com cadeiras garimpadas em feiras flea market do Brooklyn e, sobre a composição, luminária de George Nelson comprada na Design Within Reach, em NY. Atrás, papel de parede com passarinhos de porcelana (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)SALA DE JANTAR | Mesa da Restoration Hardware com cadeiras garimpadas em feiras flea market do Brooklyn e, sobre a composição, luminária de George Nelson comprada na Design Within Reach, em NY. Atrás, papel de parede da Anthropologie, com passarinhos de porcelana da Bordallo Pinheiro, dados por uma amiga (Foto Victor Affaro / Editora Globo)


Detalhe. A coleção de pratos de porcelana tem itens que contam a história de vida da moradora. “Tem o que fiz com a Seletti, para uma vitrine em Milão, outro que criei com a Tok & Stok e os herdados da minha avó, que são os mais especiais.” (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)DETALHE | A coleção de pratos de porcelana tem itens que contam a história de vida da moradora. “Tem o que fiz com a Seletti, para uma vitrine em Milão, outro que criei com a Tok & Stok e os herdados da minha avó, que são os mais especiais.” Dica: o apartamento estava em bom estado, mas precisava de um up. As paredes ganharam papel de parede e coleções de objetos interessantes, que desviam o foco de qualquer imperfeição, sem gastar muito (Foto Victor Affaro / Editora Globo)


Escritório. A parede tem o organizador Uten.Silo, da Vitra, luminária da Ikea, mesa da Oppa, cadeira da Atec e tapete da ABC Carpet, de Nova York (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)ESCRITÓRIO | A parede tem o organizador Uten.Silo, da Vitra, luminária da Ikea, mesa da Oppa, cadeira da Atec e tapete da ABC Carpet, de Nova York (Foto Victor Affaro / Editora Globo)


Quarto dos gêmeos. A parede ganhou pintura azul royal até a metade. Cortina feita com tecido da Marimekko, camas e organizadores da Ikea. A cabana foi presente de uma amiga (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)QUARTO DOS GÊMEOS | A parede ganhou pintura azul royal até a metade. Cortina feita com tecido da Marimekko, camas e organizadores da Ikea. A cabana foi presente de uma amiga (Foto Victor Affaro / Editora Globo)


Canto do quarto. A poltrona de família ganhou novo revestimento. Na prateleira, Mickeys da ONG Orientavida e quadros de Gisela Gueiros, amiga e madrinha do Max. Luminária e mesa amarela da Ikea (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)CANTO DO QUARTO | A poltrona de família ganhou novo revestimento. Na prateleira, Mickeys da ONG Orientavida e quadros de Gisela Gueiros, amiga e madrinha do Max. Luminária e mesa amarela da Ikea. Dica:
Ana adora marcenaria, mas como o apartamento é alugado, não queria investir para deixar para trás. Peças soltas e pequenas dão um charme aos cantos do imóvel sem desperdiçar dinheiro. “O bom é que adoro mudar as coisas de lugar, então essa opção me dá liberdade.” (Foto Victor Affaro / Editora Globo)


Quarto do casal. A cama tem mix de colcha da ABC Carpet com West Elm, ambas londrinas, criado-mudo da Ikea e cômoda que Ana herdou dos pais. Abajur de Jonathan Adler e, atrás, papel de parede desenhado por Ana Strumpf para a Branco Papel de Parede (Foto: Victor Affaro / Editora Globo)QUARTO DO CASAL | A cama tem mix de colcha da ABC Carpet com West Elm, ambas londrinas, criado-mudo da Ikea e cômoda que Ana herdou dos pais. Abajur de Jonathan Adler e, atrás, papel de parede desenhado por Ana Strumpf para a Branco Papel de Parede. Dica: os ganchos fazem parte de uma estética urbana e deixam tudo mais prático, à mão. “Adoro ganchos. Não teria closet, e sim mais ganchos”, diz a moradora (Foto Victor Affaro / Editora Globo)


Texto: Carol Scolforo I Realização: Nuria Uliana

Descubra as cores que, juntas, vão deixar o décor um charme

Por Mariana Conte


Algumas pessoas ficam receosas em combinar certas cores. O verde e o rosa podem causar certo estranhamento a princípio, mas, estes ambientes provam que a dupla dá muito charme ao décor e é uma ótima alternativa para sair do senso comum. Veja como fazer combinações com essas cores que são lindas sozinhas, mas ficam melhor ainda juntas:

Na cozinha

1-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Little Greene/Apartment Therapy)


Nas paredes

2a-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Sight Unseen/Apartment Therapy)


Os tons foram a escolha do Designer Guillermo Santomà para a sua própria casa em Barcelona.

2b-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Sight Unseen/Apartment Therapy)


A casa mobiliada e com outra luz:

2c-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Sight Unseen/Apartment Therapy)


Nos móveis

3-aambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Apartment 34/Apartment Therapy)

3b-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/My Interior Therapy/Apartment Therapy)


Nas plantas

4a-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Inuk Home/Apartment Therapy)


Combinando com os móveis…

4b-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Stories/Apartment Therapy)


Nos acessórios5-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Turbulences Deco/Apartment Therapy)


Fonte: Apartment Therapy

Apartamento integra varanda ao living em reforma econômica

sala-living-varanda-mesa-de-jantar-cadeiras-sofa
LIVING | A principal mudança do projeto foi o nivelamento do piso da varanda ao living com o objetivo de integrar os ambientes. Na sala, sofá à venda na Somma Design. O rack tem chapas de compensado tingidas, desenhado pela arquiteta Thaisa Camargo e executado pela Marcenaria Arthouse (Foto Sidney Doll/Divulgação)


Recém-entregue pela construtora, este dúplex de 78 m², localizado no bairro Brooklin, em São Paulo, não atendia às expectativas do jovem casal de proprietários. Para resolver a situação, eles contaram com a ajuda da arquiteta Thaisa Camargo. A demanda era por um apartamento descolado e com cara de loft nova-iorquino.

Varanda
A principal mudança aconteceu na varanda. O espaço com pé-direito duplo ficava isolado do resto do imóvel. Thaisa nivelou o piso da sala e integrou os dois ambientes. “Foi essencial para ganharmos espaço no apartamento”, explica. Além disso, um painel que imita aço cortén foi instalado em um lado. Do outro, a profissional desenhou uma estante de ferro com prateleiras de madeira.

Estilo industrial
Para trazer um toque industrial ao apartamento, Thaisa preservou o revestimento de cimento queimado da escada e da área social. Além desses elementos, a parede de tijolinhos do living foi um pedido dos moradores. “A combinação dos revestimentos é o que eles mais gostam do projeto”, revela a profissional.

Área íntima
Na planta original, o segundo andar abrigava um ambiente único. Thaisa dividiu o espaço em sala de TV e quarto usando um painel de MDF, que tem baixo custo. Essa, aliás, foi uma das características da obra. A profissional buscou materiais baratos, como o piso vinílico, que traz aconchego e custa menos que o revestimento em madeira. [Julyana Oliveira]

SALA DE ESTAR | A parede de tijolinhos foi um dos pedidos dos moradores que adoram o estilo industrial rústico. Para destacar o teto de gesso, Thaysa revestiu as laterais em MDF madeirado, executado pela Marcenaria Arthouse. A estante da varanda em ferro  (Foto: Sidney Doll/Divulgação)SALA DE ESTAR | A parede de tijolinhos foi um dos pedidos dos moradores que adoram o estilo industrial rústico. Para destacar o teto de gesso, Thaisa revestiu as laterais em MDF, executado pela Marcenaria Arthouse (Foto Sidney Doll/Divulgação)
SALA DE JANTAR | O piso em cimento queimado foi preservado da planta original e recebeu um tratamento para melhorar o acabamento. A mesa de jantar e as cadeiras já pertenciam ao acervo dos moradores  (Foto: Sidney Doll/Divulgação)SALA DE JANTAR | O piso de cimento queimado foi preservado da planta original. A mesa de jantar e as cadeiras já pertenciam ao acervo dos moradores (Foto Sidney Doll/Divulgação)
COZINHA | O ambiente é separada visualmente do living pela bancada em mármore São Gabriel, executada pela Potenza Mármore. A peça ganhou um complemento em madeira de demolição rústica, produzida pela Marcenaria Arthouse, com pés em alumínio. Os pendentes  (Foto: Sidney Doll/Divulgação)COZINHA | A bancada de mármore São Gabriel, executada pela Potenza Mármore, divide visualmente a cozinha da sala. A peça ganhou um complemento em madeira de demolição, produzida pela Marcenaria Arthouse, com pés em alumínio. Os pendentes foram produzidos pela profissional exclusivamente para o projeto (Foto Sidney Doll/Divulgação)
BAR | A escada em cimento queimado foi preservada do projeto original. O espaço abaixo foi aproveitado para abrigar o bar. O móvel em MDF madeirado foi desenhado pela arquiteta Thaysa Camargo com iluminação embutida (Foto: Sidney Doll/Divulgação)BAR | A escada em cimento queimado foi preservada do projeto original. O espaço abaixo foi aproveitado para abrigar o bar. O móvel em MDF foi desenhado pela arquiteta Thaisa Camargo com iluminação embutida (Foto Sidney Doll/Divulgação)
VARANDA | A estante em ferro com prateleiras de madeira foi desenhada por Thaysa Camargo e executada pela Arthouse. Os demais móveis e acessórios do ambiente já pertenciam ao acervo dos moradores (Foto: Sidney Doll/Divulgação)VARANDA | A estante em ferro com prateleiras de madeira foi desenhada por Thaisa Camargo e executada pela Arthouse. Os demais móveis e acessórios do ambiente já pertenciam ao acervo dos moradores (Foto Sidney Doll/Divulgação)
QUARTO DO CASAL | A área íntima ganhou piso em vínilico à venda na Leroy Merlin. PrO rack em MDF madeirado, desenhado pela arquiteta e executado pela Marcenaria Arhouse, divide visual a antessala e o quarto do casal. A cabeceira da cama foi montada com so (Foto: Sidney Doll/Divulgação)QUARTO DO CASAL | A área íntima ganhou piso vínilico, à venda na Leroy Merlin. O rack em MDF, desenhado pela arquiteta e executado pela Marcenaria Arhouse, divide visualmente a sala e o quarto do casal. A cabeceira da cama foi montada com sobras de materiais e recebeu acabamento da Marcenaria Arthouse. Os demais móveis do ambiente já pertenciam ao acervo da moradora (Foto Sidney Doll/Divulgação)