Casa em Búzios foi inspirada no glamour náutico dos Hamptons

1-casa-em-buzios-foi-inspirada-no-glamour-nautico-dos-hamptons-sala (1).jpgAs vilas de luxo localizadas em Nova York serviram de inspiração para o décor desta casa de praia no Rio de Janeiro

O destino de férias da alta sociedade e das celebridades de Nova York, os Hamptons, foi a fonte de inspiração da arquiteta Babi Teixeira no projeto desta casa de 142 m² em Búzios (RJ). [Mariana Conte]

2-casa-em-buzios-foi-inspirada-no-glamour-nautico-dos-hamptons-salaA paleta de cores da casa é clara. Há branco em abundância e uso de madeiras claras em alguns móveis feitos em marcenaria sob medida. A arquiteta optou por usar peças atemporais e neutras no mobiliário.3-casa-em-buzios-foi-inspirada-no-glamour-nautico-dos-hamptons-cozinhaTanto na cozinha quanto nos outros ambientes, o azul marinho foi escolhido para dar um ar navy ao décor.4-casa-em-buzios-foi-inspirada-no-glamour-nautico-dos-hamptons-sala-de-jantarA sala de jantar fica ao lado da cozinha e há um balcão dividindo os ambientes que pode ser completamente fechado.5-casa-em-buzios-foi-inspirada-no-glamour-nautico-dos-hamptons-quartoNo quarto, tons de azul também se fazem presentes e quadros com temas náuticos decoram o ambiente.6-casa-em-buzios-foi-inspirada-no-glamour-nautico-dos-hamptonsEm cada detalhe da casa, fica claro o tom elegante e ao mesmo tempo despretensioso que a arquiteta quis dar ao projeto.7-casa-em-buzios-foi-inspirada-no-glamour-nautico-dos-hamptons-banheiroNo banheiro, novamente o branco e o azul formam a paleta de cores. Peças com materiais naturais, como vime e madeira, fazem parte do décor praiano.

Anúncios

4 tendências do décor que devem bombar em 2017

01-7-maneiras-de-adicionar-conforto-em-casa-toronto-interior-design-group

Subway tiles, minimalismo, estilo industrial e escandinavo… Cansou de ouvir falar das tendências que mais bombaram no ano passado? Boa notícia! O Apartment Therapy fez uma pesquisa e apontou algumas novidades que vão substituir as antigas e dominarão 2017. [Mariana Bruno]

1. Estampa animal

01-4-tendencias-do-decor-que-devem-bombar-em-2017-marisa-vitale-apartment-therapy

Esta tendência se refere às estampas animais tradicionais – leopard, zebra, etc. De acordo com o AT, as compras com essas estampas aumentaram muito no site Chairish, indicando uma presença forte no décor.

2. Arte óptica (Op Art)The Wolf, de Patrick SeymourThe Wolf, de Patrick Seymour (Reprodução/Patrick Seymour/Pinterest)

Artistas que usam ilusão de ótica em suas obras têm um futuro promissor em 2017. Popular nos anos 60 e 70, o estilo deve voltar com tudo neste ano – especialmente em cores neon e em violetas vibrantes.

3. Tapetes tipo statement, cheios de presença

01-7-maneiras-de-adicionar-conforto-em-casa-toronto-interior-design-group

Tapetes como obras de arte: para aderir à esta tendência, escolha um tapete cheio de personalidade e presença e monte o décor com ele em mente. Assim, a peça se torna o centro do ambiente.

4. Antiguidades

02-4-tendencias-do-decor-que-devem-bombar-em-2017-architectural-digest

Segundo o AT, as formas antigas devem ser melhor aceitas neste ano, especialmente em projetos que dão uma nova interpretação aos clássicos.

Cozinha com toques de cores vibrantes na decoração

cozinha-com-toques-de-cor-vibrante-na-decoracao.jpg

Os moradores deste apartamento na zona sul de São Paulo queriam um toque de cor em todos os ambientes. Para deixar a casa com a cara deles, chamaram as arquitetas Ana Cristina Tavares e Claudia Krakowiak Bitran, da KTA Arquitetura, para fazerem o projeto. Na pequena copa, que fica entre a cozinha, a sala de jantar e a área da churrasqueira, listras coloridas e uma luminária laranja tornaram o ambiente vibrante e divertido. Na marcenaria, alguns volumes abertos deixam expostos objetos decorativos que seguem o jogo de cores utilizados nas paredes. [Mariana Conte]

Decoração minimalista ressalta características de apartamento em Pinheiros

1483724045722.jpgLocalizado no coração do apartamento e sem cobertura, um pequeno pátio fechado com vidro distribui luz e permite boa entrada de ar para todos os cômodos Foto: Pedro Vannucchi/Divulgação


Não se tratava de revitalizar o espaço ou fazer grandes mudanças estruturais. A reforma feita neste apartamento térreo de 150 m² localizado em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, tinha como principal objetivo ressaltar a arquitetura do imóvel. “O único nó a ser desatado estava na área de serviço e na cozinha, espaços que antes da obra eram como um labirinto, muito segmentados, o que atrapalhava bastante a entrada de luz e a circulação de ar”, diz Ricardo Lopes Gusmão, do Goaa Arquitetura, escritório responsável pelo projeto.

A derrubada de paredes resultou em uma cozinha maior e muito mais clara do que a original. O antigo quarto de serviço foi abolido e a área de serviço passou a dividir espaço com a cozinha – agora os ambientes são separados por um móvel construído com concreto e madeira pinus. “Essa peça organiza tudo o que acontece por ali: copa, cozinha e lavanderia. E ainda abriga eletrodomésticos e outros acessórios. Para que ela e o resto da marcenaria se destacassem, instalamos granilite branco no piso, criando uma moldura neutra”, conta Gusmão.

Outra intervenção que veio com a obra aconteceu na área íntima. Um dos três quartos foi reduzido, virou uma pequena biblioteca, e cedeu área para a sala e a expansão da suíte. “O restante do trabalho foi criar um novo projeto luminotécnico e instalar outros revestimentos, tudo com o objetivo de ressaltar as potencialidades que antes estavam escondidas”, comenta o arquiteto. Resultado desse trabalho de valorização da arquitetura está nos pilares e vigas, que foram descascados, revelando as estruturas robustas de concreto.

Localizado no coração do apartamento e sem cobertura, um pequeno pátio fechado com vidro distribui luz e permite boa entrada de ar para todos os cômodos. A atmosfera iluminada e tranquila do lugar levou os arquitetos a acomodarem a mesa de trabalho da moradora ali, de frente para sua coleção de plantas. Quando cai a noite, entra em cena a iluminação planejada com cuidado pelo escritório. “Como temos poucas paredes e poucos móveis, a iluminação faz o papel de delimitar as funções dos ambientes. A luz aparece em intensidades e aparatos distintos no estar, jantar e escritório”, explica.

Pouco preocupados em ocupar o espaço com muitos móveis, os arquitetos trabalharam com muitas das peças que a proprietária já tinha, como os sofás da área de estar e a mesa de jantar cercada por dois modelos diferentes de cadeiras de madeira. Mesmo sem fazer uma reforma grande, as intervenções feitas conseguiram mudar significadamente o imóvel, algo que o arquiteto acredita ser resultado da proposta de um uso mais minimalista do espaço. “Percebo uma preocupação das pessoas com a ocupação da casa, com os móveis e outros elementos estruturais construídos. Mas acreditamos que é mais interessante deixar a essência que está na arquitetura aparecer e, para isso, precisamos ter vazios.”

Os arquitetos optaram por usar vidro ao redor do pátio para não barrar a iluminação
A mesa de trabalho foi posicionada de frente para o pátio. Depois da reforma, as vigas foram descascadas, deixando o concreto aparente
O piso de granilite branco reassalta o concreto e a madeira

Sala aberta com canto de meditação

wave-house-mario-romano-architecture-residential-california-usa_dezeen_2364_col_31.jpegEm frente, um extenso quintal. Atrás, a piscina azulada. Apenas uma parede cerca este nicho na construção, como um grande portal separando-o do interior da casa. A tranquilidade impera no cantinho onde a natureza ao redor é plena. Dois sofás e uma mesa de café, feitos em madeira, integram os elementos orgânicos à estrutura semiaberta. Ao lado, uma passadeira listrada e um futon laranja compõem o espaço dedicado à meditação – acompanhados de lamparinas e a estátua de um Buda tibetano.

2-inspiração-do-dia-sala-aberta-com-canto-de-meditaçãoA casa é chamada de The Wave House, o que não é à toa: em Los Angeles, na Califórnia, toda sua fachada é coberta por mais de 300 placas de alumínio que, sobrepostas, simulam o movimento das ondas da praia próxima. [Débora Fernandes]
Fonte: Dezeen

Greenery na decoração: leve a cor de 2017 para todos os ambientes

vg007364_J8y66sE.jpg

Contraste um ambiente de concreto queimado com uma parede inteira na cor para modernizar (Foto: Franco Amendola/Arquivo Vogue)

Desde 2000, a Pantone faz uma previsão da paleta que será sucesso durante os próximos meses e elege a cor do ano – e, como o Rose Quartz deixou bem claro, costuma acertar. Para 2017, a empresa aposta no alegre verde Greenery, que traduz o contato com a natureza, o renascimento e a esperança após tempos tumultuosos.

Com uma mensagem dessas, é difícil não querer levar o tom para o dia a dia. Uma boa opção é acrescentar pontos de cor na decoração do lar e do escritório e, para ajudar, selecionamos algumas ideias que agradam a todos os estilos. Inspire-se! [Anita Porfirio]

No escritório, coordenar tapete e móveis no tom é uma saída para modernizar e energizar sem exageros (Foto: Gabriel Arantes/Arquivo Vogue)No escritório, coordenar tapete e móveis no tom é uma saída para modernizar e energizar sem exageros (Foto: Gabriel Arantes/Arquivo Vogue)

No quarto, uma versão esmaecida do tom colore as paredes, enquanto a saturada e elétrica se limita aos adereços (Foto: Dean Kauffman/Arquivo Vogue)No quarto, uma versão esmaecida do tom colore as paredes, enquanto a saturada e elétrica se limita aos adereços (Foto: Dean Kauffman/Arquivo Vogue)

Crie um paralelismo entre a parede e um quadro que também contenha a cor – perfeito para quem gosta de tudo combinando! (Foto: Romulo Fialdini/Arquivo Vogue)Crie um paralelismo entre a parede e um quadro que também contenha a cor – perfeito para quem gosta de tudo combinando! (Foto: Romulo Fialdini/Arquivo Vogue)

Até a área de serviço pode entrar na tendência: você pode pintar os eletrodomésticos e as paredes na mesma cor (com tintas apropriadas, claro) (Foto: Fred Othero/Arquivo Vogue)Até a área de serviço pode entrar na tendência: você pode pintar os eletrodomésticos e as paredes na mesma cor (com tintas apropriadas, claro) (Foto: Fred Othero/Arquivo Vogue)

Escolha um móvel imponente para colorir sem sobrecarregar e evite enjoar: a estante vintage é uma ótima opção (Foto: Bjorn Wallander/Arquivo Vogue)Escolha um móvel imponente para colorir sem sobrecarregar e evite enjoar: a estante vintage é uma ótima opção (Foto: Bjorn Wallander/Arquivo Vogue)

Na fazenda do sofá, a cor fica mais diluída, mas ainda bastante presente no ambiente (Foto: Pascal Chevallier/Arquivo Vogue)Na fazenda do sofá, nas paredes e em detalhes (como a mesinha de centro e os livros), a cor se amplia em uma paleta de nuances mais ou menos saturadas (Foto: Pascal Chevallier/Arquivo Vogue)

Para ambientes barrocos, a cor une brocados de móveis e até do papel de parede e cria sintonia em um ambiente cheio de texturas (Foto: Zee Nunes/Arquivo Vogue)Para ambientes barrocos, a cor une brocados de móveis e até do papel de parede e cria sintonia em um ambiente cheio de texturas (Foto: Zee Nunes/Arquivo Vogue)

Em contraste com um papel de parede gráfico em branco e preto, a cor salta aos olhos, mas pode cansar: combine com outros objetos bem coloridos para trazer movimento ao ambiente (Foto: Deco Cury/Arquivo Vogue)Em contraste com um papel de parede gráfico em branco e preto e com outros objetos bem coloridos, o resultado é lúdico (Foto: Deco Cury/Arquivo Vogue)

Decoração vibrante traduz personalidade de moradora

1483462688123

Na sala de estar, tons de verde e rosa tendo o preto como pano de fundo Foto: Julia Ribeiro

Um lugar vibrante, como a personalidade de sua moradora. Quando o arquiteto Robert Robl foi contratado para repaginar os 100 m² deste apartamento na Bela Vista ele sabia bem que teria que ousar. Cores e texturas exaltadas eram mais do que bem-vindas. Eram uma das exigências. “Minha cliente queria um lugar alegre, para cima. É sempre um desafio colocar esse programa em prática. As chances de pecar pelo excesso são razoáveis”, diz Robl.

Assim, antes de reformular a decoração, o arquiteto tratou de resolver alguns problemas estruturais, como a área reduzida da cozinha que dividia espaço com a área de serviço. “A solução foi realocar a área onde antes existia um pequeno quarto e liberar espaço na cozinha”, explica. Fora isso, o piso do imóvel foi trocado por laminado que imita madeira.

Reforma feita, o arquiteto partiu para as mudanças esperadas pela moradora. A sala de estar ganhou papel de parede colorido e estampado. Para que as outras cores que viriam depois também brilhassem na decoração, o arquiteto optou por usar um fundo neutro, construído com preto, cinza e branco. “Aqui está a maior dica para quem quer trabalhar com cores: crie uma base neutra, até mesmo toda branca, e depois carregue nos tons dos acessórios”, diz.

Junto ao papel de parede da sala, a poltrona que antes era da avó da moradora ganhou tecido novo, verde. A cadeira de balanço DAR, um ícone do design assinado pelos irmãos Charles e Ray Eames, ganhou pegada contemporânea, em pink. Acessórios como almofadas vieram completar a cartela de cores. “Para não carregar demais, escolhemos o cinza escuro para a marcenaria que apoia a TV. Junto à parede escura, o móvel quase desaparece”, explica Robl.

A cozinha, um dos pontos mais neutros do projeto, foi revestida com azulejos brancos retangulares. “Para que ela não destoasse tanto, adotamos alguns pontos de cor, como o vermelho, que aparece na mesa para refeições.”

Como o ambiente é o mais pessoal da casa, no quarto principal o arquiteto não economizou em ousadia. “Decidimos pintar a parede com um azul forte, vibrante. Assim, o preto do armário, onde fica embutida uma penteadeira, se fez ainda mais presente. No fim das contas, creio que chegamos onde ela queria: um apartamento de personalidade”. [Nátalia Mazzoni]