Truques para decorar espaços pequenos

sala-sofa-tv-janela-branco-neutro-tijolos-aparentes-cortina-poltrona
Projeto do arquiteto Alan Chu (Foto: Djan Chu/Divulgação)
Por Tamires Lietti e Bruna Menegueço
“Evite móveis muito grandes para não comprometer a circulação. O tamanho do mobiliário deve ser proporcional ao do espaço. Tons neutros são bem-vindos, ao passo que cores escuras podem dar a sensação de que o espaço é menor. Se tiver uma parede livre, instale um espelho, pois é um recurso mais em conta e que amplia o ambiente.” Patrícia Pasquini, designer de interiorescozinha-arquiteta-luciana-fioratti-designer-de-interiores-luiza-simoes-neutro
Projeto da arquiteta Luciana Fioratti e da designer de interiores Luiza Simões, da 2L Arquitetura e Interiores (Foto: Edu Castello/Editora Globo)

L’Occitane au Brésil inaugura nova loja inspirada na casa brasileira

loccitane-au-bresil-inaugura-novo-conceito-de-loja-inspirado-na-casa-brasileira

O novo layout foi estreado no Shopping Iguatemi, em São Paulo. As demais lojas da marca receberão o novo décor até o final de 2017
Especializada em cosméticos, a L’Occitane au Brésil valoriza as riquezas naturais e culturais do nosso país usando matérias-primas locais em seus produtos e apostando no design de artistas que exaltam a brasilidade. [Mariana Conte]

2-loccitane-au-bresil-inaugura-novo-conceito-de-loja-inspirado-na-casa-brasileiraPara traduzir esses princípios no décor das lojas, a marca chamou a equipe da Centdegrés, uma agência francesa de design que atua na área de cosméticos. O conceito “Casa Brasileira” foi a inspiração para o novo layout, que busca trazer toda a hospitalidade e a pluralidade características do povo brasileiro.
3-loccitane-au-bresil-inaugura-novo-conceito-de-loja-inspirado-na-casa-brasileiraO projeto conseguiu traduzir o charme típico das casas e o estilo de vida do brasileiro que gosta de integrar o espaço interior com o exterior. Unindo simplicidade, aconchego e relaxamento com um toque de sofisticação.
4-loccitane-au-bresil-inaugura-novo-conceito-de-loja-inspirado-na-casa-brasileiraA escolha das cores e elementos foi baseada nos seis pilares que estruturam a loja: Cuidados, Homem, Natureza, Aconchego, Delicadeza e Alegria. A fachada em vermelho – a cor da marca –, tem uma textura rústica que lembra as pinturas de cal, presentes na nossa cultura. Na entrada, um piso geométrico, em alta no décor, divide o espaço da varanda e o espaço interno. Assim como em muitas casas brasileiras, o lado de “fora” recebeu piso cerâmico e, o de dentro, um piso de madeira.
5-loccitane-au-bresil-inaugura-novo-conceito-de-loja-inspirado-na-casa-brasileiraNa parte interna, a madeira, símbolo de aconchego, predomina no mobiliário, que recebe, além do vermelho, alguns pontos de cores suaves.
6-loccitane-au-bresil-inaugura-novo-conceito-de-loja-inspirado-na-casa-brasileira

Visita guiada: apartamento de ilustradora se torna aberto e iluminado

01-apartamento-de-ilustradora-se-torna-aberto-e-iluminadoAs arquitetas Claudia Bresciani e Júlia Risi reformularam o apartamento em São Paulo, lar e espaço de trabalho de uma ilustradora, para deixá-lo mais aberto e iluminado.oscar-freire-apartment-claudia-bresciani-julia-risi-sao-paulo-brazil-pedro-vannucchi_dezeen_2364_col_1.jpgO projeto incluiu a restauração de alguns elementos do apê, como o piso espinha de peixe, e a remoção de paredes divisórias que bloqueavam a luz.oscar-freire-apartment-claudia-bresciani-julia-risi-sao-paulo-brazil-pedro-vannucchi_dezeen_2364_col_0.jpgUma porta dobrável translúcida fica entre o estúdio e a sala de estar, para dar privacidade à moradora quando necessário sem obstruir a luz.
As paredes brancas do estúdio e do living criam uma base neutra, deixando o destaque para os trabalhos da artista e seus pertences.
No estar, há uma mistura eclética de plantas e móveis. Um banco de concreto vai de um lado a outro da sala e serve de suporte para a decoração.

oscar-freire-apartment-claudia-bresciani-julia-risi-sao-paulo-brazil-pedro-vannucchi_dezeen_2364_col_4.jpgA longa mesa de jantar funciona como uma divisão entre o living e a cozinha, que foram integrados na reforma.

oscar-freire-apartment-claudia-bresciani-julia-risi-sao-paulo-brazil-pedro-vannucchi_dezeen_2364_col_3.jpgA cozinha conta com armários de pinho com portas brancas e rosa, além de uma parede lousa.
A pequena despensa aberta, por sua vez, foi pintada de turquesa.

oscar-freire-apartment-claudia-bresciani-julia-risi-sao-paulo-brazil-pedro-vannucchi_dezeen_2364_col_8.jpgCloset.

oscar-freire-apartment-claudia-bresciani-julia-risi-sao-paulo-brazil-pedro-vannucchi_dezeen_2364_col_7.jpgBanheiro.
Fonte: Dezeen

Decoração de verão: inspire-se em uma casa à beira mar

tj-0755-20955.jpg
Ana Carolina Gayoso, vestindo Lenny Niemeyer, posa ao pé da escada de sua casa, em Búzios (Foto: Thiago Justo)

São 8h  de um sábado ensolarado, e Ana Carolina Gayoso nos recebe de pés descalços, com uma mesa de café  da manhã caprichada à beira de um gramado que se estende quase até o mar da Praia Rasa, em Búzios, onde duas canoas importadas do Havaí com remos de madeira chamam a atenção.
Entre uma garfada e outra nos mimos light preparados à la minute, ela levanta para se despedir do marido, o empresário Antonio Dias Leite, com quem é casada há oito anos, que está saindo para pedalar.No living, destaque para a mesa de centro e esculturas de madeira garimpadas em Trancoso   (Foto: Thiago Justo)No living, destaque para a mesa de centro e esculturas de madeira garimpadas em Trancoso (Foto: Thiago Justo)
O caso de amor de Carolina com o balneário que flechou Brigitte Bardotnos anos 60 começou na adolescência: a carioca é habituée de Búzios desde que a Praia Rasa – cuja extensão de quase 8 km é hoje tomada por casas vistosas – era deserta e só os descolados da época frequentavam o lugar. “Angra não é a minha cara. Prefiro Búzios, que é mais pé na areia.”
A infância da empresária sempre foi perto do mar – os avós tinham uma casa em Boa Viagem, no Recife, onde ela pegava onda com uma pranchinha de body-board de isopor. Foi também na Búzios da década de 80 que conheceu o primeiro marido e pai de seus dois filhos (Bianca, 28 anos, e João Pedro, 26), o esportista Pedro Paulo Guise Carneiro Lopes, o saudoso Pepê – que foi a cara do Rio e morreu em 1991, quando participava do mundial de voo livre no Japão.
Depois de uma viagem de Pepê ao país, onde foi campeão do mundo com sua asa-delta em 1981, surgiu a ideia de criar o restaurante Tatsumi, um dos primeiros especializados na gastronomia japonesa na Zona Sul carioca e desde 1990 nomeado Sushi Leblon.

Carolina Gayoso (Foto: Thiago Justo)Deque de madeira decorado com almofadas com prints florais da Ana, marca de Trancoso (Foto: Thiago Justo)

Além da Barraca do Pepê, um marco da alimentação saudável no Rio, aberta em 1981 e point na praia da Barra da Tijuca desde então, e do Sushi Leblon, Carolina também comanda ao lado das sócias Bia Stewart, sua irmã, e Marina Hirsch os restaurantes Zuka e Brigite’s, inaugurados, respectivamente, em 2002 e 2011.
Desde 2013, o time de mulheres ganhou mais uma integrante: a filha da empresária, Bianca, sucessora de Carolina no império gastronômico. “No início foi difícil. Tinha dias que queria conversar só com minha mãe, não com a chefe. Demorou para afinar essa relação, mas hoje dá supercerto”, conta Bianca.

Painel de madeira e escultura, ambos da Afranio, e banco rústico de madeira compõe o décor da varanda   (Foto: Thiago Justo)Painel de madeira e escultura, ambos da Afranio, e banco rústico de madeira compõe o décor da varanda (Foto: Thiago Justo)
No Rio dos anos 80, a Dias Ferreira – rua onde estão os três restôs de Carolina e hoje o endereço para ver e ser visto na cidade – abrigava de sapateiro a açougue. “Era uma rua de comércio tranquila”, lembra.
Dos restaurantes de lá daquela época, apenas o Celeiro, referência em comida saudável, permanece também no mesmo lugar. O prédio de esquina, onde fica o Sushi Leblon, era antes ocupado por um bar de um amigo de Pepê. Nada dava certo no ponto, mas Pepê pressentiu que ali seria o local mais badalado da cidade. A inauguração do negócio aconteceu no dia de seu aniversário, em 2 de setembro de 1986, só para amigos. O campeão morreu antes de ver a concretização plena da transformação do endereço.
Carolina Gayoso (Foto: Thiago Justo)Detalhe da estátua (Foto: Thiago Justo)
Hoje, as mulheres se equilibram em saltos altos na muvuca da calçada de pedras portuguesas, e os homens, do meio da rua, bebericam uma cerveja enquanto disputam uma das mesas onde já jantaram Tom Cruise, Madonna, Orlando Bloom e tantos outros famosos e anônimos.
Com capacidade para 90 pessoas por vez, em dias de muito agito o restô chega a receber mais de 700 clientes.
O trunfo do Sushi Leblon, em meio a tantos outros restaurantes do mesmo gênero na cidade? “Fomos pioneiros da culinária japonesa no Rio. Além disso, pesquisamos muito. Estou sempre viajando para o Japão e Nova York em busca de novidades. Este ano, por exemplo, desenvolvemos cervejas artesanais para harmonizar com a comida”, explica Carolina.
Suportes de velas trazidos de Nova York   (Foto: Thiago Justo)Suportes de velas trazidos de Nova York (Foto: Thiago Justo)
Quando não está no apartamento de frente para a praia de Ipanema, ela escapa para a casa de Búzios, que divide há seis anos com a irmã Bia. No refúgio da Praia Rasa, lê e relaxa ao som das ondas.
Além de descanso, lá é também lugar de praticar esportes e onde os amigos são sempre bem-vindos. Quando a casa está cheia, Carolina organiza almoços com peixes e mariscos comprados fresquinhos na Peixaria de Maguinhos. Sua nova mania é grelhar abacaxis e peras para servir de sobremesa.
Carolina Gayoso (Foto: Thiago Justo)Toalha listrada e chápeu sobre o banco posicionado de frente para a Praia Rasa (Foto: Thiago Justo)
A casa, cujo projeto demorou dois anos para ser concluído e foi assinado pelo arquiteto Miguel Pinto Guimarães, é arejada e aconchegante, com claraboias e janelões de vidro que dividem os ambientes, num terreno de 2.000 m². “O que mais gosto é poder ver o mar de qualquer lugar, como se estivesse em um navio.”
Os detalhes do décor ficaram a cargo das irmãs, que garimparam almofadas estampadas em Trancoso e combinaram poltronas de madeira de Carlos Motta a móveis e objetos de decoração da ilha de Java.
A empresária, de vestido Lenny Niemeyer, caminhando pelo corredor do segundo andar (Foto: Thiago Justo)A empresária, de vestido Lenny Niemeyer, caminhando pelo corredor do segundo andar (Foto: Thiago Justo)
Mesmo no dolce far niente, Carolina não abandona a alimentação saudável, característica presente em todos os seus empreendimentos. Nem os esportes: hoje, ela substituiu o body-board e o windsurf por  pedaladas até a vizinha Cabo Frio ou por trilhas em Búzios e remadas nas canoas havaianas em companhia do marido.
“Todo mundo que vem aqui acha as canoas o máximo porque quase ninguém tem. Mas vários amigos fortões desistiram de andar nelas de tanto que ela virou. É que a forma de remar é outra, não requer apenas força, mas equilíbrio”,  se diverte a esportista, que correu para o mar da Praia Rasa logo que nossa sessão de fotos acabou. Luiza Mussnich
Carolina Gayoso (Foto: Thiago Justo)Detalhe do cantinho embaixo da escada, decorado com velas e gongo comprado na butique Afranio, no Rio (Foto: Thiago Justo)

Decoração: aposte em itens que colocam o passado e o presente em perfeita sintonia

paloma.jpg
Paloma Danemberg, de conjunto Maria Filó e brincos LOOL, no antiquário da família, cercada de peças da AD (Foto: Foto Thiago Justo, Styling: Patricia Tremblais )

Na  parede do antiquário, instalado em uma das lojas na lateral do edifício Chopin, vizinho ao icônico Copacabana Palace, escadas de um outro tempo dão vida a improváveis estantes e baús vintage viram mesas de centro. Para iluminar, peças de maquinário antigo são usadas num abajur. “São móveis de ofício”, situa Paloma Danemberg.

Filha do carioca Arnaldo Danemberg, do tradicional antiquário que leva seu nome, ela é a grande preciosidade do negócio do pai. A prova disso é o lançamento da linha AD Studio, com foco na nova geração.
“Trata-se de uma renovação do próprio antiquário”, explica ela, que vem sendo lapidada desde o berço. Na infância, enquanto as amigas iam à Disney, Paloma frequentava os leilões da Christie’s e da Sotheby’s. “Eu tinha 12 anos quando vi meu pai arrematar um lance de cadeiras pela primeira vez. Dei um grito, o que não é uma atitude muito comum naquele ambiente sóbrio”, ri.

Olhar bem treinado: 1. Poltrona portuguesa de pinho, R$ 8.800 2. Cabideiro de parede francês dos anos 20, R$ 3.480 3. Baú francês, R$ 10.800 4. Abajur com base de teodolito, R$ 12.800 (Foto: Divulgação)Olhar bem treinado: 1. Poltrona portuguesa de pinho, R$ 8.800 2. Cabideiro de parede francês dos anos 20, R$ 3.480 3. Baú francês, R$ 10.800 4. Abajur com base de teodolito, R$ 12.800 (Foto: Divulgação)

Jornalista, Paloma recebeu o convite para trabalhar com o pai aos 27 anos, assim como ele, há 35, havia aceitado a proposta do pai dele. Primeiro, fez uma revolução digital, modernizando arquivos e imagens. Depois, levou o business da família para São Paulo. Agora deu seu lance principal. “A AD fala com um novo público.”

A curadoria tem peças compostas por couro, ferro, pedra, vidro e, sobretudo, madeira clara, mantendo a estética que consagrou Arnaldo. Tudo garimpado em viagens a Portugal, França, Bélgica e Espanha. “A consciência ecológica desta geração é grande. Comprar em antiquário é também uma ação sustentável”, encerra, com a propriedade de quem sabe colocar passado e futuro no presente. [Rosana Rodini]
Arnaldo Danemberg: Avenida Atlântica, 1.782, Copacabana, RJ

Westwing lança linha de móveis e loja física

total-flex-2
1. Abajur Maison Blanche, R$ 1.399 2. Sofá Westwing Private Label, R$ 1.999 3. Pufe Westwing, R$ 850 4. Pratos Maison Blanche, a partir de R$ 50 5. Vaso Westwing, R$ 130 (Foto: Divulgação)

Comemorando cinco anos no Brasil, o e-commerce alemão especializado em decoração Westwing acaba de lançar sua linha de móveis.
“A ideia surgiu com um desejo por peças que gostaríamos de ter e não conseguíamos encontrar em lugar nenhum”, conta Ale Tobler, diretora criativa da loja on-line.
O resultado são itens cheios de charme como poltronas inspiradas nos anos 50 e móveis em estilo marroquino com pegada contemporânea.
Ainda em clima de celebração, a label inaugura um novo espaço físico na Vila Madalena que contará com todo seu portfólio eclético.
Westwing: Rua Simpatia, 51, Vila Madalena, SP

Inspiração do dia: cozinha gourmet ao lado da piscina

regional-salvador-32

Reportagem visual: Tiago Cappi I Texto: Rosele Martins
Casa baiana que se preza deixa o verde e a brisa entrarem sem cerimônia. Exatamente como acontece nesta cozinha gourmet, que traduz a combinação de elegância e simplicidade, tão característica daqui. Enquanto o branco e a água da piscina refletem o sol, a madeira, o barro e as fibras trazem um toque agradável. Puro deleite para os olhos e o tato. Projeto do arquiteto David Bastos.