Coleção de móveis de David Bowie vai a leilão

colecao-de-moveis-de-david-bowieO astro era um ávido colecionador de obras do designer italiano Ettore Sottsass e do extinto grupo Memphis, com base em Milão
Uma extensa coleção de móveis italianos que pertenceu ao astro David Bowie vai a leilão em Londres. O cantor era um ávido colecionador de obras do designer italiano Ettore Sottsass e do extinto grupo Memphis, que tinha base em Milão.

Reprodução | Dezeen
Luminária Super Lamp de Martine BedinLuminária Super Lamp de Martine Bedin

Reprodução | Dezeen
Estante Carlton de Ettore SottsassEstante Carlton de Ettore Sottsass
Ao longo dos anos, Bowie adquiriu mais de 100 peças, incluindo algumas icônicas como a luminária Super Lamp, de Martine Bedin e a estante Carlton de Ettore Sottsass.

Reprodução | Dezeen
Teelfone Enorme de Ettore Sottsass, 1986Teelfone Enorme de Ettore Sottsass, 1986
Algumas dessas peças serão vendidas em um leilão no Sotheby’s em Londres no dia 11 de novembro de 2016.

Reprodução | Dezeen
Gabinete D'Antibes by George J. Sowden, 1981Gabinete D’Antibes by George J. Sowden, 1981
Os itens de menor valor começarão com lances de 60 libras, já a estante Carlton, está estimada em 7 mil libras.

Reprodução | Dezeen
Cadeiras de Michele de Lucchi, 1983Cadeiras de Michele de Lucchi, 1983
A chefe de design do século XX do Sotheby’s disse que os trabalhos produzidos pela vanguardista Memphis, conduzidos por Ettore Sottsass, não poderiam ter encontrado uma audiência mais receptiva e sintonizada do que David Bowie. “Quando você olha para uma peça de design da Memphis, você vê sua irreverência, um caleidoscópio de formas e padrões com cores contrastantes e vibrantes que têm tudo para não funcionar, mas que se encaixam perfeitamente”, completa.

Reprodução | Dezeen
Relógio Metropole de George J. Sowden, 1982Relógio Metropole de George J. Sowden, 1982
Este leilão será o terceiro a apresentar coleções de Bowie, desde sua morte prematura, em janeiro deste ano. Os dois primeiros, também previstos para novembro, irão focar em suas coleções de arte contemporânea.

Reprodução | Dezeen
Luminária Don' Table Lamp de Ettore Sottsass, 1977Luminária Don’ Table Lamp de Ettore Sottsass, 1977
Nascido e criado no sul de Londres, Bowie estudou arte, música e design antes de embarcar em uma carreira profissional, como músico, em 1963. Ele foi conhecido por seus alter ego – como o andrógino Ziggy Stardust, Aladdin Sane e Thin White Duke – e recebeu uma grande retrospectiva no Museu Victoria and Albert, em Londres e também no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo. Após sua morte, foi lançado o álbum Blackstar.

Reprodução | Dezeen
Estante Adesso Pèro de Ettore Sottsass, 1992Estante Adesso Pèro de Ettore Sottsass, 1992

Fonte: Dezeen

Anúncios

Empresas e designers do primeiro time voltam suas atenções para a criação de móveis infantis

1475863949227

O designer Oki Sato, do estúdio Nendo, em seu cavalinho de acrílico feito para a marca italiana Kartell  Foto: Divulgação

Tudo começou quando o empresário Eugenio Perazza, fundador da Magis, uma das empresas líderes do segmento de alto design da Itália, resolveu presentear sua neta de 5 anos com uma mesa para desenhar. Folheando catálogos, ele percebeu que não havia móveis desenhados especificamente para atender a essa faixa etária. E, a bem da verdade, nem ao redor dela.

“Não estava a procura de móveis em escala reduzida, mas em design para crianças. Na hora percebi que existia um nicho a ser suprimido”, comenta Perazza, que criou em 2004 a linha Me Too de mobiliário e acessórios. Peças criadas por designers consagrados, especificamente para o público infantil.

“Procuro estimular os profissionais a verem o mundo através dos olhos de uma criança. Esse é o melhor caminho”, afirma o empresário, que, desde então, mantém em catálogo produtos voltados para o segmento que levam a assinatura de Javier Mariscal, Enzo Mari e Philippe Starck, entre outros. As cadeiras Trotter, com roda para transporte, de Rogier Martens, e a Little Big, que pode ter sua altura ajustada conforme a criança cresce, do estúdio Big Game, estão entre os lançamentos apresentados no Salão do Móvel de Milão, em abril passado.

Para alegria dos pequenos, não se trata de uma iniciativa isolada. Em anos recentes, a clássica Elephant Chair, criada em 1945 pelo casal Charles e Ray Eames, de compensado curvado, foi relançada pela Vitra em polipropileno. Assim como a série Zoo de relógios, de 1965, assinada por George Nelson. Sem falar da Kartell, a gigante dos plásticos, que lançou este ano sua primeira linha de produtos voltados para o mercado infantil.

“Nosso móvel para crianças pioneiro, a cadeira 4999, projetada por Marco Zanuso e Richard Sapper, em 1964, não só foi um dos primeiros produtos da nossa linha ‘habitat’ como foi um dos primeiros móveis de plástico criados especificamente para o público infantil no mundo”, conta o presidente da empresa, Claudio Luti, que, meio século depois, acredita no potencial de produtos para essa fatia do mercado, segundo ele, em plena expansão.

“Com vistas a atender crianças de 3 a 8 anos, procuramos adaptar alguns itens de nosso catálogo para melhor se ajustarem aos espaços delas. Mas também oferecer uma linha de peças inéditas, desenvolvidas por nosso time com as mesmas tecnologias e matérias-primas de nossos demais produtos”, afirma Luti.

Assim, a coleção lançada em abril se estrutura em três segmentos. O primeiro traz assentos ou superfícies de apoio que podem se transformar em brinquedos, como a série Smile, desenvolvida pelo estúdio Nendo, sob inspiração dos emoticons. Depois, algumas peças foram concebidas especificamente para funcionarem como brinquedos. Caso dos carros e tratores criados por Piero Lissoni, usando chapas coloridas de metacrilato e estrutura de metal. Ou ainda do cavalo de balanço de Nendo, no mesmo material.

Por fim, surgem objetos pensados para preencher espaços de uso cotidiano e áreas de lazer, como o balanço criado por Starck com policarbonato transparente e a mesa Clip Clap, de Ferruccio Laviani, que pode ser montada e desmontada para melhor se adequar ao tamanho de seus usuários. “Diria que, sob qualquer aspecto, são produtos intrinsecamente ligados à filosofia Kartell, mas que vão além disso. São produtos brincalhões, divertidos, envolventes. Afinal, as crianças são muito exigentes”, pontua Luti. [Marcelo Lima]

Coleção Smile, outro desenho de Sato para a Kartell  Foto: Divulgação

Da Kartell, balanço de acrílico criado por Philippe Starck  Foto: Divulgação
Cadeiras Little Big, do Big Game, para a marca italiana Magis  Foto: Divulgação
De Oki Sato, do estúdio Nendo, cavalinho de acrílico para a Kartell O designer Oki Sato, do estúdio Nendo, brinca no cavalinho de acrílico que criou para a Kartell Foto: Divulgação
 Veículos de metacrilato de Piero Lissoni para a Kartell  Foto: Divulgação
 A cadeira Trotter, de Rogier Martens para a Magis, tem roda para ser movida Foto: Divulgação
Relógio de parede da série Zoo, criado em 1965 por George Nelson para a marca Vitra  Foto: Divulgação
 A cadeira 4999 foi a primeira peça para crianças feita pela Kartell, em 1964  Foto: Divulgação

Estampas têxteis nos móveis Kartell por Lapo Elkann

kartell-tamanho

Lapo Elkann levou os tecidos das roupas para a superfície dos móveis na sua coleção com a Kartell || Créditos: Reprodução
As peças icônicas da Kartell – empresa italiana de itens de decoração – ganharam toques especiais pelas mãos de Lapo Elkann, um dos herdeiros da Fiat. Ele reinterpretou alguns móveis, como mesas e cadeiras de Philippe Starck, com exclusividade para a semana de design Milão deste ano. A coleção em edição limitada traz padronagens têxteis, tais como quadriculado, listras, tartan e o famoso pied de coq. As peças estão disponíveis na flagship da Kartell em Milão.

Tom Dixon assina coworking em Londres

interchange-atrium-interior-co-working-tom-dixon-camden-london-uk-peer-lindgreen_dezeen_1568_2-1024x731Projeto de arquitetura do escritório Barr Gazetas, também de Londres, são 600 estações de trabalho, com acesso a espaço de eventos, restaurante, laboratório de inovação, café e, logo mais, um ginásio. O conceito é incentivar a produtividade e interação comunitária, com a presença de uma passarela em espiral no centro, terraços cobertos e jardins verticais.

Um dos destaques de impacto fica logo no foyer de quatro andares, com uma grandiosa instalação de luz, feita a partir de tubos de aço inoxidável, que aparece como um grande arranjo geométrico. E as luminárias pendentes Melt, da coleção Dixon 2015, lançadas em Milão ano passado, que pontuam os ambientes.interchange-atrium-interior-co-working-tom-dixon-camden-london-uk-peer-lindgreen_dezeen_1568_0-1024x731.jpgA ideia de que a arquitetura, o design de interiores e o mobiliário podem apoiar, ou mesmo mudar, a cultura de uma organização, é visível em cada escolha. Bia Villarinho I Fotos: Peer Lindgreen

Casa-galeria no Japão

gaze-residential-art-gallery-apollo-architects-associates-aichi-japan-masao-nishikawa_dezeen_1568_0-1024x731.jpg

A Gaze House, localizada no Japão, tem uma galeria de arte para exibir ao público a coleção particular do cliente. O novo edifício localizado ao sul de Nagoya foi projetado pelo escritório Apollo Architects & Associates.
Com 125 metros quadrados, o edifício parece uma pilha de três blocos. O primeiro, revestido de vidro e concreto, e os outros dois superiores, de metal, o que criou um contraste entre eles.
No nível mais baixo fica a pequena galeria de arte contemporânea e nos andares superiores, os espaços privativos da residência. Na galeria, as superfícies de concreto do teto, parede e piso ficam aparentes em todo o espaço expositivo.
Já na casa, destaque para uma escada de aço com degraus de madeira. O layout é aberto com salas de estar e cozinha integradas. O mobiliário segue uma paleta de tons neutros e monocromáticos.

Estilo escandinavo

villa-boreale-cargo-architecture-residential-quebec-canada-dave-tremblay_1568_7-1024x731.jpg

Em Quebec, no Canadá, os profissionais do Cargo Architecture decidiram imprimir uma decoração com estilo escandinavo em uma casa de campo na região arborizada e montanhosa de Charlevoix.
O projeto foi feito para um casal de 30 anos que tem interesse em alugar o imóvel para temporada. A casa está localizada em meio a uma floresta e em um terreno inclinado e, para os arquitetos, ela combina perfeitamente com a paisagem ao redor.
São 164 metros quadrados de uma habitação ampla revestida com cedro branco, contrastando com um telhado de metal preto. As janelas foram posicionadas para enquadrar as melhores vistas da paisagem e trazer luz natural a cada ambiente.
O interior apresenta um layout aberto, com teto alto e pisos de madeira e concreto. Uma grande porta de vidro deslizante permite aos moradores expandir o espaço de vida ao ar livre.

Designer belga Alain Gilles desenha móveis com design ergonômico e mais dinâmico

bonaldo_structure-sofa-and-armchair-alain-gilles-1-1024x682

A ideia do designer belga Alain Gilles na hora de desenvolver uma nova coleção de sofás era a de criar uma peça confortável e ergonômica, com um visual leve, dinâmico e com um desenho gráfico de todos os seus ângulos.

O projeto foi concebido para a marca italiana Bonaldo. Ele quis criar uma brincadeira com a estrutura clássica de um sofá padrão, que tem um formato retangular, com aberturas na parte superior e frontal.

Ao inclinar para trás o encosto e as laterais do sofá ele criou um movimento mais dinâmico que tem um ângulo mais confortável e acolhedor para o assento.

A coleção tem sofás e poltronas com sua estrutura de metal exposta. Essa estrutura pode ter cores que combinam com o estofado, criando um estilo ton-sur-ton, ou cores que contrastam com o tom do estofado, para realçar o design da peça.