Mekal se une a Docol em busca de inovação

União promete levar as peças com design de qualidade da especialista em aço inox ao grande público consumidor da gigante dos metais
TEXTO CLÁUDIA VALE | FOTOS GUI MORELLI (EXPO REVESTIR), ROBERTO WAGNER (BANCO REVISTEIRO) E DIVULGAÇÃO

Banco revisteiro feito de aço inox para a Mekal por Zanini de Zanine, um dos muitos exemplos da parceria da marca com grandes designers brasileiros

O luxo ainda está longe de ser para todos, mas no mercado brasileiro de design, existe gente que acredita que ele não precisa ser para tão poucos. Presos ao eixo Rio-São Paulo, os fundadores da Mekal, por exemplo, tinham certeza de que poderiam ampliar seus horizontes. O impulso que faltava à empresa especialista em itens de aço inox bem desenhados veio de uma recém-firmada fusão com a Docol, a maior exportadora de metais da América Latina. A gigante do setor se mostrou disposta a investir em criações que primam não só pela qualidade, mas também pelo design, como o já clássico banco de Zanini de Zanine.

O Smart kit da Mekal, sistema de cozinha modular que possibilita customizações e conta com acessórios como porta-tábuas

Para que não haja dúvidas quanto ao futuro promissor dessa união, o primeiro resultado já tem data para ser apresentado: será visto dos dias 12 a 15 deste mês, durante a Expo Revestir, onde a Docol promete armar um estande 30% maior do que o montado no ano passado.

Perspectiva digital da bancada invisível, primeiro protótipo da parceria entre as duas empresas, que combina uma cuba multifuncional e o workstation da Mekal a um misturador telescópico da Docol

Apelidado de “bancada invisível”, o produto é focado na cozinha, espaço cada vez mais nobre dentro das nossas casas, e une uma solução já viabilizada pela Mekal com outra da Docol. Uma cuba da primeira, que já vinha com tampas usadas para “esconder” a pia, ganhou um misturador retrátil da segunda, igualmente camuflável na bancada. Uma saída de mestre para quem busca limpeza visual e um estilo minimalista na cozinha.

Perspectiva digital da bancada invisível, primeiro protótipo da parceria entre as duas empresas, que combina uma cuba multifuncional e o workstation da Mekal a um misturador telescópico da Docol

Mais do que uma aposta em novos produtos ou em um novo esquema de distribuição, Christian Kadow, diretor comercial da Mekal, lembra que a parceria é uma oportunidade de levar o design para outros espaços e patamares. “Com a Docol teremos uma área focada em inovação, para que todo conceito se torne um produto viável”. Democratizar o design se faz desse jeito.

Perspectiva digital da bancada invisível, primeiro protótipo da parceria entre as duas empresas, que combina uma cuba multifuncional e o workstation da Mekal a um misturador telescópico da Docol
Instalação da Docol assinada por Marko Brajovic, na Expo Revestir 2017
Anúncios

Designers transformam resíduos industriais em utensílios de cerâmica

Projeto visa encontrar o valor no descarte

Um grupo de designers do Royal College of Art de Londres transformou resíduos vindos da produção de alumínio em utensílios de cerâmica como pratos, xícaras, tigelas e bules. De tom terracota, as peças da coleção From Wasteland to Living Room foram desenhadas por Guillermo Whittembury, Joris Olde-Rikkert, Kevin Rouff e Luis Paco Bockelmann.

O projeto visa encontrar o valor em resíduos, reciclando o subproduto industrial em uma alternativa sustentável às matérias-primas. O material consiste principalmente de óxido de ferro, o que lhe confere uma cor vibrante e enferrujada.

Depois de coletarem a lama vermelha de uma refinaria no sul da França, o grupo realizou testes para desenvolver seus objetos. Os designers trabalharam em colaboração com cientistas e ceramistas para explorar o potencial dos materiais.

Dia Internacional da Mulher: Conheça cinco designers que deixaram sua marca na decoração

Em um universo predominantemente masculino, cinco mulheres se destacaram pela criatividade, ousadia e inovação em todo o mundo; veja suas histórias no Dia Internacional da Mulher

Casa de Vidro, no Morumbi, projetado por Lina Bo Bardi, a mesma arquiteta responsável pelo projeto do Museu de Arte de São Paulo Foto: Sergio Castro / AE

Residências e móveis ousados e modernos e projetos arquitetônicos que viraram cartões-postais são parte do legado de mulheres que deixaram suas marcas no mundo do design e da arquitetura. No Dia Internacional da Mulher, o Casa relembra cinco artistas que são lembradas até hoje pela criatividade e inovação em todo o mundo.


Charlotte Perriand

Charlotte Perriand em 1991, ao lado de seus projetos arquivados em rolos no ateliê da Rue des Cases. Foto: reConnaitre: Charlotte Perriand: Fernand Leger, une Connivence / ReproduçãoreConnaitre: Charlotte Perriand: Fernand Leger, une Connivence

Parisiense de nascença, Charlotte Perriand desbravou o mundo do design de interiores então predominantemente masculino e se estabeleceu como uma referência feminina na década de 1920. A francesa chamou a atenção durante o Salão de Outono, em Paris, ao apresentar o “Bar sous le toit”, instalação com um bar embutido com paredes cromadas e uma mesa de carteado com porta-copos semelhantes a buracos de mesa de bilhar.

O bar de Perriand a levou ao Le Corbusier, famoso estúdio de design em Paris, e a partir daí a carreira da francesa passou por vários pontos do globo. Quando a Segunda Guerra Mundial eclodiu na Europa, foi convidada pelo ministro de Comércio e Interior do Japão para auxiliá-lo na produção de novos produtos para o mercado ocidental. Após a entrada do país asiático na guerra, migrou para a então Indochina, Vietnã e até ao Brasil, onde buscou inspiração no Rio de Janeiro.

O famoso Bar sous le toit onde recebia os amigos e cuja perspectiva também foi apresentada no Salão de Artistas Decorativos em 1928 em Paris. Foto: reConnaitre: Charlotte Perriand: Fernand Leger, une Connivence / Reprodução

Avantgarde e modernista, Perriand foi responsável pela elaboração de estações de ski nos Alpes franceses, colaborou na criação de complexos residenciais em Marseille e teve obras de seu trabalho expostas no Museu de Artes Decorativas e no Centro Pompidou, ambos em Paris, no Museu do Design de Londres e na Liga Arquitetônica de Nova York.


Ray Eames

Metade do famoso casal Eames, Ray é considerada uma das designers mais influentes do modernismo, sendo responsável, junto do marido, Charles, por móveis elegantes, simples e funcionais. Um dos seus melhores exemplos é a Eames Lounge Chair, exposta no Museu de Arte Moderna de Nova York, e as cadeiras molded plywood, ambas na década de 1940.

A Eames Lounge Chair, de Ray Eames. Foto: Tok&Stok / Reprodução

Nascida em Sacramento, na California, Ray se mudou para Nova York para estudar pintura expressionista abstrata e conhece Charles durante uma competição de desenhos e maquetes. Uma vez casados, passam a utilizar técnicas como uso de fibra de vidro e a criação de cadeiras em resina plástica e em malha de metal para criar um estilo próprio, até hoje relacionado à dupla. Apesar do trabalho, apenas Charles assinava os trabalhos. O nome de Ray só foi reconhecido anos depois, quando a Instituto Real de Arquitetos Britânicos homenageou o trabalho do casal.


Eileen Gray

Pioneira do movimento modernista na arquitetura, a irlandesa Eileen Gray é conhecida por projetar e construir a E-1027, pequena villa em formato de “L” nos Alpes Marítimos franceses, com teto plano, janelas que vão do teto ao chão e uma escada em espiral até os quartos de hóspedes.

Durante sua carreira, Gray foi a responsável pelo design do interior do apartamento da socialite francesa Juliette Lévy, na conhecida Rue de Lota, em Paris. O projeto foi reconhecido como o “epítome da Art-Déco” pela imprensa à época. Inicialmente uma fã de materiais luxuosos, como madeiras raras e mármore, Gray gradativamente migrou para o estilo industrial a partir dos anos 1920, onde se firmou como referência modernista.

Atualmente, o Museu Nacional da Irlanda mantém uma exposição permanente com obras de Eileen Gray e, em fevereiro de 2009, uma de suas poltronas foi leiloada por 21,9 milhões de euros em Paris. 


Lina Bo Bardi

O paulista que não conhece Achillina Bo, ou Lina Bo Bardi, deve visitar um dos cartões-postais de São Paulo para ser apresentado ao seu trabalho. A italiana é a responsável pelo projeto do Museu de Arte de São Paulo, o Masp. 

Lina na escada do Belvedere do Masp em1973. Imagens da exposição em homenagem a Lina Bo Bardi no Museu da Casa Brasileira. Foto: ACERVO INSTITUTO LINA BO E P.M.BARDI

Naturalizada brasileira em 1951, Lina Bo Bardi é conhecida por seus trabalhos ligados à cultura popular brasileira, a qual era fascinada. Em São Paulo, um de seus primeiros trabalhos foi a Casa de Vidro, no Morumbi, onde hoje funciona o instituto em sua homenagem. A convite do empresário Assis Chateaubriand, fica a cargo do projeto do que viria a ser o Masp e, em Salvador, lidera o projeto de recuperação do Solar do Unhão e restauração do centro histórico.  No fim da década de 1970, executa o projeto do Sesc Pompeia, na zona oeste da capital. 

Prédio do Masp projetado pela arquiteta Lina Bo Bardi. Foto: Tiago Queiroz / Estadão

O único projeto que não conseguiu concluir foi a reforma da Prefeitura de São Paulo. Dona Lina, como era conhecida, morreu em março de 1992, deixando um legado de intensa produção cultural no Brasil.


Andrée Putman

Considerada a “Coco Chanel do design”, a francesa Andrée Putman colecionou grandes projetos que vão desde o interior do Hotel Morgans, em Nova York, ao interior do avião supersônico Concorde. Seu estilo xadrez, com quadrados em preto e branco, se tornou sua marca.

Andre Putman, quase sempre de preto. Foto: PUTMAN STYLE, DE STEPHANE GERSCHEL / Reprodução

Andrée começou como mensageira da revista Femina, onde viria a trabalhar como jornalista. Ao assumir a direção das lojas Prisunic passou a buscar montar um estilo simples, longe de modismo e luxo, e acessível. A carreira veio tarde: somente na década de 1980 se tornou reconhecida após a reforma do Morgans, quando passou a ser convidada para projetar o interior de outros hotéis, como o Le Lac (Japão), Wasserturm (Alemanha) e o Sheraton (França).

O preto e branco que usou no Morgan’s Hotel em NY passaram a ser quase uma marca registrada da designer. Foto: PUTMAN STYLE, DE STEPHANE GERSCHEL

A francesa também foi responsável pelo design de lojas famosas, como Balenciaga e Lagerfeld, além de ter executado o projeto do interior do Ministério da Cultura da França em 1984. Durante sua carreira, Andrée Putman recebeu 18 prêmios internacionais pelas suas obras.

Designers africanos renomados criam coleção para IKEA

Com curadoria do Design Indaba, a linha Överalt celebra a riqueza ancestral da África e foi apresentada durante o festival
POR AMANDA SEQUIN, DA CIDADE DO CABO

Tapetes de Laduma Ngxokolo para o IKEA

Issa Diabaté; Selly Raby Kane; Naeem Biviji e Bethan Rayner; Bibi Seck; Mariam Hazem e Hend Riad; Renee Rossouw; Sindiso Khumalo; e Laduma Ngxokolo. Esses são alguns dos principais nomes do design africano atual e que foram escolhidos para criar uma nova coleção de homewear para a gigante IKEA

Issa Diabaté desenhou uma cadeira a partir de uma folha de madeira de compensado fixada só por encaixes

Essa novidade, que já vem sendo produzida há 2 anos, foi finalmente revelada ao público com exclusividade no Design Indaba, festival de criatividade e design realizado anualmente na África do Sul. São móveis, almofadas, itens para a cozinha, entre outros acessórios, compondo a linha Överalt. 

Reform Studio criou esta sacola a partir de embalagens de batata frita

Referências da cultura africana e a explosão do afrofuturismo garantem um visual autêntico e impactante às peças – Selly Raby Kane, por exemplo, se inspirou nas tranças afro, chamadas de box braids, para criar cestos de tamanhos variados. A coleção chegará às lojas do mundo todo em maio. 

Cesto de Selly Raby Kane 

6 projetos com luminárias feitas de papel

Ideias para inserir esses objetos na decoração
POR NATÁLIA MARTUCCI FOTOS CAROLA RIPAMONTI, ALESSANDRO PADERNI, BRUCE BUCK E REPRODUÇÃO

Belas, simples e serenas, as luminárias de papel estão com tudo no décor.

Sala de jantar com papel de parede botânico

Na casa milanesa projetada pelo escritório @marcantetesta, a luminária de papel misturada com o papel de parede botânico da @coleandson e as cadeiras de vime promovem um clima natural. Foto: Carola Ripamonti

Floresta urbana

A simplicidade dessas peças são um ótimo contraponto para ambientes cheios de plantas, bem no estilo urban-jungle.

Living com cores fortes

Na casa de Patrícia Moroso, a luminária de mesa Akari de Isamu Noguchi e o sofá Gentry, de Patricia Urquiola para Moroso. Foto: Alessandro Paderni

Quarto minimalista com paredes escuras

Nesse quarto com paredes escuras, a Pion, da Hay, feita em papel composto, fornece uma luz difusa.

Degradé no quarto infantil

No quarto infantil, várias luminárias foram combinadas formando um charmoso degradê.

Peça statement

Nesse projeto no Brooklin, em Nova York a inspiração foi a calma alcançada pelo design japonês. O objetivo era aplicar na propriedade o conceito de “simplicidade redutiva” e fazer com que o espaço que tinham disponível parecesse maior e mais amplo. Foto: Bruce Buck

Memórias afetivas e uma antiga padaria inspiram criações do estúdio Färg & Blanche

Conheça móveis, luminárias e outros itens criados pela dupla na Design Week de Estocolmo 2019
POR LIV CHAGAS, DE ESTOCOLMO

Uma antiga padaria, um edifício no estilo townhouse e as memórias de uma designer conceituaram uma nova coleção de peças e uma das exposições mais badaladas da Design Week Estocolmo 2019. Os designers Fredrik Färg e Emma Marga Blanche, do estúdio Farg&Blanche, decidiram usar como palco da sua nova coleção um edifício de 1889, que pertenceu ao tataravô da designer. Suas lembranças afetivas viraram belas luminárias e móveis.  

O fato daquele lugar ter sido uma padaria no passado (e seu carro chefe um tradicional biscoito crisp sueco, redondo e com furo no meio) rendeu uma grande inovação profissional para os sócios. Ele foi a principal inspiração para a criação da colorida luminária de vidro Knackebröd. O material foi utilizado pela primeira vez na trajetória criativa do estúdio.

Também inspirado pelo negócio da família, Ema e Fredrik desenvolveram a Heartlamp – uma luminária parecida com um coração, um pão ou até mesmo uma nuvem – uma materialização lúdica de uma memória afetiva. Os castiçais que parecem velas derretendo também são inspiradas na infância da artista. Já o o piso de marchetaria do edifício, com formas de estrelas, nortearam as lindas mesas com os pés no mesmo formato e tampo marchetado.

As peças estiveram reunidas em uma das exposições mais badaladas da Design Week 2019 de Estocolmo, que aconteceu entre 4 e 10 de fevereiro. 

ABIMAD’27: confira os destaques da feira

Entre os dias 05 e 08 de fevereiro, São Paulo recebe a Feira Brasileira de Móveis e Acessórios de Alta Decoração. Casa Vogue selecionou as principais novidades
POR MARIANA CONTE

Poltrona Veleiro, da Plataforma 4 para a Butzke

O enorme pavilhão do São Paulo Expo recebe, entre os dias 05 e 08 de fevereiro, a primeira edição do ano da ABIMAD – Feira Brasileira de Móveis e Acessórios de Alta Decoração. São 164 expositores de móveis, tapeçaria e objetos, além da programação de talks, que inclui um bate-papo entre a nossa Diretora de Conteúdo Taissa Buescu e o arquiteto Carlos Rossi amanhã (07/02) às 15h. A seguir, confira alguns dos principais lançamentos:

Entre as novidades da Butzke, que está comemorando 120 anos, a famosa cadeira diretora ganha revestimento de neoprene com estampas exclusivas em parceria com a Mormaii.
Na Lovato Móveis, o balanço Aziz tem assinatura do designer Rodrigo Karam e é uma peça lúdica, que pode ser usada até como divisória de ambientes.
Sérgio J Matos lança o banco Taturana, de corda náutica e disponível em 17 cores. Além disso, o designer começa uma parceria com a marca piauiense Trapos&Fiapos e eles apresentaram juntos a tapeçaria Chita, com fibra de taboa e corda náutica. Outras peças estão por vir como resultado dessa união.
Entre as novidades da Artefama, está a cadeira Deli, que permite uma vasta combinação de cores.
Na Feeling Estofados, destaque para a Poltrona e para o Puff Zara. A marca trouxe na produção do estande a luminária Rovere, da Madelustre, que também expõe na ABIMAD’27.
Bell’Arte apresentou a coleção Oceanos, que levanta a bandeira da sustentabilidade. O sofá Ilhas, assinado por Ricardo Barddal, é todo modular, com encosto móvel, podendo ser montado de diferentes maneiras.
As mesinhas da linha Oásis, de Rejane Carvalho Leite para a Ville Art, têm formas orgânicas e acabamento em latão escovado.
Na 6F Decorações, a coleção Afeto traz novos lustres, cômodas e acessórios para montar lindos cantinhos na decoração.
O destaque da Via Star fica por conta do tapete Blend. A peça é fabricada na Bélgica com lã espanhola.
No estande da O Galpão há muitas peças novas com fibras naturais, como estas luminárias.
A coleção Urban da ADM Móveis conta com banqueta, cadeira e banco com estrutura e detalhes em metal pintado.
Na Móveis James, um dos destaques são as mesas de centro Arquelis, assinadas por Ramon Zancanaro e feitas com madeira e vidro acidato, material que permite uma reprodução impressa dos mármores calacata e marquina.
As mesinhas Hago, de Bruno Faucz para a Móveis James, também apresenta um mix de materiais: couro, ferro e madeira.
A cadeira Moi, de Marcelo Ligieri para a Doimo, ganhou o IF Product Design Award 2019 e também está na feira.
A poltrona Fiera era uma das estrelas da Salvatore. A peça, que também combina couro, aço e madeira, tem assinatura de Fabricio Roncca.
Na Lazz Interni, o mix de materiais também foi a aposta da linha Tecno, com multilaminado flexível, lâmina de cinamomo e detalhes em aço banhado em dourado
Tapetah trouxe o universo das artes para a tapeçaria. Obras do polonês Franciszek Michalek, que produziu grandes murais em locais públicos da Polônia durante a década de 1970, agora estampam tapetes como esse, mantendo vivo o seu legado. O sofá Pedras, assinado pelo Ponto Eu, também é um lançamento da marca.
Línea Home lançou a coleção Outro Inverno 2019 e a principal novidade são os duvets, capas de edredom, sempre feitos de linho com algodão.