O hobby que virou profissão: interesse pela carreira de DJ cresceu nos últimos cinco anos

Academia Internacional de Música Eletrônica diz que, no passado, a maioria das pessoas que buscavam curso na área queriam apenas um passatempo
Por Madson Gama — Rio de Janeiro

Aimec RJ insere alunos do curso de DJ, como Heload, em grandes festivais de música Foto:  Divulgação/Aimec RJ

Uma pista de dança bem movimentada — com um público entusiasmado e envolvido pela música — é um dos termômetros para medir a qualidade de um DJ. E é crescente o número de pessoas que buscam ganhar a vida fazendo a alegria de outras dessa forma. A Academia Internacional de Música Eletrônica (Aimec RJ), escola de DJs localizada no Shopping Downtown, na Barra, aponta o aumento do interesse pela profissionalização na área.

De acordo com a instituição, hoje, 70% dos seus alunos procuram a escola para se qualificar e trabalhar no ramo. Esse número não chegava nem a 10% cinco anos atrás, quando a maioria das pessoas que buscavam seus cursos tinha o ofício de DJ apenas como um hobby, conta Rafael Nazareth, professor e sócio do espaço.

— Antes, as pessoas não consideravam a área de DJ muito como uma profissão. O marco dessa mudança foi quando alguns DJs internacionais, como o David Guetta, estouraram, saindo de eventos específicos de música eletrônica para outros maiores, tornando-se populares inclusive nas plataformas digitais. No Brasil, temos o bem-sucedido Alok — explica. — Os cachês também começaram a aumentar drasticamente, e tornou-se mais atrativo entrar nessa profissão, que deixou de ser vista como algo sem futuro. Hoje em dia, DJ pode ter reconhecimento e ser considerado artista.

 Raphael Porto (à esquerda), Rafael Nazareth e Cléber Júnior são os sócios da escola de DJs Aimec Rio — Foto: Divulgação/Aimec RJ
Raphael Porto (à esquerda), Rafael Nazareth e Cléber Júnior são os sócios da escola de DJs Aimec Rio — Foto: Divulgação/Aimec RJ

Nazareth destaca ainda que a tecnologia tornou mais rápido e fácil o aprendizado na área e barateou os equipamentos.

— Hoje, temos basicamente três perfis de alunos na Aimec RJ. Um deles é o de pessoas que só querem um hobby e entram para aprender como se fosse um instrumento, a fim de chamar os amigos para casa em ocasiões especiais, por exemplo, e se divertir. O outro é de profissionais como advogados, engenheiros e empresários que, inicialmente, desejam ter a área como uma segunda profissão, após perceberem que é possível fazer uma boa renda; além dos que buscam uma carreira de sucesso — detalha.

Os novos talentos da escola, ressalta Nazareth, têm a oportunidade de vivenciarem as primeiras experiências profissionais em grandes festivais organizados por parceiros do espaço. No ano que vem, cerca de 20 DJs da instituição se apresentarão em um palco especial do Deep Please Festival, megaevento de música eletrônica organizado por uma agência liderada por Cléber Júnior e Raphael Porto, que são sócios da Aimec RJ.

Aluno da Aimec, o DJ LVKS teve a oportunidade de tocar na edição deste ano da Deep Please Festival, megaevento de música eletrônica — Foto: Divulgação/Aimec RJ
Aluno da Aimec, o DJ LVKS teve a oportunidade de tocar na edição deste ano da Deep Please Festival, megaevento de música eletrônica — Foto: Divulgação/Aimec RJ

— Nós, sócios, somos também produtores de eventos e estamos inseridos no mercado. Assim, conseguimos colocar alunos que se destacam e querem seguir carreira em festas que promovemos e em grandes eventos de que somos parceiros. Para isso, fazemos um concurso interno — explica Nazareth. — É uma oportunidade maravilhosa ter essa vitrine tão cedo. Certamente, eles só conseguiriam isso depois de anos de estrada. Nós encurtamos o grande abismo que existe entre se formar e conseguir as primeiras experiências para rentabilizar todo o aprendizado.

O professor esclarece que existem dois tipos de DJs: aqueles que tocam em eventos sociais, como em casamentos e festas de aniversários, e precisam adaptar o repertório ao perfil de cada um; e os que embalam festivais, seguindo uma linha mais autoral e artística e sendo reconhecidos por seu estilo.

— Oferecemos a parte teórica, apresentando a história dos estilos musicais, da profissão e dos equipamentos, para os alunos entenderem a evolução. Depois, ensinamos a operar esses dispositivos, a fazer mixagens, os diferentes formatos de música e como reuni-las — afirma Nazareth. — O curso mais básico dura 66 horas, e as pessoas já saem num nível para começar sua história no mercado.

Japanese City Pop on vinyl with Shaqdi

London-based, half Swedish, half Palestinian singer, songwriter and producer Shaqdi, also a member of the MAJ fam is playing some of her favorite Japanese city pop records.

A cantora, compositora e produtora radicada em Londres, meio sueca, meio palestina Shaqdi, também membro da família MAJ, está tocando alguns de seus discos pop favoritos da cidade japonesa.

Jazz-Funk, Disco and Gospel with Charlie Dark b2b Zag

Charlie Dark and Zag are celebrating the upcoming MAJ & Friends event that will take place in Jazz Cafe, London on September, 30th. Jazz-Funk, Disco, Gospel and other good vibes!

These days most people know Charlie Dark as the running guy, the founder of the Urban run collective “Run Dem Crew” and an advocate of mental health and wellness within communities. However, if you attended or heard about his Blacktronica parties or sets at the legendary Plastic People then you’ll know that ‘all forms of music in one room the way it used to be’ has always been his motto and his record collection spans various genres and the crates are deep.

Mo Wax records with Attica Blues in the ’90s, a major label deal on Sony and the plethora of remixes and productions, Deejaying has been at the heart of everything he does.
Since lockdown Charlie has pivoted into radio with his weekly Friday morning show on Worldwide FM and the creation of his own internet station Run Dem Radio. A platform for unheard voices, untold stories and music to uplift the soul and a homage to the pirate stations that set him on his path all those years ago.

Charlie Dark e Zag estão comemorando o próximo evento MAJ & Friends que acontecerá no Jazz Cafe, Londres, no dia 30 de setembro. Jazz-Funk, Disco, Gospel e outras boas vibrações!

Hoje em dia, a maioria das pessoas conhece Charlie Dark como o cara da corrida, o fundador do coletivo de corrida urbana “Run Dem Crew” e um defensor da saúde mental e do bem-estar nas comunidades. No entanto, se você assistiu ou ouviu falar sobre suas festas ou sets Blacktronica no lendário Plastic People, então você saberá que ‘todas as formas de música em uma sala do jeito que costumava ser’ sempre foi seu lema e sua coleção de discos abrange vários gêneros e as caixas são profundas.

Mo Wax grava com a Attica Blues nos anos 90, um grande contrato com a Sony e a infinidade de remixes e produções, Deejaying está no centro de tudo o que ele faz.
Desde o bloqueio, Charlie virou-se para o rádio com seu programa semanal de sexta-feira de manhã na Worldwide FM e a criação de sua própria estação de internet Run Dem Radio. Uma plataforma para vozes inéditas, histórias não contadas e música para elevar a alma e uma homenagem às estações piratas que o colocaram no seu caminho há tantos anos.

Eris Drew | Boiler Room x Dekmantel Festival 2022

Eris Drew — live from Boiler Room at Dekmantel Festival 2022.

Eris Drew — ao vivo do Boiler Room no Dekmantel Festival 2022.

Percussive Dub, Spiritual Jazz & Psychedelic Grooves with Millie McKee

Selector Millie McKee embarks on an eclectic journey through some of her most treasured records. Based in Bristol, Millie is one of the most illuminating diggers in the city, whose keen instinct for rock, jazz, funk and lots more spellbinding genre agnostic sounds have made her a DJ of note in a town full of DJs of note.

Her open-hearted style and unapologetic expression were first spotted by Noods Radio, where she has built a growing pool of listeners. The popularity of her radio show has granted her a very busy year DJing around festivals and parties throughout the summer.

Millie McKee embarca em uma jornada eclética por alguns de seus discos mais preciosos. Com sede em Bristol, Millie é uma das escavadoras mais esclarecedoras da cidade, cujo instinto aguçado para rock, jazz, funk e muito mais sons agnósticos de gênero fascinantes a tornaram uma DJ de destaque em uma cidade cheia de DJs de destaque.

Seu estilo de coração aberto e expressão sem remorso foram vistos pela primeira vez pela Noods Radio, onde ela construiu um crescente grupo de ouvintes. A popularidade de seu programa de rádio lhe concedeu um ano muito ocupado como DJ em festivais e festas durante o verão.

Funky Drum Machine Soul and Boogie with Zag & Kay Suzuki

Time Capsule founder Kay Suzuki plays b2b with Zag.

Producer of Time Capsule. Japan-born and a part grown up in Singapore, Kay Suzuki arrived at the London music scene in 2004. Since his debut in 2007 as a producer, he has been expanding into many styles and genres including disco, house, techno, ambient, African, jazz, funk, soul and everything in between. His diverse style of remixes, re-edits and original productions have acquired critical acclaim and support from names like David Mancuso, Gilles Peterson, Francois Kevorkian, Theo Parrish, Hunne, John Gomez and Bradley Zero to name a few.

O fundador do Time Capsule, Kay Suzuki, joga b2b com Zag.

Produtor do Time Capsule. Nascido no Japão e uma parte crescida em Cingapura, Kay Suzuki chegou à cena musical de Londres em 2004. Desde sua estréia em 2007 como produtor, ele vem se expandindo em muitos estilos e gêneros, incluindo disco, house, techno, ambient, africano , jazz, funk, soul e tudo mais. Seu estilo diversificado de remixes, reedições e produções originais conquistou elogios da crítica e apoio de nomes como David Mancuso, Gilles Peterson, François Kevorkian, Theo Parrish, Hunne, John Gomez e Bradley Zero, para citar alguns.

Zag tries to keep up with Habibi Funk’s selection 

In this episode, Habibi Funk invites Zag to play b2b with him.
🎧 Headphones are recommended for the best experience.

Neste episódio, Habibi Funk convida Zag para jogar b2b com ele.
🎧 Fones de ouvido são recomendados para a melhor experiência.

Beyoncé, Madonna – BREAK MY SOUL (THE QUEENS REMIX – Official Visualizer)

Official visualizer for “BREAK MY SOUL” (THE QUEENS REMIX) by Beyoncé and Madonna.

Foundation Roots Reggae with Danniella Dee

Danniella Dee is a Singer / Songwriter, Producer & DJ from Coventry, UK. She is one-third of Sisters In Dub, a female-led Roots Reggae + Dub sound system collective.

Danniella grew up on Roots music, with her father – Trevor ‘E.T. Rockers’ Evans founding Coventry’s first sound system – Jah Baddis – in the 70s, before becoming tour DJ for the legendary 2-Tone band The Specials. Danniella now proudly carries on her father’s sound system legacy with Sisters In Dub.

Since their first session – a victorious win at a sound system competition supported by Coventry City of Culture in October 2021 – Sisters in Dub have been making waves in the sound system scene, performing across the UK and beyond. The momentum continues as they prepare to debut at multiple international reggae festivals in 2023.

Also, a solo artist, Danniella, has been steadily releasing singles for the past few years as she develops her sound. She’s been honoured to grace two BBC Introducing stages in 2022, with her first EP anticipated for release in early 2023.

In this mix, Danniella showcases personal favourites from the pioneering golden age of Roots Reggae between 1975-1983.

Danniella Dee é uma cantora/compositora, produtora e DJ de Coventry, Reino Unido. Ela é um terço do Sisters In Dub, um coletivo de sistema de som Roots Reggae + Dub liderado por mulheres.

Danniella cresceu na música Roots, com seu pai – Trevor ‘E.T. Evans, dos roqueiros, fundou o primeiro sistema de som de Coventry – Jah Baddis – nos anos 70, antes de se tornar DJ de turnê da lendária banda 2-Tone The Specials. Danniella agora carrega orgulhosamente o legado do sistema de som de seu pai com o Sisters In Dub.

Desde sua primeira sessão – uma vitória vitoriosa em uma competição de sistema de som apoiada pela Coventry City of Culture em outubro de 2021 – o Sisters in Dub vem causando ondas na cena do sistema de som, apresentando-se em todo o Reino Unido e além. O momento continua enquanto eles se preparam para estrear em vários festivais internacionais de reggae em 2023.

Além disso, uma artista solo, Danniella, vem lançando singles constantemente nos últimos anos enquanto desenvolve seu som. Ela teve a honra de agraciar dois palcos de introdução da BBC em 2022, com seu primeiro EP previsto para ser lançado no início de 2023.

Nesta mistura, Danniella apresenta favoritos pessoais da era de ouro pioneira do Roots Reggae entre 1975-1983.