Os melhores perfumes masculinos para a primavera

Selecionamos seis fragrâncias para apostar na nova estação e renovar os aromas
POR GLAUCO JUNQUEIRA

Já dizia Carolina Herrera de Baez que o perfume é uma expressão invisível do eu. Assim como nós mudamos, seja de humor, de opinião, ou de expressão, o perfume também deve variar com a mudança das estações.

Para entrar no mood dessa primavera e renovar os seus aromas, aposte em fragrâncias cheias de personalidade, com aromas frescos, cítricos e frutados:

CH Kings, Carolina Herrera, R$ 489,00 (100 ml). (Foto: Divulgação)

CH Kings, Carolina Herrera, R$ 489,00 (100 ml)

Esse eau de parfum de edição limitada é inspirado no jogo do amor e da sedução. Tem notas de saída de pimenta preta e rosa, cardamomo e violeta. A verdadeira magia está no coração da fragrância, com a doçura do abacaxi e da sálvia, combinados com cacau e café; A base amadeirada de cumaru e almíscar completam o truque.

*

Invictus Legend, Paco Rabanne, R$ 499,00 (100 ml). (Foto: Divulgação)

Invictus Legend, Paco Rabanne, R$ 499,00 (100 ml)

Imagine o calor escaldante do deserto e de repende, uma brisa refrescante chega… Assim é essa fragrância, com um aroma amadeirado e picante que conferem uma força intensa e refrescante. As notas de coração desse eau de parfum são o gerânio picante e folhas de louro, que simbolizam a vitória. A composição aromática completa-se com as notas de base amadeiradas, que combinam a madeira de guaiaco com o âmbar.

*

H Acqua, Eudora, R$ 79,90 (100 ml). (Foto: Divulgação)

H Acqua, Eudora, R$79,90 (100 ml)

A sensação de frescor toma conta da nova fragrância Eudora H Acqua. A fragrância fougère aquosa é uma explosão de energia, através da combinação do Acorde Iced Citrus com notas especiadas e aromáticas; a intensidade das notas oceânicas e do sândalo australiano agrega sofisticação ao perfume.

*

Jimmy Choo Man Ice, Jimmy Choo, R$ 459,00 (100 ml). (Foto: Divulgação)

Jimmy Choo Man Ice, Jimmy Choo, R$ 459,00 (100 ml)

Um toque de frescor e emoção, para um homem despojado, divertido, audacioso, que busca frescor em uma fragrância, trazendo uma energia radiante para o seu dia a dia. As notas de topo são tangerina, bergamota e cidra; no coração, uma mistura elegante e adocicada de vetivér, patchouli, cedro e maçã; na saída, notas de almíscar, musgo e ambroxan. A cara da primavera!

*

Mr. Burberry Indigo, Burberry, R$ 459,00 (100 ml). (Foto: Divulgação)

Mr. Burberry Indigo, Burberry, R$ 459,00 (100 ml)

Criada pelo renomado perfumista Francis Kurkdjian, Mr. Burberry Indigo é uma fragrância refrescante, com notas cítricas que lembram o ar puro ao longo da costa britânica. Abre com a combinação refrescante do limão e do alecrim. Nas notas de coração, hortelã e folhas de violeta trazem energia ao perfume. No fundo, a junção das notas amadeiradas do musgo de carvalho branco e âmbar seco dão conforto e segurança para a fuga do final de semana pelo litoral.

*

212 VIP Black Own the Party Extra, Carolina Herrera (100 ml). (Foto: Divulgação)

212 VIP Black Own the Party Extra, Carolina Herrera (100 ml)

Esse é o perfume para quem não quer passar despercebido na noite. Extravagante, traz notas de topo como o rum, a coca-cola e a toranja; no coração, lavanda, couro e musgo; como notas de saída, cacau e almíscar. Uma explosão oriental para um homem contemporâneo e estiloso.

Anúncios

‘Estilo é resposta à discriminação’, diz Mahershala Ali

Vencedor de dois Oscars, ator fala sobre cinema, fé, racismo e de ter virado embaixador da marca italiana Zegna
Maria Rita Alonso / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

Estilo. O ator, vestido pela grife Zegna Foto: Ermenegildo Zegna

O hotel Greenwich, idealizado pelo ator Robert De Niro, em Nova York, é de uma elegância distinta, com sofás de couro, tapetes iranianos e prateleiras repletas de clássicos da contracultura. Foi ali que o ator Mahershala Ali recebeu o Estado, na semana passada, vestindo blazer de alfaiataria verde garrafa com uma camiseta da mesma cor em um tom mais claro, totalmente em harmonia com a sofisticação cool do ambiente.

Vencedor do Oscar de melhor ator coadjuvante por Moonlight, em 2017, e Green Book, 2019, Ali vive o auge da carreira aos 45 anos, aclamado pela crítica e com grandes oportunidades ao seu dispor. Virou também um ícone de estilo, sempre nas listas dos mais bem-vestidos representando a Ermenegildo Zegna, a marca masculina mais chique da Itália. 

Com porte majestoso e o semblante doce, Ali encarna o cavalheiro de uma nova era, na qual a masculinidade tem a ver com sensibilidade, equilíbrio e fé. Criado pela mãe cabeleireira, em Oakland, na Califórnia, o ator era um dos poucos afro-americanos no colégio. Ótimo jogador de basquete, adorava as disciplinas de Humanas, escrevia poesia e acabou tomando gosto pelo teatro. Antes de estourar em Moonlight, precisou abrir mão do papel de sucesso em House of Cards para seguir seu coração. “Busco me sentir completo holisticamente.”

Mahershala Ali é um homem grande, musculoso, naturalmente elegante, que aprendeu a se vestir bem desde pequeno. “Isso faz parte da cultura negra”, diz ele, em entrevista ao Estado. “Sempre fui consciente de como ser negro é algo que fala por mim antes mesmo de eu abrir a boca.”

Como define os novos códigos de masculinidade? Que tipo de homem é você?
Estou preocupado com movimento, crescimento e expansão. Permanecer em um só lugar, nos torna estagnados, não nos ajuda a evoluir. Quero evoluir. Tenho orgulho de ser aberto, consciente e disposto a ouvir e aprender.

Depois de vencer o segundo Oscar, esse é um momento muito excitante para você. De que forma Moonlight e Green Book mudaram a sua vida?
Todos procuramos nos sentir mais completos. Estou buscando me sentir completo holisticamente, em todos os aspectos da minha vida, e a atuação é um deles. Esses trabalhos me abriram novas oportunidades e acessos, e não digo isso só em termos financeiros. Com eles, atingi um nível profundo de satisfação com relação ao que gostaria de dizer como artista.

Acredita que o cinema e a moda podem ajudar a formar sociedades menos desiguais?
Não há muito espaço na moda para pessoas como eu. Então, ver um homem afro-americano como embaixador de uma marca de moda italiana, por exemplo, gera um impacto positivo. Não acho que alguém racista vai mudar sua mentalidade do dia para noite por me ver numa campanha, mas o fato disso não ocorrer antigamente e agora virar uma realidade gera um momento de pausa para que as pessoas reflitam sobre questões raciais. No cinema, diferentes contribuições também devem aparecer e outras histórias precisam surgir. É necessário esforço cultural para possibilitar a comunicação em diferentes comunidades, nas quais a opressão atinge certas pessoas. Narrativas sobre gays, mulheres negras, transgêneros, ajudam a gerar um impacto saudável em nossas relações.

O que mudou nos últimos anos nos Estados Unidos em relação ao preconceito racial?
Não acho que as mudanças ocorreram exclusividade nos EUA. Esse movimento é global, estamos criando novas narrativas que podem ajudar a conscientizar as pessoas. Quando nos tornamos conscientes de algo não saudável, de um comportamento tóxico, podemos fazer mudanças e agir mais corretamente. Acho que as facilidades de conexão entre as pessoas hoje estão abrindo caminhos para o convívio entre diferentes raças e culturas. Mas é preciso continuar passando a mensagem. Estamos apenas no começo.

O que o seu estilo diz sobre você? Em quem se inspira?
Meu pai me impactou nesse sentido, o estilo dele era extraordinariamente cool e ele estava sempre me fazendo ter noção do que escolher para usar em Nova York ou na Califórnia. Minha mãe era cabeleireira e eu, que sempre fui introvertido, sentia que meu estilo podia falar por mim. Uma das primeiras coisas que aprendi foi combinar roupas, cores, texturas. Isso fez parte da minha educação e acho que faz parte da cultura negra também, já que a gente não tem chance de conseguir um trabalho ou algo assim se não estiver bem vestido. Não digo que isso é algo positivo. Mas ter estilo é uma reação, uma resposta à discriminação que vivemos como negros. Sempre fui consciente de como ser negro é algo que fala por mim antes mesmo de eu abrir a boca.

Como você se sente sempre na lista dos mais bem-vestidos e como embaixador da Zegna?
Eu me sinto humildemente inspirado. No fim do dia, todos nós vestimos uma expressão, um reflexo direto da nossa personalidade. E me sinto grato pelos relacionamentos que criei também com pessoas incríveis da moda, como as que trabalham na Zegna.

Hoje, a televisão e as plataformas de streaming dominam a cena. Os meios e plataformas importam para você?
Para mim, não importa qual seja a plataforma, desde que nós possamos aprender com histórias, estilos de vida e nos conectar com a condição humana. Se a história é produtiva, nós podemos tirar algo daquilo na tela, em qualquer que seja o formato. Busco apenas ter certeza de que minha contribuição importa e causa um impacto positivo nas pessoas.

O que leva em conta ao escolher seus papéis?
Costumo olhar para atores que admiro, como Daniel Day Lewis, e entender como conseguem se transformar a cada interpretação. Se você tem a ousadia de estar nesse meio, precisa aprender a se ver no lugar de outra pessoa e esquecer quem você é. Tenho isso em vista, quando escolho um papel.

Está animado em protagonizar Blade, o caçador de vampiros?
É meu primeiro trabalho com a Marvel, nunca havia tido a oportunidade de fazer um filme de ação. Na verdade, fiz alguns trabalhos do tipo, mas meus personagens sempre morriam antes da verdadeira ação começar (risos), então não quero morrer dessa vez!

Outros projetos em andamento?
Quero partir para a produção. Na verdade, já estou produzindo um trabalho para a HBO, e estou bem animado.

A que você diz não?
Ao que é improdutivo. Seja um trabalho ou uma conversa. Se não é produtivo, não faz sentido. / COLABOROU LAYS TAVARES

EGONlab. Spring/Summer 2020

A primeira colecção Primavera / Verão 2020 da EGONlab inspira-se em todas as referências revolucionárias da nossa história que tiveram um impacto positivo na sociedade moderna.


Ele ecoa o atual contexto geopolítico, econômico e ecológico em que vivemos. Degradando-se dia a dia, o EGONlab deseja atrair as novas gerações: “Aprenda sobre a história da nossa história e construa o mundo de amanhã juntos”. A coleção L’APPEL reinterpreta o guarda-roupa punk, com base na estética e na forte imagem do movimento, enquanto desvia sua ideologia de “NO FUTURE”, transformando-o em “NOSSO FUTURO”

Inspire-se nos homens mais cool do planeta e embarque na (revira)volta da moda

Inspire-se nos homens mais cool do planeta e embarque na (revira)volta da moda
POR ALEXANDRA FARAH (@ALEFARAH)

Museu de novidades (Ilustração: Victor Amirabile | Com imagens Getty Images; reprodução e divulgação)

A moda é uma indústria global de 3 trilhões de dólares que, desde sempre, fez com que a gente almejasse o próximo item em detrimento do antigo. E assim a moda cresceu e brilhou por décadas servindo como benchmark para todas as outras indústrias. Apesar de sua aparência frívola, a gigante não brinca nos negócios. E mesmo na maioria das vezes se inspirando em estilos do passado – agora voltou o estilo skate, agora voltou o jaquetão (exemplos reais das tendências atuais) –, a moda sempre privilegiou o novo ao velho. Mas agora, vejam só, tanto os dados econômicos como a estética dos homens mais cool do planeta apontam uma reviravolta.

O que dizem os últimos números? Que o mercado de vestuário de segunda mão crescerá para quase 1,5 vezes do tamanho da fast fashion. Isso mesmo, até 2028, o mercado de roupas de brechó valerá US$ 64 bilhões, contra US $ 44 bilhões do fast fashion. A mesma pesquisa realizada pela Thred Up 2019 Resale Report diz que o second hand é o segmento que mais cresce – e em ritmo acelerado. Esse dado diz muito sobre o momento atual do mundo e acabou se transformando em estética.

Já que produzir roupa com matérias-primas virgens é algo nada sustentável que gasta muito CO2, faz estragos no meio ambiente, a galera descolada decidiu que tomar um banho de loja já era. A geração de jovens consumidores conscientes, incluindo Ryan Gosling e Harry Styles, por exemplo, começaram, sem alardear, a usar roupas do passado, de fato, e não só na aparência. 

Aqui vão dicas do que comprar no brechó: jaquetas de camurça, suéter de gola rulê, calças folgadas de alfaiataria com cintura alta, camisetas de bandas favoritas, cintos de lona, calças e jaquetas de veludo cotelê, jaquetas bomber revestidas de pele de carneiro, já que voltaram a ser itens essenciais para o guarda-roupa contemporâneo. Como usá-las? Claro que aqui ninguém está sugerindo fazer um look brecholento, desbotado e mal-cuidado. Nada disso. A grande jogada é primeiro comprar roupas em ótimas condições e misturá-las com peças atuais. Uma camisa de linho deve ser usada com um paletó bem cortado.

A tática é fazer o look refletir um estilo único, difícil de imitar e que mostre que você é um homem fashion, chique e conectado com os valores e propósitos da atualidade. Moda é cartão de visitas, e isso nunca sai de moda. Use a seu favor.

Maquiagem masculina: as dicas da especialista para uma pele bem cuidada

A maquiadora Brigitte Calegari dá todas as dicas para homens que querem começar do zero e aprender o que é preciso para ter uma pele impecável
GLAUCO JUNQUEIRA

Maquiagem masculina corretiva (Foto: Vanni Bassetti/Dior)

Já havíamos antecipado aqui quais seriam as cinco tendências de grooming que marcariam 2019 para os homens, e dentre elas, a maquiagem masculina se destaca. E isso não quer dizer que você terá de sair, por aí, com a cara “rebocada” e cheia de brilho.

É um fato que maquiagem para homem já foi um tabu. Entretanto, no contexto de estar com a pele limpa, hidratada e livre de imperfeições, as marcas estão cada vez mais antenadas no assunto e não param de lançar linhas inteiras, dedicadas ao público masculino.

De acordo com Patrícia Lima, especialista em beleza natural e fundadora da Simple Organic – marca brasileira sustentável de cosméticos orgânicos, veganos, naturais, cruelty-free e que defende a bandeira genderless (sem gênero) – é de extrema importância as marcas terem um olhar sem vício e muito além de marketing. “O que a gente vê hoje no mercado são muitas marcas de beleza levando para suas campanhas, a diversidade, mas não de forma real ou levantando todas as bandeiras nesse aspecto”, destaca Patrícia.

A maquiadora Brigitte Calegari. Para ela, o segredo para uma pele bem cuidada e de aparência naturalmente viçosa é ter rosto e lábios sempre hidratados, olheiras corrigidas e pontos de oleosidade controlados. (Foto: Divulgação)

Para te dar uma ajudinha em relação ao tema, falamos com a maquiadora e beauty artist Brigitte Calegari, para saber quais são os cuidados e as dicas de ouro da maquiagem masculina.

1 – O mundo da maquiagem está se tornando cada vez mais diverso, e cada vez menos sobre regras. Para quem nunca se aventurou nesse mundo, o que é preciso fazer para não errar?
Antes de uma boa maquiagem, existe um bom cuidado com a pele. Com a hidratação e a proteção solar em dia, o uso da maquiagem surge apenas para homogeneizar a pele e garantir um visual alinhado. Na hora de comprar os itens de maquiagem, sempre peça ajuda para algum especialista da loja, porque a compra do tom correto é o que garante a neutralidade necessária para não ter o visual de “palhaço”.

2 – Quais produtos são essenciais para uma pele bem-feita?
É importante dividir em duas categorias os produtos: uma, de cuidados, e outra, de cosméticos com função corretiva. Para os cuidados, o sabonete facial, o hidratante de acordo com o tipo de pele, o protetor solar e o protetor labial são essenciais! Eles vão garantir a saúde e evitar o uso excessivo de maquiagem no rosto.

Para os cosméticos, um bom BB cream ou CC cream (que possuem uma fórmula muito mais leve em relação à base e diversos benefícios para a pele), garante a uniformidade do tom do rosto e pescoço. No caso de olheiras mais evidentes, marcas ou espinhas, é interessante ter um corretivo cremoso – ótimo para ser aplicado com os próprios dedos nas áreas necessárias.

3 – Qual o passo a passo básico para homens, para uma pele livre de imperfeições?
Durante a noite, após o banho, é interessante estabelecer uma rotina facial: utilizar o sabonete líquido para lavar o rosto e aplicar o hidratante e o protetor labial antes de deitar.

Ao acordar, é legal repetir esse passo a passo, incluindo o protetor solar ao final. Uma dica importantíssima é evitar lavar o rosto com água quente. Se preferir lavá-lo no chuveiro, regule para fria a temperatura da água.

Depois que o protetor solar for absorvido pela pele, aplique o BB ou o CC cream com os próprios dedos, espalhando-o pelo rosto como se fosse um creme. Isso vai uniformizar o tom da pele e adicionar alguns benefícios extras à hidratação e à proteção solar. Caso ache necessário, utilize o corretivo cremoso nas olheiras, com batidinhas da ponta do dedo. Se for esfregado, o corretivo não exercerá o efeito de cobertura necessário.

4 – Se pudesse sugerir apenas um único produto para o homem investir, qual seria e por que?
Protetor solar! Além de garantir a saúde da pele, evitando queimaduras solares e o envelhecimento precoce, há opções com multibenefícios que possuem cor – e podem ser utilizados no lugar do BB ou CC cream, por exemplo.

Brigitte ainda lembra que é sempre importante pensar no uso dos produtos, imaginando uma aparência naturalmente viçosa: pele e lábios hidratados, olheiras corrigidas e pontos de oleosidade controlados. Assim, nenhum produto será usado em excesso e o visual terá aquele “ar saudável”, que tanto é desejado, com o uso da maquiagem. A real beleza é justamente essa: valorizar seus próprios traços com os produtos adequados para as suas necessidades.

Virgil Abloh encara acusações de cópia e falta de diversidade

VIRGIL ABLOH / REPRODUÇÃO

O momento não está fácil para Virgil Abloh. Em menos de três meses, o designer enfrentou repercussões envolvendo uma coleção que desenhou para a Louis Vuitton e uma festa que deu para o staff da Off-White.

Em março, Abloh foi acusado de “aprovar” o comportamento abusivo de Michael Jackson, em quem se inspirou para a coleção masculina da Louis Vuitton de Outono/Inverno 2019, desfilada em janeiro. A coleção foi feita antes do designer tomar conhecimento do documentário Leaving Neverland, filme que destaca as alegações de abuso a meninos menores de idade. Leaving Neverland teve pré-estreia em Sundance, no final de janeiro e estreia em março na HBO.

Na coleção, Abloh trouxe o estilo do cantor, aquele que imediatamente nos vêm à mente quando nos lembramos dele. Em um comunicado oficial, ele disse: “Minha intenção para este show foi referir a Michael Jackson como artista da cultura pop. Refere-se apenas à sua vida pública que todos conhecemos e ao seu legado que influenciou toda uma geração de artistas e designers. Estou ciente de que, à luz deste documentário, o desfile causou reações emocionais. Eu condeno estritamente qualquer forma de abuso infantil, violência ou infração contra quaisquer direitos humanos”.

O CEO da Louis Vuitton também se posicionou, adicionando que “a segurança e o bem-estar das crianças são de extrema importância para a Louis Vuitton. Estamos totalmente comprometidos em defender essa causa”. 

A marca decidiu então não produzir as peças que contenham elementos ligados a Michael Jackson. “A Louis Vuitton garantirá que a coleção reflita os verdadeiros valores da marca e de nosso diretor artístico, e também que não há absolutamente nenhum item que contenha diretamente elementos de Michael Jackson”, diz um porta-voz da marca à imprensa internacional. A coleção masculina tem várias outras inspirações e será lançada nas lojas em julho. 

Também em março, o DietPrada mostrou semelhanças entre um look do desfile masculino da Off-White e outro muito parecido da pequena marca alemã Colrs. O look em questão é uma capa de chuva amarela coberta de texto em estilo graffiti.

Em uma entrevista a revista New Yorker, ele responde a este caso específico: “Eu poderia falar por uma hora inteira sobre a condição humana e o ímã que é negatividade. É por isso que o mundo é como é. É por isso que o bem não prevalece, porque há mais energia negativa. É melhor apenas sentar e apontar o dedo. É isso que as mídias sociais podem ser. Todo esse espaço para comentar gera uma tendência a podridão versus realmente fazer algo. E ele permite que você compacte essa coisa em algo como: ‘Você não é um designer. Feche o livro. Porque, para ser um designer, você precisa ser da Bélgica’”. Essa última frase pode ser uma referência a estilistas como Raf Simons e Martin Margiela, a quem seu trabalho é muito comparado.

Pois agora, Virgil está sendo atacado por conta de uma festa que deu para o staff da Off-White, uma equipe de mais de 100 pessoas, baseada em Milão. Ele publicou algumas imagens recentemente em seu Stories e logo foi cobrado por usuários do Instagram e fãs da OW que, rapidamente apontaram a falta de diversidade na equipe. Usuários deixaram comentários no post falando “claramente você não acredita em diversidade” ou “irmão, contrate diversidade”. Outro usuário chamou para um boicote à marca dizendo: “Pessoas negras por favor aprendam a não apoiar marcas e negócios que não nos apoiam. 136 membros da equipe em uma festa de Natal e nenhuma pessoa de cor. Ele claramente não vê valor nos criativos que se parecem com ele”.

captura-de-tela-2019-05-02-as-10-49-55

Prada, Gucci e Burberry passaram por situação parecida e criaram iniciativas que mostram sua intenção de mudar imediatamente em relação a essa questão.

O que chama mais atenção no quadro aparentemente inteiro branco de funcionários é que o próprio Virgil Abloh fez história sendo o primeiro negro a ocupar o cargo de diretor artístico na história da Louis Vuitton (a marca foi fundada em 1854).

Em uma entrevista para FFW em 2017, Abloh foi perguntado se ele se considera um agente de mudança em direção a uma maior diversidade na moda. Sua resposta passou longe do tema: “Não sei, isso é mais pra outras pessoas responderem sobre mim. Mas isso não chega nem perto da razão pela qual eu faço o que eu faço; eu não sou tão preocupado com isso. Apenas me encontro em um lugar onde, igual quando eu comecei, tento visualizar as ideias que surgem na minha cabeça. Esse é o foco do meu trabalho”.

Abloh ainda não se posicionou em relação aos comentários negativos que tem recebido. [FFW]